Na Linha do Equador: Volta à ilha de barco

Maria Gomes Moreira

Este foi o último fim-de-semana da Madalena em São Tomé, e por isso resolvemos fazer um programa “magnata”: dar a volta à ilha de barco.
Expectativa: um dia daqueles que se vê nos filmes – todos a apanhar sol no barco, a tirar imensas fotografias, relaxados a ler um livro e ouvir música, fazer um piquenique, atracar numa praia paradisíaca para apanhar sol…
Realidade: acordar às 4h da manhã para estar as 5h na praia, onde uma canoa a motor nos esperava. Estavam nuvens por isso nem conseguimos ver o nascer do sol. Cada onda que passávamos era um banho que apanhávamos. Pela primeira vez tive frio em São Tomé!!! Cada vez estavam mais nuvens e mais ondas e apesar de o “comandante” da canoa dizer que estava tudo bem e que não estávamos a passar por nenhuma tempestade, o céu cinzento não estava a inspirar muita confiança, então pedimos para parar no sítio mais perto para esperar que o mau tempo passasse. Se isto fosse um filme, tínhamos parado numa qualquer praia ou ilha deserta com canibais.
Felizmente tivemos a sorte de o sítio mais perto ser o ilhéu das Rolas, onde o hotel Pestana tem um super resort. Quando chegamos ao ilhéu, percebemos que não podíamos entrar lá sem ser no barco do pestana, mas em 5 minutos passamos de ilegais a pessoas que têm direito a ir à piscina e até nos emprestaram toalhas. Sentamo-nos a descansar nas espreguiçadeiras, e alguém até sugeriu que podíamos começar a almoçar… quando percebemos que ainda eram 9h da manhã!

Passado uma hora já estava grande calorão, mas não nos quisemos arriscar a dar mesmo a volta à ilha então voltamos para trás, para parar em mais uns quantos ilhéus e voltar para casa. Aí o passeio de barco começou a melhorar… solzinho, calor, conseguíamos ver peixes voadores e alguém até diz que viu um golfinho.. Paramos para fazer mergulho e vi coisas giríssimas… Mentira, não vi rigorosamente nada porque não atinei lá com os óculos e o tubinho para respirar e resolvi desistir.

Bem, acabou por ser um dia giro mas… “berlengas nunca mais!”. Ou pelo menos para a próxima que não seja a pagar. Ou que não tenha que acordar às 4h da manhã.

continuação daqui

Comments


  1. África é um continente fabuloso. Quanto a repentinas mudanças de clima, há uns dias saí sob um céu estrelado na Lunda Sul, no nordeste angolano, para passadas 2 horas apanhar com um dilúvio daqueles que na Europa levava com alertas laranja ou vermelho. Mas quero muito conhecer S.Tomé, o Ilhéu das Rolas e também a Ilha do Príncipe…


    • AA – então já que vai tão longe, dê um pulinho ali tão perto e vão a CVerde – mas não tendo as chuvadas inesperadas de Luanda – “se não chove morre de sede, se chove morr’afogado”

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.