Um país com um sistema político falhado

Um país assim é aquele onde um qualquer jota, que chega a primeiro-ministro com apenas os votos de uns milhares de militantes, consegue meter o país de pantanas, sem que um contra-poder o consiga parar na sua loucura.

É o que está a acontecer com a fusão entre a Refer e as Estradas de Portugal. Depois de um sussurro na comunicação social, para sondar a receptividade da medida, anuncia-se que se vai proceder a uma transformação profunda num sector crítico para o país, como os transportes, sem que se conheçam estudos, sem discussão pública, sem planeamento e sem, sequer, que se saiba o que se irá fazer.

Vamos fazer de conta que não sabemos a resposta e deixemos uma pergunta: competitividade na oferta não melhora a qualidade do serviço?

estrada e linha

Comments


  1. Eles não querem competitividade, querem é destruir o país e roubar dinheiro.

  2. Ferdinand says:

    Os socialistas neo/não-liberais fazem o mesmo, têm é um pouco mais de cuidado quando metem, embrulham as mentiras em xuxalismo de forma amolecer o coração de quem ainda lhes leva a sério…

  3. Alexandre Carvalho da Silveira says:

    Um país pobre como o nosso tem de gastar o melhor possivel os parcos recursos de que dispõe. A fusão destas duas empresas públicas serve para isso mesmo, melhorar a eficácia gastando menos. Parece que os que estão contra, como o ilustre autor do postal, gostam de um estado gordo e gastador. Depois não se queixem que pagam muitos impostos.


    • Isso é tudo ignorância ou gosta mesmo de ser imbecil e levar no cu?

      • Alexandre Carvalho da Silveira says:

        Levar no cú não é desporto a que me dedique. Mas quando quiseres posso foder a tua mãe , as tuas irmãs e a tua mullher se a tiveres. E de caminho vai ao médico porque precisas de quem te tire o arame farpado que tens dentro da mona.

    • j. manuel cordeiro says:

      Vamos falar de gorduras, é?
      http://aventar.eu/2014/04/03/factura-da-sorte-nilton-nao-quero-um-carro/

      Exactamente, o que é que se vai poupar nesta fusão? E que custo vai trazer a diminuição de concorrência? E qual é o modelo maravilhoso que está subjacente?

      • Alexandre Carvalho da Silveira says:

        Para já nos custos de exploração poupam-se mais de seis milhões de euros.
        Quanto à factura da sorte: eu não sortearia carros de gama média/alta. Mas gastar dois milhões de euros para arrecadar 600 milhões não me parece mau negócio.

        • j. manuel cordeiro says:

          Como é que chegou a este número?

        • j. manuel cordeiro says:

          As questões dos maus negócios são engraças mas há uma coisa a que se chama valores, e não me refiro aos da bolsa.

        • A. Camil says:

          “nos custos de exploração poupam-se mais de seis milhões de euros”
          hahaha. que aldrabão de meia tigela, ó silveiras.
          6 milhões de euros é menos de 1% dos custos operacionais da Refer..
          claramente é mais um negócio para os teus amigos dias loureiros/catrogas/duartes limas encherem a peida!

    • Nightwish says:

      Olhe, funde-se o exército com a polícia e também se poupa muitos recursos. Ou o ministério da educação com o da saúde, é para cortar e destruir e é, siga a direito, acabe-se com toda a lógica.

    • A. Camil says:

      “A fusão destas duas empresas públicas serve para isso mesmo, melhorar a eficácia gastando menos”

      e isso está demonstrado onde?
      ou foi o que te mandaram escrever na newsletter do psd?

      • Alexandre Carvalho da Silveira says:

        Posso até estar enganado nos números, mas os camelos como o Camil, parece que gostam que o estado gaste sempre mais, e depois acham que pagam muitos impostos, se é que pagam. Decide-te lá ó areias Camil, achas que a Refer a as Estradas de Portugal ainda devem pouco?

        • A. Camil says:

          quais números? não mostraste nada.
          o que me preocupa não é os meus impostos irem directamente para uma Refer pública; é irem directamente como rendas para uma EDP privada, dirigida pelo teu amigo pentelho que negociou a privatização. o que me preocupa é os meus impostos estarem a pagar o maior desfalque da história de Portugal, executado pelo teu amigo dias loureiro; é pagar as acções da SLN do teu amigo cavaco e da filha, que se valorizaram 300% do dia para a noite. o que me preocupa é os meus impostos financiarem colégios privados e monopólios como o do teu amigo ferreira do amaral na lusoponte (que ele próprio negociou enquanto ministro).
          agora vai lá escrever a newsletter da distrital do psd de carrazeda de baixo..

          • Alexandre Carvalho da Silveira says:

            E quem é que duplicou as rendas entre 2005 e 2011? foi o teu querido Sócrates, aconselhado pelo cientista Zorrinho. Além disso, ó Camil com duas bossas, sabes tanto, mas estás a esquercer-te que em 2011 a EDP já estava privatizada em mais de 70%.
            E quem é que te disse que esses gajos todos que estás praí a falar são meus amigos? conheço-os do mesmo sitio que tu os conheces. Não gostas do desfalque do BPN? eu também não, mas eu fui sempre contra a nacionalização do banco, enquanto tu ó Camel, deves ter ficado todo satisfeito. O desfalque é um crime? pois é, e metam quem o fez na prisão, e por mim pdem atirar a chave fora. Mas metam também na prisão quem trouxe o desfalque para o OGE, o Sócrates mais o Teixeira dos Santos, que juravam a pés juntos que aquela brincadeira não iria custar um euro aos contribuintes.
            Em relação à fusão da Refer com as EdeP, a mim parece-me uma boa medida; mas os inteligentes camelóides como o Camil, basta-lhes que seja este governo a tomar medidas que até podem ser acertadas para estarem contra. São do contra, não há nada a fazer, mesmo que as medidas sejam do interesse público.
            Camil, há quantos dias não bebes água?
            PS O que é que os negócios de acções do Dias Loureiro e da filha de que estás muito melhor informado do que eu, têm a ver com a fusão da Refer com as EdeP? se calhar o mesmo que o “olho do cú, tem a ver com a feira de Borba”.

          • A. Camil says:

            @ Carvalho da Silveira:

            #1: ó silveira, olha que o Relvas não vai ficar satisfeito com essas tuas palavras rudes sobre o dias loureiro..

            #2: como é que o que o PS faz de mal justifica o que de mal está a ser feito pelo teu PSD?
            essa é a base da tua argumentação: os outros também fizeram, nós agora também temos direito a encher os bolsos..

            #3: o que a EDP tem a ver com a Refer é muito simples (e tu sabes): é mais um negócio para privatizar entre amigos uma empresa pública, ficando o estado a pagar “umas rendas”.. já todos sabemos como isso acaba: catroga, ferreira do amaral, e restante gangue cavaquista. é só escolher..

            #4 continuas sem mostrar nada (um relatório ou um estudo credíveis) sobre a a fusão da Refer e da estradas de portugal. aquele número de 6 milhões que tiraste do cú não representa nem 1% dos custos de exploraAão da Refer.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.