No vôo de Genève para o Porto


aviao
[Retirado do Facebook de] Ricardo Sousa

Não consegui aguentar. Desatei a chorar.
Hoje no meu voo de Geneve para o Porto, um voo carregado de emigrantes Portugueses sentou-se junto a mim mais um deles. Nada de novo até aqui.
Minutos depois de ter pedido uma sandes que apenas consegui comer metade e por trás dos auriculares ligados a um iPhone oiço uma voz. “Deve querer ir a casa de banho”, pensei. Instantaneamente levanto-me… mas não. Um sorriso indica que e outra coisa. Tiro um auricular. “Ainda vai comer mais? Importa-se que fique com o resto?”. E nestes momentos, nestes segundos em que saímos dos nossos hiper-conectados mundos e do nosso stress diário que caímos naquela que e a essência humana. Disse-lhe que não, chamei o chefe de cabine e pedi mais uma sandes. Dei-lha.

Mas esta história para mim foi muito mais que uma sandes ou um momento semi auto-congratulante para colocar no Facebook, foi um verdadeiro reality-check.

Ao conversar com o José (raramente o faço num voo), fiquei a conhecê-lo melhor. 40 e muitos como diz ter mas sem querer concretizar, há ligeiramente mais de 2 anos a trabalhar em Vevey na Suíça. Trabalha na construção, vive com 2 colegas e não vê a mulher e as duas filhas há mais de 2 anos. Dois anos!!! Perdeu a entrada da filha na universidade – mas não reclama porque diz que é para isso (e que para a outra também possa ter esse “luxo”) que está na Suíça. O skype ajuda, diz mas a “saudade mata”. E foi para isso que poupou e comprou este voo. Vai ver as filhas, a mulher, a mãe que não vê ha tanto tempo. Vão estar no aeroporto, assegura-me. Não duvido. Diz que saiu de Portugal depois de a fábrica onde trabalhou quase 20 anos ter fechado, não encontrou mais nada em quase um ano de procura. “sou trapo velho” diz.

Como é possível aguentar esta saudade? Como e possível não se queixar? Como é possível dizer-me que está “bem”? Como e possível trabalhar “das 8 às 10” (faz um part-time também) para poder mandar dinheiro para Portugal para a Rita e a Sofia? E mesmo assim sorrir?

Não consegui, enquanto soltava lágrimas num misto de perplexidade e compaixão, ele ria-se. “Não estou doente homem. Não há motivo para chorar”.

É de facto esta a geração que está na lama. Não os 20-something, não os “cérebros que fogem”, são os pais desses cérebros – chamemos-lhes os músculos. Esses tem muito menos oportunidade, muito menos capacidade de se adaptarem. Esses estão a reconstruir uma vida depois de já terem construído uma. Esses estão a passar pela maior privação de todas. Estar longe da família que criaram, das pessoas que amam.

Boa sorte José, e obrigado por este momento.

Comments

  1. Carolina S. says:

    Verdade…Faço parte dessa nova geração que parte, mas não podia concordar mais consigo. Obrigada por partilhar esse momento.

    • Elisabete says:

      Só queria deixar uma reflexão.. Acho a história um pouco estranha… Por um lado, há pessoas em situações bem piores que não têm trabalho em Portugal e mal conseguem alimentarem-se. Acho um absurdo dar valor a este artigo, visto que o homem tem trabalho. Por outro lado, para além de poupar no apartamento, visto que vive junto com colegas, o homem trabalha na construção civil. O que acho ainda mais estranho é que no Inverno, a construção pára pelo menos 1mês e tal. E o homem não tem 100 euros para tirar um bilhete no meio da semana? Há 20 anos atrás não se ia tantas vezes a Portugal, agora há muito mais facilidades e os preços dos voos são mais atractivos.
      Aqui na Suiça há convenções que determinam um salário minimo para esse tipo de trabalho, por isso explorado não é. Nem era preciso ele trabalho em part-time.
      Se o homem tivesse a viver com a familia aqui só com o salário dele, aí acreditava que não tivesse dinheiro para um bilhete de avião, pois fica muito caro pagar renda, seguros de saúde (obrigatorio), a comida, os impostos, etc.. para uma família inteira….
      Devemos dar valor aquilo que temos e não nos queixarmos, porque há pessoas com vidas bem mais complicadas…..
      A Suiça não é um mar de rosas, há muitas faturas a pagar, mas quem tiver trabalho, juízo e ser poupado, pode safar-se.
      Só tenho pena que os portugueses tenham de partir do país para ter uma vida melhor.

      • Anónimo says:

        Tu não deves ter sentimentos, só pode.

        • Rosa Freitas says:

          Não só, não tem sentimentos, como nunca deve ter sentido na pele a ausência de quem Amamos e vemos partir, para conseguir o que Portugal obriga a desertar, pq senão não se vive…estamos a formar jovens para fazerem crescer outras Sociedades. LAMENTAVEL.
          Com estes comentários parece que ainda existe gente a viver pior que nós.. quem emigra e trabalha 14 h +e pouco???? e deve estar muito contente, melhor seria estar bem calados., ou então estebelecer um coomentário lógico OK???

          • Elisabete says:

            Cada um da a sua opiniao. Nao podem julgar uma pessoa sem a conhecer, tenho sentimentos e muito. So que detesto k as pessoas se facam d vitimas, kuando ha pessoas a passar fome em portugal. Respeitem a opiniao dos outros….

          • alexandra says:

            o sr nem se queixou assim tanto mas é de louvar ,é muito triste sair em busca de trabalho noutro pais depois de ter a vida praticamente feita,eu falo por experiencia própria tb emigrei com 49 anos,e não é nada fácil.

          • Bruno says:

            Não sei onde se trabalha 14 horas só se for pessoas que aproveitam tudo que lhes aparece , que vão dar horas por fora. E não á pessoas piores que nós que morrem cheias de fome que querem dar um simples pão aos filhos e nem dinheiro têm. Isso sim é uma vida má . Eu adoro Portugal e as pessoas que lá deixo as 2 primeiras semanas ando doente de cá estar mas isso não quer dizer que somos as pessoas que estão piores do mundo, isso até nos fica mal. Eu pelo menos compro e faso tudo que quero vou sempre 2-3 vezes a Portugal ( viagens tiradas com antecedência para ter bons preços ) agora arranja-se viagem baratas. Eu sei que custa tar longe da família para lhes dar um futuro melhor e dou valor a esse homem porque não é fácil . Mas que á pessoas em pior estado isso sim e muitas.

          • Antonio says:

            Eu acho que mt gentinha nao sabe do que fala, por exp. Eu sai de portugal em 1988, ai sim era dificil, nao tinhamos ninguem que nos ajudasse eram poucos por aqui os portugueses. Dificil foi a minha filha nascer em maio, e o meu patrao so me deixar ir a portugal em novembro quando acabei o contrato isso sim parte o coração.mas nos dias que correm quem nao vai a portugal é pq nao quer…….PS e nesse tempo nem internet havia….

          • José Leite says:

            Enfim…alguém com bom senso.

        • carla says:

          olhe elizabete voce ta na suiça e eu na franca , acredito na historia que li e nao acho nada de estranho….sabe porque porque conheci aqui um senhor numa situacao igual pagava renda a meias problema era o patrao pagar mal e a mas horas tb portugues por sinal(vergonhoso)o sr sem saber falar frances sujeitou-se a mt eu propria ate cigarros lhe dei tinha a familia em portugal a passar mts dificuldades e quando acabou o contrato foi posto na rua e fui eu que lhe dei dormida ate que alguem serio apareceu e lhe deu emprego graças a deus hoje ta bem mas durante mais de um ano sofreu mt..eu tb nao passei mt bem quando ca cheguei nao ganho mal mas vai fz 2 anos que nao vou a portugal pq a comida nao é de borla e tudo o que se tem a pagar…portanto me desculpe mas voce deve ganhar mt bem ter um grande emprego onde pode viajar a qq dia pq todos nos temos saudades dos nossos mas nao é assim tao facil como se diz

          • DR. Saudade says:

            tem sempre alguem pior na televisao: pergunta pra Fatima. Mas o texto é lindo e emotivo.
            Com Coerencia e concordancia de uma geracao perdida e abalda pela incompetencia das geracoes anteriores.
            Troque sua pedra por um coracao, nao deixe esfriar o seu amor , alias pare de ser ignorante e aprecie a arte do momento vivido pelo autor ainda mais por ter ou estar numa situacao parecida
            Melloras para teu lado humano Carla.

          • infelismente essa e a realidade de portugal, por pessoas como esses que andam a nos roubar e nos obrigam a nos (geracao jovem) a emigrar pra encontrar 1 bom trabalho pra ajudar a familia, quando me refiro a familia falo de 7 pessoas entre elas 1 crianca e o resto tudo adulto e apenas o patriarca trabalhar pra pagar as contas que tem, muitas vezes o dinheiro nao chega pros grastos que sao muitos apenas 1 simples homem trabalha muito e recebe bem pouco, dado a situacao de nao haver trabalho cabe ao governo comecar arranjar estratejias pra abrir novos postos de trabalho pra que o pais envolua o maximo possivel e podermos recuperar esse enorme golpe cabe a nos como portugueses levantar a cabeca e mudar esse maldito governo que nos escraviza e nao nos da paz, (Governo de Portugal e uma vergonha e nos Portugueses sofremos com cada voto que foi comprado) -.-” entendam como quiserem so nao ve quem nao quer ver a realidade de facto se pensarem concerteza iram entender

          • benjamim says:

            Pois existem muitas dificuldades,emigrar e precizo ter sorte na vida ,a quem näo lute e a vida vem lhe parar as mäos,a quem lute a vida toda e so e bandalizado e descramenilizado!. Estamos em 2014 e tudo para rezolver pais de maravilhas (SUISSA) como alguns dizem ,ou mesmo atè tem a sorte de as ter!

            Exmo. Senhor
            José Manuel Durão Barroso
            Presidente da Comissão Europeia
            1049 Bruxelas

            Suíça, 8 de Setembro de 2009-09-09

            Exmo. Senhor Presidente

            Venho à Vossa presença para descrever um caso de discriminação dos direitos humanos aqui na Suíça onde trabalho já há vários anos.

            Tive um acidente de trabalho no dia 29/05/2008. Estávamos a trabalhar dentro de um túnel, sem luz, sem condições, em stress e caí de uma autobetoneira de costas. Fracturei uma vértebra, a L-1 a 17%, tive outras fracturas e desde essa data nunca mais tive grande saúde. Não suporto as dores e o peso na coluna, adormecem-me as pernas e os braços e infelizmente agora tenho que tomar vários medicamentos todos os dias.

            Vim para a Suíça trabalhar para pagar as minhas dívidas em Portugal e de uma certa maneira ajudar também o meu país com a entrada de receitas. Agora sinto-me frágil e sem forças para trabalhar.

            Quero dizer-lhe o quanto os Portugueses são discriminados aqui na Suíça. Só interessamos enquanto pudemos ser pau para toda a obra mas se algo nos acontece não temos ninguém que nos ajude, somos considerados carne para canhão, as leis não existem e os direitos humanos também não. Os médicos do seguro (seguro da Suva) são arrogantes e criminosos. Fui a uma consulta, saí de lá com o corpo todo picado (tenho fotos feitas) Este medico foi o que me judiou (Dr. J. Grab no dia 15/04/2009), o médico queria que eu me dobrasse mas eu como tenho a vértebra fracturada não consegui, então ele forçou a coluna. Os médicos só falam dessa vértebra mas o que acontece é que afinal tenho várias fracturas na cabeça e tenho vértebras reduzidas cerca de 2 milímetros e a coluna toda curvada (diagnóstico feito por um médico em Portugal).

            O Seguro SUVA em Ziguelbruk, cantão Glarus quer passar o meu caso para o fundo de desemprego, eu não posso trabalhar com as dores que tenho e não há trabalho para doentes. E quanto terminar o fundo de desemprego, o que é que eu faço?? As dívidas em Portugal ficam por pagar e aquilo por que lutei até agora fica reduzido a nada.

            Os seguros, os médicos e o fundo de desemprego trabalham em conjunto para retirar os nossos direitos, mesmo quando estamos doentes somos obrigados a ir trabalhar. É um país de criminosos, aldrabões e falsos. E nós os portugueses somos judiados a torto.

            Senhor Presidente, escrevo-lhe a pedir a sua ajuda. Eu só quero o que sei que é justo. Tive um acidente de trabalho, estou inválido, nunca mais poderei trabalhar como antes, o que eu peço é poder regressar ao meu país com uma invalidez e os meus direitos como Ser Humano.

            Agradecia uma carta sua, assinada com os artigos correspondentes para eu me poder defender destas discriminações e poder ter aquilo a que tenho direito.

            Agradeço-lhe desde já a sua atenção.

            Benjamin Malheiro

          • Elisabete says:

            Peco desculpa, mas nao compare a suica com a franca. Se tiverem com direitos muito dificilmente sera explorado. Ate porque existem convencoes e os sindicatos. Dou lhe um exemplo que se passou em genebra o ano passado: um sobempreiteiro pagava um valor mt baixo aos empregados na construcao civil. A empresa suica soube dessa historia e a o obra foi parada d imediato obrigando o subempreiteiro estrangeiro pagar o valor d acordo com a convencao.
            Mas respeito as opinioes dos outros, cada um sabe de si. Nao estou aki para atacar ninguem, mas sim dar a minha opiniao. Tb tenho mt familia em franca e tem podido ir a portugal apesar de terem 3 e 4 filhos.

          • amelia coutinho says:

            senhora elisabete leia acarta comentario do sr Malheiro e vera k nem tudo sao mar de rosas seja na suiça ou na conkichina. A senhora esta bem mas nem todos podem dizer o mesmo! Ainda a pouco ouvi aki k a portugueses a viver nos proprios carros . vergonha para nos lusos e para um pais k e dos mais ricosr

          • glorioso34 says:

            There you go!
            Eu tenho 21 anos e emigrei para os Estados Unidos sozinho com 18 no final do 12ano, vim e estou ainda a trabalhar na construção também comecei a receber pouco para as despesas que tinha hoje em dia com 21 já estou prestes a abrir a minha empresa já sou cidadão americano… Mas custou só vou poder ir a Portugal agora este ano para ver toda a minha família que tenho saudades..
            Desde que cheguei que aluguei um apartamento com crédito de outra pessoa e tinha de pagar só de renda quase 2000$ mais a comida e coisas necessárias.

        • Nélia says:

          Concordo plenamente com a senhora Elisabete, também moro na suíça a 10 anos e sei que aqui um homem ainda mais sozinho, e com trabalho é para ter dinheiro… Não acredito nada nesta historia… ainda mais se passarem necessidades o estado ajuda… nem paga apartamento… só se trabalhar a negro e ganhar menos do ordenado mínimo… Mas claro se ganha muito e gasta muito não terá dinheiro, é como todos nós…. é minha opinião nada contra a ninguém… e tenho sentimentos mas também sou realista…

          • eu vivi na suiça durante 15 anos e é verdade para conseguir mos amealhar algum dinheiro, nao devemos fazer vida de ricos e nem andar mos em cafés de manha à noite. estou de acordo com a Elisabete e a Nélia nao acredito q haja portugueses a viver na miseria na suiça ainda para mais estando a pagar um apartamento a meias e sem pagar seguros dos filhos e esposa. sempre ouvi dizer” quem mais chora mais tem “, é verdade q não é facil estar longe da familia, doi muito tenho o meu filho q teve q regressar porque aqui em portugal nao conseguia arranjar trabalho e isso doi muito

          • Márcio Marques Luxembourg says:

            Venham para o luxembourg. Hahahahahahahahaha ao menos fala se português em todo o lado

          • Joana says:

            Vocês são é todos uma cambada de atrasados mentais não fazem a mínima noção do q é pagar os estudos na universidade e manter uma família lá em baixo e ainda ter que se sustentar aqui!! Ficam a saber q é muito mais difícil um homem sozinho aqui a viver e a sustentar a sua família vocês falam de boca cheia pq de certeza q são um casal a trabalhar e quem sabe até os filhos trabalham ou então andam na escolinha e não sabem quanto custa uma universidade! São sim todos uma cambada sem coração! Um dia Deus vos paga que ele é grande graças à deus!! Para o atrasado ou a atrasada que falou em ele ir lá em baixo na somage ficam a saber q primeiro ganham menos dinheiro e se aqui estao deviam saber q para ir a PT devem avisar e ficam sem receber os dia seguinte que lá vão.ppor isso se ele não tem dinheiro para ir enquanto trabalha Muito menos tem na somage!! Se calhar até esta a mandar dinheiro para pagar uma casa enquanto q muitos de vocês estão cá a muitos anos e não tem onde cair mortos! Antes de dizerem merda da boca para fora comam-na primeiro se valer a pena digam se não fiquem com ela!

          • A.CardosoA. says:

            Conheço tantos actualmente e há 29 anos atrás, eu próprio estive a trabalhar na Suiça, já se flava de todos esses direitos e convenções, sindicatos e controle de habitantes, mas sempre houve e ainda há, repito conheço quem esteja nessa situação, a trabalhar “ao negro” aliás expressão que aprendi na Suiça, e nessas situações o trabalhador além de ser explorado, é constantemente ameaçado de ser entregue e ser deportado, e o que o trabalhador quer afinal de contas é o trabalho e o dinheirito que em Portugal não consegue. Sempre se ouvir falar que nas Quintas nas montanhas Suiças há muito trabalho “ao negro ” mal pago e ainda passam fome !!! Só os “suiços cagados” expressão que também aprendi na Suiça, referente aos Portugueses que já estavam na Suiça há vários anos (permi C), e só por isso se consideravam superiores de “raça nobre” aos outros Portugueses chegando a haver casos em que humilhavam os outros “do permi A e B” ; é que viviam á grande! Na Suiça existe exploração, fome miséria encoberta, pois quando é descoberta é que as ditas convenções e sindicatos actuam “pró espectáculo”.
            Além disso como motorista internacional que ocasionalmente vou á Suiça, sei e vejo coisas que seria necessário “um facebook” só para mim para as relatar todas. Eu acredito na história verdadeira ou simplesmente ilustração de uma realidade existente. E felicidades tamb´´em para os “cagádos” que vêm neste relato a sua “realeza” diminuida.

          • A Suíça é muito organizada, mas não é de TODO perfeita. Existem casos de quase escravatura sim e essa questão de ajudas… não é assim tao linear… há pessoas a viver em carros sim, porque não ganham o suficiente para pagar a renda que outrora pagavam (porque por exemplo um dos elementos do casal ficou desempregado) e apesar das várias investidas, pedidos de ajuda, tendo em conta que havia uma criança em “jogo”, de nenhum lado a ajuda chegou e a família vive em condições sub-humanas. Lamentável, mas na SUÍÇA também há erros gravíssimos e desumanidade. Vejamos, um cidadão Suíço a desempenhar a mesma função que um estrangeiro recebe muito mais que o estrangeiro… é discriminação pura. Agora pensem… é como em Portugal, uns dizem maravilhas, pois a sua situação sócio-económica está favorecida, outros, nem por isso e emigram, privando-se do amor da sua família, do companheirismo… para tentar dar a quem fica uma vida um pouco melhor, vive emigrado em condições muitas vezes precárias, por uma questão de altruísmo para que não fique como muitos em que todos vivem em Portugal, na miséria. Viver no estrangeiro com colegas de casa ou quarto pode ajudar na poupança, mas aos 40 e muitos anos essa adaptação é assim tao fácil!? Mais, tendo em conta que a ou as línguas faladas não são a mesma da outra pessoa… se é uma situação assim tao agradável, porque não começamos a viver em Portugal em casa dos amigos, a partilhar apartamentos, assim poupamos mais e a miséria não é assim tao grande… Ah, já agora, mesmo partilhando apartamento, cada quarto por noma e no minimo são 550/650 CHF, podendo chegar, dependendo das zonas aos 1000/1200 CHF. A poupança não é assim tao grande… vistas bem as coisas… Felicidades para todos os emigrantes que vão à luta pelas suas famílias!!!

          • José Leite says:

            Acho que conhece pouco da Suíça.
            Existem ajudas sociais para todos os casos difíceis. Agora, chegar hoje, trabalhar amanhã e ter um bom apartamento e um salário de 5 ou 6 000 francos… são precios alguns anos para lá chegar.
            Quanto ai deixar a família, as saudades e o choro 😢 compulsivo de que muitos se queixam, dou-lhes um conselho.
            Vão para a vossa terrinha que logo se curam dessas maleitas. E já agora fazem companhia ao sr. Coelho.

          • Pedro says:

            Meus amigos!

            São mesmo tugas… Foi relatado uma história que alguém viveu durante um percurso de avião. São sentimentos puros vividos pelo o autor! Todos nós somos diferentes… A realidade não é assim tão rectilínea para podermos apontar o dedo só porque se acha a voz da razão. Vá ide todos trabalhar, passar fome e não se esqueçam de aparecer de Mercedes nas férias, para dizerem todos que tem uma rica vida!

          • Maria says:

            Ainda é pior que a outra senhora. Duvida da história. Aqui ninguém põe em causa a veracidade da mesma o certo é que esta é a realidade e eu conheço pessoas nesta situação e não gastam todo o dinheiro que ganham mal gasto. Há filhos a estudar na universidade e a senhora não sabe a que distância estão de casa; quais as despesas que é preciso suportar. A senhora é arrogante e na vida alguém bastante prepotente. Só que impotente para ter qualquer tipo de sentimento. Que nunca tenha de emigrar nem pedir nenhum subsídio.

          • Silvia casaca says:

            Só hoje me apercebi da quantidade de parvos e analfabetos que aqui vieram comentar.
            Pois eu vou explicar a minha situação. Estou na Suíça há 5 anos e o meu pai há 35 anos, portanto o que não me faltam são injustiças e racismo e mais adjectivos que não vale a pena escrever para descrever a Suíça. Em todo o lado do mundo existem dificuldades, gente a passar fome, tragédias e por aí fora. A Suíça não é diferente. A diferença é o que o pais divulga. Eu conheço pessoas batalhadoras, trabalhadoras e mm assim a viver em condições precárias. Na Suíça nem todos os patrões pagam os tais ordenados mínimos cm muita gente fala até porque eu tenho colegas que recebem 2250 francos a trabalhar 100%, e sim muitas vezes 12h ou até 14h. E para quem não sabe devido ao alto nível de vida de cá quem recebe abaixo dos 3000 francos é considerado pobre. Logo a mim nao me faz pena so os portugueses em Portugal passar fome. No meu caso a minha adaptação na Suíça foi difícil como nunca tinha sido em mais lado algum pelo racismo e falta de apreciação por parte do suíço e enquanto não aprendi a língua alemã então nem comento, e falo em mais lado nenhum porque antes da Suíça eu estive em Londres… quem emigra com idd entre os 40 e muitos certamente ainda é mais difícil em termos de adaptação, remuneração e a parte principal arranjar um emprego. E é precisamente por Portugal estar a merda q aqui se fala que aqui na Suíça eles exploram, usam e abusam dos emigrantes e não não é uma situação só de emigrantes Portugueses e não não é só Portugal que está uma merda. Na Suíça não se ganham fortunas e não se passam férias 2 a 3 vezes por ano, e a vida de juízo que aqui falam para terem dinheiro é levar aquela vida estúpida de casa trabalho, trabalho casa. E mais não digo porque estaria aqui o dia todo a contar situações que se passam aqui diariamente. E não pensem que estou a generalizar, tenho amigos suíços que são humanos e que para mim sinceramente não parecem suíços. Tenho dito

        • Por acaso a Elisabete tem razão naquilo que diz. A construção civil pára por causa da neve e é impossível trabalhar. E uma pessoa na construção civil não trabalha das 8 até as 10 (provavelmente ele quis dizer 22h) isso é exploração.

          • Pedro Gouveia says:

            Esclarecendo aqui uma coisa, neste países onde a neve se faz sentir no inverno o caso da Alemanha e Suiça por ex, quem trabalhe na construção civil e tenha contrato de trabalho a termo certo nos meses em que não se trabalha tem direito a uma parte do ordenado, ao seja não fica sem receber na totalidade. Eu faço parte desta nova geração que partiu em busca de algo melhor, de um futuro mais risonho e fiz-lo sozinho, deixei os meus pais, irmão, familia e amigos em Portugal e cá estou na Alemanha há cerca de 3 anos a lutar por algo melhor, para poder um dia dar aos meus filhos uma vida decente.
            Muita força José, mesmo que ela nos falte por diversos momentos temos que ser fortes. Forte Abraço

          • Marco says:

            Tu nao deves saber o que é emigrar sozinho,nao falo por mim mas por um colega meu que vive ao meu lado,senao fosse eu muitas vezes a dar de comer ele passaria fome a maior parte dos dias!E nunca me pediu nada atençao,fui eu que sempre o quiz ajudar,mas respondendo ao assunto,eu moro em frança que nao e muito diferente da suiça nos recebemos menos mas tambem nao pagamos tantos impostos e a comida nos supermecados consegue ser mais barata que ai,e o caso e como pode ser o desse senhor,o meu colega tem em portugal uma prestaçao de um carro a pagar que ja o vendeu mas nao deu para o pagar todo tem que ajudar os pais com dinheiro porque o pai infelizmente (sofre de varias doenças e nao pode trabalhar) e a mae tem que ficar em casa a tomar conta dele,dao uma ajuda minima que nao da para se alimentar meio mes,ele tem que pagar o aluguer que nao sao baratos aqui na zona de paris,mais a tal prestaçao mais a ajuda para os pais mais os impostos mais o seguro da casa comeres e teres que te vestir e etc dizei vos senao sera dificil viver assim!

          • Mafalda says:

            nao deve ter lido o que lá está… trabalha das 8h às 10h porque para alem de trabalhar na construção faz também um part-time a parte…. pelo menos leiam o que lá está escrito…

          • José Leite says:

            Também existem part-times durante as horas de trabalho?
            Burro todos os dias.
            Alterne para dia sim dia não, vai ver que não diz tantas parvoíces.
            Melhor. Não se meta naquilo que não domina. O português escrito. Ou é analfabeto de nascença?

          • Ninguém reparou que o homem manda dinheiro para a família em Portugal? Está lá no artigo! Mesmo com as condições de trabalho na Suíça, que são com efeito muito melhores que em França, fica-lhe de certeza muito pouco.

          • Pois que fique a trabalhar em Portugal, mande dinheiro para a Suiça e ponha as filhas a estudar em Cambridge.

        • Fernanda says:

          Ridicula que você é Elizabeth… Você é daquelas pessoas que adora criticar ou queria mais detalhes???? Como por ex : que dividas tem…etc etc é muito triste numa época destas existirem pessoas assim mesquinhas… Ou entao nao sabe o que é a vida…mais valia se ter abstraído!!!

          • Ana Quintas says:

            Tal e qual o que estava a pensar.. já pararam para pensar que há pessoas que têm dívidas (muito provavelmente ganhas antes de ganhar a coragem de “abandonar” a família cá)? Ou então sabem sequer quanto custa pagar um curso superior para duas filhas em Portugal? Há quem não tenha ajudas de lado nenhum. Se a história é verdadeira ou não só quem passou por ela pode dizer, mas partirem para essas “acusações” sem estarem dentro de todos os factos é ridículo.E, infelizmente, hoje em dia, ter emprego não significa conseguir sustento suficiente, principalmente para quem tem dependentes que querem (com toda a legitimidade) prosseguir nos estudos para tentar ter uma vida melhor.

          • Elisabete says:

            Ridicula eu? Porque? Por dar a minha opiniao. Respeite a opiniao das pessoas. Por acaso ja vivi muito e ja passei por muito para falar como falei. Um homem sozinho, tabalhando na construcao e com part time, vivendo com colegas num apartamento, pagando pouco imposto a la source, visto que tem 2 filhas a estudar e a mulher em portugal, com 500frs d abono das filhas , nao tem dinheiro para uma sandes e para um bilhete d ida a portugal. Poupai me. Ou nao sabem nada daki ou entao sois ingenuos…..

          • Rui Pinto says:

            Cala-te brazuca.

        • Esta é uma história de alguém que se quis armar em sentimentalista (armar aos cágados, como se costuma dizer).

          • sandra says:

            Voces nao sabem o que e sofrer aqui na suica, desculpem me a franqueza

        • anonimo says:

          Não sei é como é que chamam a esta mulher de “Senhora”! Deve ter o cu cheio de dinheiro e não sabe o que é a vida. Pobre coitada. Tenho pena de pessoas assim. É triste realmente.

        • Eu diria mais… a esposa em vez de estar em portugal a comer a pala do senhor devia mexer-se e vir para a suiça trabalhar tambem. quanto a filhas na faculdade o preço nao é muito diferente daquilo que se pratica em portugal, logo tambem podem frequentar ca em ultimo caso. eu tb sou emigrante e sou casado mas nunca na vida ia dar ao negro e mandar dinheiro para a minha mulher e filhas se passearem em portugal, se calhar a ir a pasteleria todos os dias enquanto eu tenho 2 trabalhos. O senhor so esta a ser enganado é pèela propria familia.

          • Paula Moreira says:

            Deves pensar que a mulher e as filhas podem chegar assim do nada, k vao dormir para o hôtel ou achas k Um apartamento se arranja a cada esquina? Isso sim é falar sem saber…

        • José Leite says:

          Outro imbecil que não sabe nsfa de nada 😊

        • Elizabete, teria muita razão se o homem ficasse com tudo o que ganha. Mas manda dinheiro para Portugal, não reparou? O suficiente para ter uma filha na universidade e poder depois ter outra… Não lhe deve ficar muito para viver.

        • Silva says:

          Realmente agora nao vai a Portugal mais vezes no ano pk nao querem, ha bilhetes baratos aos fins de semana, verdade a Suica nao e um mar de rosas quem queira fazer alguma coisa na vida sim senhor e verdade tem que poupar muito pk durante o mes vem muitas facturas para pagar…CA SE GANHA CA SE DEIXA

          • José Leite says:

            Mas com contrapartidas. A curto termo teremos aquilo que nem se sonha em Portugal. Uma pessoa chega quer ficar rico do dia para a noite e au revoir.
            30 anos de Suíça ensinaram-me a ser paciente.

        • luis_soares12@hotmail.com says:

          sabes quanto se ganha na suiça como ordenado minino? 2400euros…fica só a dica para não acreditarem em tudo o que veem 😉 e lem na internet

          • José Leite says:

            Sr Luis. Aprecio o seu comentário, mas actualmente o salário mínimo é de 22.60 á hora , 21€, portanto deve dar mais um bocadinho. Isto para quem começa a trabalhar em limpeza sem nenhuma especialização.

          • Ilda Da Silva says:

            O ordenado minimo na suiça agora é de 4000.00 é a nova lei para todos

          • Sr Jose eu faço umas horitas de limpeza, 18.05fr brutos é quanto me pagam a hora. Claro q depois ainda ha os descontos

        • grande filme “conto”
          Somos portugas ,tá dito
          só pieguices

        • Na Suíça Há mais de 25 anos!!! says:

          Esta estoria é muito bonita de se ouvir para quem não conhece a Suíça, está muito desenquadrada com a realidade, só pode ter sido inventada por alguém com pouca imaginação DIGA-SE!!!

          • José Leite says:

            Félicitations . Vous êtes une personne normale. Pas besoin d’être très intelligente pour comprendre que ça c’est une blague qui a fait parler une grande partie des idiots que ne savent rien sur la Suisse.

      • Morpheus says:

        O homem nao se queixou de nada ! Pediu o resto da sandes do rapaz a seu lado !! Cada um sabe de si e Deus sabe de todos ! A senhora deveria se preocupar mais antes de falar tantas barbaridades sobre uma situacao que nao viveu, se nao viveu nao sabe do que fala !!!

      • Quem te disse que param um mês? Que eu saiba em Vevey não cai neve de 1m de altura para pararem de trabalhar… Não te esqueças que tem 2 filhas, uma delas na faculdade, segundo o artigo, por isso imagina o dinheiro que não gasta… Pode poupar um pouco no aluguer da casa, mas tem outras coisas, e eu não sei a quanto tmpo está lá a trabalhar, mas pode muito bem ganhar uns 4500CHF/3700€…

        Quarto, comida, segurança, gasolina(?), impostos, e ainda ter de sustentar uma familia em Portugal… Achas facil com 3700€?

        • Pra ke gasolina? Se nao ha dinheiro para carros tem o bus e mais economico

          • Sabes la bem se não precisa de carro? Nem eu sei, por isso é que meti o ponto de interrogação!

          • Hugo Sousa says:

            Burro vestido já compraste as orelhas? Se me disseres que não precisas de um bom carro porque um fraco anda o mesmo até te dava razão agora dizeres que as pessoas precisam ou deixam de precisar de carro isso cada um é que sabe. És mesmo orelhas!!!!

          • Marco says:

            pode bem precisar de ter carro, eu por exemplo trabalho de noite e nao tenho transportes para onde vou trabalhar logo fui obrigado a comprar carro!

        • Pedro says:

          “Quarto, comida, segurança, gasolina(?), impostos, e ainda ter de sustentar uma familia em Portugal… Achas facil com 3700€?”

          Esses 3700 sao liquidos? Qual e’ a tua estimativa para esses custos (partilhando a casa) em Vevey? Quanto sobraria liquido para sustentar a familia?

          • Ana Martins says:

            As assurances aqui na Suíça são caras
            Os apartamentos também mesmo dividindo com colegas… A comida é cara
            Eles tiram muitos impostos por mês…
            Sustentar uma família em Portugal ( casa, filhas na escola e tudo)
            O homem não lhe deve sobrar muita coisa.
            Acredito que ele deve ser ainda como muitos outros que preferem dar tidos aos filhos e ficar sem nada

        • Carla Pinto says:

          Eu moro a 5 min de Vevey, conheco a realidade bem de perto, e posso dizer q toda ou quase toda a construcao para no inverno minha senhora. A historia é muito estranha. Por mais dificil q seja a vida de alguem aqui na suica, so nao vai a Portugal quem nao quer. Pessoalmente nao reconheco esta realidade da historia. Parece-me uma historia de antigamente, nao dos tempos q correm. Depois ha gente para tudo.

          • Celso Videira says:

            Vocês esquecem-se, os tempos são outros mas, a escravatura ainda existe! Além disso porquê a discussão acerca se param um mês ou não, ele também diz que procura trabalho digno à mais de um ano mas, como tem idade não consegue. Eu também fui emigrante e sei que há bom e mau trabalho, muito bem e muito mal pago, a exploração existe em todo lado! Agora tem uma coisa que a geração mais jovem devia dar valor, é que para eles terem o nível de cultura que tem, muitas vezes é graças a desgraçados como este; desgraçados no sentido de se privarem da vida em família, que fazem tudo para providenciar uma boa vida aos filhos pagando anos a fio estudos e regalias, para depois muitas vezes serem esquecidos e abandonados. Eu quando estive emigrado estive em família e regressei em família, mas muitos não tem esse apoio familiar, todos sabemos que há muitos “chefes” de família que só servem para ganhar dinheiro para os filhos e mulher; sinceramente´só espero que as filhas deste senhor se lembrem do sacrifício que ele fez, que aproveitem o privilegio da faculdade e retribuam o feito do pai. Obrigado pela partilha Ricardo Sousa.

          • VICTOR says:

            isto é historia da carochinha !um bilhete de avião IDA E VOLTA ,mesmo na TAP pode encontrar-se por menos de 200 euros!

            quem esta à dois anos na suíça e não tem este dinheiro ,só pode te-los gasto nos copos!!!!!!!!!

          • Paulo Borges says:

            Clatro que e uma historia de antigamente.
            Deixou a familia para ganhar dinheiro, nao para andar no facebook e na Ryanair.
            Nao chegou a conclusao que as filhas dele devem ser da sua idade?

        • Quarto, comida, segurança, gasolina(?), impostos, e ainda ter de sustentar uma familia em Portugal… Achas facil com 3700€?
          O melhor para certas pessoas que criticam a Suiça, é de voltar para o seu país, pois ninguém é obrigado a ser humilhado nem passar privaçoes.no estrangeiro (Suiça) Se em Portugal consegue arranjar um trabalho a ganhar 3700€, que estam aqui a fazer???? até eu vou para là!!!!! Quantos portugueses estão a vir para a Suiça neste momento!!!!!!!!!!, por isso minha gente nao vale a pena cuspir para o ar, ha sempre pior que nos, e cada um faz a vida que lhes convém, deixamo-nos de choradeiras!!!!!!!!!!!!!

          • Ora nem mais concordo

          • Alguém falou mal da Suíça!? O que entendi do post, lamenta-se o que se passa em Portugal, que obriga a emigração e privações como a da vida familiar. Agora, não me venha dizer que na Suíça TUDO é bom, para uns pode se-lo, para outros não, como em qlq outro lugar, as imperfeiçoes existem. Quanto à “choradeira”… da minha parte acontece todos os dias, após falar com a minha filha de 8 anos que fui obrigada a deixar com a avó para poder sustentá-la… sinto-me culpada todos os dias e se não passou por uma experiencia parecida, não subestime a “choradeira” de quem vai e sofre! Que tenha sempre essa sorte de não chorar de saudades que nos apertam o coração todos os dias…

      • uma desempregada com curso superior,e com o marido a trabalhar no chile para dar sustento á familia says:

        Deve estar a trabalhar,e em Portugal.E de certeza que não sabe o que é estar longe da família para sobreviver.Neste pais ,Portugal é uma vergonha em Tudo(educação,saude,justica).Neste pais so tem trabalho quem vive da politica,…enfim.Mulher sem Coração

        • “Quarto, comida, segurança, gasolina(?), impostos, e ainda ter de sustentar uma familia em Portugal… Achas facil com 3700€?”

          Há quem faça isto em Portugal com um somatório de ordenados menor. Os ordenados dos meus pais combinados nunca chegaram aos 3000 eur. No entanto nunca me faltou comida, gasóleo no carro (carro de herança e tenho muito orgulho nele), nunca deveram nada a bancos ou finanças e ainda me sustentaram e pagaram-me a faculdade para hoje ser licenciada. Portanto se não acha fácil com 3700 eur… Agora se me disser que estes 3700 eur na Suiça são insuficientes? Posso concordar. Agora são insuficientes para uma pessoa que mora na Suiça sozinha, a partilhar casa, com dois empregos, mesmo com impostos? Não acredito que seja assim tão insuficiente.

          • José Leite says:

            Com 3700 Euros na Suiça a dividir a renda, a pagar impostos, a comer bem, ainda lhe cresce 2000 Euros,
            E os créditos? Não será aí que está o cerne de todo este embróglio?

        • Olhe que não vivo de politica e tenho trabalho, pago as minhas contas e ainda sobra alguma coisinha no fim do mês! E também fui desempregada com curso superior durante um ano! Neste país, a maior vergonha é a pouca cultura do povo, a mentalidade fechada, o fatalismo e o ai valha-me Deus sou um coitadinho. Claro está que depois que os politicos corruptos aproveitam-se de tudo isso e muito mais. Se é assim uma vergonha tão grande, emigre! Vá viver do salário minimo em França, que tanto Português gaba de ser 1100 eur e depois diga-me se lá consegue sobreviver sozinha com 1100 eur. Querer emprego é diferente de querer trabalhar. Vergonha é achar que um curso superior é igual a não ter de trabalhar num Mac se for preciso.

      • Marisa says:

        Até pode ter trabalho, mas nada paga o valor de estar longe da família. Enfim!!!

        • freymond amélia says:

          Andar uma vida inteira de carteira vazia, não é vida pra ninguém ,e abituamos depressa a melhores qualidade de vida que em Portugal …o Salário ,os Hospitais e o civismo ,a educação e muito mais ….Portugal é muito bom mas para férias …..para viver com 600 euros por mês não obrigada.

          • Fernando Lopes Domingos Dias says:

            Mas em Portugal há muita gente a ganhar 485.00 euros e os empregadores não dão menos por que não podem e a ainda aqueles que trabalham ao escuro que ainda auferem menos e se reclamam o empregador lhe diz se não estas bem vai-te embora que eu tenho aos milhares para o teu lugar

          • Nuno Almeida says:

            Frase-chave do seu comentário e passo a citar: “Portugal é muito bom mas para férias…” Estou emigrado e cada vez mais estou de acordo com isso.”Viver com 600 euros”? E quando não é menos porque a empresa não pode pagar mais por causa da “crise” que a empresa tem e “obriga” o patrão a andar de carros topo de gama…

          • O civismo ou falta dele encontram-se em todos países, não é por A ganhar mais que B que irá ter maior dose de civismo. Eu não trocava 600€ em Portugal por mais 400 fora. Engraçado como pintam sempre cenários cor de rosa por essa Europa fora…

          • Concordo com o “EU”. Acho tanta piada aquelas imagens no FB da comparação dos ordenados minimos. Tudo a espumar de inveja porque em França o minimo são 1100 eur… Vão para lá viver sozinhos com 1100 eur e depois digam se têm dinheiro para comer. Este povinho fala tanto sem saber. Desdenha tanto o que tem para invejar o que têm os outros… São iguais ou piores que os politicos que temos!

        • José Leite says:

          Pois que fique com a família. Não veio para cá com uma pistola apontada á cabêça.

          • António says:

            Tem pessoas que acham que o mundo é apenas o que sentem e o que pensam. que sabe a Marisa da vida dos outros para achar que sabe as verdadeiras razões que leva alguém a emigrar? ou por acaso acha que apenas as razões que a levaram a si são únicas? A única esperança que me fica é que cada um colhe o que semeia e que a vida acaba sempre por arranjar um jeito de nos mostrar, da maneira mais dura, o lado que nós não compreendemos.

          • Isabel says:

            Vi uma quantidade de comentários aqui que me deixaram de boca aberta… E o seu comentário, sr. José Leite foi um deles.
            O que é que o senhor tem a ver com a vida do homem? Nada! O que é que o senhor sabe sobre os motivos que o levaram para lá? Nada! Quem é o senhor para dizer uma coisa dessas? Ninguém!!!!
            Tenho uma enorme compaixão pelas pessoas que se encontram no lugar deste homem, porque não estou livre de um dia ter de fazer o mesmo… Infelizmente hoje em dia, ninguém está… Há muita gente ridícula aqui, ridícula por terem tanta maldade dentro de si. Nem quero imaginar a dor e o sofrimento de um homem que tem de “abandonar” duas filhas… Sou muito próxima dos meus pais, e adoro-os mais que tudo, e nem gosto de pensar na ideia de ter o meu pai longe de mim para que eu pode-se comer e estudar… Se a história é verdadeira ou não não sei, mas que há aqui comentários maldosos até dizer chega, há…
            Aprendam a olhar para o vosso lado e a ajudar e amar o outro… Tanta maldade, credo! O que ganham com isso minha gente?

          • José Leite says:

            Comentário descabido. Só agora descobriu que adors os seus pais?
            Na vida há que fazer opções e logo sacrifícios. Que esse homem seja um sovina, avarento e se quer fazer passar por um desgraçadinho,
            pois que fique com a família que aqui na Suiça não há lugar para pessoas que que denigrem quem os ajuda a pagar a universidade das filhas
            a moradia e todas as falsas riquezas que a maioria dos imigrantes gostam de mostrar. Percebi que a Isabel é uma grande comodista.

      • freymond amélia says:

        sobretudo que o preço dos vol agora são quase dados ,eu vou a Lisboa por 30 fr, O Senhor que até chorou foi bem enrolado ,temara muitos Portugueses que vivem em Portugal sem trabalho e mesmo os outro que trabalham e que têm como salário 600 euros ,Apanharem-se aqui na Suiça ….o salário minimo é de três mil euros, Somos nós os emigrantes que vamos começar a chorar por os nossos compatriotas que vivem na miséria,em Portugal …e não são poucos infelizmente.

        • ORiOn says:

          Os preços para Lisboa não são os mesmos para o Porto! 😉

          Tens de me dizer onde arranjar voos ida e volta para o Porto por 30.-

          • carla says:

            engraçado mt se fala de voos baratos mas daqui de frança o mais barato sem bagagem é pelo menos 140€

          • ORION há de me dizer nesta altura onde tem tickets de GENEVE_ PORTO por 30 fr nunca homem….estamos em vesperas da pascoa…antes de as falar pense as primeiro…..ENFIM!!!!!!!!!!!!

          • leninha says:

            Ha muitos sites de venda de bilhetes que ente às 00:00 e às 00:30 vendem bilhetes Paris-Porto há 50 euros ida e volta, eu mesma ja comprei varias vezes,só depende de disponibilidade de seu tempo à noite.

          • José Leite says:

            Evidentemente que os voos na Páscoa são mais caros. Que procure as épocas baixas. Até eu queria ir ver o cristo passar mas……

          • Ve em Abril tipo pa Setembro k encontras. Ker ker procura e encontra.

        • victor mestre says:

          Porra se eu tivesse bilhetes a 30 euros e estivesse na Suissa ia passar os fins de semana a Portugal, o mais barato que emcontrei para ir de ferias em Julho foram 2.600 dollars australianas (NAO SEI QUANTOS EUROS HE QUE ESSA COISA DA), concordo com a pessoa que disse que o sr. que chorou foi bem entolado

          • VICTOR says:

            sto é historia da carochinha !um bilhete de avião IDA E VOLTA ,mesmo na TAP pode encontrar-se por menos de 200 euros!

            quem esta à dois anos na suíça e não tem este dinheiro ,só pode te-los gasto nos copos!!!!!!!!!

            PORTUGAL TEM CADA MAFIOSO,Até DÓI
            .

        • casal desempregado says:

          como arranjar trabalho ai?? somos um casal desempregado ah 2 anos com 2 filhos menores sem direito a nada do estado a nao ser os abonos das crianças!! nao fossem os vizinhos e vender o que tinhamos em casa e ja tinhamos morrido a fome…….

          • Mas dinheiro pa internet já tem. Até aposto que fuma o seu cigarrinho no café e tem a benfica tv em casa. Emigrem, subsidiados a mamar o dinheiro dos contribuintes já cá temos muitos!

          • António says:

            então uma pessoa que fica em dificuldades já não pode ter internet, sabes lá o boneca se o casal está a usar a sua internet, se calhar achas que já não deviam comer, nem sair de casa… enfim para ti eles deviam ir dormir para debaixo da ponte e pedir, se não tens nada para os ajudar fica calada, mas não te preocupes que a vida se encarregará de te dar o troco e vai ser com juros, é sempre assim, se semeias veneno não esperes receber outra coisa, mas que falta de compaixã, vai atirando pedras, vai…

        • bela candeias says:

          ola bem ,eu estou na suica a 7 anos comeceia a trabalhar numa fabrica bem conhecida aqui (micarna no cantao de fribourg),um mes apos ter chegado ca,tudo corria bem ate eu ter comecado a ter dores horriveis no estomago andei mais de 6 meses ate ir ao medico ,com medo que me despedicem pois nesta fabrica quem fica doente e deitado para o lixo ,e ja agora eu comecava as 5h30 da manha e chegava a sair de la as 5h 30 da tarde se isto nao e escravatura ,bem mas continuando ,quando vim de portugal eu vim com a corda no pescoço ,tenho 4 filhos recebia um salario de 500euros no bonjour modelo no norteshopinguma das muitas lojas do sr belmiro que vem pcontinuando ara a televisao dizer que nao se deve aumentar salarios pk os portugueses nao trabalhao como os alemaes ou outros da uniao europeia,mas que no ultimo ano tornou a encher os bolsos a custa dos escravos que trabalham para ele, continuando la fui ao medico e fui internada no hospital com uma ursera no estomago ,e com problemas no intestino a partir dai nunca mais fui a mesma,as idas ao medico numca mais acabaram ,ate que a medica me aconslhou a reduzir o horario de trabalho e assim fiz,,mas nem assim eles me deixavam em paz os chefes ,a cada passo era chamada para saberem como è que eu estava e nao digam que era a procuparen-se comigo que nao era mesmo,ate que no ano passado no dia 14 de fevereiro acordei e ia levantar-me para ir a minha labuta e nao consegui pois tinha tantas dores nos musculos e articulaçoes que fiquei em casa,marquei com a medica e la fui eu,quando me viu ela meteu as maos a cabeca e perguntou-me o que tinha acontecido e eu disse.lhe que tinha acordado assim.
          entao comecamos com uma batelada de exames ate que diagnosticaram a fibromialgia ,artrite e uma angina de peito,para alem dos diabetes que ja tinha,e eu sei que a quem esteja pior, depois disto tudo ainda fiquei com depreçao,acontece que aqui na suiça a a suva segurança para acidente e a a segurança perdgain que é para quem fica doente ,pois bem esta dita segurança que no caso é a swica mandou-me fazer um a junta medica ,ao qual declararam que estava apta para trabalhar a 100/,em media uma junta medica aqui demora a dar o resultado entre 3a 6 meses a minha foi decidida em 10 dias, andei da perna fui ao lugares ditos que ajundam quem fica nesta situaçao ,pois fiquei sem salario e com dois filhos uma no colegio e outro na escola,mas mesmo assim nao se resolveu nada ainda fui despedida por abandono ao trabalho,quando tinha um certificado medico na empresa (micarna)e ja estamos em abril e eu continuo sem salario a minha filha vai todos os sabados trabalhar para os gastos dela ,e ja tem as ferias todas ocupadas pois as ferias para ela sao a trabalhar e eu continuo sem receber de parte alguma tenho uma ajuda do servico social mas nao se compara a termos um salario ,e verdade a suiça nao e nenhum mar de rosas,e ja agora quando vim para aqui tive 2 anos sem ir a portugal pois quando podia ir nao havia bilhetes de aviao a 100euros nem a 200 nesse ano paguei para mim e os meus dois filhos 1500 francos por isso a sra que fala em bilhetes baratos nem todas as pessoas teem a possibilidade de os comprar por motivos obvios.

        • SR Amelia podia-me dizer onde consegue arranjar bilhetes por 30 euros por favor?? obrigado

        • Esse português é que já deu o que tinha a dar.

          • José Leite says:

            Tem toda a razão. Em Agosto ainda há voos para Porto e Lisboa a 29.20 chf, cerca de 24 Euros. Choraminguices!!!

          • Marco says:

            Infelizmente e verdade os portugueses no estrangeiro e a pior merda que pode haver, sao as pessoas mais envejosas e ordinarias que em vez de nos ajudarmos uns aos outros como se ve outras nacionalidades aqui em frança como (arabes) nos nao quem puder dar cabo mais um do outro e melhor para poder subir a chefes e assim para depois irem a portugal e dizerem eu sou chefe eu e que sou o melhor o flano tal foi despedido ninguem o quere!Enfim aconselho a quem emigrar a nao trabalhar para portugueses porque alem de serem invejosos saos os que mais mal pagam e ainda falam mal das pessoas!

      • Ricardo says:

        Só para dizer que nem todas as empresas fazem parte das convenções logo o salário mínimo é uma treta como outras qualquer.
        E ele não deve viver com mais duas pessoas para poupar, muitas vezes as empresas colocam os empregados em hosteis ou apartamentos alugados a dividir casa e desconto valor de renda em ordenado.

        A história é certamente de alguém que com dor deixou os amigos e família em Portugal para conseguir dar-lhes (à família ) uma vida melhor sem pensar na vida dele.

        A Elisabete não tem como saber os encargos que o Sr José poderá ter em Portugal por isso ter 100€ para uma viagem pode ser algo bem mais complicado do que parece.

        Viver na Suiça e ter trabalho não é igual a ter um nível de vida desafogado….

        • ORiOn says:

          Alguem que sabe bem como funcionam as coisas… Estar na Suiça não é um banho de rosas para muitos.

          • antonio says:

            Desculpem isto e conversa da treta, para se ser imigrante,, tem que se fazer sacrifícios e por os luxos de parte,
            para se poder ter uma vida com alguma dignidade,

      • Guesh says:

        Desculpe mas acho que fala de barriga cheia.
        Quem somos nos pra comentar a vida financeira dele.. nao podemos dizer que 100 € nao é nada, pra ele pode ser muito.. Nao sabemos as contas que ele tem a pagar, ou como muitos portugueses as dividas que tem. Respeito du fond do meu coraçao estas pessoas que passam mais de 2 anos sem ir a sua Terra e ver os seus. Estou em França gosto de estar aqui e é o meu segundo pais, mas portugal tenho familia, os meus e 1 ano longe é sempre um desafio.
        Digo Bravo a este homem, esta a sacrificar pra realizar provavelmente o sonho da filha dele, por isso nao diga “nao e preciso trabalhar em part -time” se mete em causa o bem estar da sua familia.

        E uma coisa a parte, em França, na Suiça em Portugal, a sempre gente a trabalhar ao black, quem nos diz que o seu caso nao é um desses, na suiça nao sei mas em França a cada dia que passa vemos mais casos desses e a ganhar muito menos que o legal.

      • Celia Malheiro says:

        Esta pessoa so pode estar a brincar ou entao vive de panca cheia e nao tem nocao do que viver fora da nossa casa!, Infelizmente a imigracao e uma batalha diaria e sim! A saudade mata nos aos poucos…Este senhor jose e so mais um lutador que saiu de casa para ir ha luta de um futuro melhor! Bem haja a elel e todos os que lutam pela vida. Para mim 100 euros e dinheiro!

        • Artemisa says:

          Concordo em absuluto ctg Célia… todos falam dos preços baratos a que se podem conseguir voo’s… mas ja pensaram se o sr. tem acesso a internet para compra-lo nas promoçoes dos milhentos sites que existem… e tempo… pk se trabalha das 8 as 22h já me dirao que tempo lhe sobra…além disso se realmente se trata de exploracao… o patrao deste sr. nao terá nenhum problema em nao dar ferias a um recem-chegado imigrante, sim… pk 2 anos imigrado nao é tanto tempo como para ter conseguido todas as “comodidades” que alguns conseguem depois de uns bons anos imigrados. E mto facil julgar a vida alheia… da me igual se a historia é ou nao real…(mas se nao é podia ser) eu obviamente tb sou imigrante e sei o que é estar longe dos que mais amo… e ainda que haja voos baratos donde estou para Lisboa, nao me posso permitir ir tanto como desejaria. Pk nao tenho ferias qdo quero, e tenho 2 casas para pagar… uma hipoteca (que ha 10/15 anos era so facilidades para comprar casas, que agora nao se vendem nem pela metade) e a casa onde vivo, a sumar a isso todos os gastos adjacentes!! Recordar a todos os que falam de barriga cheia, que os imigrantes se sujeitam a tudo o que os demais nascidos nesses países nao querem fazer… e isto é se querem… senao como alguem ja citou acabam no olho da rua em seguida.!!!

      • Completamente de acordo contigo..

      • Minha senhora, raramente comento posts, mas desta vez não me contenho. Sabe o que é ter filhos? Sabe o que trabalhar para que os filhos tenham tudo? Sabe o que valem 100€ por mês? Sabe o que são 100€ ao fim de 12 meses?! Não deve saber, pois se soubesse não teria feito estes comentários. E ja agora esclareço: estas são perguntas retóricas que servem para reflectir. Boa vida, minha senhora!

      • Sónia Viana says:

        A Senhora Dª Elisabete desculpe, mas mais desconcertante que a História do José, é o seu infeliz comentário.
        Há alturas em que quando falamos do que desconhecemos, seria bem mais prudente ficar calados, fica a dica!!!!!

      • zaira says:

        nao podia estar mais de acordo,pois vivo na suiça tambem sei muito bem como é.o meu marido quando veio para ca ha 10 anos esteve 3 meses sem encotrar trabalho e quando comecou a trabalhar ja devia 3 meses da estadia e eu encontrava-me em portugal com um salario de 300 e e com dois filhos e o credito de uma casa.nunca pedi um tostao e depressa conseguimos andar para a frente.nao esquecendo que o meu marido era ajudante de jardineiro ,os salarios sao mais baixos que na construçao.o zé povinho portugues so sabe queixar-se foi por isso que deixei de ver o telejornal portugues .nao aguentava mais ouvir .por causa da crise os portugueses comem menos carne e menos fruta.e bla,bla,bla.no entanto quando vamos a portugal os cafés e os restaurantes estao sempre cheios.e nao digi mais…

        • Linda says:

          Enfim pessoas tão ignorantes…. Metam se na vossa vida já que ganham bem e já que têm assim tanto dinheiro paguem vocês a viagem a estas pessoas !
          E a senhora Zaira se conseguiu subir rápido na vida devia era de estar calada mas enfim.
          Já não vê o jornal porque tem tudo o que quer e quando vê até lhe pesa a consciência !!
          Fala de barriga cheia é o que é …

          • tanta inveja… enfim. São “tugas como “você” que tenta dificultar a vida aos outros que cheguem….

      • Daniel says:

        A “sôra” Elisabete deve mais um daqueles Portugueses que mesmo tendo sangue lusitano são racistas com os emigrantes que estão na suiça. Isso deixa-me um desgosto enorme. Mas já vou estando habituado a tanta barbaridade. Só lhe digo que nunca precise um dia de pedir o resto da sandes a alguém para comer! Pessoa ingrata. Boa sorte a todos nós que lutamos por uma vida melhor 🙂 Um Bem haja!

        • carla says:

          ha bom daniel na suiça tb ha disso eu fui vitima precisamente de racismo por alguns do meu sangue q so pq estao ca ja ha alguns anos se acham…mas agora as chapadas vao saindo aos poucos e jamais farei algo parecido. mt orgulho de ajudar se preciso um portugues
          como ja o fiz

          • Paula says:

            Concordo plenamente contigo Carla, passei plo mesmo que tu e continuo a se precisar a ajudar um português…

          • Maria says:

            Verdade Paula tenho um filho que emigrou para França para ter uma vida melhor e foi para casa do tio e o dito tio (meu irmão ) deixou-o á deriva ,ele tentou arranjar trabalho e como não falava o françês só arranjou ao negro como se diz e como eram portugueses invejosos para com os seus conterraneos teve de retornar a Portugal .Felizmente é solteiro .Só para terminar digo que quanto mais conheço os humanos mais adoro os animais .Sejam felizes

          • José Leite says:

            Conta o que fez o teu filho para o tio o por fora de casa. Ipocrita. Queres o bem do teu filho mas não dizes o porquê o tio o meteu fora de casa.

      • De acordo contigo

      • eu tb tou na suica minha senhora e como voce diz nao e facil ele tb tem facturas aqui e la embaixo nunca vi nenhuma obra parada um mes et meio voce deve ver mal e gante nao explorada na suica hahahahahaha nao vivemos a mesma realidade lol

        • tiago normando says:

          estive alguns anos na suiça , estudei e trabalhei , agora estou em portugal , a suiça é dos melhores paises ao mundo a nivel de tudo , os suiços foram sempre muito bons , respeitem e deem valor a esse país, porque eles são muito corretos , a nivel de estudo trabalho salários educação e saúde , coisa que no nosso lindo portugal não tem comparação , respeitem-se uns aos outros e desfrutem da vida de cada dia … saudades da linda cidade de genéve que me acolheu muitos anos ,sejam felizes

      • Maria Manuela de Melo says:

        Esta Elisabete não existe. É um pesadelo, uma assombração
        .

      • sinceramente senhora Elisabete …. o homem tem de “pagar renda, seguros de saúde (obrigatorio), a comida, os impostos, etc.. para uma família inteira…” tal como a senhora diz …e propinas para a filha mais velha …. só que paga em Portugal … dah … e depois a sandes, é perfeitamente natural … nos voos lowcost as sandes custam quase tanto como o bilhete 😉

      • Filho de emigrantes says:

        ó Elisabete, Elisabete, desculpe-me minha senhora, mas pelos vistos mais valia ter estado “calada”. Sim, porque direito a opinião parece não ter. É a falta de respeito que o ser humano tem para com o outro e para com o desconhecido. Mas que, havendo liberdade de expressão, fê-lo muito bem. Agora que não me venha dizer que ah e tal o senhor só não vem a Portugal porque não quer, porque isso é a senhora a imaginar e a dar palpites para o ar. Os meus pais e a minha irmã estão no estrangeiro e eu é que vou viajar na Páscoa, de Portugal para o Luxemburgo para os visitar, porque eles não podem vir cá. Porque se pudessem, acredite que nunca daqui teriam saído mais uma vez aos 40 e tal anos. Agora pense e um bem haja! Sejam felizes.

        • Completamente consigo. Só disse verdades a meus olhos.

        • cardoso says:

          senhor filho de emigrantes realmente estou realmente espantado os seus pais emigraram para o luxembourgo para ter uma vida melhor e voce vem dizer que nao teem dinheiro para ir a Portugal diga-me por favor o que e que foram fazer porque trabalhar para aquecer perfiro passar frio no meu pais

          • bela candeias says:

            descupe sr cardoso mas ha-de convir que pagar um bilhete fica mais barato que tres e o sr nao sabe as dificuldades que as pessoas teem ou problemas que possam ter acontecido

          • petunia says:

            Pelos vistos o sr cardoso além de falta de chà, também não parece ser muito bom a fazer contas!! A bela candeias percebeu a logica, mas pelos vistos o sr não!! e fique sabendo que a crise, ao contràrio do que os portugueses que estão em Portugal possam pensar, està em todo o lado, ou não fossemos uma comunidade economica!! Quem lhe garante que là em casa não hà apenas um salàrio?! e os voos baratinhos é muito bonito, mas e depois, como nos deslocamos uma vez chegados ai, a pé, ou là teremos de alugar um carro?! serà que também hà alugueres de carros “baratinhos”? houve muitos outros comentàrios que gostaria de responder, como o da Dona Elisabete, mas não hà pachorra para tentar fazer luz em certas “cabeçinhas” maravilha que se julgam donas da verdade mas que não passam de ignorantes ou cobardes que não têm coragem de assumir a situação que vivem todo o ano para poderem fazer vida de “lordes” em Agosto quando vão de férias, mas que passam semanas sem saberem o que é comer um bife de vaca, ou pura e simplesmente nunca sairam da terrinha com medo de enfrentarem as dificuldades de viver num pais estrangeiro, onde hà discriminação, quer se queira quer não, onde hà crise e exploração, e onde os confortos a que estão habituados ficam em segundo plano, ou têm de ficar!!
            Sou uma nova emigrante, e posso dizer que apesar do ordenado minimo ser superior ao de Portugal, como inquilina em França, tenho cargas mensais e anuais, que não existem em portugal, os descontos são muito superiores e os preços de certas coisas nem se comparam!! este serà o terceiro ano consecutivo que não vou poder ir a Portugal, e o dinheiro não vai para os copos, não faço vida de luxos, tenho um carrinho velhinho e para ir 15 dias ver a familia precisava de pelo menos 1000€, garanto que não é assim tão fàcil!!
            Coragem a quem como eu e o José sabe dar o valor à saudade, e não goza com o emigrante, menosprezando os sacrificios que ele faz para procurar uma vida melhor para os filhos§

          • Gostei de a ler petunia! Só pode falar assim quem está longe da familia e amigos, porque o país não lhe deu condições para ficar. Só fala assim quem tem saudades! Tudo de bom!

          • José Leite says:

            As cargas sociais existem em todos os países desenvolvidos. Se em França não dá, o que está aí a fazer?
            E ainda por cima só escreve parvoices.

      • vânia says:

        Jamais abdicaria da mi ha familia. Perder momentos q nc mais regressam.

        Perferia viver muito honedta, mas poder ver os meus filhos todos os dias adormecer.

        Amor é bem mais importante k bens materias.

        • esta senhora d. elisabete fala de barriga xeia certamente e filha de algum politiko lol ela precisa e de trabalho decerteza

        • Vania Leao says:

          Nunca diga “jamais”. É uma opção sua com a qual concordo plenamente. Mas a vida às vezes coloca-nos em situaçoes dificeis, e temos que tomar decisões deficeis…

        • Noemia Castro says:

          Sim o amor é muito bonito, concordo porque sou mãe mas doeu-me muito mais quando os vi passar fome…

        • Andreia says:

          Mas que eu saiba nao e o amor que lhe paga a renda da casa e lhe da de comer,Nao digas nunca pois nao sabes o dia de amanha oh Noemia Castro.

        • anónimo says:

          O amor é lindo, mas não fale do que não sabe ou do que nunca passou … pense se não tiver como alimentar os seus filhos, se os mesmos passarem fome, não tiverem uma casa para dormir, o que lhe serve vê-los adormecer todos os dias em sofrimentos ????

      • A minha mae está na suiça com o meu padrasto, e sabe Deus o que eles passam. Compreendo muito bem este senhor. Pagar a universidade e a vida escolar de uma filha não é facil, quanto mais de duas?? Você tem que ganhar algum respeito pelas pessoas, porque o homem nem de nada se queixou, o senhor Ricardo é que perguntou. Por isso, se não tem nada de bom para dizer/escrever, não diga nada porque de Pessoas como você está este mundo cheio. e a rebentar pelas costuras. Não lhe quero faltar ao respeito de maneira nenhuma, mas comece a pensar melhor antes de ‘duvidar’ das historias que sao partilhadas. E se ESTA historia em particular fosse falsa? Que mal teria? Existem milhoes de exemplos por aí que comprovam esta história. A vida não é igual para todos e eu posso ser muito jovem, mas eu percebo. Percebo a situação em que o homenzinho deve estar, porque há um ano atras a minha mae estava assim. Graças a Deus, agora está bem, mas como disse, não corre bem a todos. Mas uma coisa muito valiosa e que todos temos de ter é HUMILDADE e você não parece ter a suficiente. Desculpe por estas palavras, mas á a verdade. Boa noite. xx

      • Nuno Proença says:

        Comica

      • paula cardoso says:

        lamentável e desnecessário este comentário da Sra Elisabete! demonstra muita falta de sensibilidade e também muita falta de humanidade! que pena! mas enfim … o sentimento mesquinho de muitos portugueses leva a isto… por isso também estamos na situação em que estamos!!!! em relação ao Zé muito boa sorte a ele e a todos os Zés deste País que são obrigados a começar tudo do 0 e bem longe, quando deviam ter direito ao trabalho no seu próprio País e a acompanhar os seus filhos de perto!!!!

      • esmeralda says:

        perdeu uma boa oportunidade de estar calada……enfim…

      • João says:

        Deve ser uma pessoa muito inteligente para dizer isso de forma tão fria, mesmo que o autor tenho inventado o texto, o mesmo não nos pode deixar de tocar. pois ha historias destas veridicas e essas pessoas não poupam porque querem, é obvio que para pessoas doutro status social e com outras ligações é fácil comprar um bilhete de avião por 100 Euros mas quem trabalha 12 ou 14 horas por dia nem tem tempo para pensar, quanto mais para andar na net em leilões de companhias Low cist. Ha muito Portugueses que emigram para irem ganhar ordenados muito baixos, pois a crise está em todo o lado e como disse o autor ele nem queria aquele impacto todo poruqe não estava doente, apenas quis partilhar que ha uma geração que emigrou sem estudos que tem de lutar muito. Mas isso para si é porque assim foi a opção dessas pessoas???? Pense bem e veja se é mesmo assim.

      • anónimo says:

        Não sabe as despesas que esse homem tem para pagar, provavelmente já pagou 20 anos de um empréstimo de uma casa que não quer perder para um banco que a vai vender por meia dúzia de tostões e que mesmo assim vai ter de pagar a diferença

      • Estranha é você, não a história!!! Vive arredada da realidade certamente…o que é para uns pode não ser para outros, e todos devem e teem de ser respeitados!!! Espero que nunca precise de uma sandes, e se um dia precisar espero que não tenha uma mão amiga, aí vai ver o que é a realidade de muitos! Bem aja o Ricardo pela atitude ética e coração aberto.

      • walker says:

        Quem tece um comentário destes, (a dona Elisabete) para além de demonstrar uma ignorância do tamanho do mundo, demonstra também ser alguém que, todos os dias, dorme descansadamente na sua cama de penas. Para uma pessoa que tece este comentário apenas posso dizer: para si, pessoa de baixeza tamanha, o meu total desprezo.

      • carlos says:

        Você Elisabete, tenho pena de si, pelas suas palavras, fez me acreditar que as pessoas que para mim não tinham significado em pequeno ainda existem. Palmas para a Elisabete, esforçou se uma vida, lutou duas e podemos dizer que é uma grande mulher em saudar um homem que se emocionou por alguém das suas raízes. Sabe que mais Elisabete, gente como você, Portugal tem muita…. Devia ter vergonha de vir responder a um artigo destes. Infelizmente existem pessoas como você!

      • herminia marcal says:

        senhora elizabete mais valia ficar calada a suica nao e um mar de rosas tambem ai ha muita miseria disfarcada nem todos tem sorte e sei do que falo vivi ai 22anos comigo correu tudo bem , tinha estudos e um certo estatuto mas vi muita coisa e matei a fome a muita gente .Apenas lhe quero dizer que deus a proteja pois nao esta livre de passar por uma situacao dificil, ninguem esta ao abrigo, , seja feliz mas abra os olhos com olhos de ver e vera o mundo como ele e na realidade, e acredite que adoro a Suíça, minha patria do coração.

      • Paula Cruz says:

        tu nao deves saber o que é imigrar , estar loge da familia , da nossa terra , eu estou em ínglaterra e choro todos os dias pela minha familia que esta em Portugal , espero que nunca precises de imigrar mas ja agora digo-te era bom que um dia tivesses que sair do teu conforto (Portugal ) para poderes dar uma vida razoavel aos teus filhos e espero que chores tanto mas mesmo tanto como nós choramos todos os dias com saudades dos nossos

        • Andre says:

          concordo plenamente com a Paula porque eu tambem tive que emigrar para nao passar fome ai em Portugal s.o fala assim quem esta no conforto do Portugal, mas sao tao pobres de espirito estas pessoas…julgam que os emigrantes estao ou vao ficar ricos

      • faz-te a vida como eu me fiz! says:

        deves ter o cu cheio de merda e um marido que te sustenta!fuck u idiot!grande alma deste sr!

      • Que tristeza, e arrogancia da tua parte… Nos que trabalhamos fora do nosso pais, trabalhamos para uma vida melhor, e se por ventura este senhor, ainda nao tinha ido a Portugal mais cedo, foi porque certamente, achou que o dinheiro que iria gastar, provavelmente fazia falta num livro por exemplo pra a faculdade da sua filha, ou em algo que possivelmente fosse mais importante, e tentando controlar a sua saudade em conversas de skype. So posso dizer que es uma pessoa mesquinha, e que no lugar do coracao tens uma pedra. Sem duvida que sou uma das pessoas, que dou uma salva de palmas a este senhor de pe!!!

      • José Manuel Ferreira says:

        Uma pessoa como você, vai envelhecer sozinha, sem família, sem amigos, sem nada. Pobre coitada.

      • cesar soares says:

        por portugueses como esta senhora que por vezes tenho vergonha da nossa sociedade…. triste sra

      • André says:

        Elisabete, pelo menos trabalha. o tempo livre deve levar as pessoas a dizerem barbaridades.

      • Filipe Ramiro Grincho Santana Lopes says:

        Desculpe lá minha Senhora mas a Srª ou é Rica ou é ignorante… Você leu tudo até ao fim? Leu que o Srº tinha part-Time? Sabe qual é o part-Time? Sabe porque é que ele não ia a o País Dele no Inverno? POUPAR. Sabe o que é isso? Não deve saber… Pessoas como a Srª que têm dinheiro a sobrar são umas insensíveis não sabem o que custa abdicar daquilo que nos é mais querido neste caso ( a Familia) para conseguirem tentar dar um Futuro aos Filhos ou Conjugues… ou então se calhar nem têm um tostão furado mas têm a puta da mania que fazem uma enorme vida em Portugal e quando voltam ao país que os acolheu vão limpar retretes (que não é mal nenhum apenas mais um emprego e que não se ganha nada mal)… Eu apenas queria dizer que a Srª ou é PARVA ou é ESTÚPIDA… Desculpem aos mais sensíveis mas não consigo ficar indiferente a tamanha falta de humildade de certas pessoas… Se tem assim tanto dinheiro vá para a China ou Austrália quiçá Japão ou um sítio mais longe porque se eu a conhecesse concerteza que a mandava à Merda cara a cara sem medo nem preconceito nenhum… Sem mais me despeço o mais educamente que me é possível…

        • maria martins says:

          Filipe Ramiro na Australia nos nao queremos senhoras como essa Elizabete porque estou aqui ha 30 anos e tenho k trabalhar no duro tanto eu como o meu marido , e limpar retretes como voce diz faz parte do meu dia – a dia e se for preciso limpar o cu aos doentes do hospital onde trabalho. por isso essa senhora acho melhor ir levar no cu pa china , ha por aqui pessoas k quando chegamos estiveram 10 anos sem irem a Portugal por isso essa senhora perdeu uma boa opurtunidade pra estar calada

      • Rui Cruz says:

        Elizabete deves ter nacido com o cu virado para a lua!!!! Devias ter vergonha de escreveres o que escreveste!!! Também deves ser daquelas emigrantes que quando vais a Portugal so falas Frances ou Alemão por que e chic.

      • António Azambrósio says:

        A Elisabete não passa de uma puta, contratada para comentar este artigo. E assim, ficamos na paz do senhor!

      • Diana Costa says:

        Infelizmente passei pelo mesmo e deixei em Portugal o meu filho de 2 anos so eu sei o quanto sofri e chorei e entao as saudades aumentaram de tal maneira que regressei a Portugal sim ganho o ordenado minimo mas so o sorriso do meu filho vale sacrificios…De certeza que nunca passou fome nuum pais que nao e o seu e sem conhecer ninguem e de certo sempre esteve acompanhada …nem todos nascem com sorte minha querida.

      • PoCaRaLhU says:

        MInha grandessissima puta, o verdadeiro absurdo é a tua tromba, aprende a respeitar o que os outros escrevem, e se vais comentar ao menos tem coração em vez dessa pedra! OTAAAAAAAAAAAAAAAARIA

      • pedro says:

        sra elisabet estou plenamente de acordo consigo porque na realidade quem tiver trabalho na suica pelos vistos dois empregos não tem motivo de passar nessecidades ,,,,,,,independentemente de tudo,,,alem disso eu pessoalmente não acredito nessa historia do pedir pra comer uma sande e bla bla bla

      • Miguel says:

        Concerteza que não tem filhos e aina é nova o suficiente para conseguir um emprego…Penso que foi uma resposta pouco humilde,talvez porque não teve alguma vez de fazer sacrificios pela família…Quem fala assim quase garantidamente nasceu em berços de ouro..Não me admira que pertença á (GERAÇAO RASCA) nova geração…Não saber dar valor de uma vida,dar valor a sacríficios só para darmos tudo de bom e do melhor às pessoas que amamos…Concerteza que não Elisabete…Alguma vez viu a necessidade de deixar o Marido e filhas para ir trabalhar para fora??Obviamente não…ficar 2 anos sem ver sua família??Obviamente não…Lamentável…Deus dá nozes a quem não tem dentes e é bem verdade…Quem merecia viver em paz e serenidade são precisamente os que estão a fazer sacríficios..Como se não bastasse (PERTENCER À GERAÇAO RASCA E TER VIDA FACILITADA PELOS PAPÁS) ainda se dá ao descaramento de fazer uma crítica um pouco desumana,ética e fora de contexto…Vc era uma das que deveria passar o pão que o diabo amassou só para dar um pouco de valor á vida…Talvez seus Pais compreendam a vida deste amigo (José)….Já você…sinceramente, (pior idiota não é aquele que permanece sempre calado,mas sim aquele que ao falar acaba com as dúvidas)…Fica a dica

      • Ô que esta à diser para ai é uma grande mentira à que dar valor sim à estas pessoas porque na suissa nao e so de verao que se trabalha pois quem quer trabalhar tem trabalho para todo o ano por isso nao meta ô nariz onde nao sao chamados aprendao q cada un e como cada qual .
        Bravo para este homem guerreiro que luta pela sua familia.

      • carlaleks says:

        nao fales do k nao sabes um ano sem trabalhar em portugal de certeza k o deixou com dividas e para redresser a barra e preciso poupar muinto e viver aki e ainda ter outra familia em portugal nao e nada facil

      • João says:

        Falas de papo cheio e és uma atrasada mental, não sabes do que falas, és pura e simplesmente uma parva. A história acima descrita pode até ser um conto… mas acredita que é a realidade de muita gente.

      • Adelino Santiago says:

        Julgar estranho pode ser exagerado … poderá o homem ter estado numa situação de inemprego durante muito tempo ter contraído dívidas, a esposa e filhos não terem empregos, haver encargos por exemplo com habitação e lutar para não a perder … não me espanta nada que essa pessoa esteja no limite da penúria mesmo trabalhando, há muitas dificuldades na sociedade atual … a maioria escondidas e as pessoas mais simples e mais lutadores por vezes vivem mesmo no limite da privação pela sua família … há dias apareceu-me uma pessoa a pedir (quase a chorar ) para eu lhe comprar uma pequena televisão velha pois o filho tinha o passeio escolar e não arranjou outra forma senão essa para o filho não ficar envergonhado por não poder ir com os colegas pois tinha que pagar 15 euros … !
        Os governantes cortaram em 2 anos 30% dos dinheiros ao rendimento social de inserção quando este deveria ter aumentado, por exemplo … pois aumentou e muito a falta de emprego e a miséria, pobreza e pobreza envergonhada … Este escândalo até a Europa que nos empresta dinheiro criticou e achou estranho … ! Não se espante com situações deste género … sobretudo nas gentes do norte e interior isto existe claramente …pessoas que vivem quase sem nada para poder dar algo aos familiares … para cumprir os compromissos financeiros que consideram de honra … que tiram mesmo o alimento à boca para terem a “cara lavada” a honra e por terem vergonha de dívidas …
        Não é como outras que pregam o calote em qualquer lado, não têm estes valores na sua personalidade …

      • letinha29 says:

        E por isso que este pobre homem que trabalha na construção civil,conseguiu por a filha na universidade porque trabalha horas sem fim se priva de comer para que a familia que não ve a dois anos possa ter algum conforto,do qual ele se priva este sim é um Homem com H Grande,deixem-se de comentários estupidos só quem passa por isto sabe o que custa

        • VICTOR says:

          ola ,desculpe eu discordar ,mas quem não tem 100 euros para comprar um bilhete para ir ver a família !!! isto é so treta

          • lamentavel says:

            Senhor Victor com todo o respeito pelo seu comentário, mas deixe me dizer que está bem enganado nesse respeito!!! você está bem longe da realidade!!! sou emigrante de apenas um ano, trabalho para empresas no estrangeiro com contratos em Portugal, sou uma pessoa sem vícios, não fumo, nem bebo bebidas alcoólicas, não saio de casa que seja preciso gastar dinheiro, trabalho 11 horas diárias e 5 horas ao sábado, e não posso dar-me ao luxo de ir a Portugal quando apetece por falta de dinheiro. Nem imagina o que eu vejo com colegas como eu que trabalham noutras empresas mas na mesma obra (obras grandes). Em media são despedidas 2 pessoas por semana, isto é um vai e vem de pessoas, no primeiro mês entram á experiencia, só que deixam trabalhar quase um mês e fazem de propósito para despedir as pessoas de forma com justa causa para não pagar, porque muitos de nós andam á hora para empresas estrangeiras. casas alugadas com cerca 30 homens a viver nela, casa de banho sempre ocupada!!! falha de agua quente constantemente! conflitos entre colegas devido á diferença de carateres, no trabalho gritam connosco como se fossemos animais! o ordenado vem sempre em atraso no mínimo 15 dias, quando alguém vai embora não o pagam, já houve quem fosse para tribunal e conseguem sempre escapar com mentiras! muitos colegas meus andam sempre tesos!! caso queiram ir embora não têm dinheiro para a viagem! já assisti a pessoas a serem agredidas, alguns até de idade avançada! não há respeito por ninguém!! O que ganho é para alimentar a família em Portugal e despesas pessoais minhas, alem disto tenho um empréstimo que tenho de suportar, quando meti me nesse empréstimo tinha emprego eu e esposa, o dinheiro chegava nessa altura porque sempre poupamos,ficamos desempregados os dois e não tenho apoio de ninguém, pelo contrario, tenho um irmão deficiente, minha mãe com 85 anos vive de apenas 250€ mensais+300€ do meu irmão. só que eles também pagam aluguer e não chega, tenho que ajudar. todo o dinheiro que ganho dá para as despesas e mal!! sofro muito por estar separado da família e ver minha mãe sem apoio, minha esposa encontra-se longe dela mas vai lá ás vezes. Acha mesmo assim, que qualquer um arranja 100€ para ir mais vezes a Portugal? oxalá que nunca chegue a saber o que é isso, e aproveite a vida que tem.

      • mais uma que falou à tôa….” na Suiça não é uma mar de rosas, há faturas para pagar etc….” e aqui em Portugal ???? não há faturas para pagar ? há trabalho ? temos sistema de saúde ? educação ? acorde para a vida real minha senhora

      • miguel says:

        Deves viver à grande só pode para conseguir ter este tipo de comentário …. Passa dois anos fora da sua vidinha privada de carinho familiar e depois garantidamente que a opinião será outra …. infeliz comentario ….

      • Graça Cachapa Dias says:

        Elisabete
        Só uma pessoa sem o mínimo de inteligência não percebe o que Ricardo Sousa quis dizer nem o próprio José que nunca se queixou, portanto, deve, em primeiro lugar, abster-se de tão despropositados comentários…

      • jorge oliveira says:

        elizabete concordo plenamente consigo, esta historia é Fictícia. para ganhar protagonismo nas redes sociais…

      • VICTOR says:

        Isto é historia da carochinha !um bilhete de avião IDA E VOLTA ,mesmo na TAP pode encontrar-se por menos de 200 euros!

        quem esta à dois anos na suíça e não tem este dinheiro ,só pode te-los gasto nos copos!!!!!!!!!

        PORTUGAL TEM CADA MAFIOSO,Até DÓI.

        A SENHORA TEM TODA A RAZÃO,estes últimos ano so tem vindo mafiosos para a suíça.

        .

      • Ana Paula Dias says:

        Elizabete, certamente que não tem a minima ideia do que é querer dar aos filhos o melhor, sem que nada lhes falte e tenham sempre tudo do melhor, pois para ter duas filhas a estudar ( uma na universidade ), mais a esposa, certamente também a casa em Portugal para pagar, tudo isso não se paga certamente apenas com o salário de um simples operário da construção civil …. !!!
        Eu também como emigrante a viver na Suiça, sei muito bem o que isso é !!!! Louvo plenamente esse senhor que se priva do carinho da família, do seu país, e, vive uma vida de certas privações só para dar bem estar pleno às filhas, esposa e mãe !!!
        Deixem de ser hipócritas e digam a verdade do que é a vida de emigrante, muitos se fazem passar por muito bons, que tem em Portugal autênticos palácios, contas recheadas, grandes carros de luxo, etc ….. mas aqui na Suiça, em casa deles bebe-se água da torneira, café ( para convites especiais ), apenas do instantâneo que é mais barato, fazem-se sempre convidar a casa dos outros para comer, ou então muito simplesmente vão comer a sopa dos pobres junto com os SDF!!!!
        Quantas vezes este senhor certamente não preparou tudo para ir até ao seu país ver a família??? E muito provávelmente um contratempo o impediu de o fazer????
        O que ninguém fala nem comenta, é que se trabalha como doidos e apenas se pára quando já não há saúde nem forças para andar, e, nunca se poderá gozar daquilo por que tanto lutou e construiu !!!!

      • M. Vitoria gouveia says:

        E…porque os aeroportos estão abertos a todos os cidadãos independentemente do seu caráter…aconselhava-o a experimentar a EMIGRAÇÃO, e quem sabe se não seria menos acutilante nos seus comentários… Nunca emigrei, mas sofro pelo que o fazem involuntariamente!
        Sem quaisquer cumprimentos

      • Nelson Gomes says:

        Ou muitos de vocês não têm coração ou então não são seres humanos. Existem assuntos muito mais duvidosos do que este e vocês acreditam neles que nem patinhos. Só vos digo isto, não merecem o chão que pisam, não merecem sequer o ar que respiram, olhem-se ao espelho e vejam que vocês não são ninguém para julgar esta gente. Deixem-se de merdas e vivam a VOSSA VIDA…………….

      • Carla Bento says:

        Cara D. Elisabete,
        Não conheço nenhum dos intervenientes da situação, no entanto gostava de lhe frizar uns pontos:
        1° o autor da história não é o trabalhador…. alem de que ninguém se lamenta, simplesmente constata-se um facto!
        2° A Sra não sabe da vida do trabalhador, visto que o homem tem de se “manter” na Suíça (pagar o necessário) logo envia o restante… sabe se a mulher tem trabalho? Sabe quanto ele paga da casa? Propinas para filha na escolha? Sabe se gasta na farmácia, no médico etc?
        A Sra sabe de alguma coisa para julgar outra por não ter 100€ para um bilhete??? Digo-lhe já vi muita gente como a Sra a julgar outros por diversas coisas…. Para terminar digo-lhe ” um dia é da caça, outro dia é do caçador” se não entender este ditado ainda lhe deixo outro” a vida é como a roda gigante, agora estão uns em cima, depois estão em baixo, caso um dia lhe aconteça. .. saberá o valor dos 100€ desse Sr.

      • Ferrazolla says:

        Mas quem é esta vaca?? acorda mulher!!

      • Muito bem falado Elisabete, penso que as pessoas vivem melhor em Portugal com 450€!!!! so que na Suiça (ninguém da nada) e ha um ditado português que diz.:NA CASA DO MEU HOME QUEM NAO TRABALHA NAO COME, aqui é a mesma coisa. Deixe que a Suica proiba os estrangeiros de virem para aqui?!!!!nao sao os que aqui estam que vao chorar, mais sim aqueles que quiserem vir para aqui.

      • Noemia Castro says:

        A D. Elizabete deve ter o coração na sola dos pés, daí estar esmagado de tanto o pisar. é lamentável o seu comentario, acha que por haver casos piores nao deve ser exposto, realmente o país está assim porque tem um povo demasiado acomodado, devo dizer-lhe que eu estou numa situaçao um pouco pior mas nao deixou de tocar o meu coração este relato, vivi fora do pais 16 anos e sei o que é sofrer fora do nosso cantinho, cheguei a passar fome, eu o marido e 2 filhos…nao é tudo um mar de rosas e este caso é a prova do país de m…..que temos. Todos os casos sao tristes, nem mais nem menos, todos os casos dvem ser expostos, e a unica coisa que a senhora deveria ter escrito seria (lamento pelo senhor) ficaria melhor no seu retrato.

      • Esta Elizabete é uma nulidade. Será, certamente, mais uma que saiu de Portugal e que quando cá vem, vem apenas para dizer mal.
        A historia deste homem é uma realidade atual e o que quiseram dizer com isto é que um homem esforça-se pela família.
        Seguro que deve ganhar para viver SOZINHO na Suíça, isto se não quisesse dar qualidade de vida à sua família. Mas não foi esta a sua opção!!!
        Esta Elizabete deve ser mais uma que abandonou o país porque não tinha emprego decente e deve estar a lavar escadas na Suíça. É mais uma frustrada. NÃO VOLTE!!!

      • carlos tavares says:

        como há pessoas tão frias quando têm a barriga cheia. Em vez de critica ajude,pois amanhã ninguém conhece.

      • fernando says:

        Deixa adivinhar…trabalhas para o estado, ganhas bem e sais cedo, votaste nos bandalhos que nos governam e com a miséria e sacrificio dos outros podes bem..sendo simpático vai dar banho ao cão

        • Trabalhar para o estado e ganhar bem e sair cedo? Oh homem, para uns sairem cedo, outros tem que dar o litro, e essa do estado ganhar bem…deixe as drogas e não seja tão influenciavel pela demonização dos funcionarios publicos pelo governo, para lhes andarem ilegalmente a retirar o que foi contratado.

      • Esta Sra Elizabete de certo que nunca Emigrou. Nota-se pelas suas palavras que não sabe o que é estar longe da familia e do seu País. pois eu sei, emigrei para a Suiça em 1969, estive lá 39 anos, Chorei muito, sofri muito, mas deu os seus frutos hoje vivo uma reforma confortável. Ao ler o artigo chorei pensando neste pobre homem, pois sei dar o valor daquilo que ele está a sentir. A Dna. Elizabete tinha feito melhor figura ficar como o porco do Alentejano surdo. (( BOCA ABERTA E CALADINHA )). Desejo ao
        José e família muita coragem e felicidades. Bem haja o sr. que lhe pagou a sandes. Que DEUS o ajude também assim que ao José.

        • Sao Pedro says:

          K bela liçao de vida …passou uma vida a fazer sacrificios e a chorar para ter uma “reforma confortável” Teve sorte de não lhe ter dado o badagaio
          antes de poder aproveitar o conforto da reforma.
          Comentarios tristes e ainda tem a lata de criticar a unica pessoa k escreveu algo de jeito. Deve de certeza fazer parte daqueles k se privam para ter casa e carro melhor k o vizinho.triste mentalidade.

          • tuga emigrante says:

            Olha precisas k te facam um desenho do k a Joselia tentou explicar? Parece-me k sim. O entao deves ter uma boa vidinha e nao sabes o k e ter de lutar. Gente triste

      • Lamentavel. Esta seria sem duvida uma excelente oportunidade de estar calada !!!

      • Vitoria says:

        para um comentario assim mais devias estar calada, não sabes o resto das dificuldades que teve não o deves julgar alias nem direito tens de o fazer por isso antes de julgares os outros olha para ti ….

      • toi lopes says:

        acho que a senhora nao compreendeu, o que aqui foi relatado ,
        espiritos torcidos .

      • Alexandra says:

        Não percebeu nada da mensagem, que pena, é outra franja de portugueses. Ainda bem, só uma franja…………………

      • machado says:

        A historia é linda pela acção que ainda existe bons corações como quem deu uma sandes, e feia pelo quem a pediu,
        Eu Estou a pouco tempo na Suiça em Geneve mas o que consto que para ser imigrante não é necessario passar fome ou fazer negocios pouco claros para ser rico, é presciso sim trabalhar ser responsavel, ser humilde, ser consistente na sua atitude e firmeza, e ser leal com a familia e ele ou ela próprio, trabalho como fosse em Portugal aliás num ritmo mais lento porque o sistema aqui o obriga, faço as 3 refeições do dia intervalado com uma peça de fruta e faço a minha balada ao fim de semana, durmo e resido próximo da fronteira Ferney voltaire. Quanto há ultima resido lá porque é mais barato a habitação e mais digna ja no lado da suiça o preço de um quarto e compartilhado é tão caro como um apartamento em ferney Voltaire mas é moda e chique viver em geneve mesmo nao tendo privacidade, alimentção como nos superes de Voltaire porque é mais 3 vezes mais barato que no super de geneve e nao como fora como geralmente esses imigrantes fazem porq nao tem condiçoes de espaço e perguiça e chic almoçar fora ou jantar enquanto eu janto e tomo o pequeno almoço em casa e levo a lancheira para o almoço e as peças de fruta. Ser humilde é firmar que tem valores e que é Portugues, Trabalhar com profissionalismo é algo que nao existe so pensa no horario e dinheiro. quanto ao salario ninhem recebe menos do que 2700 euros, agora sim devem fazer gestão desse dinheiro e cortem as chiquices e a potulancia e adquirem valores e conheçam a cultura Suiça ai sim vao em bom caminho. Ser Imigrante nao é ser pedinte nem quem tenha fome so tem fome e nao visita a familia é quem é malandro e gastador eu vou todos os meses a Portugal e nao passo fome e conheço tatro, cultura, viajo dentro da Suiça mas tenho um grande problema tenho pouco tempo para estar nos copos naos cafes e Restaurantes .
        Machado comprimenta a todos Homens e mulheres com valores.
        Deus estejam convosco

      • Se fosse filha de emigrantes não pensaria assim. A saudade mata sim! Que pobreza de espírito! Vive em que mundo?! Sustentar 2 filhos na universidade é uma despesa brutal! Esta gentinha que não dá valor nenhum a quer realmente luta por uma vida melhor, nem merecia sequer partilhar opinião! Cale-se!

        • sabrina says:

          é sim uma despesa brutal quem tem filhos na faculdade que vão para os copos todas as noites…

        • machado says:

          Cris Eu tenho uma filha na faculdade a tirar gestão e o custo dela é praticamente nulo bem como os das minhas outras filhas pois o sistema daqui da Suiça da 400 Francos para cada filho para ajuda do estudo até aos 25 anos ao contrario quem trabalha em Portugal tem direito so uma sandes como abono de familia entre la realidade nós temos obrigação de criar os nossos filhos consuantes as nossas possibilidades e nada lhes falta se formos uns pais presentes ai os nossos filhos cultivam os valores que lhe damos e festas e copos nas noitadas nao existem pois o seu tempo é ocupado nos estudos pois um bom aluno deve ter no minimo 4 horas de estudos complementares após as aula agora me diga será que tem tempo para anadar em festivais ou noitadas não porque a sua mente obriga ao descanso, Eu vivo co os pés assentes na terra aqui na Suiça quem trabalha consegue ter uma vida de qualidade e dar a sua familia essa mesma vida do quem trabalha em Portugal as ordens de governos desgovernados. Saudade se combate com as novas tecnologias e colocarmos gastos superfulos de ladao ai da para matar a saudade por net e outra a sua presença indo de avião que tem um custo de 200 Euros.

      • ricardosousame says:

        O meu nome é Ricardo e sou o autor do texto original, não do post. Alguns esclarecimentos que me parecem relevantes:

        – Não fui eu que coloquei o post, ou escolhi a imagem que aqui está, ou tenho qualquer filiação a priori com outras ideias deste blog.

        – Questionar a veracidade do mesmo é, no mínimo, ridículo pelo que me escuso a fazer qualquer comentário sobre esta questão. Estar alheado da realidade é uma coisa – querer ignorar a mesma é outra.

        – Este texto foi inicialmente colocado como uma partilha com amigos no meu facebook. Não foi escrito para ser um artigo num blog, não foi pensado para ser uma análise de um tema de forma séria e pensada – foi o relato de uma situação vivida POR MIM e que, de alguma forma, ME marcou.

        – Como acho óbvio, mas parece que muitos não entenderam, o José (que ainda estou para encontrar no Facebook!) pediu a metade da sandes não porque estivesse a morrer de fome há X dias, mas porque sabe que lá em cima é mais caro e 10€ fazem diferença, provavelmente, no seu dia-a-dia.

        – Não sabemos quanto ganha e especular isso é um exercício demagógico. Apesar de convenções na Suiça, ele pode perfeitamente ganhar abaixo e quem conhece a realidade da emigração sabe que há “handlers” no processo que ficam com fatias do que ele provavelmente ganha, fora as obrigações lá e em Portugal que lhe poem levar grande parte do dinheiro e que não terá arranjado emprego assim que lá chegou. Ninguém faz o part-time porque lhe apetece, ninguém fica sem ver a família e com aquele rosto de sofrimento porque lhe apetece.

        – Os voos: easyJet ou não easyJet os voos são baratos quando: comprados com bastante antecedência, em datas não altas, com cartão de crédito. Qualquer um dos pontos anteriores pode ter sido a razão pela qual alguém com um trabalho que secalhar nem é assim tão certo e um part-time não consegue arranjar voo mais rápido 🙂

        – Ninguém disse que não é bom, ou não há que lutar. Para quem verdadeiramente me conhece e não leu um artigo isolado, sabe perfeitamente que sou dos maiores defensores da responsabilização pessoal, da luta e sacrifício, do vender lenços em tempo de guerra, mas a verdade é que sermos empreendedores, sermos lutadores não faz de nós máquinas – continuamos a ser humanos e quando vemos alguém que está mal (eventualmente podendo discutir-se se podia ter lutado mais ou não) ficamos tristes. Foi o que aconteceu.

        Este texto não foi escrito para fazer ninguém chorar, para gerar likes o partilhas (ganho 0€ com as mesmas e ainda me retiram tempo, acreditem), foi feito como um momento de partilha com as pessoas que me conhecem e que tenho no Facebook. O que aconteceu foi que, sintomaticamente ou não, essas pessoas partilharam, e outras partilharam e quando demos conta o texto está aqui e em mais não sei quantos sítios e gera tudo num mix de ódio e simpatia. Da minha parte não quero nem uma coisa nem outra, apenas que o José (e outros) se safem.

        • machado says:

          Ricardo o que você sentio só você sabe mais que ninguem se nao quisesse ser objecto de critica do texto não o escrevia e publicava na net, Eu sou um pouco direto nas coisas e muito realista, eu ja passei muitas dificuldades ja fiz boas acções naõ cobrando mas algo lhe digo é triste ver esse episódio quase todos os dias sejam no avião seja na terra pois se me diz que a sandes custa 10 Euros ao velho proverbio quem vai para mar aviasse em terra ele bem podia comer antes de embarcar pois o preço de uma sandes feita em casa sai mais barata estamos a falar de um voo que demora 3 horas entre a embarcação, voo e desembarque por amor de Deus sejamos realistas, o viciado em tabaco teem que aguentar o voo sem fumar não é; eu nao sou fumador mas deve custar muito mais do que saciar uma sandes. Peço perdão se no meu comentário ofendi em algo e desejo a todos um bom fim de semana.

        • Caro Ricardo, só lhe quero dizer que concordo 100% com o seu comentário a propósito do artigo que inicialmente partilhou com os seus amigos, artigo esse que também gostei e, que partilhei no meu facebook. Os comentários que seguem, genero, PRÓS e CONTRAS, refletem bem a mentalidade de alguns compatriotas. Quem sou eu para tecer juizo de valores sobre esta falta de empatia que se instala cada vez mais à nossa volta. Isto só serve para ver como o MUNDO vai mal. Se é connosco é uma coisa mas com os outros… Nem vale a pena comentar. O que vale a pena é dizer que existem pessoas como o senhor que conseguem ver para além do monetário. E a unica coisa que digo para finalisar, é uma frase que não é minha mas desconheço o autor.
          “Há gente, tão pobre tão pobre, que a unica coisa que tem, é dinheiro”.

      • Sra. D. Elisabete a Historia que o Ricardo publicou nao tem nada de Estranho e apenas mais uma triste realidade ,e claro que sim que o mundo esta cheio de problemas com criancas a quem se lhao dao armas para matar , criancas maltratadas que morrem de fome ,os problemas ambientais que a sociedade moderna enfrenta etcc etc o Ricardo so quis partilhar o mundo da saudade da emocao do sentimento da perda temporaria dos seus familiares ,e ainda bem que o Fez porque mostra que e um ser humano com sentimentos e valores , e Faz nos reflectir e dar valor a familia que cada um tem.,e que a devemos tratar com Amor.ao contrario de si que nao conseguiu infelizmente entender o que ele escreveu!!

      • joaquim rodrigues says:

        cara amiga Elisabete , esta narracao nao me e em nada estranha , e sabe porque ? porque no pais onde vivo Alemanha ja tenho visto casos identicos !! e nao sao raros por essa Europa da Globalisacao , nem todos tem a sorte q.. a senhora talvez!!! teve ,, uma boa noite

      • ANA FONSECA says:

        Completamente ridiculo os comentario desta ”caríssima” senhora, que de senhora deverá de ter muito pouco mas tambem não se exige muito mais a uma pessoa que deverá se sofrer de um defice mental muito atrasado e sem vergonha na cara! Se o texto nao lhe diz nada, tambem não se tente em deixar a sua fraca opinião que tambem de interessante so têm o facto de mostrar que estaria melhor calada.
        Arranje o que fazer provavelmente é isso que lhe faz falta para evoluir essa mentalidade sem postura e futuramente guarde a sua sabedoria para si, porque está visto que não sabe fazer contas a vida, então pelo menos vá fazer contas ao seu cerebro que provavelmente estará a precisar!!!

      • Gracio Francisco says:

        HISTORIA…INVENTADE. BILHETES DE AVIAO BARATOS. NA CONSTRUCAO CIVIL ,NAO TRABALHA AO SABADO PODERIA TER VINDO UM FIM DE SEMANA…E O SALA
        RIO E BOM NESTA ACTIVIDADE. __ESTE TIPO DEVERIA SER DESMASCARADO.__HISTÒRIA DEMAGOGICA E NAO REAL…

      • Elisabete says:

        Venho deixar o meu ultimo comentario, simplesmente para esclarecer algumas coisas.
        Primeiro a ditadura em portugal acabou no 25 abril 1974. Quero dizer com isto que cada um tem a sua opiniao, so temos k respeitar, pk vivemos em democracia. Chamarem puta as pessoas e duma falta d carater e civismo. Nao tratei mal ninguem.
        depois leiam os comentarios ate ao fim antes de os comentarem. Sou emigrante ha muitos anos e vivi em dois paises sem ser portugal. Sei o k e emigrar e tar longe da familia, pois tenho mais anos de emigracao do k portugal.
        Em nenhum momento no meu comentario disse k a vida d emigrante e facil. Claro k nao o e.
        O k referi foi o aspeto economico pelo fato de pedir um pouco de sandes ao vizinho. E claro k sao caras, mas ha sempre a possibilidade d trazer d casa. Se o homem tiver um trabalho com direitos, mt dificilmente sera explorado. Ele tb tem o dto de receber uma media de 480frs (250 pela filha k ta n universidade e 230 pela outra)d abono pelas filhas, o k da uma media de 380euros. Isto da kuase para manter uma filha n universidade. Tb pagara mt pouco d imposto a la source pk tem duas filhas. Por outro lado, as obras param sim um mes, entre meados d dezembro ate meados d janeiro.
        Ja ajudei pessoas e aconselhei-as aki na suica e gracas a deus nao passaram por dificuldades. Tb e preciso ter cabeca e nao gastar o dinheiro mal gasto…..se fizer vida d cafe como em portugal, entao o dinheiro nao chega…
        So tou a dar estas informacoes para responder a certos comentarios…..
        Akilo k eu retiro deste texto e o facto das pessoas terem d partir d pais para ter vida melhor, mas axo k temos k dar gracas a deus por conseguir emigrar e melhorar a nossa vida. Como emigrantes nao devemos nos queixar, pk sei k em portugal a vida ta mt mais complicada: pessoas a passarem fome, entregar casas aos bancos……
        Nunca quiz ferir ninguem nem desvalorizar os sacrificios dos emigrantes…..apenas aceitem as opinioes e nao tratem mal as pessoas…..somos todos portugueses…..
        apesar do pais tar em crise, tenho orgulho d ser portuguesa, pk somos pessoas trabalhadoras e lutamos pelos nossos objetivos. Somos um povo k partiu mt cedo pela descoberta d mundo com os descobrimentos e esta no nosso sangue sair do pais para ter vida melhor. Somos um povo bem visto nos paises que nos acolhem….tenho fe k portugal venha a ser um pais melhor para podermos um dia regressar….. desejo vos a todos mt sorte na vida ……

        • maria says:

          Que DEUS te perdoe Elisabete, não fales mais porque quanto mais falas mais te enterras.

        • Duvido que a pensar como pensa, algum dia queira regressar a Portugal, a não ser para passar umas férias em algum Hotel 5***** porque temos realmente um País fantástico, assim como tenho a certeza que logo iria embora em 1ª classe a menosprezar aqueles que não tiveram a sorte da senhora. Mais lhe poderia dizer mas penso que a senhora tem para si ser dona da verdade….mas a sua opinião vale o que vale, eu só lamento que infelizmente há muitos Josés por ai, sabe Deus e ainda em situações piores, e acredite não é por se meterem nos copos.
          Continuação de Boa Sorte.;)

        • NÃO VENHAS NÃO !!! PORQUE DESSES, QUE SE DIZEM PORTUGUESES, QUANDO ESTÃO COM A BARRIGA CHEIA , COSPEM NO PRATO QUE LHES DEU DE COMER … ESTAMOS FARTOS ! FICA POR Aí MESMO E OXALÁ NUNCA TENHAS NECESSIDADE DE PEDIR A ALGUÉM MEIA SANDES , FALAS ASSIM PORQUE NÃO SABES O PREÇO QUE PAGAMOS PARA TER UM FILHO NA UNIVERSIDADE, TENHO PENA DE TI !!! PODES TER MAIS DINHEIRO QUE EU MAS TENS UM CÉREBRO DE GALINHA ,,, ENFIM …

      • Henrique Moura says:

        Elisabete, a senhora não existe, só lhe digo que tenho uma filha emigrante na Suiça!

      • Olha lá ó Elisabete. Tu és emigrante, já foste ou tens alguma experiência desse género, como ficar longe dos filhos e esposa ou esposo por longo tempo sem os poder ver? Tu sabes se esse José podia mesmo despender esses 100 Euros para ir ver a família ou se estaria até à rasca, repito, à rasca para pagar dívidas e dar a educação às filhas e sustentar a sua casa? Por tanta leviandade no teu falar vejo que precisavas passar por isso tudo. Eu já passei por tudo isso e sei dar o valor. Tu não sabes, por exemplo, o que é um homem levantar-se de manhã, pelas 5 horas preparar-se para o trabalho, na construção, esperara pelo carro que o há-de levar sabe Deus para onde, longe, passar todo o dia fora com umas sandes e depois voltar à noite, fazer comida e deitar-se para passado 5 ou 6 horas voltar ao mesmo. Pelo meio tem o tempo de transporte que temos tempo para pensar na esposa e nos filhos pequenos de 10 e 5 anos, no meu caso, e que a única coisa que podemos fazer, é chorar de saudades porque eles estão bem, mas estão crescendo e fazendo coisas novas que eu nunca verei porque a idade deles não se repete. Por isso te digo que deves estar a falar de barriga cheia, quando te devias solidarizar com os que sofrem, quem sabe até, para que tu e muitos outros não tenham que sofrer. Se não gostaste desculpa, mas, pelo teu comentário, merecias ouvir isto. Passa bem.

      • vivo na suiça e estou completamente de acordo …. pena tenho de quem ganha 400 euros e nao consegue colocar as filhas na universidade … tem gente que acredita em tudo apenas para se mentalizar que para passar fome o melhor é estar em portugal assim pensa certas pessoas …. é pena nao irem entao todos para Portugal

      • Carlos Baptista says:

        Elisabete, vai-te lixar, amiga …

      • Julia says:

        As passagens para a Suissa n custam 100 euros. Não há law cost para a Suissa.

      • Pedro Pereira says:

        O facto de haver gente que não entende a mensagem do texto original é de lamentar. O texto deve ser entendido como exemplo da generalidade dos emigrantes actuais e antigos. A saudade, ausência, condições e a falta do apoio familiar. Os que ficam em Portugal sem trabalho e na miséria, fazem-no talvez por falta de coragem de partir. Ou por falta de condições para partir. Há os que ambicionam melhorar a vida deles e dos filhos e arriscam tudo por isso. O caso citado. Não há que fazer comparações entre os que estão na miséria no seu País de origem e aqueles que arriscam na partida, nem criticar quem divulga estes casos. As criticas devem ser apontadas a quem originou estas situações.

      • Diogo says:

        Então vamos por partes… É absurdo dar valor ao sacrifício de um homem que larga tudo (e eu digo tudo: família, amigos, cultura, conforto, bem-estar emocional,etc) para apostar num emprego melhor lá fora com o intuito de providenciar para a sua família, apenas porque há alguém pior? Não percebo… então desde que haja alguém a numa situação mais difícil, tudo para trás não importa? Deveremos então ignorar as pessoas que passam fome mas vão sobrevivendo pois existem aquelas que não têm mesmo que comer em África? Parece-me que absurdo é essa linha de pensamento.

        Em relação à sua dúvida, é compreensivel.. afinal, não deixa de ser a internet. Contudo não me espanta. Não conheço a situação da Suiça mas conheço colegas emigrantes na suiça que passam por situações um bocado semelhantes. Não conhecendo o sistema Suiço, não me deixo de perguntar se um homem vivendo sozinho na Suiça terá direito a todos esses abonos. Faria sentido se tivesse a sua família na Suiça, mas estando esta em Portugal? Estranho… Ademais, se a construção civíl pára por um mês, serão os funcionários pagos? E qual o problema de pedir a sandes do vizinho? Se calhar esqueceu-se ou não teve pachorra de fazer comida às 5 da manhã. Já fiz o mesmo sem vergonha.

        Aqui na Alemanha há situações bem duras. Tenho a felicidade de estar contratado e ter um ordenado que me permite o regresso a Portugal a cada 6 meses mais ou menos… Contudo, colegas meus não têm tanta sorte. É verdade que establecendo prioridades uma pessoa consegue fazer poupanças. Mas caramba, chega a ser absurdamente estóico o esforço que algumas pessoas fazem para poderem regressar. Como pode ser isto absurdo?

        E sim, a ditadura acabou faz tempo. E tal como tem o direito de ter uma opinião, o restante povo tem o direito de não gostar da sua opinião e critica-la constructivamente. Em suma, acho-a superfícial na sua análise o que aos meus olhos não revela muitos aspectos positivos no seu carácter geral.

      • José Pedro says:

        No comments para alguém como a “menina”, enfim!!!…

      • Elisabete, não sei se tem filhos na faculdade mas duvido. SÓ e APENAS as propinas são 1000€, fora alimentação/fotocopias/livros, etc… sejamos realistas

      • Parece que esta senhora não sabe ler ! O HOMEM que está na Suiça a trabalhar, só lá está porque no seu país PORTUGAL não tem o direito de ser feliz,não tem ,,como diz a nossa Constituição ,direito a ter o seu emprego e viver junto daqueles que lhe são queridos,não tem como diz a nossa Constituição o direito de ver suas filhas crescer e terem elas também o direito a sua educação ,estudarem e lutar por um futuro melhor,por isso vai este PAI para fora do seu País para trabalhar para poder enviar o seu salário para que as suas filhas possam estudar e sujeitando-se ele a passar necessidades alimentares e não só! Triste País que deixa sair seus filhos para poderem voltar mais tarde ,(sim porque mais tarde voltam) a sua terra porque as saudades são enormes! Esta senhora não sabe o que se passa no nosso Portugal,onde só os ricos teêm direitos e tudo fazem para que os trabalhadores estejam cada vez mais a ser explorados

      • justino azevedo says:

        Pode ter razao em muita coisa mas o homem esta a pagar por exemplo a universidade a filha….quem sabe a mulher nao tem trab e ele precisa d ajudar a familia….
        nunca hei-de entender pq as pessoas s julgam umas as outras, mas acredito q sao pessoas tao infelizes q teem smp q dar opinioes reles.
        quem nao sabe….nao comenta.
        força José e tds aqueles q lutam para dar uma vida melhor as suas familias, isso sim é d dar valor.

      • Jorge says:

        É fantástico ler este tipo de comentários.
        São aquelas pessoas que nascem de rabo virado para a Lua e nunca passaram por este tipo de situações nem sabem se quer do que falam.

        Eu não tenho filhos, mas os meus Pais tiveram de deixar a mim, ao meu irmão, a vida que construíram e o País que tanto amam, para poderem ter uma vida básica, pois no País em que vivemos não há qualquer tipo de segurança ou apoio em situações deste género..

        Se calhar o ” homem não tem 100€ para pagar uma passagem ” porque sustentar uma casa na Suíça, outra casa em Portugal, a vida académica das filhas e outras despesas essenciais, acaba por não sobrar quase nada para este poder ter uns dias ao lado de quem mais ama..

        Se calhar, antes de fazerem ” reflexões ” sobre o que quer que que seja, deveriam pensar bem naquilo que dizem, porque só sabe o que isto é quem o sentiu na pele.

      • perante tal texto só vejo uma explicação !DEVES SER DOUTRO PLANETA BEM MAIS DISTANTE QUE MARTE.
        acorda “menina”que já é de dia ou volta para onde vieste e deixa de dizer cometários desses
        A REALIDADE É BEM DIFERENTE DO SE VES AO PASSAR SÓ NAS AVENIDAS HÁ MUITOS BECOS NESTA ESTRADA DA VIDA
        quem pelo que dizes anda a…………………………………………….

      • gabriela says:

        estou de acordo com a dona elisabete , porque acho que so emigra quem quer ,conheço muitos emigrantes et muita gente que esta em Portugal com oportunidade de emigrar ,com dificuldades em Portugal e nao emigram .Vivemos uma crise mundial .Agora é verdade que na Suiça ha leis , para a proteçcao do trabalhador , se alguem nao é pago por X razao ha o Prud home ,Tive patroes em Portugal que tambem nao me pagaram e nao pude recurrer a nenhuma instituiçao Mais , acredito que os estrangeiros em Portugal tambem teem leis que lhes dizem respeito ,e teem que respeitar .Nao acho que seja uma questao de Pais ,mas uma questao de emoçao do protagonista deste anuncio pela maneira como interpretou o sr José , talvez este senhor precise comunicar mais e constatar que o mundo nao é perfeito e em todos os paises ha difilculdades e em todos os paises havera um sr Jose , se trabalhar ou fizer algo no humanitario vera que este facto é diario .Moral da historia se estamos conscientes do mundo a nossa volta ,daremos conta da realidade , e admiraremos o que o ser humano é capaz de ter dificuldades mas por instinto tambem é capaz ,com sacrificio ou nao, de sair dessas dificuldades ,resultado, temos que parar de queixarmos da vida que temos , de criticar ,sorrir a vida ,positivar e ajudarmo nos uns ao outros nao importa qual a cor da pele ou pais d origem, sem exigir nada de volta porque o final para todo o ser deste mundo é o mesmo nao?Fazer algo de bon enquanto vivemos ,faz nos sentir uteis e satisfeitos .saudaçoes a todos

      • Marlene says:

        Desculpe Elisabete, mas certamente vive num mundo à parte!!!! Mais valia continuar fechadinha e caladinha na sua perfeita conchinha… É deixá-la permanecer na sua desprezível ignorância!

      • João Ramos says:

        Penso que este senhor não deveria pedir comida, porque se trabalha ganha certamente para comprar comida.Estive na Suiça a trabalhar na construção civil e ganha-se para comer e pagar os impostos e mandar para Portugal algum dinheiro é preciso é ter juízo, ser responsável e trabalhador. Há muita gente que está lá e falta-lhes o juízo, gastam onde não devem e depois pedem tudo.Estar fora do nosso país é para ganhar dinheiro não para gastar de forma irresponsável.A Elisabete tem razão.

      • António says:

        Não consigo entender a facilidade com que se julga os outros, que sabemos nós da situação que este senhor estava a passar quando emigrou, que dívidas teria ou não?, ninguém abandona família, amigos e tudo o mais para emigrar apenas porque quer, uma crítica tão leviana só pode vir de quem não é capaz de entender que o mundo é muito mais que as suas opiniões, ou de quem se acha dono da verdade. Muito triste ver como aos olhos de alguns os outros nunca merecem nada nem a atenção de alguém que resolve contar a história. Não se esqueçam que como julgais sereis julgados.

      • Ricardo says:

        lava essa boca e não saias da vida de luxo que tens Elisabete……. metes nojo
        com esse comentário!

        • SIlvia says:

          Acha necessário tratar assim mal as pessoas? Ela só deu a opinião dela! Que por acaso até tem lógica… Pelo que vejo aqui ao redor quem trabalho na construção não ganha nada mal… é preciso é ser poupado… agora será que passa assim tanta necessidade ao ponto de pedir meia sandes???? Acho um bocado absurdo tb.. (mas isto tb é um ponto de vista! não é preciso tratar ninguém mal!!)

      • ANONIMO says:

        Elizabete, ó rica, PORQUE NÃO TE CALAS????????

      • miguel says:

        Totalmente de acordo,,,,no inverno as empresas en vevey,,,(empresas )FECHAN 3 Semanas, e mais existen moitas camionetes que viaxan a portugal todas as semanas,,,,,por iso concordo ,,,,

      • anonimo says:

        A sra, Elizabete ´faz jus aquele dito popular em que “se partiste um braço, há bem pior, há quem tenha partido os dois”

      • José Leite says:

        Tem toda a razão Elisabete. Também sou imigrante por cá e se o Sr. não foi a Portugal visitar a família foi porque não quiz.
        Certamente que gastou muito mais dinheiro ao passar 2 meses por cada ano, de férias por aqui do que se fosse visitar a sua família.
        a Portugal. Sim porque na construção têm um mês no verão e um no inverno, embora trabalhe diariamente 15 minutos, tempo de compensação para o mês de inverno.
        E se é assim tau mau, o que estão aqui a fazer. Isso chama-se cuspir no prato no prato.

      • alvpinto says:

        Elisabete..não te deram carinho quando eras pequenina?

      • Vai te catar ó PIOLHENTA ;nem este comentario merecias , FALAS FARTA PORQUE TENS A PANÇA CHEIA :::

        • José Leite says:

          Não passas de um analfabeto de nascença. Não sabes alinhar duas frases seguidas. O melhor que fazias era estás calado e por duas razões:
          1°-Queres impor a teu analbetismo a todos os outros. 2°-Falas com desconhecimento de causa. Toda esta história é uma grande treta inventada por um débil mental. E viva todos os imigrantes TRABALHADORES na Suiça, que por cá até se vive bem. Ciumento.
          Tens raiva do nosso viver? trabalha malandro.

      • Anabela says:

        Elisabete, os meus parabéns por abusar da burrice!

      • Brigida says:

        Acontece k na suiça ou n, esse senhor provavelmente acumula despesas nos 2paises, ha-de ter prestaçao de casa em portugal e renda na suiça, emigra-se kd n se tem p despesas fixas, e por poupado k seja pode mt bem n ter k chegue p ir ao seu pais c regularidade. E as convençoes sao treta, pois falo do k sei, ainda ha mt exploraçao, e em geral feita por patroes portugueses tb. E se ele manda p mes p Portugal, e ja tem uma filha n universidade cm ta explicito, n vejo kual o seu espanto em ele n ver a sua familia ha 2 anos, e repare-se k o texto faz referencia a k o Sr em mmnt alg ele se keixou.

        • José Leite says:

          Mais alguém de bom senso.
          Vivo em Genebra e ouço vários trabalhadores portugueses falarem que o patrão paga mal e a más horas. 3 meses sem pagar e falência em alguns casos que por acaso não são poucos.
          E esses patrões são TODOS portugueses, segundo me dizem os prejudicados. Mentalidade portuguesa: Pagar pouco ou não pagar, e exigir o dobro daquilo que se deve fazer num dia, enquanto passam o tempo nos cafés e restaurantes e ainda por cima não pagam as cotizações sociais.
          O pior que pode acontecer a um português que imigra é trabalhar para um compratiota.

      • petunia says:

        Nunca ouviu dizer que quem vive no convento é que sabe o que là vai dentro? quem julga a Dona Elisabete que é para opinar sobre a veracidade dos factos? e quem é a senhora para julgar seja quem for? Jesus não julgou ninguém, você não tem o direito de o fazer! E a sua opinião desrespeitosa para com as pessoas que como o José podem estar a travessar dificuldades devia ter sido guardada bem no fundinho do seu saco, evitava a reação em massa que despertou contra os seus propositos. Guarde a sua opinião para si, e que Deus a guarde e ao seu nivel de vida para que nunca saiba o que o José passa e não ter de engolir o que acabou de lançar ao ar por aqui!

        • José Leite says:

          Nem Jesus nem Deus se metem nestas histórias. A avarice é um pecado capital, evocar o nome de Deus em vão é um dos dez mandamentos. Deixe a Dona Elisabette em paz, visto que ela sabe e muito bem do que fala. Você parece é ser uma beata. Vá á missinha que isso alivia a azia.

      • Mário Moura says:

        pois eu sei muito bem dar-lhe o valor pois com 56 anos técnico de segurança electronica apos a insolvencia da firma e não conseguindo trabalho aceitei trabalho em Angola bem renumerado e deixei a familia em Portugal pois com um filho com 14 anos não podia levar a familia e posso dizer que 6 meses de ausencia doi e é mesmo isso a o estarmos sós faz doer

      • João says:

        Uma coisa é ter trabalho, outra completamente diferente é ter trabalho com direitos! Mas já que gostas de não ter direitos vai ali à China seres escravizado um bocado. Depois eu logo te digo: “Ao menos tens trabalho!” Oh gente é por essas e tantas outras que estamos como estamos. Em vez de dizerem que podia estar pior que tal ver do lado dele? Que tal em vez de olharmos para os pobretanas que recebem o rendimento minimo e subsidios de desemprego e olharmos para os ladrões que ganham milhões a explorar o “Zé Povinho”? Se o País está como está é muito mais pelos ladrões que nos têm roubado à 40 anos.

      • Olá Elisabete. Tenho a dizer que cada caso é um caso. Há gente pior? Muito provavelmente. Mas referente à situação descrita temos duas pessoas que se falaram num avião. Mais ninguém lá está no momento descrito pelo autor. Dá para perceber todo o mal que está neste país e no mundo. Entrar por pormenores era desacreditar a situação que o autor expôs e enfrentá-la – ainda por cima – com a defesa de alguém estar pior… Peço imensa desculpa se sôo mal, mas é estúpido… Defender-se com os outros é uma coisa; outra coisa é darmos opinião própria. Se as opiniões se baseassem apenas em dizer que alguém está pior ou melhor, ficávamos parados no mesmo sítio. Bom dia e cumprimentos.

      • Não sei em que parte vive da Suiça….mas o meu homem trabalha nas obras e em 7 anos que estamos aqui nunca parou….sempre trabalhou mesmo com -20. A empresa dele só para 2 semanas no natal para férias. Portanto nao é bem como você diz

      • quem nao se sente nao e... says:

        1 mes e tal? Nao e a mesma suica que eu..

      • Mafalda says:

        Bom dia, apenas lhe queria dizer que você leu apenas uma parte do que se passou. Você não sabe que despesas tem ele com a mulher e as duas filhas em Portugal. Já vivi na Suiça e é complicado poupar. Faz-se muitos sacrificios para se ter algo. Mas dou muito valor a este homem. Tem 2 filhas a estudar… é preciso calçá-las, vesti-las, dar de comer, escola…. muitas despesas e não sabe as condições de trabalho da esposa. Será que trabalha? Não sabe, então não julgue pois não entende o porquê deste homem trabalhar na construção e ainda fazer um part-time. Talvez precise mais do que você pensa… talvez queira poupar ao máximo para voltar para junto da sua família… Não pode julgar as pessoas sem as conhecer e sem conhecer a sua história de vida.

      • Se cada um tem a sua opiniao pk é k nao a respeitas em vez de vires aki opinar a dizer k achas estranho.
        Perdêste una boa oportunidade de fikares calada…

      • anonimo says:

        não tem mesmo sentimentos, enfia-te um buraco.

      • anonimo says:

        e aprende a escrever.

      • Paula says:

        Estou de acordo, estou na Suiça ha 19 anos e sei que na construção civil se ganha muito bem….

      • Tem que ver que ele não só trabalha para se sustentar na Suíça (que aí é que leva o dinheiro todo- comida, assurance, renda água luz e telefone ) e depois ainda envia dinheiro para os seus. É possível sim não ir dois anos a Portugal no inicio porque o objectivo principal é enviar dinheiro para os seus. Agora sim se calhar já vai conseguir organizar se melhor mas os primeiros anos fora do nosso país são os mais complicados ainda mais na Suíça ( sei do que falo pois o meu pai também passou pelo o mesmo e na Suíça também )

      • haldi says:

        Concordo 😉

      • filipe says:

        Fala assim porque secalhar não sabe o que isso é pois pagar 2 rendas alimentação impostos como diz não é nada facil as pessoas dizem sao emigrantes estao ricos é o que todos pensam mas a vida real não e bem assim por isso pense e informe se antes de falar de boca cheia

      • Pedro says:

        Aqui esta muita gente que critica os comentarios de quem comenta. Que Nao deven ter sentimentos que nunca passaram poe isso etc etc. Mas aqui Nao se trata disso. Mas sim de uma Historia que no meu ver e de muitos e exagerada a certo ponto. Sou emigrante na Suiça Como esse senhor e ao que ele conta , Como pode ele estar 2 anos sem ver a familia quando no inverno a construcao civil para minimo 1,5 mes.??? E ainda podem tirar ferias no verao??? E quanto a salario normalmente e bom e se Como diz q divide ainda apartamento Nao pode entao ter muitas despesas, a ponto de Nao ir a Portugal 2 anos tendo familia la. O k eu Acho dessa Historia é que esta mal contada e q é mais um caso igual a alguns q eu conheco. Porque trabalhar tanto , ganhar bem e ter poucas despesas e Nao ter 100 euros Pra um bilhete nem q fosse um fim de semana Pra ir estar é ver a familia??? Me poupe com balelas sentimentais porque hipocrisia é feio. Esse senhor ou Nao trabalham, ou vivem de ajudas , ou fizeram asneiras ou entao gastam tudo em coisas q eu tambem conheco.porque eu trabalho na Mesma area e tenho meu apartamento Pra pagar , carro e tudo mais sozinho. Ainda aproveito um pouco a vida aqui e no entanto sempre q posso visite minha familia em Portugal , porque tenho vontade , tenho saudades e afinal de Contas sao a minha familia. Agora pensem o q quiserem. 😉 Fica a dica..😉

      • Lorde Moustache says:

        queria só mandar a elisabete (que mal sabe escrever em português) para a pqp (deve perceber, já que gosta de atalhos na escrita)

      • só digo não tenho palabras , ele e um grande homem tu foste um grande homem e ser humano que como tu poucos á continua a ter essa vondade

      • Vieira Lopes says:

        Se não ia a Portugal era porque não tinha o interesse em lá ir, para mim também é desculpa dar importância a este ducomentario, estaria bem acompanhado cá com outra, no entanto acabou e resolveu ir a Portugal ver a mulher e as filhas, há muitos casais assim, também há pessoas que se queixam que não tem dinheiro para passar férias, mas fumar um masso de cigarros por dia e adiar com bons carros eles amam aqui, mais uma vez não se querem que não teem dinheiros, trabalhem mais e saibam organizar o dinheiro é saber gerido.

      • Ricardo says:

        Eu de momento estou fora do pais onde nasci por falta de emprego mas dona Elisabete nao duvide de que a muitos estrangeiros portugueses a passar por esta dificuldade que se acabou de referir fora de portugal ganha se bem mas a vida fora do nosso pais e muito cara e as casa equivalem ao preco de duas em Portugal

      • Confio na noticia e mais Amigo fala de barriga cheia??? A quantos anos esta ca? Nasceu na suiça? Tem um cfc? Fique a saber que cheguei a suiça a dois anos mais coisa menos coisa..e estes novos que venhem para aqui, que não gostam de trabalhar (como muitos com inveja e medo que lhes roubem o lugar e que não haja dinheiro para todos) dizem, chegam aqui com uns miseraveis mil euros, que aqui não é nada e trabalham por 20 chf a hora 12 ou 13 horas por dia, que demoram 4 meses depois de chegar a conseguir trabalhar o mes td , porque os novos percisam de 12 meses de descontos para ter chomage..e se trabalharem 1 2 5 dias duas semanas o que for é so o que recebem…abram os olhos cambada…pq deus nao dorme…fiquem bem e desculpem o desabafo….

        • Pelo seu ponto de vista também deve gostar pouco de trabalhar.
          Então queria que os imigrantes chegassem aqui e no dia seguinte começassem a receber desemprego (e não chomage)?

      • Edgar says:

        O seu comentário é de facto estúpido mas o artigo em si e os restantes comentários não lhe ficam atrás……e não me chamem insensível porque o que me leva a comentar(coisa que nunca faço) é e mais pura revolta.

        “coitadinho do José ” …….”tão maus que são os nossos governantes”

        Povinho reles que é capaz de incendiar uma cidade quando o clube do coração perde o campeonato,

        Mas fica-se pelos chavões e pelas frases feitas (repetidas milhões de vezes diariamente pelos cafés e tascas deste Portugal), perante situações como a do José

        No fundo são tão ou mais insensíveis que a Elisabete

        Se realmente têm pena do José há algo mais benéfico que podem fazer do que simplesmente chorar e pagar-lhe uma sandes……..

      • Eduardo says:

        Ó Elisabete, deves ter nascido com o cu para a Lua, ditado Português para quem não passa dificuldades e sempre teve sorte na vida.
        Tu deves ter estudado graças aos teus pais, pois foram eles que trabalharam para que tu pudesses ter estudos.
        Este senhor como muitos mas mesmo muitos não tiveram a sorte que tu tiveste e como tal não tiveram a possibilidade de estudar, e mesmo com estudos os quarenta e muitos já é um factor de esclusão no mercado de trabalho em Portugal.
        Como se lê o senhor trabalhava numa fábrica e como fechou ficou desempregado, ora os seus patrões de certeza que ficaram bem mas todos os seus empregados de certeza que não.
        Então que possibilidade teve este senhor para conseguir dinheiro? Em Portugal está velho para trabalhar, pois não tem cunhas para lhe arranjar um emprego, não tem estudos e mesmo que os tivesse, hoje em dia temos licenciados a trabalhar nos grandes hipermercados a ganharem o salário minimo, diz-me lá tu onde este senhor iria conseguir ter emprego?
        Pois teve que se sujeitar em emigrar, e pelo que vejo tu também o fizeste, ou estou errado?
        Agora pergunto, porque tu o fizeste? Tendo tu estudos sendo jovem, um espirito critico e não ter empatia par com o próximo pois contestas e denigras a palavra do senhor, diz-me? Porque emigraste?!!!!
        Será que o fizeste porque não tinhas emprego na tua terra natal? Será que o fizeste apenas pelo dinheiro? Será que o fizeste pois não tens qualquer sentimento pelos que abandonaste na tua terra?
        Não sei e sinceramente não quero saber, és uma pessoa muito pobre de alma.
        Mas independentemente disso desejo que nunca passes pelo que este senhor passou, pois se isso te acontecer vais dar valor ao passageiro que está ao teu lado quando te oferecer uma sandes e depois te irás lembrar do que um dia escreveste numa página da net e nesse dia cara Elisabete irás ver que existe mais no mundo que a tua hipocrisia e falta de respeito pelo teu semelhante,
        Mas acredita, não desejo que isso te aconteça pois como teu conterraneo desejo o melhor para todos.
        Agora, compra lá o teu voo pelos tais 100€ e vai visitar os teus Pais e conta-lhes esta história e diz-lhes o que escreveste, depois posta aqui qual foi a reacção deles e também a resposta deles, de certeza que todos os que aqui deixaram o seu comentário gostariam de saber.

      • anónimo says:

        És uma infeliz não sabes o que dizes!anda viver para a Suíça e depois vês a verdadeira realidade ! Isto não é um mar de rosas e o dinheiro não aparece na quantidade que desejamos e precisamos!sim é verdade que aqui não falta falta nada aos meus filhos mas pagar despesas aqui (que são imensas )e em portugal é complicado!não julgues as pessoas ,nem a vida delas à sorte

      • se tivesses a noção do kkk é absurdo estavas quieta, e “calada”, basta “ouvir” com atenção as vozes kkk aqui se juntaram para ver kkk não és a única, infelizmente.

      • Elisa Carvalho says:

        A mania de criticar e fazer juízos de valor, em situações que desconhecem… Alguém andou com os sapatos desse senhor para dar palpites sobre a caminhada? Poupem-me! Cada um sabe de si e das suas lutas diárias.

        • José Leite says:

          Grandes histórias maus juízos.
          O indivíduo que inventou esta história, deve rir-se que nem um maluco✈

      • Não sabes do que falas minha cara. Abandonar familia e amigos para que os teus filhos não sofram. Os coitadinhos não existem mas abandonar td em funcao de qualquer coisa é bem diferente. Vives em Portugal e deves ser daquelas que falam pois não tem mais nada a dizer. Fecha a boca

      • Andreia Silva says:

        Minha “querida amiga”, note que está entre aspas, gostaria que a senhora me arranjasse um trabalho aí na Suíça, já que pelo que diz se vive tão bem aí…pois olhe que eu estou na Holanda, onde o salário mínimo também não é tão mau quanto isso, e sendo eu e o meu namorado a trabalhar não conseguimos ir visitar a família ao nosso país assim com tanta facilidade. Os bilhetes a 100€ tem que me dizer onde os compra pois fica mais em conta para mim, visto que somos 3 a viajar e nunca encontrei bilhetes a 100€ por pessoa. Quanto ao ser poupado sabe que isso depende muito da visão de cada um, pois se o sr. José não enviar o dinheiro para a família em Portugal, realmente teria dinheiro para ir lá visitá-los com mais frequência, mas penso que o objectivo do sr não terá sido o de emigrar para ser poupado mas sim para poder dar as filhas aquilo que ele julga que é realmente importante, uma oportunidade para no futuro não terem que emigrar nas mesmas condições que ele, julgo eu….acho muito engraçado este tipo de comentários pois muitos emigrantes gostam de dar a entender que VIVEM MUITO BEM, mais uma vez note que fiz questão de enfatizar estas últimas palavras, quando na verdade só durante as férias tem essa vida de luxo, durante o resto do ano vivem aos caídos….olhe que eu sei bem do que falo pois infelizmente a grande maioria da minha família é emigrante já de há muitos anos e nem assim vivem tão bem como o quadro que a senhora está a pintar….

      • olhe, e sabe se este sr.que nao ttem 100 euros para o bilhete qual sao as responsabilidades que tem?Sim porque muitos trabalham para mandar dinheiro para a familia e pagar dividas,ou pensa que todos teem a vida facil?so sabem criticar mesmo sem saber da vida de cada um.

      • Sílvio says:

        Estou completamente de acordo consigo! Estou na Suiça há 29 anos e acho esta história muito mal contada.

      • francisco says:

        Boa tarde, esta historia esta mt mal contada. se esta na construcao ganha no minimo 4000 chf limpos, nao chega para ir a portugal? eu se ganha-se isso ia todos os meses a Portugal, e se estas com colegas a viver deve pagar pouco de renda.

      • Rui Silva says:

        Cara Elisabete,

        Cá para mim a senhora que escreveu o post , é uma neorrealista tardia.
        E claro que a história é ficção.

        cumps

        Rui Silva

      • emigrante purtuga says:

        Desculpe la mas você nao sabe o que e viver no estrangueiro e por mais que uma pessoa ganhe(trabalhamos muito para isso com sacrificios), nada paga a distancia da familia…
        Aprenda a dar valor ao que tem…

      • henrique says:

        nen todos param desculpem a construçao abrange diveros sectores e a tambem quem fique aqui para ficar de piket para ganhar mais uns trocos(e tambem aqueles patroes que dizem se ca nao estas tà outro)

        • José Leite says:

          E você não sabe que o tempo de paragem no inverno é pago, compensado por 15 mn por dia durante o ano. E quando o tempo não o permite não se trabalha, porque ha um seguro que cobre o salário em caso de mas condições atemosfericas, pago pelos patrões.

      • Ana Silvestre says:

        Deixo-lhe mais uma reflexão: o que está a ser retratado não é a falta ou a abundância de dinheiro mas sim a saudade, a distância, o não poder partilhar fisicamente do crescimento dos filhos, dos seus risos, das suas tristezas…
        Não se trata de fazer passar a imagem se a Suíça é melhor ou pior que outros países mas sim os sacrifícios e as escolhas que, por vezes, somos obrigados a fazer.

        • tuga emigrante says:

          Adorei a sua resposta. Talvez hajam mais assim mas nao da para ler todas. Alguem k nao pensa apenas como mtos k criticaram este post, para eles so foi importante a parte do dinheiro. E mtos emigrantes aki deveriam ter vergonha nos comentarios k fizeram e agradecerem de ter tido sempre a vida facilitada. Nao eskecam k a vida da mtas voltas e um dia pode ser k percebam.

      • A mensagem e bonita e entendo o seu significado,tambem parti com quarenta anos,mas por opcao e de seguida levei a familia comigo e existem milhares de Portugueses que o fizeram,mas para quem tem dois empregos e divide o apartamento ter de pedir as sobras de uma sande comida?

      • Não esqueça que ele está a pagar duas casas. Pouco lá na Suíça mas muito em casa dando oportunidade às filhas.
        Não sabe o que é estar longe. Não dê opiniões do que não sabe.

      • José calado says:

        Deves ser alguém que é muito frustrada, tens de dizer como ganhar a vida, tenho sérias dúvidas sobre a forma como o ganhas, deves pertencer a profissão mais antiga não? Ou is teus pais não reconhecem como tal. Eu estive 20 anos na Noruega bem mais frio que na Suíça, e nada para. Deves também ser um parasita para os suíços, deve ser só baixas atrás de baixas. E conheço bem a Suíça.precisas de ajuda e devias procurá-la

        • tuga emigrante says:

          O Sr. Jose calado so pode ter uma “mente porca”, honestamente devia ter vergonha na cara. E mais nao digo pk nem merece a minha atençao.

      • Rosário says:

        Caso não tenha percebido, o senhor em causa não se queixou de nada, antes pelo contrário, tinha um sorriso no rosto. Trabalha para ajudar as filhas a terem um futuro melhor. Optou por outro país porque aqui não tinha saídas. Mas a maior perda é estar longe das pessoas que ama e disse-o não em tom de lamentação mas a partilhar a sua realidade. Qualquer pessoa com um pingo de sensibilidade sentir-se-ia tocada com esta história real. Lamento que não o tenha sentido. Alguma coisa não está bem consigo mas quem sou eu para dizer isto. Fica a reflexão.

      • rui almeida says:

        sou da mesma opiniao tou em frança e a 150 km de geneve o vou de dole para porto ou lisboa nao fica mais de 30 ou 40 euros. eles como muitos imigrantes so pensao no dinheiro
        primeiro esta o dinheiro depois a familia depois fazem de vitimas
        na suisa nao se ganha muito mal

      • Manuel Miranda says:

        Pelo que li do seu comentário,felizmente,deve ser uma pessoa que vive ” mais ou menos” bem. Porém a sua estranheza por esta situação demonstra uma ignorância pela vida alheia que é comum a muitos.A vergonha envergonhada não deixa ver,talvez, 90 por cento,da pobreza e dos espoliados deste país.Sinta ao menos um pouco de compaixão.

      • Marta says:

        Nunca tiveste k deixar de comer para para ter dinheiro para pagar a conta da água ou o passe de transporte público para ir trabalhar…

        • José Leite says:

          Em Portugal tavez isso aconteça.
          Quem trabalha na Suíça não passa por essas situações.
          Que mande menos para Portugal para não passar por essas necessidades.

          • Maria says:

            Quem lhe disse? Ja trabalhou lá? Estive lá um ano e passei muito…

          • José Leite says:

            Esteve cá um ano???
            Tempo a mais.
            Não devia ter saído de casa. Ignorante.

      • tuga emigrante says:

        Olhe Elisabete ainda bem que para a senhora td e facil. So deve ter despesas ai, deve ter o marido tb a trabalhar. Mas esquece-se k mtos deixaram Portugal com despesas la para pagar, filhos para criar e a estudar e isso custa dinheiro. Nao e sair do pais e comecar cm nao tivesse havido um antes. Isso e qd se tem 20 e tal anos k se esta a comecar a vida. Por isso se esta bem agradeca. E nao fale do nao sabe. A senhora nao conhece a vida do senhor para saber se dps de td lhe chega para andar a ir sempre a Portugal. Em relacao a outros comentarios que nem merecem resposta pois a ignorancia e tanta, acho k deviam era ter comentado o bom gesto da pessoa k partilhou a sua experiencia. Si mostrou k ainda existem tugas de bom coracao e sem a mentalidade do tuga emigrante. Atakem a vontade pk com o tugas emigrantes com mania das grandezas esta o mundo cheio e eu ja nem os vejo a frente. Crescam e aparecam qd descerem do pedestral.

    • A D. Elizabete tinha feito melhor se ficasse de boca fechada e nem comenta-se!!!! De certeza que não deve saber muito bem o que é ser emigrante ou então saiu-lhe o euromilhões e não disse nada!!!! Não falem da vida dos outros sem nada saberem dela, eu estou emigrada e 100 euros para um ticket fazem-me falta e ainda gostava que me dissessem aonde é que se tira um nesta altura por este preço….E as saudades dos filhos, família e amigos doem! Casa de graça nem sempre, o meu marido trabalha fora toda a semana e fica num apartamento com 4 colegas mas no fim do mês o patrão desconta-lhe 400 euros!!!!
      Por favor, abstenha-se destes comentários tristes….quase racistas com os da sua nação!!!!

    • Aniceto Carvalho says:

      Tenho 79 anos a levar porrada, dez anos de guerra no ultramar, etc., etc., a cair e a levantar-me. Estou farto de chorar.

      • carlos tavares says:

        militar em angola fui eu e não foram 10 anos, a não ser que fosse chico. Cale a boca e tenha vergonha pois tem idade para isso.

    • antonio says:

      Depois de ler um sem nº de comentários , e de ter lido a história do José nem sequer analiso se há algo de falso ou verdadeiro nela. Mas o meu comentário vai para o que representa para mim ser emigrante: è muito dificil abandonar a familia, é muito dificil deixar o nosso pais e o nosso canto, é muito dificil não saber falar a lingua do pais acolhedor, é muito dificil adaptarmo-nos a cultura de outros povos, é muito dificil sermos cidadãos de corpo inteiro no pais de acolhimento, é muito fácil sermos excelentes trbalhadores. A pergunta que se põem é : há 2 tipos de emigrantes, com duas conceções de emigração , uns são aqueles que tem alguma dificuldade em arranjar emprego com um salário razoavel, outros são os que têm boas qualificações e estes não tem problemas em arranjar emprego com um razoavel salário, ´so que há uma pequena diferença os qualificados não regressam tão cedo, levam toda a sua familia e as saudades são aqtenuadas. Hoje a emigração não tem nenhuma comparação com a dos anos 50 e 60. fiquei sem uma filha que no dia 27 de Março resolveu rumar a terras de sua Majestada, sei que como enfermeira se safará rasuavelmente, mas as saudades são muitas , e quando se deixou uma filha entregue aos avós. RESUMINDO É PRECISO SER-SE CORAJOSO E FORTE PARA SE SER EMIGRANTE. mas Portugal não dá saida ás pessoas.

    • o senhor José e a familia não vão ficar contentes quando souberem que todo mundo sabe que pediu o resto da sande ao passageiro do lado para comer!!!!!!!!!! coragem Ricardo Sousa, isso chama-se divulgar a vida privada!!!!!!!!!!

    • Rebeca says:

      Nao podem julgar uma pessoa sem a conhecer, diz isto, numa resposta abaixo….e você julgou-o, conhecendo-o de onde?! Dos andaimes?Peça o contacto do homem ao autor do artigo, talvez ele tenha, e faça o seguinte: troca com ele- vai para a vida fácil dele para a obras e dividir a casa(ou sabe-se lá o quê), para poupar muito e depois diz-nos como é, ok? Eu estou na Ásia, e por aqui as mulheres muitas vezes também são trolhas, como você não é melhor do que ninguém e não se gosta de queixar, vai ser uma festa alombar com cimento, etc…Se não está habiutuda não faz mal, ele também não estava, trabalhava numa fábrica… Depois conta como foi e ele diz-lhe como é viver na sua posição…oh mulher mal formada! Só com o mal dos outros é que estão bem, aí consegem ser bozinhos e até dão umas migalhas…mas têm de estar bem no fundo da sarjeta, não é ALMA SENSÍVEL?…

    • francisco varela says:

      boas,parece que de tantos comentarios alguns possam vir a ser uma realidade, mas na minha opiniao acho k cado um olhe para a sua vida sem comentar a vida das outras pessoas, pois nem todos vivemos de igual para igual e tambem cada pessoa, cada familia tem as suas muitas ou poucas dificuldades,temos somente que respeitar a vida de cada um e nao critica-los, tambem estou na suiça ha dois anos e tal nao por luxo mas sim por ter ficado infelizmente sem trabalho com uma familia para alimentar,casa carro para pagar nao contando com as contas que deixei atrasar por nao ter trabalho naem dinheiro para as pagar as pessoas que criticam os outros nunca devem ter passado dificuldades na vida com a familia, se nao nem falavam em criticar os outros. tenho trabalho passei muitas dificuldades e ainda continuo a passar, nao tanto confesso, mas com contas para pagar ca e em portugal nao e facil, estou aqui nao por vontade propria mas sim por a vida me obrigar a tal,sinto muitas saudades da minha mulher e filhos, existe voos baratos mas nem sempre se pode deixar o trabalho nessas alturas pois podemos ter a surpresa de ser dispensado quando menos esperamos, como e o meu caso que trabalho pela agencia temporaria, fica aqui a minha opiniao e espero que sirva para algumas pessoas menos sensiveis acordarem p a realidade. felicidades para todos.

    • jose Lopes says:

      o mais estranho ainda e isso ainda ninguém falou é porque tem que ser um avião da easyject em primeiro plano na imagem????
      acho que isto não passa de uma excelente manobra publicitaria – isso sim.

    • Manuel says:

      É verdade que faço parte desta geração, mas não acredito numa só palavra deste artigo, porque se o senhor trabalha não pode passar assim como este senhor pintou neste comentário, o senhor só pode estar a brincar com os sentimentos dos Imigrantes, uma coisa que não sabe o que é.

    • antonio says:

      Boas Todas as perguntas e resposta sobre este assunto acho que Todos os portugueses que hoje imigram ou melhor desde do ano 1990 nao sabem o que é imigrar ficar ausente da familia por 5 anos porque antes na suiça para entrar tinha trazer o registo criminal e uma boa saude .. ter fazer 5 anos de contratos e nem podia trazer a familia para a suiça .. contratos de 9 messes. estar longe e nao ter Voos para portugal ao preço de 100 Francos . os mais Baratos custava 500 Francos e se ganhava por mês 1300 Francos..
      Agora Esse Ricardo Sousa o que falou é uma verdadeira mentira numca ninguem faz uma viagem com fome e falta de dinheiro. depois de 2 anos a trabalhar e fazer horas Extras .. se Nao tinha dinheiro é porque gastava o que ganhava em Vinho e cerveja e nas Putas..
      Hoje na suiça ninguem ganha menos de 3000 Francos ao mês e quem fala isso é um grande aldrabão
      Agora Os imigrande novos que chegam só vem polo dinheiro e nem gostam de trabalhar. e quando o trabalha aperta ficam em casa doentes porque ja sabem que sao pagos e ninguem os vai mandar embora . ja veêm com a musica toda. Eu tenho provas disso
      Todos português que chegaram Até metem dó ..
      Esse Ricardo Sousa é um valento mentiroso eu vivo na suiça 30 anos e sei que quem trabalha aqui mesmo hoje sózinho basta 3000 Francos para viver
      Se for sózinho
      Vou fazer a Conta
      2 Anos na suiça
      Ficar em um quarto custa 350 Francos
      Comer sózinho custa 500
      segurança custa 370
      telefone custa mais ou menos120 por mês
      imposto nao paga porque isso é tirado do salario diretamente porque ele nao tem o C tem o B
      Agora mandar para a escola em portugal 500 Francos
      Paraa esposa + 700
      Para a segunda filha pode mandar + 400
      As contas Agora
      350
      500
      370
      120
      500
      700
      400
      total de 4000 Francos

      Ele trabalha em 1 Mês ganha 3000 + as horas extras + 250 francos cada filho

      Agora nao me falem que o Ricardo é um lava linguas

      • Jose Leite says:

        Bravo. Vamos fazer uma campanha contra esses mentirosos que vieram para a suiça denegrir a imagem dos imigrantes honestos.

    • Ângela says:

      Tal como já disseram aqui esta senhora não tem a noção do que é deixar a família, pessoas que quem gostamos e o nosso país para poder existir um sustento tanto para nós como para quem está ao nosso encargo. Este homem prefere gastar todas as suas energias para arranjar dinheiro A MAIS para que as filhas e a sua mulher tenham uma boa qualidade de vida e para que possam concretizar os seus sonhos. Este Homem não é nenhum coitadinho como já aqui referiram, e ele próprio o diz que não é ao dizer ao Sr. Ricardo para não chorar. Isto porquê? Porque ele encara o seu estilo de vida como normal apesar das saudades que sente. Toda a Europa, ou praticamente toda, está em crise mas muitos de nós (que se encontram no conforto das suas casas e com os filhos nos braços) não sabem realmente o que é a crise. Cada vez acredito mais que o que existe é uma crise de valores e não uma crise financeira.

  2. mdlsds says:

    Caramba que quem ficou agora com os olhos rasos de lágrimas fui eu.

  3. Maria says:

    É muito triste ouvir uma coisa destas!!! Estou sem palavras!

  4. tenho em casa um marido com 40 e tais……depois de 30 anos de trabalho e luta por uma vida melhor está de volta ao inicio. Ganha tanto como ganhava quando começou a trabalhar aos 16 anos…………depois de 3 anos sem trabalho
    Triste…..muito triste

    • mirtilia falcao says:

      Ate quando existirao casos destes?? Familias afastasdas porque a situaçao economica a isso obriga quando grandes empresarios e politicos lavam as maos de toda esta complexidade do nosso pais ..pequeno, bonito com um povo grande em trabalho e sentimento mas gerido por incompetentes!

  5. Paulo Sarnada says:

    Agradeço o seu texto-testemunhho. Os comentários são expressivos e traduzem genuínos sentidos de humanidade. De alguma e de todas as formas temos de reverter este mundo hedonista para um Mundo de verdade onde o mérito seja visto como tal, por todos.
    Não basta a chamada legitimidade democrática para justificar o “assasinato das nossas vidas”.

  6. estela says:

    ate me vieram as lagrimas aos olhos, como é possivel dois anos sem estar com a familia?

  7. Carlos Amaral says:

    Obrigado pela partilha da historia……. obrigado por eu sentir que há gente que sente….. isto chama-se sensibilkidade humana!

  8. Manuel da Silva Moutinho says:

    Infelizmente é este o futuro do nosso país.

    • Maria Gayo says:

      O futuro do mundo inteiro……. Essa vida ja se passa a muitos anos na China, India, America do Sul, Central, nos Estados Unidos pessoas vivem em seus carros, em tendas nos parques, em Vancouver 2,500 vivem na Rua…… enfim, tirem as suas conclusões….

      • Maria Gayo says:

        Cada dia que passa, mas gente no mundo, menos trabalho…… Tenho varias amigas em Vancouver que com mais de 50 anos de idade não conseguem mais trabalho…… volta a uma vida simples e sem grandes sonhos…… vamos todos voltar ao inicio, isso a grande verdade

  9. antonio coentrao says:

    Nao consegui ler isto e nao comentar.. grande homem que procura o melhor para a sua familia… um orgulho de um pai e marido.. sou um jovem de 25 anos e quase me caíu uma lagrima ao ler isto..
    Que toda a gente procure o melhor para os seus…
    Sejam felizes

  10. Ele esta a dois anos na suica sem ver a familia ,e eu estou a 6 anos ,é minha vida aqui e so trabalhar casa trabalho e estar em casa sozinho as vezes gostava de ter alguem ao meu lado para nao me sentir tao sozinho mas a vida é assim ,podia estar pior ,so sei que a minha dava um filme

    • Maria Gayo says:

      Procure aproveitar o que existe a sua volta de positive e bom……. viva do presente, so ele existe…… A Suica tao linda, …… muita gente boa, ligue-se a Mae Natureza, tenha Paz.

  11. F Lopes says:

    Poderoso….sem palavras…..

  12. José Peralta says:

    Comovente, e revoltante !

    Como revoltante é a insensibilidade social desta gentalha que (des)governa sem fim à vista !

    Obrigado, Ricardo Sousa, pelo seu depoimento. E obrigado aos milhões de Josés e suas Famílias, “expulsos” do País pelo canalha coelho e seus cúmplices.

    O canalha repulsivo que disse com inultrapassável descaramento: “emigrem, porque o despedimento, não é um anátema, até pode ser uma oportunidade!”.

  13. obrigada,José. E obrigada a si também…

  14. Jorge Pereira says:

    Boa história. De Facto dá que pensar.

    P.S:Podia era ter posto a imagem de um avião real, a Easyjet obviamente não tem nenhum A380.

  15. Reblogged this on João Ferreira.

  16. Esta história comovente , é infelizmente a história que se generaliza neste Portugal . Governantes sem escrúpulos, vendidos ao grande capital nacional e aos grandes interesses da Europa, desfazem , a cada dia que passa famílias, obrigando-os à separação; obrigam as forças vivas a emigrar; obrigam os jovens a emigrar; tornam a vida das famílias que resistem a lutar neste retângulo, num inferno. Destroem a vida e apagam o sonho de todos aqueles que trabalharam uma vida e descontaram, tornando-lhes o futuro curto, por natureza, num turbilhão de incertezas. Como escreveu o poeta,” já não é nas ruas de paris que vejo o meu povo triste” ( alusão ao tempo de Salazar ), mas vemo-los tristes em cada rua e beco das cidades, vilas e aldeias deste Portugal. Senhores governantes! isto é uma traição aos ideias de Abril.

  17. Alexandre Carvalho da Silveira says:

    Não quero ferir a susceptibilidade de ninguém, mas o José que lhe pediu o resto da sua sanduiche trabalha na Suiça ou no Burkina Fasso?
    Então o homem trabalha 14 horas por dia, sábados e domingos incluidos?, e não tem umas poucas centenas de euros para visitar a familia em dois anos? Sabe, o medo das alturas por vezes provoca alucinações, e o senhor autor do post deve ter tido um sonho mau a 30 mil pés de altitude; ou então o José, para matar o tempo esteve a gozar consigo.
    Os tempos estão maus, é um facto, mas eu já vivi na Suiça e vou lá com alguma frequência. E há limites para a demagogia.

    • Paulo Jorge says:

      Concordo consigo, não sei ate que ponto o autor deste post não esta apenas a aproveitar de da revolta das pessoas pela crise para ter alguma atenção.

      Hoje em dia escreve se algo sobre o sofrimento em tempos de crise e mesmo que nao seja verdade toda a gente partilha e comenta revoltado com a porcaria de políticos que temos

    • Domingos says:

      Tenha vergonha Alexandre,tenha vergonha!Ou tem um cartão partidário assim como o Paulo,ou é um dos poucos afortunados a que a vida sorri

      • Alexandre Carvalho da Silveira says:

        Se o Domingos acredita que quem trabalha 14 horas por dia na Suiça, tem de ir esmolar os restos de uma sanduiche para um avião e que não ganhou dinheiro durante dois anos para vir visitar a familia, ainda por cima na Easy Jet, acredita no Pai Natal e que os porcos têm asas.
        Todos sabemos que há muitos milhares de portugueses com vidas muito dificeis, mas escrever postais como este, é verdadeiramente um insulto para essas pessoas.

        • Mart@ says:

          Se trabalhar para usurarios, como muitas companhias de trabalho temporario que tenho conhecimento, que como contratadores intermediaries, ficam com grande parte do dinheiro k as empresas lhes pagam, acredite k n resta muito aos trabalhadores…infelizmente!
          Parece k o Sr Alexandre teve a sorte de ter sido contratado diretamente e por pessoas honestas, Valha-nos isso.

    • Ferreira says:

      Eu acredito na historia do Jose mas parece me levada ao um limite sem senso…uma pessoa que trabalhe 14h por dia na Suiça durante dois anso com certeza pode pagar os estudos as filhas e ajudar a familia em todas as despesas sem se privar dos bens de primeira necessidade…Parece me exagero…

    • Maria costa says:

      Concordo concordo concordo concordo e era !?? E anda a pé !!! E com bruta casa ta bonito ta … E não come e não bebe oh …. E sorte tem ele de não ter uma doença que o limite de trabalhar 😱

    • vitor santos says:

      eu acho que todos podemos acreditar pois ter filhos na universidade em portugal nao é facil,como no estrangeiro nao ha arvore das patacas,temos que trabalhar e duro ,para comer ,beber,pagar contas e ainda enviar dinheiro para o pais que é portugal ,para sustentar a familia,pois a sra alexandra se calhar viveu na suiça com a sua familia e com o casal a trabalhar,e por ventura tbm nao pagava nada em portugal tipo sustentar uma familia,as vezes temos que pensar um pouco antes de duvidar seja do que for,pois eu estive 1ano e meio em frança tbm sem ir visitar minha familia e tbm nao arranjei essa centena de euros para ir a portugal, e estando a trabalhar…vamos a deixar de criticar e nao julgar pois nao sabemos o dia de amanha!!!!

    • NEM MAIS FINALMENTE AUGUEM DEIXOU DE LAMURIAS E CONVERSA FIADA ESTE POST TA UMA GRANDE TRETA MESMO .. LOOOL TRABALHAR NA SUÍÇA 14 H POR DIA E NÃO TER UM GRANDE MI ALHEIRO E ANEDOTA …

    • Elisabete says:

      Sao pessoas incultas deste genero que fazem dos portugueses um nojooooooooooo de povo! Porque sera que toda a gente pensa que por VIVER na Suiça somos ricos? Vivo na suiça ha 30 anos cheguei a estar 7 anos sem ir ao Meu país e agora estou ha 4 sem la ir e nao SOU Rica e claro que quando for nao vou comprar sandes no aviao porque é um roubo os preços que la pedem por um pedaço de pao que praticamente so tras molho! Pffffffff e sempre melhor partilhar que deitar fora!

      • Elisabete se tas aqui a 30 anos, se nao queres pagar sandes viaja na tap se nao vais a Portugal a 4 anos que fazes aqui? tas na social? poupame por favor

    • Antonio Vieira says:

      Para “victor santos” e “pac” : a vossa bocalidade ( C COM CEDILHA) nao desculpa os vossos comentarios manhosos, maldosos e despropositados; vao “dar banho ao cao” !!!…

    • Sandra Oliveira says:

      Muito triste realmente m’as só para quem Nao sabe o que se ganha n’a suiça. A trabalhar 14 horas por dia e a partilhar apartamento, no minimo ganha 4500Fr mas no minimo dos minimos impossivel Gastar para ele mais de 2500Fr e jà vive bem Muito bem acham que à diferença é pouco para sustentar a Familia ? Na minha opiniao é gozar com quem passa dificuldades a serio………:-(((((.

    • Eu acho que a senhora Sandra nunca estudou e por isso não sabe por quanto fica …. ja por isso não sabe fazer contas … A senhora Sandra Oliveira diz que ele ganha cerca de 3700 euros (4500 Fr), que gasta nele próprio 2050 euros (2500 Fr) e que o que sobra 1600 euros chega para a mulher, duas filhas (uma na faculdade) … O lmiar de pobreza em Portugal anda à volta de 420 euros … o que equivale a 1260 euros para as três … sobram 340 euros (uma fartura sim senhor) isto sem contar com a mãe do desgraçado que provavelmente com tantos cortes na pensão já nem vale a pena ir recebê-la. Que monstro minha senhora … essa má vontade para com quem se está a esforçar por dar aos filhos tudo o que eles merecem é trauma ou inveja?

    • jonas says:

      lol,,sandra oliveira parabens pela visao e opiniao do assunto jose,ora ai fica uma conversa realmente inteligente i que se pode ler fazer uma interpretaçao i so depois responder,i foi o que voçe fez,i o fez muitissimo bem,ora eu axo q tambem posso opinar,axo q nao tenho nenhum com navalha nas minhas costas,lol,vamus por partes entao o sr,jose 2 anos fora da familia,na suiça com trabalho i num voo na lowcost tira um bilhete nao s sabe s de ida ou volta sem dinheiro para sandes i entao o que vai esse jose fazer a portugal sem dinheiro?a filha na universidade?para que ?detonar o dinheiro q o papa s sacrifica?i em portugal com milhoes de doutorados imigrados cheios de curso i meios mais i a filha a caminho de mais uma para encostar?lol isso e para rir principalmente quem nao sabe o que e viver uma vida com os pes assentes na vida real,e como dizes as alturas nao da alucinaçoes so como tambem deixa as pessoas ficarem com os olhos sem ver nada a volta,e bem no alto,,quando nao se pode nao se pode,nem tudo o que queremos ter se pode ter,viver e para quem sabe,o que ha muito nos portugueses e muita vaidade mjuita leria,,i isso nao se paga essa e a verdade,,que para alguns a ficha q caia,,,,

    • jorge martins says:

      apoio sim senhor o homem nao ia a portugal porque nao lhe pagavam as ferias….esta historia comoveu-me muito

  18. Como compreendo quase com quarenta tambem vim para a suica ja ca estou ha dois anos tambem tenho a sorte de ter agora a minha familia comigo è um comecar de novo em tudo mas o que me preocupa é que mais que um portugues que conheco aqui com mais de cinquenta anos depois de uma vida aqui de trabalho e apos ter regressado a portugal consegui la estar cinco anos e agora teve de voltar para ca porque em tao pouco tempo gastou todas as economias de uma vida e tem as duas filhas na universidade, tenho muita pena gosto do meu pais e vim me tambem quase com quarenta procurar no fundo um bem melhor para os meus filhos do que para mim ….

  19. Jorge Matos says:

    Isso é tanga da grande eu nasci na Suiça e o contrario de Portugal neste Pais existem regras como salario minimum etc tabalha 14h por dia? lol em que mundo porque na Suiça isso é proibido! Esse senhor deve ser daqueles saloios alcoólicos que tem aqui a monte.. Que beba menos à próxima! A foto de um a380 da easy jet diz muito sobre o resto do artigo..

    • Catalina Costa says:

      Se não leste o texto até ao fim devias ter lido! O senhor trabalha essas horas todas porque tem um part-time!
      Tu falas de barriga cheia porque nasceste nas palhinhas de ouro e não sabes o que é passar dificuldades!
      Vocês suiços são um ponte de porcaria que só tratam mal quem vai para aí limpar a porcaria que vocês fazem, porque vocês não podem sujar as unhas! Tem vergonha!!!!

      • Jorge Matos says:

        Eu nao sou Suíço mas sei dar o justo valor, este pais tem os seus defeitos como tem muitas coisas boas e quem não esta contente que se mude. Trabalhar tantas horas e não ter dinheiro para comprar sanduíche por amor da santa.. Infelizmente aqui como em Portugal tem muitas pessoas que merecem respeito e admiração mas a populaça so gosta de dar valor o que não devia dar.. E por isso tudo que temos o nosso pais neste estado. Eu sou Português com muito orgulho mas não me revejo nessas pessoas..

      • Catia Oliveira says:

        Para mim o seu comentário perdeu todo o valor a partir do momento em que disse: “Vocês suiços são um monte de porcaria…” Há que saber ter-se respeito por todos e todas as opiniões

      • sabrina says:

        Os Suícos (com C de cedilha) são uma porcaria? Digo já que tem bem mais cultura do que a senhora… Que triste a inveja estar a falar mais alto… triste, muito triste. E digo-lhe mais, Se os Suícos de facto quisessem sujar as mãos, onde andaria o trabalhinho para os portugueses emigrantes? Eu digo-lhe mais, os portugueses que andam na terra onde trabalho (e digo já que trabalho numa Farmácia) são o verdadeiro nojo, adoram gozar o subsídio de desemprego e enterrar o dinheiro nos copos e cigarros, comprar um Bmw (usado claro) só para o mostrar e mal têm dinheiro para pagar as prestacões. Ai e tal depois andam-se a queixar que vivem mal… LOL. Os portugueses na Suíca tem má fama pelos seus comportamentos… Um exemplo: Cheguei ao aeroporto para uma entrevista e a PRIMEIRA coisa que ouco a saída: “e aquele feilho da pouta? habia dir po caralho” isto dito por “velhos” com os pelinhos todos a mostra do peito para mostrar a cruzinha de ouro (ou banhado a ouro)… Por isso a D. Catalina se fala assim, é só mais uma dentro dos 95% que dão a má fama a vós próprios 🙂 Que seja feliz assim 😉

    • Pedro Marcelo says:

      Meu caro amigo você começa por dizer que nasceu na Suiça agora diz que não é suiço bem para quem quer desacreditar o ” sr Jose” tem pouca ou nenhuma credibilidade, deixe me dizer lhe tb que para quem diz que conhece bem a Suiça olhe que tem muito pouca noção da realidade.
      Mas enfim quando se nasce em berço de ouro diz se destas babuseiras.

      • Alexandre Carvalho da Silveira says:

        Pode ter nascido na Suiça e ser português, não? onde é que está a duvida?

      • Andre says:

        “Mas enfim quando se nasce em berço de ouro diz se destas babuseiras.”
        Nem mais nem menos. Todos fazemos sacrificos na vida, o sorriso tem que la estar, afinal somos os atores da vida.

      • looooool a minha filha nasceu na suíça mas e portuguesa o que tem uma coisa a ver com a outra .. afinal falou de mais e nao deu por isso

      • Geribaque miguel says:

        Sr Pedro Marcelo,um estrangeiro que nasce na suíça,fica com a nacionalidade dos pais.Nunca será Suíço….(è sò para esclarecer)

      • paulo says:

        Minha filha nasceu na Suiça e é Portuguesa porque nós os pais somos portugueses só é Suiça se pedirmos os passaportes Helvéticos … agora não ter dinheiro para uma sanduíche ! ok mas o contato com a família faz por skype ! ok . Bilhetes mais baratos na Easy Jet que nos transportes feitos nas carrinhas de transportes e não aproveita ! ok vou fingir que acreditei aonde vivo vejo muita coisa não vou dizer que o senhor do artigo mentiu mas levou tanga levou .

      • Catia Oliveira says:

        Fique sabendo que quem nasce na Suíça não é automaticamente Suíço (poderá apenas optar por essa nacionalidade aos 18 anos, mas penso que terá de escolher entre as sua nacionalidade de origem e essa até (sem certeza porém). Por isso se calhar antes de julgar os outros reveja melhor as suas afirmações no futuro.

      • sabrina says:

        Quer ver que os que nascem na Suíca vão ter BI suico não? Era o que mais faltava

      • sergio says:

        permita-me imforma-lo que na suissa com o novo acordo que data de 5 a 6 anos so desde ai é que os descendentes de pais portugueses passam a ter nacionalidade suissa na segunda geracao independentemente dos pais e avos terem vivido sempre na suissa o mesmo nao se passa em Portugal

    • Patrícia says:

      “Saloios alcoólicos”?? Não estou capaz de tecer comentário!!! E já agora, parece-me que por aqui existem entendidos em Boeings da Easy Jet, ao ponto de também poderem criticar uma simples imagem, provavelmente escolhida ao acaso… Já agora, é Burkina Faso! Não, Burkina Fasso 😉 A todos os “Josés”, muita sorte! A quem publicou este post, um bem haja!

    • podes crer ha pessoas que exageram um pouco…estao a 3 horas de portugal ha bilhetes as vezes em épocas baixas a 60/80 euros estão de 2 a 5 anos sem ir a portugal epa não estão a viver na austrália….

    • cada burrinho que se ve por aqui,eu infelizmente tambem estou na suiça ha 13 anos os meus filhos nasceram aqui,mas tem nacionalidade portuguesa nao ia levar a minha mulher gravida a Portugal so para ir ter os filhos isso so na cabeça de algumas mentes brilhantes que por aqui postam e que isso deveria ser so para poderem ser portuguesas as crianças,quanto ao resto nem comento porque deve ser algum armado em rico que nunca passou dificuldades e nunca teve de emigrar e quer gozar com os emigrantes porque isso nao passa de um conto da carochinha ou senao o SR.JOSE deve ser daqueles que lhe dao um contrato de trabalho por 1 ano e no fim do contrato em vez de ver se o renovam ou arranjar outro trabalho quer ir logo para o fundo de desemprego ou receber da social como muitos ai em portugal fazem e depois ai sim pode nao ter 100 euros para uma viagem,as pessoas as vezes em vez de comentar se pensassem antes de falar.

    • helena says:

      Só quem tem 2 casas para pagar (este senhor tem de pagar a parte dele na Suíça e penso que em Portugal) e filhos a estudar pode dar o valor é que sabe dar o valor a despesas.A não ser que tenha ajudas.Acham que 3.700€ chegam para isso tudo?E para ainda vir a Portugal todos os fins de semana?Não conheço o Sr mas por já ter vivido uma situação parecida fazia precisamente o que fez o autor deste comentário .Nestes comentários existe gente muito fria que nunca deve ter sentido falta de nada na vida, como tal deixem os que ainda têm sentimentos demonstra los.Depois fica ao critério de Deus.
      Helena

  20. Raul Pinheiro says:

    Qaunto tempo mais é que os portugueses vão acreditar que “isto” é inevitável?

  21. paulo jorge dias teixeira says:

    infelizmente esistem centenas de hestorias como esta eu sou imigrante ja alguns anos no luxemburgo e sei muito bem o k e isso estar longe da familia da esposa do filho dos pais etc gracas a deus tenhos aki comigo ja a 12 anos respondendo au k diz o amigo jorge matos esta hestoria pode nao ser rial mas esistem muito piores tu falas assim porke ja nasceste na suissa mas para tu estares bem ja sofrerao os teus pais tiverao k deixar tudo para traz para te dar uma vida melhor e em relacao au trabalho sim e poribido mas cada um leva a vida como pode tu normalmete nao precisas porke ja estudas te ai e tens outras portas abertas porke falas bem a lingua e etc mas essa gente k imigra nem sempre se adapta a lingua e tu sabes bem k os contratos k se fazem, ai o sao na construcao nos hoteis no campo etc e nao ganhao assim tanto nao levem a mal o meu depoimento mas e o k penso como imigrante k sou e sei bem o k e a dor da saudade sejam felizes e tudo de bom

  22. Jorge Matos says:

    Senhor Paulo Jorge respeito a sua opinião, mas alguém que trabalha tanto e nem tem dinheiro para comprar uma sanduíche? por amor de deus! e nem vai ver a família com mais frequência … Dar importância a essas pessoas é como dar os otários dos políticos em Portugal que meteram o nosso pais que gosto muito neste estado lamentável!

    • Meu caro por vezes não é as pessoas não terem dinheiro para comprar a dita sande, mas sim o pensar que se vai gastar uns”tostões” connosco e por pouco que seja pensamos sempre que esse dinheiro nos poderá fazer falta amanhã, verdade ou não que seja este depoimento este é o pensamento de muitos portugueses que tal como eu lutam para viver neste santo país que é Portugal com o mínimo de condições.

    • Pedro says:

      Epah oh Jorge Matos, eu tenho até dúvidas que tu sejas emigrante, seja na Suiça ou noutro sitio qualquer:
      Vais-me agora dizer que não há emigrantes explorados na construção civil na Suiça? como é proibido….entao está bem…nunca acontece.

      Acorda para a vida, pensa um bocado e depois fala. A questao aqui nem é se tem dinheiro para a Sanduiche. Quem precisa realmente de contar trocos nao da 5 euros por uma sandes no avião, porque tem de pagar e muito por alojamento, tem de pagar uma casa em Portugal, as despesas de 3 pessoas, mais as dele proprio, agua luz e gas de 2 habitaçoes, com um bocado de azar até paga impostos em dois países. Portanto, das duas uma. Ou ainda moras em casa dos pais e nao sabes o que é ter despesas, ou nunca na tua vida viste faltar dinheiro a ninguém pelo que estás tao afastado da realidade que como o Ricardo, precisas de um reality check

    • Não sei dizer se a historia é triste, ou se é a vossa historia. Mas o senhor devia ser escritor, enganou-se da profissão, e não me acredito pedir o pão ao senhor, mas esteve bem a pessoas com esse poder, esta no sangue. E ao imaginário José faça a personagem rica, e diga quando será o lançamento do livro. Para o autógrafo.

  23. Sandra Damiao Reis says:

    infelizmente é uma realidade que conheço bem

  24. Sandra Damiao Reis says:

    ganha se bem aqui, mas para sustentar duas casas, só mesmo trabalhando 14h…e fazendo muitas economias… pois aqui tudo se paga… e desconta se muito também… com duas filhas a estudar, uma delas na universidade… não é facil

    • Catia Oliveira says:

      Não quero de qualquer forma desacreditar este texto do autor ou até a história do “Sr.José”, mas o que posso expôr é a minha história pessoa. Vivi na Suíça praticamente toda a minha vida, mas agora vivo em Portugal há 10 anos. Quando era adolescente o meu pai faleceu e a minha mãe viu-se a cargo com dois filhos ainda menores. Tendo ela própria sido operada há coluna pouco antes e não podendo trabalhar nas limpezas como o fazia antes, viu-se apenas com a pensão de viúva e as nossas pensões de orfãos, no valor de pouco mais de 3000 francos. Esse valor era completado com o abono dos dois filhos, mas como se pode entender poderia chegar ao máximo aos 4000 francos. Para complicar a coisa, foi-lhe atribuida a AI (invalidez), porém de acordo com a lei suíça apenas se pode usufruir de uma pensão, ou a de vuivez ou a de invalidez. Quero chegar ao ponto que a minha mãe, com poucos recursos conseguiu sempre dar-nos tudo o que precisávos, conseguiu sempre ir a Portugal connosco 3 vezes por ano (páscoa, verão e natal), tinha que pagar as faturas relativas à habitação em Portugal (IMI,luz, lixo etc.), conseguiu pagar-me os estudos na universidade em Portugal (até fiz Erasmus). Não posso dizer que as dificuldades não existiram ou existem e que ela não teve de fazer sacrifícios e arranjar algumas horitas extra, mas o que é certo é que nunca chegamos a esse ponto. Cada caso é um caso, mas dá que pensar todavia…

  25. Catarina says:

    Infelizmente não ha só um, dois ou três. Após 16 anos numa fabrica esta fechou ela foi o meu pai a procura de uma vida melhor e deixou mulher e filha.
    Agora eu tb emigrei para puder ter a vida que em Portugal não podia construir.

  26. barcelos says:

    desculpei la o meu comentario ……. mas eu estou estrangeiro a 6 anos sai com 18 anos de portugal deixei pais, amigos, e muito mais nao interessa…….nao tenho classificacoes ….. ja trabalhei no k aparecia restaurantes ,construcao , hoteis, fabricas de distribuicao na inglaterra franca e agora na suica e conheci muita gente com filhos na universidade e consegem ter uma vida normal e nao trabalham 14h por dia nem domingos………… agora sim acredito querer comer as custas de outra pessoa ok tudo mt bem….. pessoal uma sande custa 5 euros… entao como e k ele fez depois quando chega sem dinheiro…………….ele deveria estar sim como diz o Sr. jorge com uns canecos a mais!!!! passem bem

  27. Irónico Apesar Detudo says:

    Isto é uma desgraça; conheço uma senhora viúva e aposentada da Função Pública, a quem foram subtraídos sob a forma de cortes, cerca de 900 euros no total das suas reformas, a dela e a da viuvez por parte do marido. Agora o único dinheiro que entra já nem chega a 2500 euros e a senhora teve de abdicar das suas férias bianuais em destinos paradisíacos e passou a comer em casa pelo menos uma vez por semana. Não sei até onde isto vai parar.

  28. Vanessa Ruas says:

    Não consegui ler ate ao fim sem deixar cair uma lágrima 😦
    Ainda nós nos queixamos de tudo e mais alguma coisa, sem duvida que este senhor é um GRANDE HOMEM, um orgulho e exemplo de pessoa… Infelizmente como ele há muitos outros Portugueses….
    Tenho apenas 21 anos e muitas vezes reclamava por não ter isto e aquilo, mas ao ler estas coisas vejo que afinal sou uma sortuda pois tenho um trabalho, tenho a minha família junto de mim, tenho o amor deles tenho pão todos os dias para comer…. Afinal para que reclamar?? se há pessoas que davam tudo para ter só um pouco daquilo que eu tenho… a Vida é muito ingrata muito injusta..
    SE ALGUM DIA FICAR RICA PODEM TER A CERTEZA QUE A PRIMEIRA COISA QUE IREI FAZER É AJUDAR ESTAS PESSOAS HUMILDES E MARAVILHOSAS A CONSEGUIREM UMA VIDA MELHOR….

    • Alexandre Carvalho da Silveira says:

      Oxalá te saia o euromilhões já hoje, filha. É assim que se conquista o reino dos céus.

    • Novo mundo says:

      a chorar tanto assim não ficas rica nao lol lol. País de chorões e pouco lutadores.

    • pedro says:

      bla bla bla sra vanessa

    • antonio oliveira says:

      Vanessa -não é preciso ser rica,(porque só por escreveres o que escreveste ,demonstras ter humildade e sensibilidade) o que alguns que comentaram esta “escrita” não tiveram. Abençoados país que têm uma filha com estes sentimentos.Que Deus te dê tudo de bom.
      Nesta altura em que se vê que os valores morais estão a perder-se, ainda bem que se encontra alguém como vc.
      Eu agradeço.

  29. Coitado do José, tal como muitos ficou na ruína e teve de emigrar por causa dos criminosos do governo do José Sócrates.

    • jose silva says:

      e voce com esse nome e esse saite ve se mesmo que se trata de um facista, lava a boca antes de falar de um ex primeiro menistro ok?

      • toniboy says:

        Lave a boca para falar de um ladrão? O Sócrates foi à missa duas vezes e deve ser por isso que foi preso..

  30. aeroporto sa carneiro says:

    sabe k mais isto e um conselho de amigo……… deixe a erva…….. ela e pouca e os jovens precisam… andaaaa tomaaaa

  31. Carlos Marques says:

    Eu passei por isso e cheguei mesmo a estar muito tempo sem ver a Família por várias vezes..Só quem passa por isso é que sabe.o grande sacrifício dele e de toda a Família.

  32. Maria Gomes says:

    Ao ler estes textos não pude reparar em várias coisas:
    1- Nascer na Suíça não dá direito à nacionalidade Suiça, os filhos de portugueses são 100% portugueses!
    2- Sr Jorge Matos: na Suíça não existe nenhuma lei que impeça uma pessoa de trabalhar 14h por dia. Apenas não pode trabalhar mais que 11h no mesmo patrão, devendo respeitar o número de horas por semana que podem ir até 55h na agricultura!
    3 – Quem fixa ordenados mínimos são as CCT que variam mediante as áreas de actividade e mesmo cantão ou empresas. O código das obrigações não define isso. Já agora em certas áreas o 13 salário não é obrigatório!
    Para acabar, sem referir a minha área profissional, tenho frequentemente pessoas a pedir ajuda porque são exploradas no trabalho e não sabem a quem recorrer! Ao ponto de um pessoa vir trabalhar na vindima, adoecer e ainda ter que pagar ao patrão!!
    Parece que há uma realidade junto da comunidade de emigrantes na Suíça que o Jorge Matos não conhece!
    Não se se está história é verídica, mas sei de muita gente neste caso, porque ao sair de Portugal, após perder o emprego, a esperança e muito conforto, deixa dívidas e uma família para traz!
    Desculpem mas acho que não vivemos no eldorado. Graças a Deus eu não tenho esta situação mas tenho pena de quem vive esta tristeza e solidão….

    • José Peralta says:

      Maria Gomes

      Importante e esclarecedor o seu testemunho !

      Mas ele, o testemunho, não vai calar a mesquinhez, a insensibilidade, a sacanice, a “ironia”, o “humor” rasca, que se lê por aqui, dos prosélitos de pança cheia desta escumalha de políticos degenerados.

      É lê-los, os fiéis e caninos sacristães da tropa fandanga, jocosos, sarcásticos, a brincar com a tragédia alheia ! Para eles é tudo mentira, porque ao fim destes três anos de hecatombe, de destruição, da inutilidade confessada pelo gaspar dos sacrifícios que nos foram impostos, a “verdade” é o que dizem coelhos, portas, montenegros, todos estes mentirosos demenciais, todas estas ervas daninhas !

    • Francisco Reis says:

      Concordo em absoluto com o que diz.Trabalhei 10 anos na Suíça e sei que é assim como diz.
      A Suíça não é de facto o el dorado. Sei também, porque conheci alguns, que só pensam no dinheiro.Nem sequer telefonam à família para não gastarem uns francos.
      Há de tudo na Suíça como em qualquer outro país.E não nos esqueçamos que os piores adversários dos Portugueses são geralmente os portugueses.Até nas criticas.
      Quem ouviu,como eu ouvi a Sic noticias, num programa(antena aberta) sobre a restrição de entrada de emigrantes aprovada em referendo pelos Suíços,ficou a saber o que são os Portugueses nestas coisas. isso nada me admira!Por

  33. A. Coelho says:

    Mas o País está melhor… é que dizem.

  34. Meu deus fiquei a chorar com esta historia, infelizmente tambem moro na suiça vim ah procura de uma vida melhor mas eu pelo menos tenho ca a minha mae e irmaos mas sei tao bem o que custa nao ir a portugal, a minha mae ja la nao vai ah 10 anos e eu ah uns 2 anos, para quem pensa que se por estar na suica somos ricos engane-se pois por detras disso lembrem-se existe muito sofrimento e muita saudade e muito suor e temos que engolir muitos sapos.

    • silvia says:

      La isso é uma grande verdade muita gente pensa que na Suíça somos ricos mas muitos trabalharm para pagar facturas e alguns contar os tostoes ate ao final do mes eu infelizmente não tenho ca familia a não ser o marido e os filhotes

  35. Ze das Couves says:

    Esta historia revela dois seres humanos fantasticos, um que e’ um grande homem (que nao desiste, que nao se verga e que faz o que tem de fazer), o outro que tem a capacidade de reconhecer o quao diamante e’ Jose. O mundo esta a tornar se muito dificil para pessoas que parem de evoluir, em todas as areas, a pressao e’ tao grande bem como o custo de vida que corremos o risco se pararmos, de vermos a nossa vida voltar-se ao contrario e pode acontecer a qq um, a isto chama se Sociedade da Informacao.

  36. silvia says:

    Como e triste ler isto mas é a realidade de muitos como aqui na suica como se calhar em outros paises eu tive 3 anos sem ver a minha familia a 9 anos que nao sei o que e passar natal nem nada com a familia é sempre com alegria que esperas um dia la voltares…que para este senhor de onde nao moramos muito longe que lhe corra tudo de bom

  37. Boa tardé a todos. Eu tenho 25 anos e ja estou na suiça a 11 anos e sei muito bem oque é ser imigrante, nao acredito a 100% nesta historia mas com tudo tambem me emucionei, porque este senhor José me faz pensar no meu pai. Meu pai esta na suiça quase desde que eu nasci e perdeu cuase toda a infancia dos tres filhos que tem, mas meu pai mesmo travalhando sozinho na suiça com muito esforço ele conceguio nos dar muitas regalias e vinha nos visitar pelo menos uma vez por ano. Eu acredito que a vida do senhor José nao seja facil mas infelismente nao sera o unico, mas quem travalha 14 horas por dia na suiça ( e sim e pocivel e nao é proibido) tem que ter dinheiro que chegue para ir uma vez por ano a portugal e levar um saco de sandwiches.

    • maria martins says:

      Gaspar Manuel Ventura Castelo isso ja nao deve ser falta de dinheiro pra comprar sandes mas sim ser chupista demais ,eu estou na Australia ha 30 anos e tenho visto gente cheia de dinheiro tentar mamar uma cerveja a conta de quem nao tem tanto como eles e por isso ate andam de BMW e os outros totos toca a encher sempre o bolso aos k sabem mamar, k deve ser o caso deste senhor

  38. “A geração que está na lama”… tudo dito.
    E é triste termos deixado chegar a este ponto.

  39. Paulo Mesquita says:

    ARREPIANTE!!!! Sou pai tenho uma família… e sei muito bem o que esta(s) pessoa(s) esta(m) a passar.

    FORÇA JOSÉ E A TODOS QUE VIVEM NO MESMO FLAGELO.

    São estes testemunhos como outros iguais, que toda a cambada politica e os banqueiros essa tralha toda devia ler e rever…

  40. Não consigo ficar indiferente a tudo o que li no artigo e comentários.
    Respeito todas as opiniões até porque cada um opinou conforme o seu estado atual e suas crenças.
    Eu acredito que esta fase que o mundo está a atravessar é de mudança e de uma forma muito rápida. É urgente reaprender a pensar. Hoje em dia é muito fácil e até gratuito ter acesso a formação, livros, entre outras ferramentas para aprender novas competências pessoais, profissionais, abrir novos horizontes, aprender a abrir-se a novas possibilidades, etc.
    Quando falo com alguém que diz que está mal e lhe pergunto o que tem feito de diferente, a resposta é sempre a mesma: “Ah, e tal, não é fácil, não tenho tempo, isso não é para mim…”
    Se falo com pessoas que não se queixam da vida (e não têm necessariamente que ser ricas), o discurso é positivo, falam de projetos, ideias, esperança, etc.
    Eu acredito que hajam casos como o do Sr. José, mas ao mesmo tempo pergunto: Será que ele está a fazer as coisas da forma mais correta? Ou será que faz as coisas como aprendeu há muitos anos atrás?
    O ser humano por defeito tem tendência a destacar o que é negativo talvez porque ao saber dessas notícias se possa sentir confortável com a realidade que tem por existirem pessoas bem piores… Por isso é que a comunicação social só vende desgraça.
    Eu acredito que se quero ser melhor, pensar melhor, tenho que ser eu a procurar.
    Nasci em Portugal, vivo no meu país, não tenho ensino superior e sempre procuro o melhor que dê conforto a mim,aos meus assim como um bem estar com todas as pessoas que de alguma forma fazem parte do meu dia a dia.
    Tenho 33 anos, trabalho desde os 15 anos, já estive envolvido em mais de 10 empresas diferentes e continuo a aprender.
    O mundo precisa de noticias positivas, exemplos de que é possível fazer e ser mais, e de pessoas que deixem as suas zonas de conforto para fazer o mesmo caminho.
    Se eu deixar aqui uma oportunidade que permitiria ter um ganho extra de 500€, 1000€ ou mais por mês, sendo desenvolvido em part-time, resolveria alguns problemas?
    recruiter.wingsnetwork.com/besuccessful

    Se mudarmos a forma de pensar, mudamos os nossos resultados!

    Um bem haja a todos!

  41. Afonso vianaviana says:

    Força para todos os joses os antonios e todos os outros , que não desistem de construir as suas vidas longe daqueles que amam e que se privam daquilo que e um direito de todos , o amor da família…. Obrigado por partilharem esta história , e bom saber que teem pessoas que teem sentimentos como nós….

  42. Nuno Ramos Silva says:

    Gostava de deixar também aqui o meu comentário. Faço parte da geração dos 30/40 anos que infelizmente (ou felizmente) tem que fazer as malas e sair do País (outra vez). No passado saí, para Angola, com a esperança de uma vida melhor. Na altura não me foi possível levar comigo a minha mulher e acabei por regressar. Rumamos os dois ao sul do País ( viviamos no norte), com trabalho para os dois e com a perspectiva de iriamos por ali ficar. Trabalhamos durante 2 anos numa empresa que se diz familiar e com objectivo de manter os seus trabalhadores. Passados 2 anos aqui vamos nós, rumar ao estrangeiro, desta vez com a nossa filha de 5 meses e mais uma vez com a esperança que tudo corra bem. A única coisa que posso dizer é: quem se vê obrigado a sair do nosso País e consiga vingar noutro, que não traga para o nosso todo o dinheiro como faziam os antigos emigrantes. Tenho pena de ser Português!!!!

    • Novo mundo says:

      Tens pena? ÉS UMA BOA MERDA.

      • Realmente a educação não se compra nem em Portugal nem noutro lado qualquer!!!

      • antonio oliveira says:

        OH! Novo Mundo: É incrível .Certamente ainda és novinho (terás todo o conforto e mordomias que os papas te dão) mas se trabalhasses tivesses que comer do que ganhas certamente não tinhas dinheiro para pagar a electricidade que gasta qd fazes comentário destes.

  43. Violeta says:

    Ricardo ! Não consegui conter as lágrimas … É com os olhos mareados de lágrimas que escrevo esta palavrinha . Também eu estou fora de Portugal , longe da família , mas eu sai de là depois de acabar os estudos e vim para fora por uma causa do coração … Não foi para arranjar trabalho , pois na altura , jovem jornalista , trabalho tinha em Portugal ! Ao contrário foi aqui no estrangeiro que que tive dificuldades em arranjar trabalho , mas não desesperei e mesmo se hoje não sou jornalista là consegui arranjar um trabalho , não é aquele com que sempre sonhei mas não me posso queixar …. Também me custa muito está saudade que aperta o peito ! Mas com tudo o que se passa hoje em Portugal estou contente de estar fora .
    E duro estar na situação do josé, e como ele existem muitos mais , por isso vices que estão em Portugal e que tem ainda ideias preconceituosas sobre os emigrantes , reflitam bem antes de os criticar , pensem na angústia , na solidão, nos sacrifícios porque passam estes compatriotas !

    • Francisco Reis says:

      Cara Violeta,os maiores críticos e preconceituosos são os compatriotas que trabalham nesses países,principalmente os mais antigos.Vêem muitas das vezes o conterrâneo como mais um coitado que ali está a manchar a raça. Esquecem-se que também eles já passaram pelo mesmo!
      Eu trabalhei de 86 até 95 na Suiça e sei do que estou a falar.Cada um entendeu à sua maneira..Eu entendo que este é outro avarento que só pensa no dinheiro e raramente telefona à família só para não gastar um franco.Não será caso único,infelizmente!

      • José Leite says:

        Bravo. Também estou á 28 anos longe da família, e começo a ver a situação a clarificar-se.

  44. Este gajo escreveu esta mentira toda só para ganhar visitas no site e estes parolos veem cá comentar eheheh

  45. Jacinto Simões says:

    Que dizer?… tenho os olhos marejados de lágrimas…. ui… está difícil!…. Senti o mesmo como quando emigrei em 1980 numa camioneta a cair aos pedaços, não tinha trabalho, e deixei mulher e filho sem dinheiro. Este país é assim, seremos sempre assim, não há nada a fazer.Ainda eu era criança e já ouvia falar nos homens que partiam de assalto para a França, corriam o risco de serem fuzilados nas fronteiras. Crescendo fui ouvindo a mesma cantilena. Fiz-me homem e foi a minha vez. Agora, velho, sem mais condições de vida em meu país, voltei de novo a procurar um pouso melhor. Não acredito mais no meu país, desta vez é definitivo, morrerei por aqui………..

  46. andreia dias says:

    muito triste e muito realista infelizmente é o espelho pelo que passamos neste momento , muita sorte para o josé e muito obrigada por partilhar a história sem duvida muito comovente

  47. Na suissa ainda se ganha dinheiro para comer uma sandes. Agora as tantas a mulher dele gasta o dinheiro todo em roupas e cabeleireiros e se o coitado nao ta com ela há 2 anos ja tem um par de cornos eheheh
    as filhas devem ser duas galinhas que andam nos bares academicos toda a noite e depois o burro trabalha 14 horas…

    • José Peralta says:

      Não costumo responder a bestas do teu calibre ! Mas, contigo, abro uma “honrosa” excepção : – pato, és um nojento filho da pata !
      E a propósito de “cornos” : – de cada vez que te olhas ao espelho…quantos já partiste ?

  48. Novo mundo says:

    Deixem de ser mariquinhas. E os que foram nos anos 20 para os estados unidos. E os que foram desbravar ÁFRICA? e OS QUE VIERAM SEM NADA!!! isto é algum drama para se chorar?!!! TENHAM DÓ. Tanta dor no mundo…

  49. jojoratazana says:

    Ranhoso esse tal Alexandre Carvalho da Silva, do alto do seu umbigo põe em causa tudo o que ponha a nu, o trabalho da corja que nos governa.
    Não é novidade os pides eram todos assim, só a sua verdade contava, viviam bem vendendo a sua gente, tanto fazia ser pai. irmão e avó.
    Em suma não são gente, são bichos pagos para o ser.
    Fico-me por aqui, é por estas e por outras, que por não ser racista, tanto aperto a mão a um negro, como o pescoço a um branco.
    Pobre país, com tanto lixo como este alexandre.

  50. Mart@ says:

    Só não chora quem não tem coração! Eu emigrei por uma curcunstancia diferente…numa altura em que a crise se adivinhava, mas…dá que pensar uma Vida assim. É muito triste não poder estar perto d quem se AMA…e as lagrimas correm-me pelo rosto. É tão triste tudo Isto, pensar de ver ao ponto que o nossa pais chegou….e nada disto era necessario, porque tempos tudo para ser-mos um pais Rico…mas niguem quer saber, e quem quer lutar por uma mudança, so de olhar ao redor perde as forças. Desejo muita força para todos os que se encontram a lutar por um futuro Melhor!

    • anonimo says:

      Sejamos ricos ou pobres, o mais triste é que colocamos crianças neste mundo para não as vermos crescer! Tenho pena do Pai que tem de ir para fora, da Mãe que tem de fazer tudo sozinha e dos filhos que não vêm a família reunida! Por outro lado tenho esperança que a diferença entre ricos e pobres diminua! Cumprimentos a todos,

      • É!
        A diferença entre ricos e pobres está a diminuir emenso….

        • Jorge says:

          A Elizabete em cima tem toda a razao, toda a gente deu importancia a tudo que la estava escrito? Serà que alguem deu importancia para isto, (Perdeu a entrada da filha na universidade – mas não reclama porque diz que é para isso (e que para a outra também possa ter esse “luxo”) que está na Suíça. ) . Pois eu tambem estou na Suiça e conheço muitos homens que vem para cà sosinhos mas nao tardam em arranjar outra mulher e veem dizer que sentem saudade da sua mulher. Aprendam a crescer em Termos de inteligencia porque é coisa que eu nao vejo em muitos homens.

          • Fernanda says:

            Já nas mulheres,há inteligência a rodos. Deve ser por osmose. Olhem Teodora Cardoso, Jonet, Albuquerque….

          • Preciosa says:

            Eu só ao fim de 2 anos é que vim ter com o meu marido depois estivemos 8 anos sem ir a Portugal, mas se o senhor se sacrifica tanto a poupar eu digo pague as vividas e deixe de pagar os estudos na Univercidade, quando não se pode não se pode para mim isso é um luxo nem toda a gente pode ter um curso superior. Eu tambem gostava de ter tido um curso Universitario mas os meus pais não podiam eramos 4 filhos e o ordenado do meu Pai eram 300.00 escudos por mês trabalhava na CP que já era considerado um trabalho bom. Ordenado este antes do 25 de Abril nesse tempo havia mesmo crise. Agora tudo o que os filhos querem tem que se lhe dar! espero que as filhas um dia saibam dar o valor necessario ao pai pelos sacrificios que ele tenta fazer por elas.

          • António says:

            se esses homens arranjam tão facilmente outra mulher é porque elas também não são muito inteligentes ou até são, mas então são desprovidas de caráter, afinal são homens casados, mas enfim vale tudo para ter uma boa vida…

        • BRUNO says:

          emenso ??????

          • Também há as ” vividas” e as ” univercidades”…….fora as outras. Ou seja um festival de erros e mau Português. “Abraxos”!!! LOL

  51. Maria Gomes says:

    Para reforçar as ideias defendidas: pessoalmente não sei se este testemunho e verídico ou não. Confesso que me deparei com muitas situações complicadas. O facto de o Sr trabalhar 14h/ dia se receber 13.80 / h como recentemente vi numa folha de um trabalhador agrícola na Suíça, após os cerca de 20% de descontos (encargos sociais) desconto do quarto, comer e até dos sacos do lixo, luz e outras invenções, acredito que não seja fácil ter muito dinheiro. Óbvio estou a falar de casos extremos. Não inventados e não me acho uma parola. Estou a partilhar uma situação que é real. O caso de um emigrante português que deixou o trabalho em Portugal e veio atrás de promessas e depois foi enganado por patrões nada humanos….. Felizmente, nem todos vivemos essas dificuldades…. Mas acredito que esse “José” é capaz de não comprar o saco de sanduíches por precisar enviar o dinheiro para a família…. Talvez….

  52. loureiro says:

    nao acredito se fosse da tap podia ser verdade ma nas companhias baratas isso nao acontece

  53. Estou em França há 35 anos e continuo a sentir a passagem da fronteira, no avião. Nunca percebi como. Sinto-a mesmo quando estou longe do hublot.
    Estou em França há 35 anos e continuo a comover-me com estas histórias.
    Esta gente é incrível. Eu também vim para cá com “estudos”, sabendo francês, mas eles, como fizeram ?
    São a emigração invisível, a que não dá nas vistas, a imensa maioria.

  54. Paulo says:

    Sem palavras!!! Estou comovido….

  55. maria belota says:

    Caro Ricardo, excelente este seu texto. Lamento que os “verdadeiros jornalistas” não encontrem estas pessoas no país real e não publiquem histórias como esta. Mas o que me mata mesmo é esta pacificidade dos portugueses, resignados à sorte que lhes impõem sem iniciativa, não para trabalhar, porque os portugueses trabalham e muito! mas para se munirem do que é necessário para se imporem enquanto povo. Não existe no mundo, muito menos em Portugal, um sistema prisional que contemple 10 milhões de habitantes. Os Portugueses de facto não sabem o real poder que detém.

  56. helder reis says:

    Boas noites.
    eu sou uma das pessoas k deixou Portugal deixei minha esposa e uma filha de 5 meses e parti para franca na correu bem depois tentei na suica e la m integrei Aki felizmente ja tenho minha familia comigo e minha filha hoje tem 3anos e somos felizes um grande abraco para ti que partilhas te esta historia e muita força e coragem para este Senhor e mts como ele.estas pessoas Sao os verdadeiros herois

  57. conas says:

    A mulher dele diz ao marido para ele ir ficando por lá mas k lhe mande o dinheiro enquanto ela vai dando umas fodas com outros ehheeh

  58. Todos nós somos imigrantes, uns com sorte, outros nem por isso.Mas todos nós pelo mundo inteiro temos vida de imigrante.e lutamos, muito.Por nós, nossos filhos , nossa familia. Nao e fácil .Comoveu me bastante ler esta realidade .Um bem haja pra todos.

  59. Caro Ricardo,

    Antes de mais, deixe-me dizer-lhe que também sou emigrante, por motivos profissionais apanho 6 a 8 voos todos os meses. Ao contrário de si não costumo coloca os auriculares e quando há oportunidade gosto de conversar, aprender e apreender sobre as histórias de vidas destas companhias casuais.

    Li o seu Post de “raspão” e de facto fiquei incomodado com o significado balofo e com a mensagem que V.Exa. protagonizou. Por isso voltei a lê-lo e assim segue a minha reacção.

    Não vou sequer voltar a tocar nos pontos que o “Alexandre Carvalho Silveira” frisou, porque de facto não faz qualquer sentido que um trabalhador da construção civil na Suiça (Salário Médio 6,638 CHF / 5450 €) não consiga despender algumas centenas de Euros para a vir a Portugal.

    Mas não é isso o que me incomoda mais… de facto o que é mesmo muito triste, é a sua mensagem do pobre desgraçado que sai do país e por isso é um triste infeliz.

    O Sr. e uma grande maioria do Portugueses, têm que perceber uma coisa. Em Portugal não há emprego, e o pouco que há é muito mal pago (a lei da oferta e da procura assim o impõem).
    A única solução para este problema é criar mais emprego e portanto novas empresas (que não se faz de um dia para o outro), por outro lado para valorizar os salários é necessário que haja menos pessoas à procura de emprego (para que os empregadores sejam forçados a pagar melhor).

    Ou seja uma das soluções é de facto emigrar, e não há que ter pena dos que vão, um desempregado em Portugal, não está a fazer nada por si, pela sua família (ou pelo País). Não há que ter medo de partir (os trabalhadores Portugueses são bem vindos em todo Mundo), estou certo que o período de adaptação não será fácil para todos (mas muito pior que isso é estar em casa em auto-comiseração, sem saber o que fazer da vida)

    Sr. Ricardo, quando quiser parecer inteligente nos seus Posts, escreva qualquer coisa pela positiva, dê ideias novas que realmente motivem as pessoas a fazer algo de melhor.

    Os melhores cumprimentos,
    Alexandre Conceição

    • Bruno says:

      Concordo plenamente. Antes de nos lamentarmos devemos agradecer por podermos emigrar sem problemas, ao contrário do que acontece com muitos milhões que não são europeus e que têm imensas dificuldades em arranjar contratos e papéis. Eu também sou emigrante e dou graças a Deus por poder trabalhar na França e na Suíça em contratos sazonais. Ganha-se mais em 6 meses que em todo o ano em Portugal e ainda dá para meter o fundo de desemprego em portugal e receber mais do que dá o fundo desemprego em Portugal para quem desconta com salário mínimo nacional! Se não conseguimos ter uma vida digna em Portugal qual é o problema em emigrar? Os meus pais também foram emigrantes, Sempre fomos e seremos emigrantes e lá fora somos remunerados e reconhecidos pelo nosso valor, porque na maioria somos bons no que fazemos e competentes. Haja trabalho lá fora com força, pois em Portugal é bom para passar 15 dias no Agosto e 1 semana no Natal. É uma realidade dura mas é a realidade que temos. O que se pode fazer com 500 € de salário líquido? Mesmo gente que conheço que ganham + de 1000 € líquidos têm de apertar o cinto! É que o custo de vida em Portugal é bastante elevado: Ex: carros – gasolina – electricidade – gás natural – água – roupa,etc,etc. Haja saúde, vontade de trabalhar e oportunidades para isso, que as distâncias agora são cada vez + pequenas. E depois não se pode ter tudo na vida……..

  60. Diogo says:

    GRANDE PAI !!!!!. Que todos q lerem isto percebam q aqui ha muita coisa em causa. Paternidade responsabilidade maturidade humildade e acima de tudo amor. Muito amor.
    Um abraço José, c a certeza q gostaria de me cruzar consigo na vida e muitas felicidades para si e toda a sua familia q bem merecem.
    Obrigado pela partilha

  61. Carlos Alcobia says:

    A realidade não é assim tão grave!… Grave será para as pessoas que não tem a coragem de agir e romper com marasmo de Portugal e sair para lutar pela sua família e sobrevivência. A melhor opção sem duvida é sair com a esposa e filhos… Juntos como família é sempre melhor. Drama é não poder pagar as contas da casa ou passar fome no próprio pais e não fazer nada! Nós portugueses somo corajosos! Somos reconhecidos como bons trabalhadores em todo o Mundo! Somos reconhecidos e valorizados! Coisa que no nosso pais, infelizmente somos é desmotivados e humilhados. Pois eu fiz o mesmo, sai com a minha família. Sei bem o que é isso! E sabem uma coisa? Vale a pena! Estamos juntos! Temos trabalho. Estamos vivos e felizes! Com melhores condições!

  62. revejo-me-nisto says:

    O que provavelmente escapa a muita gente, é que a nova emigração acontece, não porque querem mais na vida, mas porque se encontram num profundo fosso económico, para o qual já não vislumbram saída. Conheço muitos casos destes. Todo e qualquer cêntimo é dirigido para por comida na mesa dos familiares, pagar os estudos, pagar muito provavelmente os empréstimos (e nem justifica agora determinar se foi descontrolo ou simples reviravolta na vida). Até ao ponto em que consigam estabilidade económica, o rumo de tudo o que ganham é isto. Qualquer extra é um passo atrás nesse objectivo. Mas também não aceito que se passe a imagem que o sujeito apesar de tudo estivesse numa situação de “mendigar”. Acredito sim que a vida lhe ensinou que onde puder poupar (e eu nem que tivesse fome, num avião não gastava o meu dinheiro) que o faça. Pedir não é roubar, nem a honestidade é vergonha.
    Tenho 40 anos, os meus pais emigraram quando nasci. Aos 10 anos regressei para estudar. Passei mais de metade da minha vida sem os meus pais. Não convivi com eles nos meus aniversários, nem parte dos deles, nem algumas quadras festivas. Não tinha internet, telemóveis, skypes e afins, nem tive o prazer de os abraçar quando regressei de ver as pautas de admissão na Universidade. Este é outro lado da moeda. Não são só os que estão fora, mas também os que vêem partir.

  63. Alexandre Carvalho da Silveira says:

    Coitado do José, que pelo exposto deve andar a vasculhar os contentores do lixo de Vevey para comer. Se chega ao avião e pede o resto da sandes ao parceiro do lado, temos de esperar de tudo.
    O José devia ter vivido nos bidonvilles de Paris há 50 anos para ver o que é amar a Deus. E porque conheci muita gente que lá viveu, posso garantir que esses que verdadeiramente comeram o pão que o Diabo amassou, nunca pediriam restos de comida fosse a quem fosse, e muitas noites depois de 10-12 horas de trabalho, apenas tinham couves com batatas para comer. Tinham dignidade, que não é o caso do putativo José, nem dos que vêm para aqui dizer, como o autor do post, que se fartam de chorar com esta história!

  64. Eu já estive na Suíça e sei como é difícil começar uma vida do zero. No entanto, como é possível ao fim de 2 anos de sacrifícios o homem não ter dinheiro para uma sandes e andar quase a mendigar? Enviou todo o dinheiro que tinha para Portugal e nem uns “trocos” trouxe com ele para a viagem? Há muitas histórias mal contadas, e muitos homens que se fazem de muito pobres que na verdade não são tão pobres quanto isso… http://ve-aki.blogspot.com

  65. Rui Silva says:

    Tenho um filho de 25 anos. Está na Holanda. Diz que não quer voltar ao país que o expulsou. Acabou o curso. Sem emprego emigrou. Seguiu o conselho do Coelho. Diz este que o desemprego é uma oportunidade de mudar de vida…
    Obrigado Coelho por mandares para longe o futuro do meu país. O meu filho está feliz porque trabalha, ganha bem e dão-lhe valor. Coelho: emigra para o polo norte! E não voltes…

  66. Tomás Cardoso says:

    Quero deixar uma palavra de força a todos os José e Silvas que em Portugal ou fora do País lutam pela sua dignidade e dos seus. Não posso também deixar de lamentar os comentários despropositados.

  67. Paula Castro says:

    Obrigada pelo testemunho ❤
    faço parte desta geração de 40 e tais e com a família dividida… mas Ricardo sorrir ajuda 😉 acalma o coração 😉

  68. maria teresa costa gomes says:

    O meu muito obrigada pela facilidade com que se expressa; pela sensibilidade perante alguém que tem lutado e sofrido na vida. Assim deveríamos agir todos.

  69. Jose neves says:

    Tambem sou José e passo 6 meses sem ver à Minha Mulher e meus filhos estou en Paris na construcao (cozinho para mim lavo a Minha roupa limpo à casa fasso as compras trabalho em média 12 horas por dia vivo sozinho ) sim sozinho nao quero amigos nem cafés com 23 anos de casamento amo mais à Minha mulher do que nunca semper deilhe o valor ( amigos nao a preco para o valor de uma mulher dentro de uma casa) entendo bem nosso amigo

  70. pedro says:

    Tenha vergonha d……esse emigrante é fantasia sua….para k??…2 anos sem ver a familia,na Suiça????ohh Deus!! kem vai é p ter uma vida melhor….o seu relato nem ao diabo convence…..se calhar foi você k o passou, feriu-se pelo mau tratamento dado n Suiça, pk nao kis trabalhar o k s exige num país dessa dimensão…por favor cale-se!!! pk da Suiça so ouço dizer bem,,,,tonta

  71. heisenberg says:

    Realmente é dificil ler este texto e não opinar…só gostaria de dizer que na minha opinião o tipo de avião é o menos importante. E, em relação à história em si acho que é metade verdade e metade ficcionada. Eu estou na Suíça há 1 ano e fui 6 vezes a portugal visitar a família, precisamente na easyjet, e mesmo que tivesse muita fome não pedia meia sande a ninguém…(aguentava 2 horas e comprava um “papo seco com manteiga por 0.60 cts à chegada.) Por outro lado trabalho com um senhor que teve 5 anos sem ver os filhos e nem sequer tinha skype….mas é afegão.
    Mas isto é vida de emigrante…..e há 40 anos era pior porque nem sequer estavamos a discutir este tema……porque não haviam voos low cost nem internet.
    e por fim, o nivel de vida na Suíça,……é excelente……..se tivermos juízo.

  72. Portugal está em tão boas condições que até vai oferecer carros (Audi)!!
    Sério, ve aki –> http://ve-aki.blogspot.com/2014/04/o-senhor-dos-audis-sam-merkel-frodo.html

  73. Luisa Nunes says:

    Infelizmente lido com situações como esta demasiadas vezes! Existem muitos “Josés” na mesma situação sem que nos apercebamos! Sei que há pessoas incrédulas face a uma história destas mas a vida nao se proporciona para todos da mesma maneira e em países como a Suíça, França, Luxemburgo existem pessoas a passarem por sèrias dificuldades sobretudo as que têm a família e casa para pagar em Portugal!

  74. Deixo um comentario a certos disparates ditos por pessoas que nao conhecem a realidade. A Suiça não tem salário minimo! Certas profissões têm convenções que designam salários mas é verdade que a Suiça paga menos aos estrangeiros, a minha chefia o disse e eu já o verifiquei, da mm maneira como ainda em certas empresas as mulheres ganham menos q os homens por um mm posto(não é mito não, é a realidade). Se a tudo isto acrescentarem as propinas das vergonhosas universidades portuguesas mais um aluguer de quarto de estudantes e comer e transportes… A multiplicar por 2 filhas e acrescentando TO DAS AS DESPESAS suiças ( pois é na Suiça também se pagam contas…) Acreditem eu conheço pessoas em dificuldade. Há neste momento um grande debate na Suiça a este propósito para se instaurar um salário minimo ( QUE NAO EXISTE). deixem de dizer barbaridades se não conhecem a realidade…

  75. Isabel says:

    O exagero sempre foi típico nos portugueses…!!! Estamos no séc XXI e á coisas que já não acontecem como são aqui “contadas”….
    Já agora mais uma reflexão, são os portugueses que fazem e fizeram Portugal, bem ou mal…!!! É sempre mais fácil empurrar os defeitos para os outros e criticar os “políticos”.
    O trabalho nunca “matou” ninguém, bem hajam aqueles que fazem pela vida de uma maneira ou de outra.

    • E por haver gente a pensar assim k nao se avanca! Quando nao se conhece a realidade diz-se tanto disparate! E quando nao se conhece a realidade julga-se às cegas so pk pensamos k é assim……. pk estamos “no seculo XXI” como diz. Mas as coisas nao sao o k parecem, e os nossos “politicos” como diz pensam igual e por isso tomam decisoes cegas e nao correspondentes à realidade. Abrem os olhos e vejam o k acontece a mto boa gente k tudo faz oara ter uma vida digna, é so deixar de olhar para o seu umbigo….

  76. summer says:

    Eu sei muito bem como e triste estar so no estrangeiro fora da familia e de todos que amo. Durante o tempo as saudades me matavam. Vida so cheio de sofrimento e solitude. Fora da minha familia durante vinte e tal anos que trabalhei como um animal sem apoio ou amor de nimguem. Quando se e mulher sozinha no estrangeiro, todos se aproveitam e tratam-na como se fosse menos que os outros. Mataram-me as filhas, esfaquiaram-me, poseram-me na rua e roubaram tudo o que eu tinha. Hoje ainda aqui estou,nao sei como vivo, nao sei quem sou…

  77. Esposa malvada says:

    Estou a escrever no face do meu marido, por isso antes de o insultarem pelo que vou dizer, pensem duas vezes pois ele nem sabe o que estou a fazer, mas percebo o Sr. Que trabalha aquelas horas todas, isso sempre foi o que fizeram os nossos emigrantes, faziam fora o que aqui tinham vergonha de fazer. a Sra. Que respondeu daquele forma foi uma pessoa de uma geração que tem vergonha de dizer que os emigrantes tal como nos cá em Portugal fazemos sacrifícios para levarmos a vida, o Sr. Deve querer mandar o máximo de dinheiro que puder e por isso se sacrifica a esse nível, sei de histórias de pessoas que conheço que nos anos 70 e 80 foram para a França e para a Suíça e procuravam nas lixeiras roupas velhas que lavavam em água quente e depois vestiam, e que hoje tem várias lojas e casas e uma reforma descansada. Nos temos que nos mentalizar que Portugal vai voltar a estar estagnado, por muito anos e temos que procurar outro rumo lá fora ou conformarmos-nos em levarmos uma vida bastante diferente daquela a que estávamos habituados, e com menos luxos, menos jantaradas, etc. Etc. Mas todos são livres de escolher que sacrifícios querem fazer pelos seus e temos que respeitar, a vida que este Sr. Quer levar pela família só a ele diz respeito. O outro senhor tem direito a comover-se e a oferecer uma sandes a quem quiser e a ser ingênuo se for o caso. APENAS CONDENO A MA educação de pessoas que não respeitam os outros e que se são emigrantes devem ser do género de alugar carros de boas marcas para trazerem nas férias e depois comem sopa de cebola o ano todo! para no fim dizerem que quem emigra é para levar uma vida semelhante aquela que leva aqui!!!!!

  78. Não consegui ler todos mas só quem passa pela solidão e se vê obrigado a deixar a familia é que sabe o que realmente custa. Dos comentários que li percebi que há quem não saiba os custos inerentes à frequência de cursos superiores e o Sr. só queria pelo menos dar isso às filhas. Não me parece que o ordenado dele na Suiça fosse assim tão alto para poder pagar cá renda, água, luz, gás, impostos propinas e todos os gastos das faculdades. A D. Elisabete como está lá não deve saber bem o custo das coisas cá. Porque D. Elisabete ninguém está longe dos seus por prazer, ninguém se afasta do seu país e das suas origens só porque sim.

  79. Andrea says:

    Senhora Elisabete… Achei o seu comentário ” frio, egoísta”.
    Primeiro o senhor n se queixou de nada…
    Segundo foi humilde pediu o resto das sandes…
    Terceiro tem duas filhas uma na universidade e todos nos deveríamos saber k somos o pais que mais paga na universidade… Akelas coisas a que chamam propinas não sei se sabe!
    Quarto… Imigrar para Suíça, França, Luxemburgo, Holanda entre outros destinos não e fácil… E torna-se ainda mais difícil quando encontramos povo do nosso que se RI com o nosso mal… Sim pk ao contrario do que se pensa e o algum pessoal do nosso povo k tbm se encontra imigrado k nos Ker o mal… O português fora do pais e frio e egoísta… Já para não falar na inveja ké têm uns dos outros…
    Quinta depende da empresa que o senhor trabalha… Eles lá Kerem saber se o senhor tem direito a receber 3000€?! Em Portugal acontece o mesmo! Para não pagarem o valor correto chegam a baixar a categoria do empregado!
    N sei k lhe devo dizer mais afinal sou apenas uma ” garota ” com 24 anos com curso na mão… Que foi trabalhadora, estudante, mulher, e mae que saiu de Portugal pk foi CA fora k tive a oportunidade! 7 meses em franca e como alguém diz algures aki num comentário antes choravam os familiares por partirmos… Hoje choramos nos longe dos familiares que contas os tostões para comprar pão! Peco desculpa a todos os outros pelo comentário enorme mas… O ké tem de ser tem muita força 😉

  80. tania says:

    Eu quando ia do porto visitar a minha mae a suica os bilhetes no minimo eram 150 euro. Na mesma empresa q o homem viajou. Para o porto fica mais caro que para lisboa. E alem disso ninguem sabe a situacao do homem. Tem filha na universidade. Com 40 e poucoa anoa ou paga renda de casa ou emprestimo. E temos que ver que nem sempre quando os voos sao mais baratoa o patrao noa disponibliza os diaa. Para o homem nem querer gastar uns 6 euroa numa sandes da pa ver que vive mal

  81. Acho ridiculos certos comentàrios. Vivo na suissa à 5 anos, tenho apenas 23anos e de certo mais inteligencia e experiencia no mundo do trabalho que certas pessoas que se permetem de falar de leis. Tenho um pai que trabalha na construçao civil e nao ganha um salario minimo como a senhora Elisabete diz. Existem leis sim, mas garanto-lhe, que na maioria das vezes nao sao aplicadas. e a proposito dos bilhetes de aviao, existem sim bilhetes baratos, mas é preciso marcar com bastante antecedencia, e uma carta bancaria, que se calhar o senhor nao tem. Falar é tao facil !!! Mas quando se passam necessidades nao se abre a boca à toa, e penssa-se duas vezes primeiro ! Agradeço ao senhor que meteu este post, mostra que ainda existem pessoas com coraçao.

    • mas tb concordo consigo…eu so ganho 2900 fr e tenho dois filhos a estudar em portugal,,,nao chore, foi uma escilha nossa, posso sempre manda-los trabalhar! agora nao vou pedir o resto da sandes mesmo qe tivesse fome sou mt orgulhosa e rio.me muito nao sou uma coitadinha qe faz pena as pessoas. Uma qestao de postura na vida! mas concordo consigo!

  82. oh qe macada pensei qe iam falar da vergonhosa forma qe a easyjet trata os seus clientes vendendo mais bilhetes dos qe os assenfos qe tem o aviao. acontece frequentemente pessoas qe pagaram o seu lugar ficarem em terra. quanto ao testemunho acho giro qe se chore,,,mas entao ha muito a chorar e chorariamos todos os dias com toda a injustica qe vemos…eu sofro! choremos todos!

  83. Paulo Ramos says:

    Boas, para quem não quiser partir e ficar longe do país, da família, etc…tenho uma alternativa. Agendem uma troca de ideias comigo e não vão dar o tempo por perdido; Não importa a idade, sexo, Habilitações ou experiências.
    email: enterprisingteam@gmail.com

  84. Maria Rodrigues says:

    Acredito plenamente na história ! Já me aconteceu estar com uma amiga , deixar a minha sandes , e a minha amiga pedir-me o resto ! Seria a sua refeição …. Ela estava a passar e passa sérios problemas financeiros ! Tem filho tetraplégico … E eu a estragar a comida ! Pensem nisso aqueles que se riem destas e doutras histórias semelhantes!!! 😦

  85. Viriato says:

    esse ricardo Sousa deve ser um autentico escritor de romances de aguas de rosa, pk emigrantes que passam bem pior , e os que emigraram nos aos 60-80 nao era so trab e partime , nem condiçoes como hoje em dia tinham , sem falar a parte de trab sem papeis , ( anos em que portugal nao era membro da CEE, nao se emigrava e ja ca canta) , e o homem se tivesse um pouco de dignidade não estava dentro do aviao a pedir o resto das sandes em esmola, em 2014 sem dignidade nenhuma ?? historias da treta ou falta-lhe um parafuzo ao homem

    • Celso Videira says:

      Viriato, digo-te o que digo aos meus filhos, Deus queira que nunca precises de comer batatas com couves por não haver mais nada, pois agora querem escolher tudo que querem comer. Nos anos 60-80 como dizes, todos estavam habituados a esta ementa, superava-se tudo até a fome, além disso, onde está a falta de dignidade ao pedir o resto da sandes que iria para o lixo, falta de dignidade é roubar, coisa que nos anos 60-80 e mais nos dias de hoje se faz, peço desculpa, hoje não roubam, desviam!

  86. Pode-se ate ganhar muito muito na Suiça ou noutro lugar qualquer do globo mas não há dinheiro que pague a família estar junta .e para mais quando estas emigrações foram “forçadas ” devido ao desespero da situação económica pessoal a que os nossos governantes deixaram o nosso pais ..sei do que falo pois também tenho o meu marido emigrado “forçosamente” . antes comesse uma vez ao dia e tivesse dinheiro para o básico do que ter marido e pai ausente.. o que muita gente esquece é que o emigrante de hoje não é o mesmo de ontem..Esses foram pra “enriquecer” ter as suas boas casas e boa vida ..trabalharam para isso e verdade mas não deixaram cá as suas famílias e dividas ( casas para pagar ao banco ) por isso dava para viverem la e poupar para cá ..os de hoje vão trabalhar para pagar as despesas de la e as de cá portanto não é de estranhar que estes novos emigrantes não tenham um pé de meia nem para vir a portugal nem para lado nenhum .. tenham respeito pelos emigrantes “forçados” sejam que idade forem mas principalmente os mais velhos (40 ,50 anos) que tanto trabalharam por cá , construíram suas vidas e projectos e uma vez mais foram obrigados reconstruir suas meias vidas e por cima noutro pais., mas com uma grande diferença .. .em cima dos seus ombros pesam a idade

  87. Luisa says:

    Pelo k li, vejo k ha Aki mta gente sem koraxao!!! Poupem.me!! Pensei k o povo portugues Era melhor dok akilo k li!!!

  88. André says:

    Olhem eu ja fui emigrante e precisamente neste país em causa!
    Só peço ao meu povo mas a todo ele, que pare para refletir assério, ler tudo o o que ja foi dito e fazer esta pergunta: Como é que nós (portugueses) somos?

  89. ricardo_silva2121@hotmail.com says:

    A mim parece-me tudo uma bela merda,so conversa.. nasci na suica e nunca tive uma oportunidade nesse pais de merda,estou em portugal a 4 anos e sem ajuda de ninguem consegui abrir uma empresa, neste momento ganho media de 8000 euros por mes, mas certamente ninguem fazia o que faco, andar a chuva e ao sol a vender servicos, e ja tenho 2 escritorios e 30 pessoas a trabalhar para mim. Se quiserem trabalhar em portugal e estou ao dispor a ajudar,deixo o contacto no caso de estarem interessados,visto eu ter dificuldade em arranjar pessoas para trabalhar,aqui nao querem,na suica andam a lavar pratos para comprarem um carro para virem de ferias e acharem que sao os maiores.
    964594836

    • Jorge Carvalho says:

      Tambem me faz confusäo como è que um gajo que nasce na Suiça consegue ser täo palerma là e täo esperto por cà…

  90. A quem pensa que no estrangeiro estamos todos ricos que se desenganem… Não somos ricos! trabalhamos muito para o que temos! Nos emigrantes deixamos tudo o que amamos, o nosso pais, para nunca mais sermos aceites em lado nenhum.Aqui não somos aceites porque somos estrangeiros em portugal não somos aceites pelo mesmo motivo. Quem vive em portugal e diz que o dinheiro chega porque aqui se ganha muito não sabe o que nos aqui pagámos realmente não sabem nada …. não sabem que nunca vamos poder comprar uma casa digna sem fazer uma hipoteca que nos vai custar um ordenado não sabem que pagamos contas gigantes de medico e que pagamos as escolas e que pagamos por ano de irs aos 1000 euros e de irs de estrada outros tantos… e como isso muitas outras coisas.
    Não digam que nos temos uma vida facil… vocês não sabem o que é ser EMIGRANTE. Eu sei que nunca vou ser 100 % feliz porque falta me parte do meu ser.

    Eu sei que a muitas pessoas que em Portugal estão na pobreza mas em Portugal também a muita gente a mamar a custa do estado que não querem trabalhar… e muitos que só porque têm um canudo não querem trabalhar em qualquer coisa então ficam em casa dos pais a chupar mais algum aos velhinhos.Aqui o estado não ajuda estas doente não podes trabalhar não há ajudas e reinserção social.
    Haaa e mais sim com canudo ou não nos sujeitamos nos porque ao fim fimzinho do Túnel a sempre uma luz e é lá que nós queremos chegar

  91. David says:

    Comoveu-me.Dou valor a todos os meus amigos q partiram em busca de uma vida melhor,por culpa de alguns políticos menos dignos q não souberam administrar o nosso país.
    Força estaremos sempre de braços abertos para acolher vossas vindas.
    Não sabendo quando nos toca a nós.

  92. analizemos entao: 1-os portugueses adoram o papel de vitimas 2-os portugueses adoram insultarem-se pk tem uma opiniao diferente de outro portugues 3-os portugueses nao sao obrigados a sofrer nem em portugal nem noutra parte do mundo so o fazem pk acham qe tem qe ser iguais aos outros, a diferenca assusta

  93. o que mais me atormenta ao saber de estas situações e o facto de muitos pais fazerem tanto sacrifício para poder colocar os filhos numa universidade e poder dar-lhes oportunidades que eles não tiveram, também sou pai e faço de tudo pela minha filha, mas vejo tantas vezes infelizmente, os que mais teem são os que menus aproveitam, estragam o dinheiro dos pais em saídas á noite, bebedeiras, vão para o café a toda a hora, eles sequer pensam por um instante que muitos dos pais que conheço não frequentam cafés, não fumam, e depois do trabalho deles ainda vão para a horta que teem no campo para tratar das batatas, cenouras, couves, alfaces, favas, feijão, tomates e outros vegetais que posteriormente fazem um “avío” com tudo o que os filhotes precisam para passar uma semana ou o tempo que estiverem longe de casa enquanto estudam? e esse sacrifício que não é recompensado, porque não procuram um trabalho tipo part-time. a geração do “josé” da história é que está a rasca pra sustentar a juventude que não poupa nem trabalha, antigamente havia miséria, a carne só se fossem cassadores e o peixe se o pescassem, o meu avó que era uma pessoa deficiente fisico em que não andava de maneira direita, imaginem que o corpo faz um angulo de 90 graus na cintura, era assim que ele era, e no entanto tinha uma horta, mesmo sendo um ourives, tenho pena do sacrifício dos velhotes e faria o mesmo pela minha filha, mas tenho ainda mais pena dos filhos estudantes que não imaginam o sacrifício que o pai faz pra eles estragarem.

  94. jose augusto goncales says:

    udo é possiel neste Mundo atual nada me espanta seija na Suica ou no nosso Portugal ou em qualqer Pais hà gente que vive bem e mal

  95. Paulo says:

    Concordo com o “drama” exposto neste artigo, mas não posso de todo concordar com o último parágrafo: “É de facto esta a geração que está na lama. Não os 20-something, não os “cérebros que fogem”, são os pais desses cérebros”. É este um dos graves problemas tugas de sempre, “não te queixes que há quem esteja pior”…sempre houve e sempre irá haver! Eu tenho 28 anos e estou há anos desempregado e sem conseguir arranjar nada e não é por falta de tentativas em inumeras áreas como de resto o meu curriculum comprova e não só na minha área de formação, porque essa é já uma anedota. Percebam de uma vez por todas que este é um problema gravissimo que afecta velhos e novos, uns porque tinham trabalho e uma vida e a perderam e outros, como eu e tantos, que nunca a podémos ter e que dia após dia temos que lidar com a depressão de ver os nossos pais a ganhar uma miséria e a terem que nos sustentar porque por mais que nos esforcemos não conseguimos sair desta miséria, olhamos para o amanhã ou para daqui a 20 anos e não vemos nada senão o anos a passar e a esperança de rastos… Não sejamos tendenciosos e não vamos agora dizer que os mais velhos sim têm razões de queixa e os novos são burgueses que os exploram. As filhas desse senhor também devem sofrer por terem que sujeitar o pai a tal e por não o terem por perto e eventualmente ainda irão sofrer mais quando perceberem que o esforço dele para que elas se formem foi em vão. Pela descrição percebo que quem escreveu tem um bom emprego que lhe permite ter o que para mim e para tantos outros são grandes luxos e, como tal, talvez não entenda bem o que nós, desempregados, vivemos… mas não devemos ver só o que se esbarra contra nós…

    Infelizmente em Portugal há muita lata e coragem para apontar o dedo a quem está na miséria e luta todos os dias para tentar manter-se são e não cair em depressão profunda, até pk não temos dinheiro para esses “luxos”…lamentavelmente essa lata e coragem e boca cheia que só serve os mesmos de sempre evapora por completo quando e contra quem deveria existir.

  96. Diana says:

    Pois é a historia ate pode estar um mal contada mas nao é um mar de rosas eu estou n suiça a 6 meses sou enfermeira e como nao sei falar bem ganho 890 francos por mês numa spitex…. Digam me o que é isso para 1 mês, não falem daquilo que não sabem o texto nao diz quanto é que o senhor ganha de ordenado….

    • Jorge Carvalho says:

      Entäo deixe de ser palerma e abra a pestana, Diana. O ordenado minimo para alguem SEM formaçäo è de 3100 CHF… Como è que paga a krankenkasse, o casa e come???

  97. Jose Carlos says:

    Minha gente, comecei a ler os comentarios mas tive que parar a certo ponto!?!? Tive a opurtunidade de ler muitas verdades e certas barbaridades. Eu vivo nos estados unidos e tenho um bom salario, eu disse salario o que significa que nao sou Pago a hora como e a maioria dos construtores civies, ja passei por muitos momentos dificeis ao ponto de nem ter electrecidade, isto em USA uma das maiores potencias do mundo!? Tenho esposa e dois filhos, ainda hoje eu com um bom salario no qual sou Pago por 40 horas semanais em que na maior parte trabalho mais de 60 horas sem ser pago, a minha esposa recebe por hora e tambem traz uma boa quantidade para casa, nos vivemos de cheque para cheque, so para a informacao de certas pessoas. Quando ca cheguei nao voltei a Portugal Durante 7 anos, 7 anos!!! Os Portuguese que saiem do pais para procurar um futuro melhore passar por muito, mas tambem ha aqueles que lhes sai a sorte grande, Sao poucos. A realidade aqui e que sim Portugal e uma miseria mas a geracao que fez a diferenca ja ta velhia e eles lutaram pelos direitos de todos em especial dos fala barato como certas pessoas aki que comentarao barbaridades, Portugal precisa de se juntar e comecar o 25 de Abril mais uma vez, se comecarem por se deixarem de reclamar e fizerem alguma coisa em relacao aos “problemas” porque alguns sao mesmo coisas de pessoas mesquinhas! Os imigrantes ate limpao retretes para terem uma vida melhor entao so lhe Digo uma coisa limpem as retretes que forem preciso para melhorar o pais, nos descubrimos meio mundo! Mas nao conseguimos discubrir como melhorar o pais? Ja deitaram o governo abaixo varias vezes porque nao o fazem uma vez mais? Ou duas ou tres, as que forem preciso, por que razao teem um pais um presidente da republica se nada faz? Porque e que o povo, que e o que padece, nao manda no pais? Deitem abaixo o banco de portugal, o nosso pais nao precisa de uma entidade privada a ditar o valor de Portugal, terminem os lacos com a cumunidade europeia, para que nao seijamos obrigados a deitar fora toneladas de laranjas que os nossos agricultores Tao arduamente trabalharam para produzir e nos obrigados a comprar laranjas de espanha de qualidade inferior e de preco mais alto. Parem de se queixarem, parem de apuntar o dedo, e concentrem-se em resolver o problema, os nossos politicos ja provaram ou melhor a mais de 30 anos que teem provado que so Sao bons para roubar, a verdade e que da uma dor saber que o proprio nomiou o ladrao. Sinceramente a crise e tao grande que das vezes que regressei para visitar a familia, sempre vejo os cafés, restaurantes, lojas sempre cheias!!! A educacao sem duvida ja nao e o que era, embora nao seja a pior, pois o nosso nono ano e o equivalente ao decimo segundo em USA, va la entender-se isto! Quanto aos ladroes! Quantas mais provas precisa o povo portugues quando querem os reformados, com as suas reformas de miseria, pagarem impostos??? Como se diz por ca what the fuck??!? Peco desculpa pelo texto muito longo, mas Sr. Jose uma grande saudacao a um guerreiro que ainda tem ganas de lutar por uma vida melhore para os seus, a todos os imigrantes com exepcao aos racistas, coragem bola pra frente. A Portugal como os canticos no 25 de Abril – unidos o povo ja mais sera vencido. Para aquelas pessoas que teem tendencia a fazer comentarios tristes, hoje em dia qualquer um pode aceder a internet, la podem encontrar muita informacao, informacao boa, alem do Facebook e dos websites de celebridades.
    Ainda somos os melhores do mundo e espero que seja neste mundial que o provemos. Pelo menos o nosso vasco da gama nao se perdeu e foi ter a India.

  98. Infelizmente ha muitos “Joses” como este (sendo ou nao verdade a historia). Trabalham muito, poupam ainda mais, alimentam-se mal, vivem mal, etc. etc…. mas depois têm grandes vivendas em Portugal com carros de luxo na garagem… e quando chegam…até incham de tanta vaidade… desfilam de fios de ouro ao pescoço… e telemoveis de ultima geraçao… e tem um discurso que ninguem aguenta…licenciados em “Chico espertos” ou seja, “gentinha” com lindas cabeças para penteados, mas completamente ocas por dentro. .. Afinal em todo o lado ha ouvelhas negras… . Eu sei, e a grande maioria de vos tambem sabe que é assim para muitos portugueses.
    No entanto acredito e tenho orgulho em todos os outros portugueses emigrantes onde quer que estejam…

  99. Anonimo says:

    Lol. Há comentários que eu não entendo tal é a o nível da gramática. Vê-se porque razão cá não estão. Antes em Portugal a ganhar €700 mas a sair do trabalho e ter um solinho, uma praia ou uma serra, do que na Suiça a passar as passas do Algarve. 🙂

  100. Sendo verdade ou Nao esta historia, o que e importante aqui a salientar, e o facto do portugues como em tantas outras decadas, ter de sair do seu pais em Busca de uma Vida Melhor… Felizmente para alguns, e apesar das dificuldades de adaptacao, conseguiram vingar nesta aventura, para outros ja Nao foi igual pois tiveram de lutar e ainda continuam a lutar por uma Vida decente… E vergonhoso o que Estes politicos nos obrigam a fazer… Sim eu tambem sou imigrante, Nao me posso queixar porque tive sorte no projecto que abracei, mas e muito duro pois Deixei filho, amigos chegados, e demais familia, porque fui obrigada… MESMO! O desemprego esta Tao Intriseco na zona onde vivia que ja estava com serias dificuldades, isto falando em bens de primeira necessidade poder pagar contas, sustentar meu filho, e comer…eu amo muito o meu pais… Porque embora esteja em qualquer parte do mundo… E em Portugal que eu penso voltar sempre, Nao so pela familia, amigos, mas tambem pela comidinha que Nao ha Melhor igual no mundo, o meu cantinho, a minha Praia… Digam o que disserem, Portugal e lindo , rico em natureza e gastronomia… As pessoas e que estragam tudo, por serem quem Sao: politicos corruptos,juizes corruptos, policias corruptos, medicos corruptos, banqueiros corruptos etc etc… Infelizmente a lista ja vai longa porque Portugal esta intoxicado de corrupcao e negatividade e por Isso obriga a que muita gente Saia em massa para fugir a essa poluicao social e politica… Tenho e Pena de quem la fica a aguentar o ambiente que agora se vive… Um Bem haja a quem e corajoso pra ficar e corajoso pra sair…

  101. Não sou muito de escrever em post de outros mas… Calem-se todos aqueles que duvidam ou tentam destorcer a historia de diversas maneiras… Respeitem no minimo aquilo que desconhecem!
    Se agora um mendigo lhes pedirem dinheiro na rua, vão fazer um questionário para ver se é verdade ou se realmente ele necessita??? Claro que não!!!
    Quem ajuda e quem quer ajudar não interroga, dá!!!
    E além do mais, tambem eu estive na Suiça e que me digam a mim que não se trabalham 14h por dia!!!!!!!
    Que me digam a mim que não é dificil!!
    As pessoas que falam como a Elisabete e outros que tais, não devem saber o que é a dura realidade, não de todos, mas de alguns portugueses no estrangeiro…
    Quando quiserem estou a vossa disposição para vos mostrar mais uns quantos outros Josés, em tantos outros sitios…. Infelizmente!
    Espero sinceramente que a vida destas pessoas, que são das primeiras a levantar o dedo a alguém que nem sequer conhecem, tenham o maior sucesso e que nunca tenham de passar por situaçoes identicas…
    Caso contrario, estarei aqui em primeiro posto para vos recorder as belas barbaridades que escreveram…
    Saúdinha da boa para todos!!!!!!!!!!!!!

  102. Rês784560979 says:

    “No chão do medo tombam os vencidos
    Ouvem-se os gritos na noite abafada
    Jazem nos fossos vítimas dum credo
    E não se esgota o sangue da manada”

  103. Claudia says:

    Eu estou na suíça desde pequena e também moro em vevey e acho que quem fala de barriga xeia eh porque teem o social a pagar muitas contas ou areceberem , assim claro da pra tudo. Que eu saiba quanto se mais ganha mais pagasse de imposto !

  104. Inês D. says:

    Como o José conheci mil iguais…..durante a minha estadia na Suíça quase 12 anos por motivos profissionais. Conheci muitas pessoas nessa situação, de grande coragem, de grande esforço, para construírem cá casa, para mandar dinheiro para a família, para uma vida melhor. Conheci mulheres, da minha idade, que deixaram os filhos com a mãe em Portugal, e que foram sozinhas à procura de trabalho, para mandarem dinheiro para casa!! É impressionante a coragem das pessoas, mas os TUGAS são uns desenrascados e uns fura vidas como nunca se viu. Não fui nas mesmas condições da maior parte dos emigrantes que vai trabalhar para a suíça, fomos como família é numa situação privilegiada, mas ainda hoje se lá for ao restaurante, hotel, lavandaria a seco, supermercado…..são minhas amigas, dou beijos e abraços e trago recordações boas no nosso querido Portugal. Muita coragem para eles, merecem todo o nosso apoio e solidariedade!

  105. Ex-emigrante says:

    Estas histórias inventadas já enjoam. Sempre fomos um país de emigrantes, é claro que não é fácil, mas quando o foi? Qual é a diferença agora? O verdadeiro problema deste país está na grande cambada de falsos samaritanos, hipócritas e de gentinha que não perde uma oportunidade de seguir a corrente, muitas vezes sem saber sequer o quê e por quê está a seguir. Se realmente respeitam os emigrantes, deixem-nos em paz. E para terminar só relembro que estes que hoje se comovem tanto, são os mesmos que ontem e amanhã falam com desdém dos mesmos, seja pelo carro que conduzem ou pela casa que habitam. Deixem-se de tretas e trabalhem ou emigrem também!

    • Isabel says:

      Vc de imigrante não tem nada. Ou deve ser um desses convencidos, que participa em alimentar a má fama dos imigrantes arrogantes.
      Ou então é cego…

      • Que tipo de emigrante tem a má fama de ser arrogante? Em Portugal é que damos essa fama aos emigrantes, sendo um dos principais passatempos fazer piadas com eles dizendo que pagaram o Mercedes a limpar sanitas em França. NÓS temos a má fama de tratar mal os emigrantes e não o oposto.

  106. Ricardo Sousa says:

    Eu estou a trabalhar na Belgica, tenho um contentor pré-fabricado como casa que divido com tres colegas, nao estamos sempre cá porque somos motoristas internacionais, passamos semanas inteiras a dormir no camiao, nao agua, renda, luz ou internet, pagamos tvcabo entre os tres para conseguir ver noticias de Portugal..
    A familia ficou em Portugal e graças a um acordo com a empresa conseguimos de 2/2 meses ir a casa uma semana, nao remunerada, mas a empresa paga-nos a viagem de aviao low cost (ultima vez foram 320e). Se nao fosse assim era impossivel conseguir ir a menos que tirasse ferias! Nao é facil como querem pintar essas camones que vivem bem e pensam que todos têm a sua sorte! Poupe-me…

  107. Eu não costumo comentar determinados posts… mas não podia ficar com o comentário desta senhora (??) atravessado e de outras personagens que por aqui passam.
    Ignorantes, no mínimo. Tristes. Infelizes. Inveja. As piores características que podem descrever alguém. Pobreza de espírito. Tenho pena de pessoas como a senhora (??) Elisabete, o Sr. (??) Matos e outros…

    Do Sr. José, orgulho, pela simplicidade que mostrou ser. Desejo ao Senhor José as maiores felicidades do mundo. Tenho a certeza de que as filhas vão retribuir em grande o sacrifício do pai.. e ao Ricardo, Obrigada pela partilha.

    As pessoas que criticam… não precisam de olhar para muitos lados… basta terem filhos, irmãos ou, pais.. Espero que nunca fiquem num aperto de terem que contar moedas para comprarem pão, ou deixem de poder pagar a renda ou prestação da casa…

  108. Liliana says:

    Parabéns pelo post…. ainda bem que demonstrou literalmente o q muitas pessoas têm passado…. o senhor não reclamou um só momento de nada, parabéns para ele tb… só quem passa pelas situações é que sabe, so eu sei o que me custou ver os meus pais de 50 anos emigrarem para a suiça há 6 anos, o meu marido há 1 ano e eu aqui com o meu filho de 2 anos…. e olhe que muitos sacrifícios fazemos todos os dias e ainda não conseguimos ficar juntos…. por isso quem fala de boca cheia um dia há de ter uma resposta da vida…. não julguem os outros para não serem julgados 🙂

  109. Vânia says:

    Eu vim no mesmo voo, não presenceie a situação. Mas podia relatar tantas outras semelhantes. Trabalho numa agência na área da construção civil e cruzo me todos os dias com homens, pais de família em situações idênticas. Ha muitos a chorar se sem motivos mas existem pessoas nesta triste realidade. A Suíça não e uma caixinha cheia de ouro, nos dias de hoje e com a elevada oferta de mão de obra, se não quiseres aceitar trabalhar a 22.-/h ha quem queira. As facturas e os bens são despesas mensais, que no tempo em que a construção está parada as facturas aparecem na mesma. Se a situação financeira deste senhor fosse voa em Portugal acredito que não estaria longe da família. Estabilizar se e por a vida em ordem leva o seu tempo. Não são dois ou três salários. Só mais uma coisa: quem espera ou esta longe, o tempo parece lhe muito mais. E vamos condenar o homem por quer o melhor para a sua família, o por expressar desta forma a falta que a presença da família lhe faz?

  110. laura says:

    O meu pai teve k passar 2 anos em Lisboa ebso voltava aos fim de semana pois tavamos a passar dificuldades e aos 14 anos de idade custou me muito pois amo o meu pai e ele Etra obrigado a ir para baixo para o nosso bem . e hoje sou mãe de uma bebe e creio que falta pouco para fazer algo parecido para o bem da minha filha. É triste mas a vidab é mesmo assim

  111. Sao Pedro says:

    Partilha uma renda com dois colegas ,trabalha 14 horas por dia (quase de certeza um segundo emprego nao declarado) e queixa sse que nao tem dinheiro para visitar a familia? COITADINHO do senhor , tem a sorte de ter trabalho (coisa k falta a muita GENTE) e tem a lata de se fazer passar por vitima do sistema . Nao tomem as as pessoas por parvas.Se nao vai a Portugal é porque nao quer.Eu e o meu marido vivemos com menos de 8000.- chf por mês , bem gerido os nossos ordenados permitem nos de criar 2 filhos de 8 e 10 anos a quem nao falta nada , pagar os estudos das 2 filhas que o meu marido tem em Portugal do primeiro casamento e vamos a Portugal pelo menos 1 vez por ano de aviao e compramos as sandes quando viajamos com easyjet.Esta gente k se queixa do k tem aqui devia era de voltar para o país e viver a realidade do k se passa la.

    • Isabel says:

      Qt tem da assistência social, para a ajudar? Conte-nos. E qt recebe de abonos? Porque com menos de 8000, se não são ao negro, deve faltar muita coisa ou vc e uma grande aldrabona, porque dinheiro para ir de férias não lhe deve ficar muito. Não se faça de mais experta que os outros, tenha dignidade e agradeça a deus pela sorte que tem. É inveja não ajuda ninguém, nem vc própria.

      • Sao Pedro says:

        Exatamente , agradeço pelo k tenho e a inveja é um defeito k nao tenho , ajudas sociais nao teho nem nunca tive , simplesmente tenho uma vida saudavel e nao mostro aos outros o k nao sou. Experimente nao pedir emprestimos aos bancos para comprar grds carros e casas em Portugal, ir de ferias quando pode comprar bilhetes por menos de 600.- e em vez de passar ferias no Algarve passe as ferias com a familia ou amigos e vai ver k é possivel viver com 8000.-.O problema é k os portugueses gostam muito de se armarem em ricos e de mostrarem o k têm e o k nao têm.

      • Sao Pedro says:

        Nao trabalho ao negro , sou contra isso e pago impostos e so trabalho a 50%.

  112. eu trabalho no Uruguai e as coisas não são bem assim como dizem recebo 800 euros que mal da para as despesas mas tenho dois filhos e tenho que fazer sacrifícios mas mais vale 800 euros que nenhum e difícil não os ver a crescer não pensem que e tudo um mar de rosas que não e sou electro mecânico e não a trabalho para mim em Portugal

  113. Goreti says:

    Mulherzinha ignorante…Oxala nunca tenha que fazer o sacrificio que este grande homen faz e muitos fazem…..ou ja fez e agora ta com o rei na barriga e sente que o deve por em baixo…..infelizmente existe gentinha assim meskinha neste mundo…..e triste !

    • Sao Pedro says:

      Nao kero por ninguem em baixo , mas tenho amigos k trabalham na construçao sei bem o k ganham , sei bem as despezas k UMA pessoa sozinha pode ter e conheço os preços das viagens para Portugal e por isso nao ACREDITO k esse senhor nao possa visitar a familia.
      No k me diz respeito estou aqui ha muito tempo e nao vim para aqui por necessidade mas sim por escolha por isso nao tenho nem deixo de ter rei na barriga

  114. André Serrenho says:

    Não negando que essa geração de emigrantes de há 30/40 anos possa estar na lama, devo dizer que a geração dos 20-something não está melhor. Num mercado com poucas ou nenhumas perspectivas muitos já fartos de tentar em Portugal têm de fazer a mala e sujeitar-se ao que encontrarem lá fora, e no futuro possivelmente serem outros “Josés”. É péssimo ser jovem a acabar um curso superior e ter 0 garantias ou melhor 0 perspectivas de trabalho que dê mais dinheiro para além do suficiente para sobreviver.
    Mas de resto um bom artigo, sobre um mau assunto.

  115. Alexkimi says:

    O que o senhor passa, só ele é que sabe … Muitos falam sem teres calçado os sapatos dele,muitos criticam sem terem passado o que ele passou… Estar na suíça só é bom para quem chegue agora pois eu sou emigrante a 26 anos e só tenho 36…as pessoas que podem falar de economizar são só as pessoas que comem massa todo o ano para poderem ir a Portugal fazerem-se grandes… Mas aqui andam a sofrer dia após dia….bom tudo isto pra dizer… Português critica, português só fala mal, mas esquecem-se dos vidros que teem em casa deles ….falam que o senhor pode ganhar 4500fr… Então para quem não sabe aqui vai…. Desses 4500fr deduzam 10%no mínimo para cargas sociais ja só ficam 4050.- agora tiram 450 para seguro de saúde pois no cantão do vaud é mais caro já só ficam 3600.- casa podem tirar quase 650.- pour pessoa pois para 3 devem ao menos terem 3 quartos nesse cantão uma casa com 3 quartos deve ser mais o menos 1800.- até pode ser mais caro… Mas mesmo assim do salário do senhor já só fica 2950.-agora vamos a comida… Mais 500.- pois o senhor tem de comer e a comida aqui não custa só 1 euro já só fica 2450.-…gasolina… Pois mesmo se a transportes públicos o senhor pode ter um carro que é normal mais 450.- para gasolina só já lhe fica 2000.- se o senhor fuma… Tiramos 250… Só ja ficam 1750.-…agora falamos que esse mesmo senhor manda 1000.- por mês para a família em Portugal pois todos sabemos que as universidades não são oferecidas… 1000.- são 750 euros… Escola dos filhos mais alimentação mais uma casa pra pagar etc … Lá se vai depressa esses 750 euros… Bref só fica com 750 fr no bolso… Agora esse senhor tb deve ter dívidas como 90%dos portugueses vai ter que tb pagar por isso lá vai secalhar mandar mais 500.- só para dívidas … Ao total ficalhe 250.- para ter até ao fim do mês …. E é se ele ficar sempre fechado em casa…. Por isso quem critica a vida desse senhor… Vista a pele dele primeiro e depois falem!!!!! Alguns portugueses não foram educados mas sim só alimentados!!!! Desculpem de falar assim…. Mas só quem não passou mal na vida é que podem criticar… E digo mais eu tb passei muito quando era mais novo… Pois até aos meus dez anos quase que não vivi com os meus pais… E isso foi muito..sofri muito. Por isso imagino o que o senhor passa de não poder ver as filhas dele.!! Refletao 10vezes antes de meterem comentários parvos!!!

  116. Cristiana says:

    É por comentários como esse, de pessoas que se julgam ricas só porque sao emigrantes, que cada vez que um emigrante vai a Portugal ( no meu caso e de amigos também), é bombardeado com bocas do género: “tas no estrangeiro?? ui e so dinheiro entao”, “oh carro novo?! levam-me para la tambem.”SIM PORQUE NOS AQUI ABANAMOS UMA ARVORE E CAI €€€€€€€! custa-me acreditar que emigrantes que tenham uma vida organizada, continuem longe dos que amam, so porque sim! e aqueles que precisam de sustentar a familia tem de ser fazer a vida e infelizmente deixar tudo para trás. ninguém emigra porque sim, e o desespero, as dificuldades, etc. Nao percebo.. certamente (pelo seu comentário), deve ter uma boa vida e continua em vevey?! Tomara eu, deixar França (pais este que me acolheu muito bem, agradeço e especial a vila de Bayonne) e regressar a minha casa para perto dos que amo! vida de emigrante e compensatória sim mas muito triste e quem disser o contrário mente!

  117. Meus amigos todos tem razão. Agora a verdade e que eu próprio acbei de perder a minha empresa tenho diviodas que nunca mais acabem e com 55 anos quem me vai dar emprego em Portugal ??? Pois já sou trapo velho e nem direito tenho ao desemprego porque mesmo descontando como empresário nºao tem direito. como faço agora. Viro sem abrigo. Que remedio tenho eu ???

  118. Ana Lopes says:

    Uma coisa digo no meio disto tudo, ninguém sabe da vida de ninguém, e a Sra Dona Elisabete, nota-se bem quem é, mais uma portuguesinha que só sabe é mandar palpites, experimente passar pelas coisas e depois fale. Como muita gente que sofre cortes em ordenados, já se sabem queixar e aposto que tem pena de pessoas que nem sequer passam fome, nem nada, apenas se habituaram a um determinado estilo de vida. Agora pessoas, como este senhor, que possivelmente passou fome e passa sacrifícios para sustentar as filhas, critica. São pessoas como a senhora, que deviam passar por certos sacrifícios, nomeadamente, não ver a família durante algum tempo, talvez lhe fizesse bem.

  119. Márcia says:

    Já fui emigrante duas vezes, os meus pais foram emigrantes, já vivi em vários países, já voltei para Portugal várias vezes por iniciativa própria (e ganhava bem), quis mudar de vida, pensar e apostar em novos projectos no meu país, mesmo sabendo que iria ter de recomeçar do zero.
    Desenganem-se se pensam que gerações anteriores não passaram dificuldades e tiveram de lutar como as de agora.
    Desenganem-se se pensam que as pessoas de outros países chamados ricos não passam pelo mesmo.
    Deixem-se de se fazer passar por um povo de coitadinhos, sempre a lamentarem-se. Somos bem mais que isso!
    Hoje em dia, a comunicação faz-se à velocidade da luz e está ao alcance de todos. E o que vejo? O pior, as lamentações, as dificuldades (que sempre existiram). Os jornalistas bombardeiam-nos com más notícias para cultivarem a depressão e o desanimo.

    Precisamos é de ler e ouvir coisas positivas. E sabem que mais? A vida nunca foi fácil para ninguém, nem agora, nem antes. Parem com as lamúrias!
    O que eu retiro desta história: vejo uma pessoa que teve a coragem de sair da sua zona de conforto e não baixar os braços, apesar das dificulades. E depois de ver a reacção de pena do autor do texto, ainda lhe teve de passar a mensagem positiva.

    Se calhar não teria sido melhor contar a história desse ponto de vista e ficarmos a sorrir e a pensarmos na coragem que esse senhor tem?

  120. DESEJO A QUEM FEZ COMENTARIOS INFELIZES QUE LHE ACONTEÇA O MESMO OU AOS FILHOS DELES!!!

    Nao sou emigrante, mas sou filha, tenho 25anos (trabalho desde os 18), felizmente nunca passei dificuldades nem fome, mas passei a minha vida toda a ver o meu pai so 2x ano, e muitos meses sem a minha mae!! Trabalhou para construir uma casa com condiçoes e para criar 4FILHOS (como era emigante nem subsidio tinhamos na escola!)
    Hoje em dia a internet e voos mais baratos ajudam muito.. Nao temos BMW, nem apartamentos no algarve, nem ferias na praia… e continua la, agora a pensar na velhice deles e para nos ajudar… Nunca fomos para la porque ele gosta da “Terra” dele e a ideia era regressar sempre no proximo ano… Agora ja la estao 2 dos meus irmaos e o mais certo é que um dia estaremos la todos.. PORQUE EM PORTUGAL NEM TODA A GENTE GANHA 700€!!! E ha quem trabalhe muito e ganhe pouco!!!

    Mesmo tendo os dois emprego agradeço a ajuda que os meus pais me dao, ou eu e o meu marido tambem ja la estariamos para criar a nossa filha de 6 meses!

    Nao sabem o que e SAUDADE!!!

  121. Quem conta um conto acrescenta um ponto…
    Independentemente da total vericidade desta historia, acreditem k existe de tudo!
    Emigrantes com Mercedes a passar fome para vir ferias, a pedir dinheiro emprestado para regressar, ou a alugar carros para mostrar…Com vivendas em portugal e la a viver em autenticos “barracos”!! E Pessoas que simplesmente se habituaram a poupar e valorizar o k teêm.
    Uma sandes de 5eur. podia nao ser nada para o ricardo e ir metade para o lixo mas o senhor josé achou uma forma de poupar.
    Pk uma viagem nao e so o preço do bilhete de aviao! Ele podia morar longe do aeroporto tanto la como ca!!!

  122. Francisco says:

    O fenómeno da emigração não me choca, porque esta sempre fez parte da minha vida e assim continua. Só não percebi uma coisa, o senhor está na Suiça, tem 2 trabalhos e pede para comer o que resta de uma sandes de outra pessoa?
    Nestas coisas sou sempre um bocadinho como São Tomé. Pode ser verdade, mas a sê-lo, espero que a menina universitária tenha pelo menos metade desse espírito. Que não ande a “derreter” o suor do pai. Que o ame e que o respeite, acima de tudo…

  123. binte says:

    Vejo aki pelos comentarios descabidos de alguns k o povo português não é unido. Critica-se o vizinho imigrante só pk sim! Mas na verdade não se sabe do que se fala. Tal e qual como os nossos politicos e depois é so disparates. Já não há união e por isso um outro 25 de Avril não acontecerá. Já não há aquela gana de se lutar pelos direitos pois afinal pelo k vejo mtos acham k o português é so lamúrias……… Triste!

  124. Silvia says:

    Oh Elizabete enfim… Sem palavras com esse comentário! Eu estou na Inglaterra e acredito nesta historia pois sei o que é estar longe da família e não ter dinheiro para poder ir a Portugal! Espero que não se esqueça que ir visitar a família a Portugal não é só gastar dinheiro em um bilhete de avião! Temos os transportes até ao aeroporto que muitas das vezes acabam por ser mais caros que o bilhete de avião! Admiro bastante as pessoas que emigram pois só quem emigra é que sabe o que custa! Toda a gente sabe a situação em que portugal se encontra mas eu conheço muito boa gente que tem a possibilidade de emigrar e fazer pela vida mas mesmo assim preferem sentar se na mesa do café e queixarem se da crise! Por favor… Tenho 23 anos e estou a 1 ano na Inglaterra as saudades matam mas simplesmente não podia cruzar os braços e simplesmente ser um fardo para os meus pais e dizer “sustentem me”!

  125. claudio says:

    Sou jovem de 22 anos ja tive em franca , suiça e alemanha , e nada acompara portugal seja lá o que for , embora suiça me faça relembrar muito portugal , recebia media de 3000 euros , e fazia 8 horas diarias , pagava casa , comida e transporte tirando as vezes de andar de bus sem pagar , e acreditem , que ao fim de tudo ficava com uma merda de nada , ILUSAO prefiro comer um pao e estar no meu pais do que comer luxos e tar fora do que é meu , …claudioDK

  126. Fiquei triste ao ler a carta do Ricardo ,admirando o José pelo seu sacrifício…pois também sei o que foi ser emigrante…e via a família praticamente quase todas as semanas…e o ordenado não era mau..da D. Elisabeth …fiquei com pena pela sua absoluta ignorância e insensibilidade….e também pelas magnificas respostas lhe devem ter aberto o espírito…onde e como viverá esta D. Elisabeth..!!!!!???
    Podia no mínimo poupar-nos a comentários tão tristes….diria até….ofensivos.
    Tem coração D.Elizabeth..??????

  127. Curioso,e com uma grande insónia…resolvi voltar à carta do Ricardo…e verifico sem surpresa a quantidade de comentários que a despropositada intervenção da D. Elizabeth provocou… mas da D. Elizabeth ….!!!!!!!
    Boa noite a todos

    PS:Abraço ao José e que nunca perca a coragem, são os meus votos

  128. João Paulo Freitas says:

    Este Joae Orvalho é um oportunista que só estã ã espera que o PS volte ao poder para mamar um tacho. Como já mamou.. E recorre a tudo e a todos para fazer currículo. Chulo!

  129. rasta says:

    Super falso eu trabalho na frança e vou em media uma vez por mes a portugal com bilhetes a 50 euros!agora como este homem trabalha na suiça e tem easyjet e náo consegue tirar nem um fim de semana por ano!não me digam que as universidades estao assim tao caras!que falsidade

  130. Sandra says:

    E pena que as pessoas só dei conta agora do que e vida de um emigrante….

  131. eu estou na suiça desde 1987 e ja se ganhou dinheiro mas quem vem com familia se nao trabalharem os dois creio que pra fazer vida de escravo mais val comer um pao e sardinha em portugal nao invem sr portugueses

  132. rubina says:

    Realmente é uma historia bem recente, pelo o qual nao sao as pessoas que escolhem a sua vida so o tempo podera dizer. Muitos dos comentarios que aqui estao esta a elogiar ou a criticar, eu nao vou criticar porque sao coisas que eu poderia ter passado ou posso vir a passar nao sei meu dia de amanha, se hoje estou bem amanha posso estar mal. Tenho irmaos que ja passaram pior do que li roubar para comer, levar porrada se nao tiver dinheiro, se prostutuir aos outros para ganhar o seu ate o ponto de chegar a hora da morte infelizmente mas a vida é mesmo assim nao a podemos contrariar nem mudar para melhor ou pior… ENFIM… Desejo que essas crises e nessecidades se acabe… Para quem nao gostar do meu comentarios que se ponha a milhas aqui esta a minha opiniao o resto nao me e quem nao gosta que ponha flores pode ser que fique mais bonito…

  133. leninha says:

    Sou imigrante recente,mas gostaria de deixar claro que estou com filhos à estudar,pago renda em Portugal e aqui também (Suíça) tenho muitas dividas, mas mesmo assim consigo ir à Portugal pelo menos 2 vezes ao ano.(não bebo e não fumo).

  134. Ana Monteiro says:

    Maravilhoso como com base num artigo que pouco ou nada diz já toda a gente ( ou quase toda) fez contas ao dinheiro q ACHAM que o homem ganha e ONDE acham que ele o gasta!!!! O artogo soa-me a coisa de pasquim, pouco digna de um jornalista mais a querer puxar ao sentimento, mas os comentários são surreais ( na generalidade bem entendido pq na pessoas aqui q até parecem fazer sentido). Agora q me desculpem a história do pedir metade da sandes condiz mt pouco connosco, Portugueses, pobres mas de uma pobreza envergonhada,humildes mas cheios de dignidade. Mas quem sou eu…. Só de referir que nestes mmos comentários perdemos sempre pelo mm, qd faltam argumentos partimos para a ofensa. Triste e indigno. Mas cada um sabe a educação que teve, ou não. Eu acho a troca salutar. Aprendi com algumas partilhas de comentadores. A esses Obrigada.

  135. maria deolinda lopes teixeira da cruz says:

    Linda:
    Li e os meus olhos também ficaram cheios de água…. Como eu compreendo estas palavras sobre estes homens e mulheres que depois de uma quase vida inteira, voltam a reconstruir outra vida.Obrigados, forçados pelas circunstâncias da vida, mas não desistem e lutam e fazem pela vida, deles e da família. Isto sim, vai mudar a mentalidade do povo português. Aqueles tempos em que tudo era fácil e nos caía nas mãos, acabou! Agora se queremos algum conforto algum “luxinho” temos de esgravatar trabalhar para o conseguir. Não vem para o caso, mas ao mesmo tempo sim, eu, com 56 anos de idade 31 de serviço público depois de ver reduzido o meu rendimento em 12% ao mês, e já reformada mas com uma pensão que não dá nem pouco mais ou menos para fazer face aos compromissos que assumi ( quando tudo era fácil), vou se Deus quiser e me der a saúde necessária, em Julho próximo para a Holanda trabalhar!trabalho braçal, sim senhora e falo-ei com o maior orgulho que possa ter e com o mesmo empenho igual ao da uma menina de 23 anos, quando comecei a carreira nos tribunais.

  136. Uma História fantástica! E para todas as Histórias de vida, conjuntas ou isoladas, eu acredito que existe uma canção escrita para esse momento ou estado de alma.

    Se acredito que para os nossos jovens emigrantes recém-licenciados, Pedro Abrunhosa foi Mestre ao escrever “Para os braços da minha Mãe” https://www.youtube.com/watch?v=L-3TWoMz6kA , então não é menos verdade que para uma geração que já fez uma vida e que passaram a descartáveis no nosso País, que mais dificuldade tem de adaptação, constroem uma nova vida e ainda tentam construir parte da vida dos filhos. Com muito mais obstáculos, engolindo um orgulho descomunalmente maior, para eles só pode existir uma canção criada pelo Mestre Charles chaplin. Essa canção chama-se “Smile”

    A letra é tão Pertinente e tão carregada de Esperança que me parece justo deixar aqui uma tradução da mesma para os que tiverem mais dificuldades no inglês.

    Sorria
    Sorria, embora seu coração esteja doendo
    Sorria, mesmo que ele esteja partido
    Quando há nuvens no céu,
    Você conseguirá…

    Se você sorrir
    Com seu medo e tristeza
    Sorria e talvez amanhã
    Você verá o sol brilhando, para você

    Ilumine seu rosto com alegria
    Esconda qualquer traço de tristeza
    Embora uma lágrima possa estar tão próxima
    Esse é o tempo que você tem que continuar tentando
    Sorria, o que adianta chorar?
    Você descobrirá que a vida ainda continua
    Se você apenas sorrir

    Este é o momento que você tem que continuar tentando
    Sorria, de que adianta chorar?
    Você descobrirá que a vida ainda continua
    Se você apenas sorrir

  137. Antônio Lopes says:

    Não podem só dizer que e uma história linda e com coração e quem a conta quer dizer que nos as vezes com pequenos problemas fazemos grandes tempestades

  138. Isabel says:

    Este relato, para além de muito comovente, é o retrato do estado em que Portugal está. Regressou as décadas 60, 70… Só pode criticar e ser ensensivel a isto, quem vive fora da realidade.
    Ainda hoje, mesmo com trabalho, há muitos imigrantes em situações caricatas, a fazer grandes sacrifícios, para sobreviver e fazer viver a família dignamente e oferecer um melhor futuro aos filhos.
    Imigrante não é sinônimo de rico ou privilegiado. Imigrante não é só procurar um futuro melhor, é também coragem, ser forte, deixar atrás de todo que amamos, lidar com o sofrimento que a Saudade nos impõe todos os dias, a cada momento que vimos ouvimos cheirámos algo que nos faz recordar o nosso país, as nossas famílias e tudo ao qual se renunciou. Aconselho o film ” A Gaiola Dorada”
    Obrigado pai e mãe, pelos sacrifícios para que eu seja uma imigrante de colher de prata.

  139. Silva jocas says:

    Isto só pode ser brincadeira de mau gosto…. Então o homem trabalha ainda faz um part- time divide um apartamento com uns colegas e não tem dinheiro para ir a Portugal ? Deixem-se de tretas! com a construção parada no inverno, com viagens a 150frs ida e volta e ele há dois que não vai a Portugal kkkkkkkkkkkkkkkk! E aindacteve o descaramento de pedir para comer o resto da sanduíche! É AMIGO DIVIRTA-SE COM OUTRA COISA, DEIXE OS EMIGRANTES EM PAZ…….. ISTO HÁ CÁ CADA UM!

  140. Cpensador says:

    Olà todos!

    E uma historia que se vê tambem em Paris ou em Londres. Ha gente a dormir na rua meus amigos, isso ninguèm conta. Andamos na émigraçao ha muitos anos. Talvez ha uns bons 60 anos, deve ser a 3a geraçao que anda na émigraçao.
    O sacrificio feito pelos os nossos avos e pais nao serviu de nada ao nosso pais. Tambem deve ser por culpa de nos portugueses enquanto povo digno. Deixamos fazer os nossos politicos e aliados.

    Pergunta-me quando é que esta palhaçada vai parar? O Pais é exportador de mao de obra , a regenaraçao do povo no pais nao se faz em condiçoes. O pais vai sair da Troika, mas o sistema ficou igual. Porem, o pessoal que o controla ficou. Ha sempre numa aldeia um pessoa que se aproveita do sistema politico, ha sempre um empresario que ganha um concurso sem ir a concurso, a justiça é lenta e prescrita. As pessoas , o estado, as freguesias vivem a credito no pais.

    O problema desta situaçao somos nos proprios, émigrantes. Preferimos émigrar par poder ter um poder de compra. Deveriamos sim ficar no pais e lutar contra a corrupçao, lutar contra a injustiça e fazeram com que os politicos e amigos fossem responsabilidados pela ma gestao. O problama vai perdurar até abrirmos os olhos e sermos um povo coheso e lutar pelo o pais e no nosso pais.

  141. Amadeu says:

    Embora não sendo emigrante, tenho algumas experiências na família com emigrantes e a nível pessoal desde 2008 que tenho passado alguns períodos longe de casa.
    No que toca ao texto, puxa uma pouco pelo nosso sentimento de “pena”, no entanto o “Sr. José” encarava de forma positiva “não reclama porque diz que é para isso … que está na Suíça”. A atitude do autor foi louvável, no entanto será que tem o direito de a publicar? Quantos de nós num ou noutro momento da nossa vida já tiveram atitudes deste tipo e não a partilharam com o mundo.

    Existem vários tipos de pessoas que se veem obrigadas a sair do país, uns apenas para dar um futuro ainda melhor aos seus, outros devido às adversidades que a vida lhes colocou e ainda outros que preferem desenvolver a sua actividade profissional, durante a vida ou apenas durante um determinado período, longe do seu país. Em todos os casos todas estas pessoas merecem o nosso respeito.
    Um bem-haja a todas essas pessoas e a todos aqueles que ficam. Por vezes quem fica acaba por ver redobrados os seus trabalhos, quer porque tem que ser pai e mãe em simultâneo quer porque tem de suportar uma vida planeada a dois sozinhos.

    Tenho também presenciado algumas situações de algumas destas pessoas que vão para fora, sozinhos/ (as), que acabam por arranjar novos/ (as) pessoas nesse país e acabam por ter uma vida dupla, sem pensar naqueles que deixou para trás. Em Portugal esposa e filhos e no país de acolhimento uma nova família. Não quero condenar ninguém, nem sequer ser juiz de alguém, mas a vida é feita por aqueles que a vivem. Só me cabe mostrar o meu desagrado relativamente a estas situações.

    Para terminar deixar uma palavra de gratidão a todos aqueles que como o autor (enganado ou não) acabam por fazer o bem. Deixar também um desejo de que a situação do país fique melhor para atenuar a necessidade de separar famílias.

    Um bom fim-de-semana a todos.

  142. Depois de ler o mix de comentários aqui ditos, gostava de dizer duas coisas.
    A história pode ser real ou ser um simples conto literário, mas tem uma moral subjacente ao facto de quem parte à procura de uma vida melhor acaba por poupar de uma forma muito mais intensa. Por isso tudo que seja despesa é riscado do pensamento (seja um alimento inflacionado quando comprado num avião, ou um simples voo de ida e volta) para se conseguir o objectivo que varia de pessoa para pessoa. E todos tem capacidades diferentes de lidar com a distancia e com a saudade.
    Por outro lado o texto foi escrito no dia dos enganos o que pode por si só descredibilizar o mesmo, “Ricardo Sousa 1/4 às 11:15 ·”
    Em todos os textos que pretendem transmitir sentimentos com realidades de muitos de nós vividas ou sentidas solidariamente tem uma Moral. Neste caso sem olhar para as nuances dos pormenores, o que fica explicito é que tem muitos portugueses que não conseguem emprego pelo facto de terem mais de 40 anos e não pela sua competência profissional. Por isso, irem encontrar fora de portas o que dentro poderiam ter, se existisse vontade politica, da esquerda à direita para que isso fosse possível! São os males desta Republica, por isso o povo anda como ela, NU!

  143. Porquê esta situação?… Como facilmente se pode constatar Portugal continua a saque por vários motivos: uns vividos por perto e outros por mero conhecimento geral. Vejamos o que se passa num núcleo que todos acham como heróis, os bombeiros; homens e mulheres submissos aos seus quadros de comando e direções, eles bombeiros trabalham sem limites, pondo mesmo a vida em risco para salvar os outros. Até aqui nada a dizer, ou melhor louvar a bravura deste elementos voluntários. E perguntasse porque comandantes e direções “roubam” os elementos sábios que nos ajudam a cada dia a sobreviver e a viver?
    Os vários governos têm vindo a olhar para os bombeiros como coitadinhos, e são. Mas o problema nas no “roubo” que os quadros superiores fazem aos nossos imposto e aos elementos que prestam serviço nos quartéis sem horário. SEMPRE PRONTOS A AJUDAR OS OUTRAS.
    A justiça sabe das fraudes e os governantes também, mas falta-lhes a coragem de enfrentar os novos ricos “criminosos”.
    Quem tem de pagara toda essa fatura é o povo. Povo esse que cada vez é menor; dos cerca de 10 milhões, apenas estamos a viver em Portugal já não chega a 9 milhões. Somos os resistentes. É MESMO CASO PARA OS NOSSOS OLHOS LACRIMEJAREM.

  144. carlos santos pereira says:

    que história de faca e alguidar, não tenho pena nenhuma, se tinha fome que comesse bucha feita e preparada em casa, trabalha e o dinheiro não chega??? As filhas que se agarrem ao trabalho e a mulher que se mexa, até parece que estou a ver, divorciados no papel, rendimento de inserção assegurado. Ao autor do artigo digo, acorda para a vida e não seja ridículo

    • eleuterio meireles says:

      carlos de certeza que tem emprego,ja que fala assim diga me aonde se arranja trabalho adigno desse nome e nao exploraçao por parte dos patroes visto minha esposa nao ter trabalho nao por nao querer mas sim porque ninguem mete nuingeum e se metem o que pagam nao da sequer para as deslocaçoes,diga me como uma familia como a minha se sustentava com 1000 euros ai em portugal,a pagar casa ,comer pagar estudos das muidas,agua luz,etc

      • Carlos Santos Pereira says:

        tenho emprego e emprego oh Sr.Eleutério, necessidades passei mas não foi por isso que deixei de lutar, inclusive com uma doença neurologica degenerativa, quando morrer nao tenho medo de infernos ou purgatórios. em boa verdade os meus colaboradores auferem salarios em média de 2000 euros, e são socios da empresa, por minha e unica vontade e sem custos para eles.

  145. Luis Carlos Tavares says:

    Como sou brasileiro e filho de portugês que veio há muitos anos para o Brasil e morreu sem conseguir voltar à santa terrinha, deixando aí, no Porto uma filha, minha irmã, que só fui conhecer pessoalmente há 3 anos (ela com 84 anos e eu com 62 na época), lá em cima em São Pedro do Sul, achei a história interessante e aproveitei para ler vários comentários e tentar entender a realidade atual de Portugal que amo à distância. Aprendi muito e fico triste com essa situação de muitos terem que sair de casa para,longe de seus familiares, terem melhores condições de vida. Torço para Portugal superar tudo isso. Aqui no Brasil temos emprego, porém, mais de 50% são informais, por conta própria e sem carteira assinada. Temos semelhanças.

  146. Manuel Sayonara says:

    Elizabete sua puta, vai comer merda!!!!

  147. Manuel Sayonara says:

    Oh Carlos Santos Pereira, tu falas provavelmente porque tens trabalho e estas junto dos que gostas, se n n falavas assim.
    Para ti, boi do caralho, respeita os que estão longe dos que amam e que têm de trabalhar para os sustentar…porque ao contrario do que dizes, os que ca estão não o coseguem..boi de merda, a ti desejo-te o pior…!! Emigra…e ve a realidade…!!!

    • Carlos Santos Pereira says:

      emigra tu, boi, e leva a corja de pedintes familiares e amigos que tens, sou um pagador de impostos, fascista é claro, por mim morriam todos os santos e puros de intenções

      • José Fontes says:

        Realmente é só gente pura e cheia de boas intenções, esse Senhor emigrante deve ser é tão tolo como o tolo que escreve, ou então, somos todos tolos por perder tempo com esta tonteria. Se trabalha para que as madames estejam cá temos pena, se tem feitio para burro e corno força

  148. eleuterio meireles says:

    eu estou a trabalhar na alemanha e por sinal os ordenados sao bem mais baixos que ai na suiça,tenho a mulher em portugal que nao ganha nada infelismente,2 filhas para sustentar e com o meu ordenado mando dinheiro para que nada falte la,fico com dinheiro para me sustentar ddurante o mes,nada de luxo nem vadiagem,ando a pe ou de bicicleta mas uma coisa tenho a certeza ,eu de 3 em 3 meses vou a portugal,nos anos das minhas filhas,nas ferias de verao e no natal e nao me venham dizer que os bilhetes nao sao acessiveis porque eu vou partir hoje e os bilhetes custaram me 100 euros ida e volta ja com lugar marcado e seguro.em março se quise se ter ido ficava me por60 ida e volta,mas preferi ir agora visto minhas filhas estarem de ferias escolares por isso nao venham com desculpas que so nao vai ter com a familia quem nao quer ou quem nao tem amor para dar aos seus,quanto ao inverno ai na suiça e igual aqui a alemanha todas as empresas param no inverno por causa da neve,a empresa aonde trabalho teve pessoal parado quase 3 meses sleqbeter,se eu tambem tive sse que parar com certeza abalava logo para junto dos meus e nao estaria aqui certamente .ja sabemos que todos queremoss o melhor para os nossos filhos mas por outro lado tambem temos que ter algum tempo para estar junto deles e se eu nao o pudesse fazer entao de certeza que estaria melhor la junto delas.o dinheiro nao e tudo na vida,so facilita um pouco as coisas mas os sentimentos essses valem muito mais

  149. Todos falam que o senhor não pode trabalhar das 8 Às 22h, e que a construção civikl pára no inverno…mas vocês não sabem ler, idiotas? Está escrito que tem um part-time, logo, mesmo que pare no inverno, não há empo para ir a Portugal, porque tem outro trabalho, gene mesquinha e idiota. E depois, ele aé poderia ganhar bem, mas se a família em Portugal não em rendimentos, é natural que o dinheiro vá todo para a família em Portugal, ficando o senhor com o mínimo dos mínimos. Conheço vários casos assim. Que gentinha temos neste país, porra!

  150. Ricardo says:

    é melhor viajar com a Tap voa mais alta a sandes é de borla https://www.youtube.com/watch?v=j50AELSs02A e nao é mais caro que a easy jet como muita gente pensa 🙂

  151. Gente que tem dívidas, que tem mulher desempregada e filhos na universidade, outros que sustentam mais que mulher e filhos, por vezes pais e irmãos, e outros…depois, devem pensar que é ir pra Suíça e 6 meses depois já podem vir de férias, como se não levasse tempo para estabilizar a vida, ainda por cima com dois trabalhos, em que se estás de férias num, no outro não estarás, logo torna-se difícil arranjar um período em que tenha férias nos 2 trabalhos, de maneira a vir visitar a família. Gente mesquinha e idiota, gente horrorosa. De facto, desde 1789 que se fala em igualdade, liberdade e fraternidade como valores da modernidade; a liberdade trabalhou-se imenso nestes séculos, na igualdade não tanto mas também imenso, mas na fraternidade uiui, ainda se assiste a intervenções deste género que temos lido, em relação a semelhantes em condições desvantajosas. É curioso que quem ataca o senhor compara-o consigo, como se tivesse inveja de que o senhor teve atenção e eles não tiveram, sim, eles que também emigraram mas que tiveram imeeeenso sucesso, que vêm a Portugal de férias frequentemente, têm dinheiro para tudo…que lata, falarem deste senhor e não falarem deles!!!…. Que egoísmo, gente mesquinha…

  152. joana says:

    Pode muito bem ser verdade! Mas quem na suiça está sabe muito bem que não era necessário! Sabendo que o senhor trabalha na construção o salário deve rondar os 4000fr. Mais o part-time que imagino ser entre 3 e 4 horas por dia a digamos 20fr. Por hora…
    Resumindo conheço um caso aqui ao pé de mim que o pai trabalha 7 dias por semana tem 2 filhas uma com universidade acabada e vai duas vezes por ano a portugal…
    A esposa desse senhor e as filhas que poupem como nós poupamos no estrangeiro que o resultado é outro!!!
    Mais, quando eu vou a portugal vejo desempregados mais bem vestidos que eu, pergunto-me se não serão mantidos pelos Josés emigrantes que há por este mundo fora…

  153. Lore Lo says:

    Este artigo é ao mesmo tempo esclarecedor, comovente, revoltante… obrigada por ter partilhado. Só gostava de dizer-lhe que (é a minha opinião personalíssima) sinto que a língua portuguesa fica mais pobre a cada passo com esta sorte de globalização cultural auto-impingida que nos faz utilizar anglicismos por tudo e por nada (reality check, 20 something…). Por favor, desculpe este desafabo-boca de uma estrangeira que ama a língua portuguesa e assiste dia-a-dia como observadora-participante a esta realidade que, por sinal, também me faz chorar…

  154. Vanessa says:

    Sendo uma “ainda miúda” de 28 anos, há já 6 anos na Alemanha, ainda que cheia de saudades, olho todos os dias para a fotografia do meu super pai-músculo já há 14 anos em Angola… e não me lembro de o ouvir queixar-se uma só vez…mas lembro-me bem da confiança na voz de que sacrifícios não são nada quando é com e por amor… Este artigo fez-me chorar, mas com lágrimas de orgulho, gratidão e…amor.
    Há bons e maus exemplos para qualquer circunstância da vida, e é um “estilo de vida” que não assenta a muitos mas tendo crescido numa família em que na maior parte do tempo um membro ou mais da família estava(m) fisicamente ausente(s) nunca senti-me menos amada ou menos importante por isso… se há coisa que aprendi desde muito cedo é que tempo e distância não se metem no caminho quando há um esforço, preserverança e determinação conjuntos de Família ser a prioridade… e na minha humilde opinião de quem passou e passa pela mesma situação, esta é a mensagem a reter…

  155. Emigrante recente says:

    Compreendo a dificuldade de muitos emigrantes Portugueses que em tempos foi muito difícil, mas por ter passado por essas dificuldades não quer dizer que todos a têm que passar pelo mesmo! por muito que a sua historia seja complicada, há sempre alguém que a passou pior e não é por isso que todos tenham o mesmo dever. No meu ponto de vista, acho que todos temos direito ao convívio familiar, por isso é que se forma uma família!! todo o país que obriga á separação familiar por motivos de não ser sustentável as principais necessidades, não é grande país!!! e mais cedo ou mais tarde vai trazer consequências para a sociedade. Num pais como Portugal que precisa imenso de natalidade e vemos as famílias separarem-se cada vez mais, isso não é futuro!! Todo o país precisa de movimento, sustentabilidade familiar, mais igualdade nos ordenados. Cada pessoa que sai do nosso país é num mínimo 300€ por mês que deixa de haver movimento e coloca-se esse movimento no país visitado, porque é necessário, comer, vestir, morar, transportar, telefonar, etc. Sou emigrante, e já passei por alguns países, vejo mais igualdade em termos de ordenado e respeito pelo trabalhador. Um ordenado mínimo em Portugal é de pouco mais de 400€, quem consegue ter uma família sem viver na precaridade sem recorrer aos pais ou alguém?! Depois vê-se o governo a patrocinar abortos e pouco apoio na natalidade!!! uma família de ordenado mínimo que é a grande maioria dos Portugueses, como vai sobreviver ao contar com despesas de filho ou filhos, transporte para trabalho, casa, luz, agua, gaz e alguém que tome conta das crianças, caso a mãe trabalhe, mas se trabalhar lá se vai boa parte do que ganha!!! minha família encontra-se toda em Portugal, sempre fiz trabalho extra para sobreviver, minha esposa igual, o dinheiro sempre foi á justa, não somos fumadores, nem bebemos bebidas alcoólicas, minha esposa sempre usou transportes públicos e eu tive a sorte de ter transporte da empresa, mas com a instabilidade em Portugal tornou-se impossível viver em Portugal. é muito difícil termos que viver separado de quem confio e me quer bem!!! mas prefiro assim do que ver a passarem mal.

  156. MANUEL ANTONIO says:

    Manuel Antonio essa historia ta mal contada porque viajo com frequencia e a classe business vai em primeira classe e porque pede o tal homem um resto de sandes … nao vejo logica sendo que o mesmo poderia pedir outra sandes
    Gosto · Responder · 40 s

  157. carlos says:

    Sinceramente pensava que era uma historia um pouco mais dramática é que isso parece as resportagens da TVI…. E se choras te dessa maneira e isso te comoveu assim tanto é porque não estas bem a par do que se passa em Portugal…

  158. ricardosousame says:

    O meu nome é Ricardo e sou o autor do texto original, não do post. Alguns esclarecimentos que me parecem relevantes:

    – Não fui eu que coloquei o post, ou escolhi a imagem que aqui está, ou tenho qualquer filiação a priori com outras ideias deste blog.

    – Questionar a veracidade do mesmo é, no mínimo, ridículo pelo que me escuso a fazer qualquer comentário sobre esta questão. Estar alheado da realidade é uma coisa – querer ignorar a mesma é outra.

    – Este texto foi inicialmente colocado como uma partilha com amigos no meu facebook. Não foi escrito para ser um artigo num blog, não foi pensado para ser uma análise de um tema de forma séria e pensada – foi o relato de uma situação vivida POR MIM e que, de alguma forma, ME marcou.

    – Como acho óbvio, mas parece que muitos não entenderam, o José (que ainda estou para encontrar no Facebook!) pediu a metade da sandes não porque estivesse a morrer de fome há X dias, mas porque sabe que lá em cima é mais caro e 10€ fazem diferença, provavelmente, no seu dia-a-dia.

    – Não sabemos quanto ganha e especular isso é um exercício demagógico. Apesar de convenções na Suiça, ele pode perfeitamente ganhar abaixo e quem conhece a realidade da emigração sabe que há “handlers” no processo que ficam com fatias do que ele provavelmente ganha, fora as obrigações lá e em Portugal que lhe poem levar grande parte do dinheiro e que não terá arranjado emprego assim que lá chegou. Ninguém faz o part-time porque lhe apetece, ninguém fica sem ver a família e com aquele rosto de sofrimento porque lhe apetece.

    – Os voos: easyJet ou não easyJet os voos são baratos quando: comprados com bastante antecedência, em datas não altas, com cartão de crédito. Qualquer um dos pontos anteriores pode ter sido a razão pela qual alguém com um trabalho que secalhar nem é assim tão certo e um part-time não consegue arranjar voo mais rápido 🙂

    – Ninguém disse que não é bom, ou não há que lutar. Para quem verdadeiramente me conhece e não leu um artigo isolado, sabe perfeitamente que sou dos maiores defensores da responsabilização pessoal, da luta e sacrifício, do vender lenços em tempo de guerra, mas a verdade é que sermos empreendedores, sermos lutadores não faz de nós máquinas – continuamos a ser humanos e quando vemos alguém que está mal (eventualmente podendo discutir-se se podia ter lutado mais ou não) ficamos tristes. Foi o que aconteceu.

    Este texto não foi escrito para fazer ninguém chorar, para gerar likes o partilhas (ganho 0€ com as mesmas e ainda me retiram tempo, acreditem), foi feito como um momento de partilha com as pessoas que me conhecem e que tenho no Facebook. O que aconteceu foi que, sintomaticamente ou não, essas pessoas partilharam, e outras partilharam e quando demos conta o texto está aqui e em mais não sei quantos sítios e gera tudo num mix de ódio e simpatia. Da minha parte não quero nem uma coisa nem outra, apenas que o José (e outros) se safem.

    • paciente do mesmo says:

      ricardosousame, adorei a sua publicação, você não publicou para agradar a toda a gente, entendi bem a sua partilha e partilho desse sentimento. Sou emigrante e conheço varias situações de pessoas idênticas, umas com pouca capacidade de gestão do que ganham, outras com muita boa gestão e sacrifício e passam muito mal. Trabalhamos para empresas que nos exploram, tratam-nos com imensa arrogância, não quero adiantar muito,mas vou só dizer o seguinte: Um colega meu que reclamava certas atitudes de arrogância e descriminação(uma delas era de ter que tomar banho com agua fria em pleno inverno, sendo o contrato com direito a casa com todas as condições) foi despedido quase agredido, no momento que estava a desfazer a barba, nem o deixaram acabar de a desfazer e puseram-no fora na rua, a pessoa que o fez é contratado pela empresa mas está disfarçado como empregado, não passa como um controlador do pessoal, grande musculatura e agressivo, na hora de fazer o contrato escolhem pessoas débeis a níveis físicos e financeiros, só quem passa por isto é que sabe. Envio cumprimentos

    • Jorge Carvalho says:

      Mas a senhora acreditou nesta patranha…? Tambem eu me fartei de chorar sò de pensar que hà tanto palerma a acreditar nesta trêta… Acho que quem estava com fomeca näo era o emigra… Quem ofereceu o iPhone ao autor da trêta esqueceu-se de lhe fazer um farnel

  159. Paulo Pinto says:

    li a história com muita atenção, n vou julgar s é verdadeira ou n pq foi apenas um desabafo de alguem e n uma peça jornalistica com todos os factos. o q tenho a dizer é q tb tou a trabalhar fora de portugal e tive q o fazer para tentar dar uma boa vida ás minhas 3 filhas, é claro q quero q elas façam bom uso do meu sacrificio mas indepedente do q acontecer no futuro, eu tenho q tentar o melhor para elas. é claro q existem pessoas em situações piores e outras em situações melhores mas para mim o estar longe das minhas filhas mata-me aos poucos, n posso estar nos bons e maus momentos das suas vidas, ter os seus carinhos, ve-las crescer e s tornarem mulheres, sinto muita a falta delas e sei q elas sentem a minha tb, é muito duro esta vida e sinceramente n sei s estou a fazer o melhor pq estou a perder importantes momentos das vidas das minhas filhas e sem q elas o tenham pedido, eu apenas presumo q elas querem continuar os estudos até ao fim, ter boas prendas e boas roupas etc… mas tudo isto em troca da ausencia do pai nas suas vidas. eu lido com algum racismo e discriminação e trabalho no duro mas nada disso me afeta, sou portugues com muito orgulho mas é dificil n conter as lagrimas quando s esta sozinho e a pensar nas pessoas q mais ama.

  160. Este é um exemplo da lacuna entre as gerações de emigrantes portugueses. Se fui “obrigado” a abandonar Portugal não por falta de trabalho mas por falta de oportunidades de carreira onde o teu chefe é e será sempre um amigo de um amigo dos directores da empresa. Sinto-me privilegiado em ter uma carreira fora de Portugal onde sou um estrangeiro a gerir uma equipa de locais mas fico chocado ao falar com portugueses na casa dos 40 que trabalham 12 a 14 horas por dia para ganhar em um mês, o que eu ganho em uma semana e que mesmo assim sobrevivem por aqui e ainda mandam dinheiro para Portugal. Não só é uma extrema carga horária mas em trabalho de dureza extrema a ainda assim, abdicam de qualquer luxo, qualquer viagem e chegam mesmo a vender parte ou a totalidade das suas férias.

    Quanto ao comentário do Jorge, que parece ser uma lambidela de cu às mulheres comentadoras, só posso que dizer que conheço casos de homens que passaram anos a enviar dinheiro para as esposas em Portugal, até receberem uma carta de divórcio ou simplesmente regressarem a casa de surpresa e perceber que ela já tinha uma vida de casada com outro. Um outro caso de um rapaz de 25 anos a trabalhar duro em armazéns no Porto-mar para pagar os estudos Universitários à namorada, para ela o ter deixado 5 dias após a licenciatura. Uma rapariga de de 24 anos com um namorado em Portugal como quem está desde os 19 anos, não precisou demais de 1 mês para conhecer e ir morar com outro aqui. Pessoas más e sem princípios há em todo o lado mas nao são exclusivamente homens.
    Cada caso é um caso e você coloca um rótulo no homem como um todo, numa demonstração de ignorância. Você não vê inteligência em muitos homens tal como eu não a vejo em si.

  161. Helder Reis says:

    Helder Reis, 38 anos, vivo em Kaohsiung, Taiwan com a minha mulher que é natural daqui e temos um filho que nasceu aqui, fui motorista de serviços públicos e devidi abandonar Portugal mais cedo (há 3 anos) pela salubirdade pela percepção de que tudo iria piorar e decidi aproveitar a oportunidade de vir a ter uma vida melhor e que felizmente encontrei! Saudades de amigos e familia.

    • BRUNO says:

      Caragos cumo se cunxegue ir pra Taiwane ou la ca é e dexidir ir e ser se motrista de salubridade ?! tambénhe cuéro !

  162. benficaresende says:

    A maioria das pessoas são buras ou fazem-se, só o facto de estar, sozinho sem a família,
    Já e um grande sacrifício, para não falar da vida deste senhor, que nós desconhecemos
    cada um sabe da sua vida, é muito lindo criticar os outros, já é um acto de grande coragem
    pedir o resto da sanduiche.

  163. Márcia says:

    Depois de ler estes comentários, estou cada vez mais convencida que o problema de Portugal são os portugueses. Somos incapazes de despachar um governo incompetente e ainda nos comemos uns aos outros em vez de nos ajudarmos.

    • BRUNO says:

      Mas eu nun cuéro comer nanhum portugues , xó qero ir pra xuiça travalhar e fazer un tunneing no carro despois

  164. Rui Barbas says:

    Ricardo Sousa não posso deixar de reaparar e festejar tamanho tacto humanista, chorei baba e ranho de tanto rir, és um merdas que procuras merdas maoiores oh JOTINHA. reparei tb no teu face que há donzela a pedir cacete, oh Ricardo sousa, eu nao dou metades como tu, se ela quiser inteiro eu dou, e nao peço ajudas ao comissario de bordo. Ridiculo

  165. João Azinhais says:

    É só para dizer que a Easyjet não tem aviões Airbus A380! peace!

  166. Rui Ferreira says:

    Bom… acho que todas as opiniões são validas, não pretendo hostilizar ninguém… mas existe uma opinião dada por uma Senhora Elisabete que me deixou perplexo … é que na Suiça a construção civil “pára” cerca de um mês e meio quando neva????? ….bom durante 18 anos fui gestor numa das maiores empresas de construção civil em portugal e nunca paramos!!!! ahhhhh pois…. deve de ser por causa da neve… também deve de ter razão…. é geralmente na construção civil quando chove ou neva… trabalha-lhe dentro das próprias obras… assim não para o trabalho!!!!

    Conhecendo eu como conheço os Suíços, que são pessoas ponderadas, metódicas e extremamente perfeccionistas, julgo que eles calendarizam as obras para que na altura do inverno, a obra apresente condições de trabalho no seu interior….

  167. BRUNO says:

    A EASYJET NÃO TEM A380 QUE É UM AVIÃO DE LONGO CURSO. A EASY JET NÃO TEM VÔOS DE LONGO CURSO INTERCONTINENTAIS. A FOTO É FAKE.

  168. luis pina says:

    O que mais me entristece é que há emigrantes neste caso Suiça é o caso da dona elisabete que se revela pura e simplesmente racista em relação aos seus conterrraneos, pergunto venha para cá e faça uma vida honesta e veja até onde vai. Provávelmente é uma daquelas emigrantes portuguesas que está lá a explorar a mao de obra de portugueses por certo para falar assim é melhor que se cale porque ninguem de bom senso lhe dará ouvidos

  169. meninade24anos says:

    Li este artigo,mesmo que não seja verdade,e uma historia que pode acontecer na vida real….eu sou uma menina e já sou emigrante a 5,não tive vida fácil em Portugal pois meus pais não tinham dinheiro para tudo,quis sair para poder lhes dar muita coisa que eles não tinham e nem podiao ter,comida nunca nos faltou…estou a contar isto porque eu ganho mais ao menos e pago minhas contas aqui mas o resto que sobra mando para Portugal,resumindo fico sem dinheiro…e essas pessoas que andam a fazer comentarios estúdios,deve ser do tipo de emigrante que quando esta fora deve morar numa coisinha e nem deve comer para nao cagar,e quando voltam a portugal vao armados em eu e que sou,tenho carro bom,vao comer aos restaurantes e passam dia todo no cafe/pastelaria,com roupas boas,por isso esta historia pode ser verdadeira…..um simples homem que luta pela sua família.

  170. Bruno Teixeira says:

    Cada um sabe das suas… mas infelizmente nem todas as criticas podem ser construtivas.
    Afinal de contas qual o objectivo do ser humano? valores é algo que está em falha por aqui. José boa sorte para si. Que Deus o acompanhe sacrifique-se hoje amanhã terá os resultados, o dever de um Pai acima de tudo e mesmo esse criar educar e sofrer ate morrer… vivemos sempre os problemas dos nossos filhos como se fossem nossos. Forte abraço.

  171. Rita A. Ribeiro says:

    Há gente muito ignorante a comentar esta partilha.

    Cada um sabe de si, da sua vida e das despesas que tem. Não me parece que seja orgulho para ninguém, pedir o resto da sandes de um desconhecido, ou ficar 2 anos sem a família, seja alguém a trabalhar na Suíça, na China ou até mesmo no país vizinho. É incrível como ainda vem para aqui gente a comentar que não acredita na história, quando pode acontecer a qualquer um, num abrir e fechar de olhos.
    Tenho 30 anos, e ao contrário da minha geração, não fui eu que tive de sair do meu país, e sim os meus pais com 52 anos e mais de 35 anos de descontos sem interrupções. E mais uma vez digo, cada um sabe o que vai na sua casa, nas suas despesas e o que sente.

    Muito Obrigada pela partilha RicardoSousa, são pequenos acontecimentos como este, que me fazem acreditar que ainda há pessoas enormes.

  172. tudo isto reflecte bem o ser humano… reparem, quem está bem não acredita que o homem possa estar a ser explorado como alguns que conheço e sei que vivem em condiçoes semelhantes… Amigos, eu ja trabalhei na alemanha, na suecia, espanha e agora estou em frança o que vos posso dizer e que sim existem alguns com sorte e sim existem alguns sem nenhuma… poder se ia dar o caso de este senhor estar a mentir mas a realidade e que tenho a mais profunda certeza que realidades destas existem… aqui em frança tambem existem regras mas mesmo com essas regras eu conheço pessoas que vieram para ca e trabalham mais de 10 horas por dia na construção para ganhar 800 euros por mes se fizerem sabados os patroes dão lhes 25 euros a mais…. outros nem assim arranjam trabalho (visto ja serem tantos a procura do mesmo) e por isso vao para o cafe da esquina as 6 da manhã a espera que passe o sub empreiteiro e leve alguns …. nao se preocupem todos estes homens de quem falo têm 0 de descontos e nao ganham mais do que 30 euros por dia isso e garantido… eu ja vi com estes olhos não conheço a suiça mas sei como o HOMEM é e sei que onde houver um Homem existe a possibliidade de exploração… de qualquer forma tenho a dizer que e facil criticar e falar quando nao dispomos de toda a informação e principalmente quando estamos bem, mas atenção a que saber que a vida da voltas e hoje quem se queixa e este senhor (se fosse como eu e como muitos não se queixava ) amanha talvêz sejam vós que criticais por não saber o que e estar mal… abraço a todos e desejo sinceramente que o amanha seja melhor que hoje não so para quem esta mal mas para todos*

  173. PeaceAndLove says:

    Boa tarde, depois de ler a historia e alguns comentarios faz-me rir o que as pessoas podem imaginar as contas dos outros, e o que as pessoas possam ganhar, muita gente aqui na suiça ganha muito mal e sabe deus como as pessoas pagam as coisas. Aqui a muita gente explorada que chega a suiça e nao sabe de leis nem nada disso e sao extremament exploradas por outros portuguêses. Ve uma pessoa a dizer que compra viagens pa Portugal por 30fr dis-me onde é que eu tambem queria viagens a esse preço. A coisa que mete mais pena na suiça e os portugueses nao se ajudarem entre eles so se sabem queimar ajudem-se pessoal vimos todos do mesmo pais :D:D Bom sabado

    • não é só na suiça, por onde passei posso lhe dizer que fui sempre bem recebido é verdade mas por todos os não portugueses… pois os portugueses esses infelizmente são os que nos recebem pior… talvêz pensem que com a nossa chegada os postos de trabalho deles estejam ameaçados…

  174. Isabel says:

    Como o percebo Ricardo !!! Eu sou “um José ” Obrigada a sair de Lx aos 52 anos depois de ter passado 1 ano no desemprego e ter ouvido “esqueça que na sua idade nunca mais vai encontrar nada ” – comentario dum jovem que me atendeu na seguranaca social. Jà passaram quase 5 anos, felizmente tinha um diploma de enfermeira que me permitiu encontrar rapidamente aqui em Lausanne, um bom trabalho e Bem pago. Mas Tb passei por muita coisa e durante 1 ano e meio chorei Todos os Dias de saudades : do meu filho, familia e amigos. É que na nossa idade jà nao se fazem novas amizades ! Trabalamos MUITO, Gracas a Deus e agradecemos a este Pais que nos permitiu “aguentar” a vida ai. Gracas à Suica pude manter o meu apartamento e nao vende- lo a metade do preco como tantos amigos fizeram !!! Felicito um jovem como o Ricardo que AINDA TEM SENTIMENTOS :)))

  175. Mariana Pita says:

    Não gosto muito de fazer comentários… Contudo, a minha consciência de mulher com 52 anos, que começou a trabalhar aos 16 e aos 48 perdeu o emprego, ficando numa situação em que sou muito nova para me reformar (nem quero!!!), e muito velha para trabalhar, por ser filha de pais que emigraram depois dos 40 anos, e mãe de uma menina com 22 anos, licenciada que deixei ontem no aeroporto para entrar num avião a caminho de Glasgow para num período de 3 meses ir pela segunda vez procurar futuro no estrangeiro… não resisto a dizer à senhora Elisabete e a todas as pessoas inconscientes, ignorantes, insensíveis (entre outras coisas) que apoiam o seu comentário, que VÃO À MERDA com os vossos argumentos e opiniões!!!!!!

  176. Isabel says:

    Ah e em relacao ao comentario Da Élisabeth , quero informa-la que aqui na Suica as Obras nao param 1 mes e meio como diz e mesmo com neve prosseguem. Para alem disso nao podemos ir a Portugal qd queremos pois arriscamo- nos a perder o emprego. E para reorganisar a vida sao precisos pelo menos 2 anos, pois aqui td é muito dificil qd chegamos e muito caro !!!! Ao principio é sempre a pagar , sobretudo a nivel de Seguros obrigatorios ( nomeadamente o de Saude que é obrigatorio ). Nao ha sistema de Saude e a unica coisa que pedimos a Deus na nossa idade é Saude para aguentarmos o desafio de émigrâr aos 50 anos !!!

  177. Capitão says:

    Continuem a votar neles… 30 e muitos anos, ainda é pouco. É só isso que tenho a dizer.

    Obrigado

  178. marisa says:

    Acredito k e verdade tambem sou imigrante mas graças a deus tenho os meus filhos e marido. Nao ha dinheiro no mundo k pague o amor da familia. È a realidade de tantos….

  179. Bla bla bla !!! Tintarías !!!!

  180. carlos Francisco Boavista Fernandes Carlos says:

    Cara Elizabete: mas porque é que nós portugueses temos a mania de estragar com comentários negativos tudo o que se ouve ou lê. A história até podia ser mentira. O que interessa é a abnegação demonstrada por essa quantidade enorme de portugueses que partiram “para a França”, como se dizia nos anos 60 e que continuam a partir porque este país não os protege. Como eu dizia, a história até podia não ser verdadeira; porquê estragar com pormenores que até poderão não se aplicar aqui, um momento que comoveu o autor e bastantes leitores da mesma? É um prazer bem português ser-se desmancha- prazeres. Ainda bem que sou antigo o que não me permite exprimir publicamente o que neste momento sinto por si. Ah! Uma das coisas é PENA.

  181. Ola pessoal, porque tanta guerra, para quem trabalha na Suissa sabe perfeitamente q é obrigatorio gozar 4semanas de Freias. Depois Como sabem os bilhetes de aviao naõ saõ como a 15 ou 20 Anos atras, q custavaõ uma Ida e volta ca. De 800 CHF. A minha opiniaõ é q para quem ganha ca. De 4.500.– CHF tem um partmeim eganha algo mais, nao conssigo entender para onde vai o dinheiro. Casa Krankenkasse Vida Dia a Dia sao preçisos ca. De 2000.–a 2500.– CHF para uma pessoa sozinha. 2000.– CHF sao em Portugal ca. De 1600 1700 euros. O Meu pai tem de reforma 460 euros e tem que se governar COM a minha mae, por isso chego a conclusaõ q a historia naõ esta Bem. Contada. Abraço Sena

  182. ALBINA PEDRA says:

    NA SUIÇA, NA FRANÇA, NA AMÉRICA EM QUALQUER LADO DO MUNDO HÁ E SEMPRE HOUVE ESTAS SITUAÇÕES, MAS NEM TODA A GENTE TEM CAPACIDADE PARA COMENTAR EM PÚBLICO, BEM HAJA A ELIZABETE QUE TENDO ASISTIDO A ESTA SITUAÇÃO A COMENTOU, OBRIGADA! ASSIM HOUVESSEM MUITAS ELIZABETES E ESTE MUNDO ESTARIA MUITO MELHOR

  183. JOSE MACEDO says:

    Depois de ter lido todas estas asneiras o que me oferece dizer é perdoai-lhes senhor que não sabem o que dizem nem o que falam nem quem relata nem quem comenta tadinhos que tristes coitados.

  184. João Rodrigues says:

    Por vezes sinto vergonha de ser Português, aqui descute-se sobre o sexo dos anjos, uns fala bem outros mal, mas não vejo ninguem a fazer nada.
    Os que estão há mais tempo num país devia dar apoio aos que chegam, ponham os olhos nos Povos que tanto criticam, Romenos, Albaneses, Croatas, podem andar todos os dias à cabeçada uns com os outros mas quando toca a unir para ajudar um compatriota, eles estão lá todos.
    Grande parte dos Portugueses que conheço fora do nosso Portugal só olham para o umbigo deles e só fazem alguma coisa em troca de…
    Estou na Alemanha há 2 anos luto por subreviver e tento fazer o que posso por quem me pede ajuda e não venha nenhum invertebrado dizer que é mentira pois já antes de vir para cá eu fui bombeiro voluntário durante 24 anos e ajudei muita gente a troco de nada, talvez tenha ajudado pessoas que não merecem tal como os que criticam quem tenta fazer alguma coisa pela vida, não ajudam e ainda cantam de poleiro porque estão um bocadinho de nada melhor.
    Parem com as criticas, passemos á acção, juntemo-nos para ajudar os nossos compatriotas, ajudando esses nossos irmãos eles podem tambem ajudar as familias que estão em Portugal.
    Mas tambem têm outra opção, não ajudem, mas escondam-se num buraco para que o vosso cheiro não nos incomode e guardem as vossas opiniões destrutivas no… bolso.

  185. BRUNO says:

    ouvi dizer que existe um fórum por aqui sobre aviação ?..

  186. BRUNO says:

    AH é mais um fórum de portugueses emigrados na Suiça que dizem mal do país que estão e que querem voltar mas acham que Portugal não dá para comprar carros tunning , e não querem que os outros portugueses que querem emigrar para a Suiça, não emigrem para a Suiça.

  187. A.Freitas says:

    Em 1982 era então 1º Ministro o DrºMário Soares,debaixo já de uma inflação perto dos 30% e resgatados pelo FMI,pois o meu vencimento já não dava para pagar ao merceeiro,emigrei durante 4 anos para o Iraque,na altura estivemos lá cerca de 7 mil,hoje já reformado e com 67 anos como a maioria dos companheiros,fico com vontade de chorar pelos comentários que muitos fazem só por mera política,pois se não tivesse passado por isso hoje não teria a vida organizada e uma boa reforma,mais deixei,a minha mulher com duas crianças uma de meses e outra com 3 anos que hoje em dia também beneficiam dessa minha vida de sacrifícios,hoje a maioria de quem emigra vai com bons contratos e boas condições pois no meu tempo as instalações eram autenticos campos de concentração,a diferença era que não havia internet nem televisões nos aeroportos à nossa espera senão muitos não fariam os comentários que agora fazem,falam de barriga cheia.

  188. silvia says:

    Eu estou perplexa com tanta aberração nem consegui ler todos os comentários…a história chamou-me a atenção também eu sou emigrante na Inglaterra e vim para aqui porque infelizmente em Portugal não se consegue arranjar emprego. Não vim para aqui com dividas como a maioria há historia dramáticas em todos os povos que aqui coabitam e acreditem que vem dos 4 quantos do mundo sujeitam-se a tudo. Mas a verdade é que é dificil deixar o país que amamos para podermos ter emprego e viver. Morro de saudades de Portugal e sei falar e escrever bem inglês senão nem quero imaginar seria muito dificil, estou aqui há 9 meses e tenho emprego mas sinto-me arrancada das minhas raízes, da minha cultura, do meu povo. Pois também eu já construí uma vida em Portugal, também eu tenho 40 e tal anos e tenho que construir uma nova vida aqui a partir do zero, Isso doí por dentro e por fora pois o estigma da idade vem connosco como um parasita que se apodera do hospedeiro. Há trabalho não dá para grandes luxos mas vive-se, partilha-se casa doutra maneira é impossivel pagar uma renda em Londres ( que é onde se arranja emprego imediato), eu considero-me uma sortuda pois vivo num apartamento não tenho que partilhar a minha zona de conforto com pessoas estranhas mas quantos o fazem e contam histórias horríveis. Os portugueses que aqui tenho conhecido são umas maquinas regra geral, mas sinceramente aí de nós se adoecemos o estado paga £17 por dia. Garanto que a partir dai não se vive nem tão pouco sobrevive e dificilmente haverá alguém para nos acudir…apelo há compaixão dos portugueses onde quer que estejam e simpatizem com a história real ou ficção é o que menos importa. .

  189. BRUNO says:

    Eu comessei a travalhar aos 4 anus numa fabrica de tomate e ao 6 anos fiz a admição para oficial de empacotamento do tomate na fábrica enquanto o meu pai andava a arrumar carros em Beja e a minha m\ae estava a travalhar a dias . Agora com 38 anos quero e vou emegrar para a Suissa que é onde se aprende a ganhar dinheiro para comprar um carro tunning azul petróleo e a Suissa é muito bom pois es\tao muitos portugueses e portuguesas . Em Portugal a lavoura já não dá nem o tomate e eu não sei falar o frnçais mas aprendo instantaneamente. Na Suiça hão de até se arrepander de falar mal de Portugal pois eu quero fazer um grupo de baile de músca portuguesa. Eu vou para a Suiça . Obrigados

  190. estou farta de chorar pelo amor de Deus ….. tenho pena é de quem passa fome em Portugal nao pode pagar nem sequer os livros aos filhos quanto mais chegar a universidade … a mulher que va viver com ele e trabalhar assim faço eu com o meu marido na suiça …. luto lado a lado …. temos 4 filhas e vou a portugal 2 vezes por ano nao nao sou mais que uma empregada de limpezas e o meu marido igual …. o q ele faz ao dinheiro eis a questão

  191. BRUNO says:

    Eu só queria dizer o seguinte, a TAP tem sandes melhores que a Easyjet.

  192. Tanto disparate. Quando pararem com a mania de julgar os outros sem os conhecer, ou fazer juizos de valor sem estar em posse de todos os dados, então podem dizer que aprenderam algo. A discussão que um pequeno relato suscitou….. Povo da treta, tem os politicos a roubarem-nos, a não nos permitirem viver decentemente, e o que fazem? Discutem por parvoíces. Haja paciência.

  193. Costa says:

    Parem la de dizer que os portugueses imigrados recebem os seus compatriotas com “pedras nas maos”! Parece-me que sao emigrantes na area da construcao e limpezas que mais se queixam dessa situacao, mas realizem que os emigrantes portugueses nao trabalham apenas nestas areas e ha muitos a ajudar outros! E nestas duas areas referidas acima nao tenho duvidas que existem casos de ajuda mutua e cooperacao! Porventura quem se anda aqui a queixar tera de se ver ao espelho….
    Quanto a historia em si, verdadeira ou ficticia, o que me leva a ressalvar e a incapacidade de o nosso pais proteger os seus cidadaos, que sao obrigados a emigrar! Eu, a 7 anos que emigrei, e foi por opcao, ja assim e dificil, imagino quando se emigra por nao haver outra solucao! Quando e que os portugueses decidem de uma vez por todas votarem, mas 100% em branco!

  194. Sei o que é mudar de vida quando se pensa que já não precisamos de contruir mais nada. Partilho da mesma situação desse José e de outros tantos que aos 40 e tal anos de vida mudam de país e começam de novo.
    Boa sorte, José! Para ti e para todos os outros.

  195. Artemisa says:

    Deixo aqui um video… que independentemente de retratar algo mais ou menos verdade… mostra mto bem quanto é errado julgar sem conhecer todas as circunstancias da vida de cada um…

    http://tvmissionaria2.ning.com/video/imposs-vel-n-o-chorar-como-e-errado-julgar-as-pessoas-segundo-a

  196. Jorge Carvalho says:

    Tambem eu fiquei lavado em lagrimas quando li esta trêta sò de pensar nos palermas que acreditam nesta patranha… Como este emigrante existem milhares e que nem chegam a ter internet ou skype. Tal como o “emigra” lhe disse, o homem näo era doente, nem tinha problemas mentais e muito menos era deficiente da fala. Sendo assim podia ser o proprio a pedir outra sandocha mas felizmente estava ali o “bom samaritano” para ajudar o emigrante desgraçadinho e cheiinho de larica… Và dar banho ao cäo. Parece-me que quem pedinchou a sandoca näo foi o emigra porque esse, trabalha na construçäo e atè tem mais uns part-time, e por muito dinheiro que mande para casa ainda era gajo para pagar uma cerveja ou um cafè ao autor da trêta… è que na Suiça o trabalho è valorizado e devidamente remunerado… O que me parece è que quem lhe ofereceu o iphone se esqueceu de lhe fazer um farnel…

  197. Isabel says:

    É curiosa a importância que se dá à sandes, ao ordenado, aos preço das viagens, quando o que eu retiro deste texto são coisas simples: 1- ser imigrante não deve ser nada fácil
    2- deixar a família deve ser devastador
    3- que ainda existem pessoas que se sensibilizam com historias de vida como a do Sr. José.
    Vivemos num mundo cada vez mais egoísta e onde a miséria de valores e princípios é bem mas grave que a falta de pão na mesa.
    Acredito sim, que existam muitos “Sr.s José”, espalhados pelo mundo, mas não vamos enxovalhar esses “Sr.s José”, expondo a forma como vivem, nem mesmo a D. Elisabete, a quem felizmente, a vida corre de feição. Vamos louvar sim, o autor do texto (que muito apreciei), que num qualquer momento da sua vida, perdeu algum tempo, para falar de um senhor, que conheceu por acaso num avião e que certamente o melhorou como pessoa, nesse dia!

  198. Miguel says:

    Não vou por em causa a veracidade da história, se bem que, algumas questões pertinentes foram levantadas, e talvez o José precisasse de se encontrar não apenas com uma pessoa generosa como o Ricardo Sousa, mas com alguém que além da generosidade, já tivesse alguma experiência de lidar com pessoas no limiar da pobreza, e alguma “estaleca” a identificar quando alguém chegou a uma situação limite e precisa de ajuda para fazer escolhas sensatas e gerir o dinheiro/qualidade de vida; esse calo adequir-se depois de se verter muita lágrima com muitas histórias chocantes e com uma grande perspectiva sobre a falta de meritocracia. Mas não é isso que me leva a comentar, até porque não conheci nem o José, nem o Ricardo Sousa, e portanto não tenho grande base para qualquer tipo de julgamentos nesse assunto. O que me leva a comentar é a conclusão final, que passo a citar: “É de facto esta a geração que está na lama. Não os 20-something, não os “cérebros que fogem”, são os pais desses cérebros – chamemos-lhes os músculos.”. Claro que os mais jovens não estão na mesma situação desesperante, estão numa situação desesperante diferente da do José. Quem perde o emprego na casa dos 40 terá muitas dificuldades em reentrar no mercado de trabalho. Quem perde o emprego na casa dos 50, provavelmente só se safa se fizer o seu próprio emprego. Quem perde o emprego na casa dos 30, terá muitas dificuldade em encontrar um emprego estimulante, na sua área de interesses, e isso também é triste. Quem se encontra desempregado na casa dos 20, tem outras oportunidades que o José não teve, e ainda assim não está fora da lama, quer porque vai competir com os “locals” na procura de emprego qualificado no estrangeiro, quer porque quatro anos após o final do seu curso, dificilmente encontrará um primeiro emprego qualificado, e as histórias desses jovens também podem acabar como a do José. Isto é um drama para qualquer geração, fazer comparações de uma geração contra a outra só podem conduzir a más conclusões e maus diagnósticos do problema. Parece-me que falta algum “calo” ao Ricardo Sousa, talvez precise de tirar mais vezes os auscultadores do iPhone e falar com mais pessoas, no aeroporto, na paragem do autocarro, na rua, nos cafés locais…é a conversar com muita gente que entendemos o problema na sua grande dimensão, e pelo texto, parece-me que o autor não entende. Não posso terminar o meu comentário sem comentar a menção à “fuga de cérebros” no sentido de desvalorizar o problema. É que quando se fala em “fuga de cérebros”, ninguém se está a referir ao triste destino dos “cérebros” nem a querer tratar estes como uns “coitadinhos”. A fuga de cérebros é um problema para o país porque estamos a falar das pessoas que desenvolveram as competências para transformar a economia do país numa coisa diferente, e foi a sociedade toda em conjunto, através dos impostos, que se esforçou para formar estes “cérebros”, vendo agora esse investimento traduzir-se em precariedade. Todos estes problemas têm de ser encarados como problemas a serem resolvidos, e não como problemas a serem antes de mais hierarquizados, porque a natureza é exactamente a mesma. Não nos serve definir o que é mais triste nem quem está mais desgraçado. Serve-nos identificar quais as medidas a serem tomadas, e os rumos a seguir, para que toda a sociedade portuguesa seja uma coisa melhor do que é hoje, e acrescente-se, serve-nos procurar soluções para lá de esquerda e de direita, soluções certas para lá de partidos e cores políticas.

  199. Rodrigues says:

    Mais uma historia de portugueses mimados, senão vejamos.
    Tenho hoje 53 anos e vim para a Suiça á quatro(4) anos deixei a família (mulher e filho) em Portugal.
    O meu filho nasceu com uma surdez profunda mas estudou somente ate aos 17 anos hoje tem 27 porque o nosso sistema escolar não permitia que continua-se a estudar de dia nas sim de noite então como não tinha interpretes abandonou os estudos.
    Ao fim de 2 anos conseguimos um emprego. Após um caminho percorrido entre ensino e emprego temporários,tudo terminou para ele,logo a vinha vida social com a família agravou porque a esposa tb não arranjava emprego devido á idade. Imigrei.
    Continuo a ver a esposa e filho via Skype porque aqui tenho agora alguma possibilidade extra.
    Agora o estado diz que não pode dar nenhum subsidio a ele porque no ano de 2012 ganhou um valor superior a 5000€ de ordenado,logo tenho eu de contribuir com as despesas aqui e em Portugal como todos a maioria dos imigrantes.
    Agora pergunto que será dele após a minha velhice, ninguém o emprega nem mesmo o centro de emprego aqui a policia não lhe dá o Permi porque tem mais de 21 anos, pergunto mais uma vez,é por isto que deixarei de visitar a família.trabalho na agricultura os salários hora RONDA OS 15 € BRUTOS na contrução civil os 22 € para ajudantes.

  200. BRUNO says:

    MAS A PORRADA CONTINUA AQUI SÓ POR CAUSA DE UMA SANDES ???!!

  201. BRUNO says:

    Pois eu cá cuntinui a travalhar na fabrica du tomate e gostaba de ir lá pra Xuiça quaé unde se ganha o dinheiro para fazer um tunneing no meu carro . Eu gosto mutio de ber os emigrantes du Portugalo á caxaporrada xó porque nun teem nada pra fajer. É inpreçionante e o tempo paxasse bem nas tardes de xuva . Além de iço aqui aprende-sse af falar o bon português com çedilha.

  202. BRUNO says:

    Pois eu cá cuntinui a travalhar na fabrica du tomate e gostaba de ir lá pra Xuiça quaé unde se ganha o dinheiro para fazer um tunneing no meu carro . Eu gosto mutio de ber os emigrantes du Portugalo á caxaporrada xó porque nun teem nada pra fajer. É inpreçionante e o tempo paxasse bem nas tardes de xuva . Além de iço aqui aprende-sse af falar o bon português com çedilha. E alén de isso as sandes da TAp têm touxinho e as da Esajéte ou lá ca é nun tem.

  203. BRUNO says:

    Deichei cair uma lágrima dos olhos aquando li esta linda história xobre emigrassão.

  204. BRUNO says:

    E ten rânxos do folculóre na xuiça tâmbênhe ?

  205. BRUNO says:

    Bou lebar un sanduíxe acando eu boar nun aviõn para a Çuissa.

  206. Ricardo Lopes says:

    Existem momentos que nos criam reacções que não se explicam… Sentem-se e na minha opinião devem ser absorvidos da melhor maneira possível… Tal como foi tão bem feito e descrito neste caso.
    Pelos vistos a “Elisabete” nunca terá essa capacidad, talvez por estar demasiado fechado no seu mundo e opiniões iguais a de tantos outros.
    Parabéns pelo texto e pela partilha.

  207. Montreux! says:

    ELE SE ESTA A TRABALHAR A DOIS ANOS E PORQUE DEVE TER DINHEIRO SUFICIENTE PARA COMPRAR UMA SANDES E UMA PASSAGEM PARA O PORTO PORQUE ELE VIVENDO COM DOIS AMIGOS A DIVIDIR AS DESPESAS E COM UM SALARIO DE CERCA DE 4 MIL POR MES E DE FACTURAS CERCA DE 700 ACHO ELE N TEM COMO FAZER SE DE COITADO, TODOS NOS SOMOS IMIGRANTES E CADA UM TEM A SUA HISTORIA E CONHECO CASOS BEM PIORES!

  208. gabriela says:

    estou de acordo com a dona elisabete , porque acho que so emigra quem quer ,conheço muitos emigrantes et muita gente que esta em Portugal com oportunidade de emigrar ,com dificuldades em Portugal e nao emigram .Vivemos uma crise mundial .Agora é verdade que na Suiça ha leis , para a proteçcao do trabalhador , se alguem nao é pago por X razao ha o Prud home ,Tive patroes em Portugal que tambem nao me pagaram e nao pude recurrer a nenhuma instituiçao Mais , acredito que os estrangeiros em Portugal tambem teem leis que lhes dizem respeito ,e teem que respeitar .Nao acho que seja uma questao de Pais ,mas uma questao de emoçao do protagonista deste anuncio pela maneira como interpretou o sr José , talvez este senhor precise comunicar mais e constatar que o mundo nao é perfeito e em todos os paises ha difilculdades e em todos os paises havera um sr Jose , se trabalhar ou fizer algo no humanitario vera que este facto é diario .Moral da historia se estamos conscientes do mundo a nossa volta ,daremos conta da realidade , e admiraremos o que o ser humano é capaz de ter dificuldades mas por instinto tambem é capaz ,com sacrificio ou nao, de sair dessas dificuldades ,resultado, temos que parar de queixarmos da vida que temos , de criticar ,sorrir a vida ,positivar e ajudarmo nos uns ao outros nao importa qual a cor da pele ou pais d origem, sem exigir nada de volta porque o final para todo o ser deste mundo é o mesmo nao?Fazer algo de bon enquanto vivemos ,faz nos sentir uteis e satisfeitos .saudaçoes a todos
    recopio o que postei porque acho que parece pelos comentarios postados aqui ,que uma opiniao de um artigo virou tribunal ,onde toda a gente se insulta e se critica ,,onde esta a humanidade ? a base do artigo foi uma opiniao pessoal de uma pessoa que constatou que nao estamos sozinhos nesta terra ,nada de dramatico a meu ver ,que justifique estes insultos pelo contrario ……

    • Filha de Emigrante says:

      Peço desculpa, mas a sua frase de só emigra quem quer, revoltou-me. Sou filha de um emigrante na Suiça, e tenho muitos familiares que emigrantes, e não foi de boa vontade que nenhum deles emigrou, todos emigraram à procura de uma vida melhor. Como se diz no norte, fizeram-se à vida.
      Emigraram quando sentiram dificuldades, e em vez de estarem a entrar em manifestações que não valem de nada e só prejudicam o nosso pais, foram para fora a procura do seu futuro, e para de alguma forma ajudar quem cá fica.

  209. Não consigo ficar indiferente a tudo o que li no artigo e comentários.
    Respeito todas as opiniões até porque cada um opinou conforme o seu estado atual e suas crenças.
    Eu acredito que esta fase que o mundo está a atravessar é de mudança e de uma forma muito rápida. É urgente reaprender a pensar. Hoje em dia é muito fácil e até gratuito ter acesso a formação, livros, entre outras ferramentas para aprender novas competências pessoais, profissionais, abrir novos horizontes, aprender a abrir-se a novas possibilidades, etc.
    Quando falo com alguém que diz que está mal e lhe pergunto o que tem feito de diferente, a resposta é sempre a mesma: “Ah, e tal, não é fácil, não tenho tempo, isso não é para mim…”
    Se falo com pessoas que não se queixam da vida (e não têm necessariamente que ser ricas), o discurso é positivo, falam de projetos, ideias, esperança, etc.
    Eu acredito que hajam casos como o do Sr. José, mas ao mesmo tempo pergunto: Será que ele está a fazer as coisas da forma mais correta? Ou será que faz as coisas como aprendeu há muitos anos atrás?
    O ser humano por defeito tem tendência a destacar o que é negativo talvez porque ao saber dessas notícias se possa sentir confortável com a realidade que tem por existirem pessoas bem piores… Por isso é que a comunicação social só vende desgraça.
    Eu acredito que se quero ser melhor, pensar melhor, tenho que ser eu a procurar.
    Nasci em Portugal, vivo no meu país, não tenho ensino superior e sempre procuro o melhor que dê conforto a mim,aos meus assim como um bem estar com todas as pessoas que de alguma forma fazem parte do meu dia a dia.
    Tenho 33 anos, trabalho desde os 15 anos, já estive envolvido em mais de 10 empresas diferentes e continuo a aprender.
    O mundo precisa de noticias positivas, exemplos de que é possível fazer e ser mais, e de pessoas que deixem as suas zonas de conforto para fazer o mesmo caminho.
    Se eu deixar aqui uma oportunidade que permitiria ter um ganho extra de 500€, 1000€ ou mais por mês, sendo desenvolvido em part-time, resolveria alguns problemas?
    recruiter.wingsnetwork.com/besuccessful

    Se mudarmos a forma de pensar, mudamos os nossos resultados!

    Um bem haja a todos!

  210. Filha de Emigrante says:

    Respeitando todas as opiniões, não posso deixar de discordar com uma parte.
    Infelizmente, tenho parte deste caso muito perto de mim. Sou neste momento finalista na Universidade e já há 6 anos que o meu pai emigrou, inicialmente para a Alemanha e depois para a Suiça. Não esteve tanto tempo sem vir a Portugal. Mas sei os esforços que ele faz para conseguir poupar, afim de me pagar os estudos e sustentar ainda a minha mãe (que está desempregada) e a minha irmã quem tambem ingressa na universidade no proximo ano.
    Quando planeou emigrar foi sempre com o intuito de nos possibilitar o dito “luxo” de ir para a universidade. Mas isso só aconteceu porque como ele diz “quero dar-vos aquilo que não tive”. Não sou mais que ninguem por ter um curso superior, mas sei que num futuro a minha vida é facilitada por isso. Estamos agora a ver pessoas com mais de 30 aos a frequentar cursos para obter o 12º ano, porque as empresas assim o exigem, e o mais provavel é daqui a uns anos exigirem ainda mais formação.
    Feitas as contas um aluno universitario que nao esteja na sua area de residencia (como é o meu caso) tem diversas despesas, como casa, luz, agua, gás, alimentação, propinas, etc. todas estas despesas ficam por volta de 400€, Depois ainda há a casa da restante familia que está em Portugal, tambem tem contas para pagar, alimentação, e ainda uma estudante do secundário que provoca ainda mais despesas. E ainda há a casa de quem está emigrada, com todas as despesas. Se repararem é uma só pessoa a sustentar 3 casas, são 3 rendas, e tudo o resto a triplicar. Pensem bem quanto não gastam.
    Quanto ao que a sujeita Elizabete diz, quena Suiça a construção civil para de trabalhar por causa da neve, isso varia muito de empresa para empresa. O meu pai já trabalho em empresas onde do Natal até Fevereiro não se trabalhava por causa de neve, agora trabalha numa empresa onde raramente são os dias em que não trabalha por causa da neve. Este ano teve em casa apenas 4 dias, Apenas teve 2 semans de ferias no Natal e voltou logo ao trabalho.
    As passagens aereas são económicas em épocas baixas, sim, mas os emigrantes apenas tem ferias no Natal e no Verão, onde grande parte das vezes um viagem de uma pessoa só fica por 500€ ida e volta.
    Não olhem só para o vosso umbigo e pensem que há pessoas em Portugal muito mal, a passar muitas dificuldades, mas quem está fora não estámuito melhor.

  211. Jose Carvalho says:

    Saudade; sei o que é.. 3 anos a trabalhar nos paquetes…….; trabalhar 16 horas por dia também……, contudo esta historia pode ter o seu lado de verdade, mas também tem o seu lado de dramatismo, eu trabalho, estou a acabar uma licenciatura, e tenho dois filhos na faculdade, a minha é particular e as dos meus filhos é publica, portanto acho que sei das dificuldades que se passa para criar dois filhos, mas acima de tudo é tudo uma questão de prioridades, essas sim é que muita gente as tem trocadas, é melhor ir ao café tomar o seu pequeno almoço, e outros pequenos mimos que todos temos direito, sim temos direito….. mas temos rendimento para isso e para cumprir as nossas obrigações…….. isso cada um é que sabe, não sou eu que tenho o direito de estar para aqui a opinar. Nem irei opinar sobre o quê e onde o senhor gastava o dinheiro la na Suiça.
    Em relação a esta vaga de imigração não é o que a maioria das pessoas dizem, procurem-se informar como pensam os miúdos que vivem noutros países,
    Apenas quero deixar aqui o meu conhecimento sobre esse caso; e passo a citar:
    este natal fui passar á terra da minha mulher ( Algarve), e encontrei uma prima da minha mulher que esta á 10 anos a viver e a trabalhar na Inglaterra, e por acaso é numa faculdade e por acaso esta responsável pelo programa Erasmus,…. Ao perguntar-lhe o que ela achava sobre o que se estava a passar sobre a imigração dos recém-licenciados em Portugal, ela confirmou o que eu suspeitava, é o fenómeno chamado Globalização, ser cidadão do mundo e não de um país, em Inglaterra também se esta a passar o mesmo que em Portugal os jovens querem partir pelo Mundo no caso da Inglaterra querem ir para a Austrália, EUA , Suécia e mais outro que agora não me lembra…. desculpem.
    È tempo da maioria das pessoas pensarem naquilo que podem fazer, e não naquilo que o Estado pode dar……Sim dar, pois é nisso que a maioria das pessoas pensa, já pensaram que o que descontam mensalmente para que é que dava se o Estado retira-se tudo o que temos direito….. Escolas, Estradas,Saúde..( sim, temos um dos melhores sistemas de saúde do mundo, tem problemas….. sim tem, mas não deixa de ser bom) Tribunais……etc.Sim já pensaram quanto custa uma consulta no privado, na escola … muita gente nem desconta o valor equivalente para poder usufruir se não estive-se o Estado por detrás.
    E com isto não venham dizer que sou Neoliberal, não….. apenas é uma questão de bom censo, não é isto que as pessoas fazem no orçamento de casa, rendimento versus despesa
    Não será tempo de se ver o que temos de bom, Sim temos muita coisa boa, a nossa arte de receber turistas, o nosso calçado, o nosso vinho, e muitas outras coisas que não vale a pena estar para aqui a enumerar.
    E também não pensem que tudo é perfeito……. eu também não o sou.

    Jose Carvalho

  212. MCLandureza says:

    Como e’ triste as pessoas quererem aparecer e para isso virem com comentarios e afirmacoes sem nexo, que afinal nada dignificam a sua pessoa… pois nem e’ um comentario ou resposta inapropriado ao sensivel texto partilhado doo nosso Amigo Ricardo Sousa. Obrigado Ricardo, por nos dar a conhecer a sua experencia!!!! Bem haja!!!!

  213. Paulo says:

    história como muitas outras…mas,muitos comentarios,sem noção..não tarda nada estão a julgar a vida do homem,de traz pra frente..tipico de portugues..bem a
    hajam e boa páscoa.

  214. Jose Carvalho says:

    Boa tarde Sr. Paulo, o que eu quis dizer nunca foi julgar o homem, mas teremos que ver que a historia está muito dramatizada, com isto não estou a dizer que não seja verdadeira, mas dai ate á situação relatada, e não quero aparecer como alguém aqui diz, sou português, livre ja estive imigrado e sei do que estou a falar, porque de historias destas ja presenciei algumas, mas depois de se saber todo o contexto teríamos uma opinião contraria á que algumas pessoas aqui querem transmitir. Mais uma vez a historia do coitadinho.
    Peço desculpa ás pessoas que vivem essa ideologia, mas para mim esse tem sido o erro constante ao longo da nossa historia, e para não alongar muito, dito o proverbio: Sempre que vires um homem com fome ensina-o a pescar, nunca lhe dês peixe.

    bem haja….. aos que tentam fazer algo pela vida e não os que deixam que a vida faça por eles.

    Jose Carvalho

  215. Carlos Aparicio says:

    Vejo tantos comentarios por aqui que nao fazem parte da realidade quanto ao individo que trabalha na Suica como construtor so nao tem dinheiro porque nao quer ou nao sabe usalo como ele ha muitos e nao e preciso it para a Suica existem muitos em Portugal tb emigrei uma vez para a Suica para o ramo de hotelaria ai nao se ganha muito mas se souber poupar ai se junta algum mas ha pessoas tb limitadas se lhes derem um martelo passam a vida a espetar pregos e la fora exists sempre mais oportunidades e falo por experienciia propria limpei muita porcaria dos outro mas agora tenho uma vida bem melhor trabalho 6 dias por semana e as vezes os 7 dias, pergunta eu quantos faz em isso em Portugal? O trabalho recompensa e claro que tudo e relativo com as condicoes profissionais de cada um e para isso que existe escolas e a vontade de cada um de vencer na vida. Com 54 anos fui para uma escola tecnica onde me deu oportunidade para garantir mais trabalho e consequentemente mais dinheiro para poder viver em melhores condicoes. Custuma se a dizer que nao chora nao mama mas aqui ha muitos que mamao sem trabalhar e Portugal esta cheia deles bem como aqui na America aonde vivo em que a miseria existe em cada canto excepto nos filmes de holliwood

  216. Cristina says:

    Wow. Comovente. Tb vivo no Canadá e nunca passei privações. Gracas a Deus e a muito trabalho. Ae hoje eTou melhor de vida. Fiz aemprenpor isso bMas sou humilde. Generosa e acima de tudo sinto compaixão por situações dessas. E verdade. A geração nova do nosso querido Portugal deveria lutar ao invés de se lamentar. Parar e morrer. Bem haja pelo gesto grande em oferecer comida ao sr. Mas sobretudo por o escutar. Nobre. Bem haja

  217. Não percebo o porquê deste post se ter tornado num jogo bélico de opiniões. A sua finalidade inicial seria a reflexão, não um ataque desmedido de “emoções” via verbal!

    • António says:

      isso só prova o facto de tanta confusão que anda a civilização actual, é pura intolerância, cada um acha sempre que é dono da verdade, bolas apenas foi postada uma história que alguém vivenciou e achou importante para ele, se não concordam, não concordam, mas a inveja tem sempre que aparecer.

  218. Francisco Reis says:

    Trabalhei na Suiça entre 1986 e 1995 e já havia imigrantes assim.Tenho quase a certeza que ainda haverá muitos que levam para o trabalho um chouriço para o almoço, comem 3 rodelas com pão e, no dia seguinte,levam o mesmo chouriço que ainda dará para mais 2 almoços.Isso vi eu num compatriota.
    Pela família.devido a várias causas que só ele saberá,ainda concordo que se sacrifique estar tanto tempo sem visitar a mesma.Pelo dinheiro é que além de criticável,é vergonhoso passar aquela imagem de coitadinho.
    Felizmente que esses casos são uma minoria insignificante,que não mancham de forma alguma aquilo que é o prototipo do imigrante português na SUIÇA.

  219. os portugueses sao uns triistes, so sabem insultar sem conhecerem as pessoas. seja na suiça, ou conchichina tem q se trabalhar. o mais triste é ter mos q nos separar de quem mais amamos, porque o nosso país ta numa miseria

  220. anonimo123 says:

    falam falam mas nao dizem nada… parecem garotos que descobriram agora um computador e andam a brincar com ele. se fossem ver o que podem fazer para contribuir para um país melhor nao vos valia mais?? com esta mentalidade ainda querem que o país melhor? uma coisa vos garanto vao com essa mentalidade para o estrangeiro seja para onde for, podem ter a certeza que não vau ser ninguem. trabalho, trabalho, trabalho… a recompensa chegará, se realmente merecerem.. a crise isso esta na cabeça dos portugueses e os media é que a chamaram..

  221. Eu acho que independentemente de comer metade da sande ou não, não é essa a questão! A questão é Portugal não nos dar condições para viver no nosso próprio país! E emigrar seja em que idade for não é fácil, deixar uma família, amigos, uma vida para trás, depois de ter trabalhado numa firma 20 anos, ou então depois de acabar um curso superior ter imediatamente que partir, só quem passa por isto sabe do que estou a falar. A minha filha acabou o curso de enfermeira em Julho e em Outubro estava a trabalhar num hospital em Inglaterra, muito duro, trabalha 10 a 12 horas por dia, e muitas vezes dias seguidos, e agora no inicio nem ganha grande ordenado, olhando ao nível de custo de vida. Ao fim de 3 meses, e apesar de ter lá amigos, disse-me: – Mãe preciso de um abraço! Por isso qualquer pessoa que emigre está nesta situação se não estiver com a família, e não há dinheiro que pague, um abraço, e o amor da família! O bolso até pode estar cheio, mas o coração sofre! Para todos os Antónios e Marias do meu país, o meu abraço fraterno, e muita coragem para essa luta.

    Cecília Macedo

  222. Carlos Aparicio says:

    Bem por alguns comentarios aqui vejo que existem pessoas que acham que nao se devia criticar afinal de contas cada um tem e pode expressar a sua opniao por exemplo o me aconteceu de prior foi o 25 de abril que destrui por completo a minha juventude e isto por culpa dos portugueses pois eu era considerado Portuguese de segunda e se calhar por muitos que aqui escrevem por isso Portugal e os Portugueses estao a pagar por aquilo que fizeram a milhares de familias destruidas pelo bem estar ate podiam comer cornos que para mim nao faz diferenca pois ja estou habituado a via jar mundos e tentar o bem estar que finalmente chegou fora dessa especie de pais que nunca me viu nascer apenas give uma passagem triste excepto pela familia e amigos que ai tenho.

  223. Élia Freitas says:

    Não devemos julgar ninguém precipitadamente. Eu tenho uma frase que se aplica a muitas situações na vida “coitado de quem se vê nelas”. Eu, felizmente, até ao momento, nunca tive necessidade de emigrar, mas tenho um enorme respeito por quem tem necessidade de o fazer, porque só esses é que sabem o quanto deve custar estar longe do seu país e da sua familia.

  224. Maria Jesus says:

    estão a ver porque é que emigramos? Já imaginaram o tempo que cada um perdeu a discutir o “sexo dos anjos”? Todos têm razão, são opiniões parcelares, sem os dados concretos e, valem o que valem. Vou trabalhar! Mas não resisti!

  225. José says:

    Chegando ao aeroporto tem la o seu bwm a espera …que historia mais linda sentimentos Portugas,Todos os dias se veem casos assim mas os cafés estao cheios de esses portugas que nao eram là e nao sao cà Boa noite Portugal

  226. MIlton says:

    Olá pessoal, um brasileiro tentando entender os Portugueses!!!???

  227. MIlton says:

    brother, tem muito emprego para vcs no Brasil, venham para cá ganhe uns Euros e renovem Portugal!!!

  228. Só dá tristes... says:

    Vocês que prestam tanta atenção aos erros… que tristes… que gente tão picuinhas e mesquinha! Sá dá gente maluca por aqui e palpiteira… Bonito era pararem de se julgar uns aos outros e meterem-se nas vossas vidinhas! Se não têm uma… arranjem-na!

  229. Laranjeira Amadeu says:

    Deixem-se de tretas façam comentários que valham apena isso é só ipocresia deam-se por felizes que tenhem trabalho o que é preciso é trabalhar fazer pela vida, não me digam que en 2 anos a trabalhar em suisse não pôde ir ver a família vai modo de viver ou melhor de se organizar , não venham com tretas porque isso não corresponde minimamente a realidade não tentem enganar ninguém porque ainda há muita gente que vai ençaiar de trabalhar noutros Países porque no seu nunca quiseram fazer nada mas de malandros está o mundo cheio façam-se vida e deichem-se de chorar que isso já passou de moda, e haja paciência para aturar estes ipocritas malandros.

  230. Laranjeira Amadeu says:

    Triste Era quando eu imigrei cheguei trabalho havia fazia falta estar legal no país onde me encontrava e não estava porque não faziam papéis aí eram tempos difíceis eu teve o azar de não poder trabalhar durante quase três meses quando consegui fazer os papéis trabalho nunca mais me faltou mas a maior parte do tempo teve de trabalhar em trabalhos que não eram da minha ária mas a necessidade obrigava a isso mas o problema de muitos é que não querem fazer nada que não seja na sua ária aí é que está a grande parte do problema e meus amigos cheguei a França 8 dias antes do 25 de Avril imaginem os imigrantes de agora passar por esses trabalhos eles não se lamentavam eram capazes de se matarem hoje a vida é demasiada fácil por isso esses lamentos demasiados, Mas cuidado preparem-se que o pior está para vir agora conheço imigrantes que é se se pode chamar imigrantes porque a maior parte todos os meses vão a Portugal .

  231. Estou impressionada com a falta de civismo que encontro em muitos destes comentarios.
    A maneira como a sra Elisabeth é tratada, nunca pensei ser possivel nos tempos modernos de hoje.
    3 coisas:
    1_Um dia ia eu na rua, ja escuro, e vejo um homem procurar comida num sesto do lixo ….. com a luz(app) de um IPHONE !!!!!!!
    2- Nos meus primeiros anos de suiça, (ja la vão 24) deparei-me com portugueses que se aproveitavam de outros portugueses que aqui trabalhavam no negro. Como?
    -. alugavam apartamentos aos coitados pelo dobro do preço
    – . Alugavam casacos aos coitados
    3- Os portugueses eram os mais invejosos dos proprios portugueses. Como?
    -. Riscavam os carros dos outros sö porque tinham um carro melhor
    -.Acusavam os outros a policia ( a mim tb me aconteceu)

    Fica o que vos parecer, mas respeitem a opinião das pessoas!

    • Francisco Reis says:

      Nem mais!Estive aí 10 anos e sei que é pouco assim.
      E que dizer da reação dos Portugueses após o ultimo referendo sobre a restrição de entrada de oriundos dos países da zona euro?
      Ouvi na antena aberta da Antena 1 coisas de bradar aos céus. Chegaram alguns a dizer para não(os ilegais sem trabalho) os lixarem.
      Quando toca a desunir somos os primeiros!

  232. Bárbara says:

    A história é comovente, como milhares (atrevendo-me a dizer até mesmo milhões) de outros casos idênticos por estas terras fora. Existe este tipo de situações hoje em dia, sim. Existe ainda mais miséria do que há uns anos atrás. Não sei porque que se põem para aí a duvidar da história e a partir para a ignorância. Se estão bem de vida ergam as mãozinhas a Deus e tenham compaixão por quem não tem 200 euros para vir a Portugal. Enfim.

  233. Le-se cada cena aki…parece uma caravela de miserias! A vida do homem nao toka a ninguem,clarìssimo. Tbm nao li td aki,mas a verdade è uma,por isso a sra elizabete,entre outros,falaram e bem!! 2 anos na suiça e nao conseguiu ter 100.-fr prs um bilhete d aviao?? Um mez parado,certamente pago…Desculpem dizer mas conheco malta k ainda hoje ta aki na Suissa a trabalhar,na agricultura,com calotes em portugal,2 meses em portugal sem receber, e sempre foram a portugal,medmo d autocarro,e a ganhar o sslario minimo bruto. Infelizmente è assim:todo o emigrante portugues da geracao dos meus pais(tenho 29 anos),dizem sempre:ta mau,ta dificil,o tempo das vacas gordas ja foi,tenho a familia a manter….la la la e la la la. Simpledmente o povo tuga quanto mais tem,mais ker,mas so pra ele,ou seija,é egoista! Conheci em lausanne portugueses k la estavam em roulotes e nem 100€ tinham pra regressar,mas esses sim,ja vieram com uma mao a frente e outra atraz a procura d trabalho. Agora sejamos realistas k kem tem trabalho,ganha por mt pouco k seja,consegue sempre amealhar algum. Quanto a bilhetes baratuchos,sim ha e frequentemente,mesmo a 29.90.-fr,se comprados com antecedencia. Tem ferias no natal,em maio cpmpra bilhete. Agora outra pergunta:se no ano anterior esse homem nao foi a portugal,como e kele sobreviveu um mes sem trabalho no inverno? Nao passou um mes so com 100.- no bolso… Conclusao: pra mim e historia de chorao,como se ve em tdo lado k ha portugueses. Kem ja esteve na suissa,ok,ja esteve,nao esta mais. Kem se incomodou com este meu comentario e vem dps dizer k o comentario e estupido e td isso…entao este cmm e pra essas pessoas tbm, as quais s aplicam o termo d chorao!! Boa noite a tds!

  234. Paula Ribeiro says:

    Sem palabras!!! Uuhffff a verdade e que esta vida e mesmo injusta y so quem e forte pode vencer!…. Forca para todos os que sao um exemplo como este senhor

  235. rocha says:

    bom Dia
    a maioria dos que dizem que os credores deste site são todos bandidos, eu estou pronto a investigação tem sido dois anos eu fui enganado por gênero. Tenho visitado um site de anúncios de empréstimo entre indivíduos sérios ao redor do mundo e eu ter conhecido um grande cavalheiro, nomeado Ms. Rocha Dassilva nacionalidade Português que ajuda a ninguém capita Portugal, França, Martinica, Guadalupe, Nova Caledônia, Honolulu, Polinésia e outros em empréstimos e que me deu um empréstimo de € 30.000? Na segunda-feira eu tenho que pagar mais de 15 anos com um muito baixo interesse de sua parte, ou 2% do meu período de empréstimo e lá na manhã seguinte, eu recebi o dinheiro sem protocolo. Precisa de crédito pessoal, os seus bancos se recusam a conceder-lhe um empréstimo, você é CDI e other’re falar com ele e você apertar satisfeito, mas tome cuidado para que você não gostaria de pagar os empréstimos. aqui é o seu e-mail: rochadassilva01@gmail.com

  236. André says:

    Enfim há dificuldade em todo mundo!!! Estou a trabalhar na Suíça a 11 anos nasci aqui mas cresci em Portugal até vir morar com meus pais em Martigny valais a 37 kl de vevey!! Hoje tenho 27 anos e posso me orgulhar de mim mesmo porque imigrar para aqui só me trouxe coisas boas hoje em dia tenho uma casa em Portugal tenho casa própria na Suíça tenho um bom carro e tinha muitas dívidas em Portugal sou casado tenho 2 filhos e minha mulher não trabalha, eu trabalho na construção e consigo manter isto tudo, e antes de mais não tenho inveja de nimguem só desejo a mesma sorte que tive a todos os portugueses!! Espero que este senhor se encontre em melhores dias mas uma coisa é certa que isto está muito mal contado!!!

  237. Christophe silva says:

    Acho este texto um pouco triste. Triste não pelos sentimentos mas uma tristeza geral que rodeia o desconhecimento.
    Sou filho de emigrantes na suíça, que por vezes emigraram para seguir os pais (meus avós). Os meus pais viveram mais de 30 anos na suíça e quando o avião era caro só se utiliza para situação de emergência. De ambas as partes a família regressou a Portugal nos anos 90 mas eles ficaram, criaram-me a mim e ao meu irmão e para tal tinham dois empregos, um de dia e outro a noite até as 23h. Não tinham vergonha de limpar escritórios por fora dos tempos do “emprego fixo” e no dia seguir as 7h já começavam a rotina.
    Ir a Portugal e ver a família era três semanas nas ferias e ia-se de carro numa longa viagem de 2 dias onde no fim voltavam com o coração de saudades.
    Ainda este natal fui visitar amigos que para la foram e eles próprio dizem “se fazes vida dr portuga aqui não ganhas para ti, se aprenderes a gerir e não andares o tempo todo em cafés e comer fora como faz o povo português o salário mínimo é mais que suficiente”.
    Quando vejo os meus pais que trabalharam anos a fio a dar o maximo para poder viver bem e a geração de agora que vai para la com mentalidade critica só penso, isto é pura ingratidão.
    Por fim desculpem este desabafo, esta foi a minha realidade.

  238. armando says:

    Foi uma grande lição de vida infelizmente hoge é assim e se assim continua que não se faz nada os nossos filhos e depois os nossos netos ainda há de ser pior com esta dictaura capitalista

  239. Salvador pinto says:

    Meus amigos eu vivo no meu lindo e maravilhoso país e só quero escrever o seguinte: Os portugueses que vão trabalhar para outros países onde a vida custa muito mais onde ficam longe dos seus, são uns autênticos palermas, aqui não falta trabalho o que falta é ambição e vontade de trabalhar, querem é um emprego ou subsídios mas lá fora sujeitam-se a toda merda que aparece, mas aqui essa merda eles não querem têm vergonha, eu ganho 736 euros e vivo bem pago renda tenho carro como bebo passeio e nada me falta tenho um SNS grátis , enquanto esses palermas vivem na miséria nesses países para trazerem uns euros para cá, tristeza!!!!

  240. Acordem says:

    Vergonhoso é ainda mais esta manipulaçao do zé povinho !!! Querem dizer o que ? fica em portugal senao vais passar fome? ou juntas te pro aviao esperas 2 dias a mais e juntavas para comer? Isto é uma vergonha!!!!
    Vivo em frança a 10 anos porque em portugal entrevista apos entrevista concurso apos concurso a resposta era sempre a mesma. Ou falta de experience (com 19 anos ia ter o que?) ou temos pena mas esta vaga ja ta ocupada mas somo obrigados a fazer as entrevistas….
    Em frança fiz um curso superior gratuito!!!!! e sem ter 19 de média e trabalho a 6 anos no mesmo cabinete de arquitetura!

  241. Continuo Sem entender porquê esta toda a gente contra a Elisabeth. Estão para ai comentarios terrivelmente mal educados e de baixo nivel e ninguem diz nada

  242. Tiago says:

    Mas que comédia vem a ser esta . Ricardo se moras na Suíça poderias ter inventado uma história bem melhor. Senão moras estuda um pouco o sistema que aqui se vive 😉 fica a dica.

  243. Vasco Miranda says:

    Esta história tocou me profundamente, pois o meu pai para eu puder tirar a licenciatura que estou a acabar neste mês , já lá vão 4 anos desde que está na Suíça também, apesar de vir 4 / 5 vezes por ano que não é quase nada no meio de 365 dias, imagino o que este senhor pensa, pois como o meu pai me diz, estou longe mas se te ajudar no teu sonho isso irá compensar o meu esforço, quem tem os pais junto a si e sempre teve tudo é um sortido, quem tem pais como eu sabe o que é ter um ídolo e aprende o que é ser homem, ensinou me talvez da forma mais dura ( distância que estamos um do outro) o valor que a vida e as atitudes que temos têm .

  244. Zephyr says:

    Sò lavar roupa suja, foda-se! Grandes burros, incluindo o autor do texto! hahahhahaha

  245. José Leite says:

    Basta um imbecil qualquer se lembrar de tocar num assunto velho, morto e enterrado (ainda por cima sem nenhuma veracidade) , para que toda gente se ponha a opiniar. Parem com esta merda que cheira muiiito mal.
    Também sou imigrante na Suíça. Grande país.

  246. Teresa Valério says:

    Não interessa os culpados desta e de outras idênticas situações, eu pessoalmente julgo que é um acumular de maus governantes que tivemos do 25 de abril até agora. Logicamente devíamos ser mas batalhadores em relação ao que nos é imposto, mas os interesses falam mais alto. Felicito o interveniente por perceber a situação é ainda ter olhos e coração face ao próximo. Cada vez menos se encontra gente que se preocupe com o vizinho, por isso tiro o chapéu a uma pessoa que ainda tem humanidade e sentimentos altruístas pelo desconhecido. Parabéns e continue assim porque pessoas como o sr não se encontram facilmente pelo mundo fora👍

  247. Manuel Campos says:

    “Ganda” filme comovente, sou emigrante na Suíça há 20 anos, tenho dupla nacionalidade, Luso/ Suíça, sei do que falo, só gostava de saber quanto é que o Zé gasta nas bebedeiras,,, há há,,

  248. Elsa Maria Marques says:

    Também eu sou emigrante há quase 10 anos em Inglaterra, e embora tenha saído de Portugal por razões muito parecidas com as desse senhor, emocionei – me imenso a ler este seu comentário. Infelizmente foi devido às políticas incorretas e a políticos corruptos que tantos de nos com 50 anos ou mais tivemos de de recomeçar uma nova vida noutro país, porque o nosso, enxotou- nos como lixo para o lado. Felizmente estamos todos bem, não, não recebemos subsídios, mas trabalhamos 12 horas por dia para termos uma vida digna e descansada
    Bem haja por ter contado esse episódio que se passou consigo, desejo – lhe muito boa sorte bem como para esse senhor que trabalha na Suíça. No final ficam as eternas saudades dum país que não nos quer mas que nós continuamos adorar, ainda que a distância

  249. Helder Costa says:

    O facto de as pessoas saírem do pais tem a ver com o governo, somos maus governantes. Faz parte da nossa cultura, não sabemos governar, seja aqui, na China , na Suíça ou noutro sitio qualquer e pronto….E isso reflecte-se no Povo… Se ouvesse um pouco mais de inteligência e vontade de governar não era preciso ir para fora trabalhar, corria-se com quem tá mal no governo e pronto… Porque eles ( governantes ) não são nada sem o povo… Mas porque cada um só vê o seu umbigo, não se resolve nada… E olhar para o seu umbigo é uma muito má forma de governar… As empresas que evoluem são aquelas em que o patrão divide e discute os problemas com os empregados… Velho ditado:: Um por todos e todos por um……E entretanto anda tudo a roubar descaradamente e deixa andar….VÃO PRA FORA E DEIXA ANDAR QUE ISTO TÁ BONITO……A ISTO SE CHAMA FADO…….
    ISTO É O QUE EU ACHO E PRONTO……

  250. jose costa says:

    A Suíssa é o país europeu onde se ganha melhor! O ordenado mínimo na Suíssa neste momento é superior a quatro vezes o vencimento mínimo em Portugal! Durante quatro anos tive dois filhos ao mesmo tempo em duas Universidades diferentes a mais de 200 Kms de casa, pagando propinas! Ao quinto ano tive três! Trabalhando eu e minha esposa por conta de outrem, nesse quinto ano tivemos que pedir um empréstimo bancário! Sem qualquer outro rendimento, viviamos num casa que mais parecia um pardieiro. Hoje sinto-me feliz porque os meus filhos não precisam de mim para nada, cada um deles ganha mais que a pensão dos pais juntas.Só dois anos após a conclusão dos cursos de todos é que pudemos gazar férias fora de casa, não do País. Geralmente quem conta uma história, baseada em factos verdadeiros, acrescenta-lhe sempre algo de positivo ou negativo. É esse acrescento que cada um de nós deve tentar descobrir e analizar. Factos são factos, mas não podia ter pedido ele próprio outra sande, à hospedeira se tinha fome? Uma vigem de tempo tão curto dá para isso, ter fome? Custa a acreditar. Todos nós sabemos que a maior parte dos mendigos em Portugal, tem grandes contas bancárias, mas continua a pedir, rende mais.

  251. Jose sousa says:

    Se ele travalha na suissa que viva um bocado do lado dele e que mande menos dinheiro para garantir luchos a quem esta em portugal porque conhesso muitos casos assim

  252. jessie says:

    Estou na suiça vai fazer 2 anos vim por uma vida melhor, sofro com a saudade, como eu disse faz 2 anos que estou aqui e ja passei mt, quando vim morava em casa dum familiar todos os meses ajudava na despesas, onde nos pos na rua a dormir no carro sem dinheiro e sem nada para comer! Estivemos um dia sem comer com vergonha e a chorar pedi 20fr emprestados para comprar duas sandes! Onde no dia seguinte a minha vida mudou fomos pedir ajuda a um casal que tinhamos visto uma ou duas vezes! As vezes pedimos amigos e deus da.nos irmaos a eles devo mt deram.nos imediatamente de comer e tomamos um bom banho ficamos em sua casa 1 semana a dormir emprestou.me dinheiro para alugar uma casa e comer! Dou graças a deus por ainda existir portugueses assim tao bons sem maldade! Continuando tenho premi L, premi renovavel conforme o meu contrato de trabalho , resumindo trabalho por agencia onde o meu ordenado e de 4300fr com todos os descontos e todas as porcarias que eles descontam ao final do mes recebo 2600fr uma media de 2300€ 2400€ estando so eu a trabalhar porque o meu marido de modo algum metendo curriculos nas agencias e nas empresas nao ha uma alma que lhe de trabalho somos dois a comer com 2400€ uma renda pa pagar caisse maladie luz internet pa matar as saudades gasolina comida seguro do carro etc etc mts vezes esse dinheiro n chega! N me venham dizem que gasto o dinheiro no cafe porque jamais entro num cafe ou saio ao fim de semana! Por 20 sacos do lixos pagamos quase 25€ nao vou a portugal a 1ano porque o dinheiro faz falta para comer! No trabalho sofro mt por ser portuguesa e calo.me porque se disser alguma coisa sou despedida e n posso correr esse risco, agora arranjei a fazer limpeza ao sabado numa casa, graças a deus nunca nos faltou comida! Nao digam que vida de emigrante e facil porque nao e! Como a dona elizabete disse e mal eu tal como o sr jose e muitos outros neste momento se quisesse ir a portugal n tinha nem 100€ para pagar o bilhete! Porque na suiça a vida tambem n esta facil o trabalho esta muito escasso e precisa ter mt sorte e experiencia! Boa sorte a todos

  253. Antonio says:

    Homen corajoso josé. Que deus lhe dê muita saude.

  254. mafalda rodrigues says:

    Como e possivel??
    Quando um pais tem o primeiro ministro a aconselhar a “jovens e graudos’ a deixar o pais para imigrar!! Quem escreve este tipo de cronicas, apesar de ter boas intençoes, nao viveu o aperto no coraçao de deixar a familia para tras para encontrar algo, um futuro ou manter a responsabilidade de sustentar uma familia. E facil julgar quem se conforma, quando na realidade vivemos rodeados de hipocritas conformados no nosso proprio pais!

  255. Miguel Silva says:

    Bom … quero apenas dizer que este acontecimento partilhado me tocou. Estou no Brasil e em Portugal, tenho o meu maior tesouro, o meu filho. O meu melhor Amigo é o Skype, porém, também garanto que a saudade Mata.

    Quanto à Sra. Dona Elisabete que proferiu um comentário datado de 04/04/2014, quero dizer-lhe que a Sra. é uma imbecil.

    • José Leite says:

      Pobre idiota de inteligência e espírito.
      A senhora tem toda a razão e sabe do que fala.
      Va para a beira do seu filho.

  256. Francisco says:

    Vivi 29 anos na Holanda e embora em Portugal fosse considerado emigrante eu nunca me considerei como tal. Não por arrogância mas pelo simples facto de me encontrar numa posição priviligiada em comparação aos meus compatriotas.
    Vi, senti e vivi de bem perto este tipo de situações e efetivamente havia sempre um sorriso no rosto deles. Nada era um problema. Isto num tempo onde não havia Skype, computadores, para falar ao telefone tinhamos que ser rapidos (custo era alto) e gritar para que nos entendessemos.

    Para ilustrar melhor como a saudade nos fazia comportar, mais tarde, como funcionario da nossa companhia aérea nacional, e algo que já se fazia regularmente antes da minha entrada aí, o momento mais alto do dia era a chegada do voo. Não porque nos poderia trazer a nossa familia, note-se que viajar de avião nessa altura era caro, mas porque o avião trazia jornais (sendo os desportivos os mais apeteciveis) pelos portugueses que trabalhavam no aeroporto. Jornais esses que depois eram distribuidos pelas diversas associações, cantinas e outros sitios para que todos nós estivessemos informados. Eram guardados como se ouro fossem…

    Ser emigrante era dificil. A tecnologia e os voos baratos melhoraram a qualidade de vida do emigrante. Hoje já é mais facil obter os produtos que outrora só por encomenda se recebiam (se não fossem confiscados pelas autoridades). A saudade já se suporta um pouco melhor, felizmente.

    É só lamentavel que a mentalidade de aínda muitos nacionais não tenha acompanhado esta evolução e que por envidia e ciumes ainda considerem os emigrantes, portugueses de segunda. Muitos esquecem que foi graças a esta mão d’obra que Portugal se sustentou durante décadas.

    Depois de 4 anos em Portugal, e por força do destino, voltei a sair da minha Terra só que desta vez melhor preparado. Graças ao espirito do Emigrante Português que não só fez de mim melhor pessoa como também me ensinou a adaptar às situações mais diversas e adversas, sempre com um sorriso na boca.

    Saudações para todos.

    • José Leite says:

      Admiro o seu comentário. Estou nas mesmas circunstâncias e sou um homem realizado. Bem haja a todos os previlegiados (não imigrantes) que teem a felicidade de viver em países desenvolvidos.

  257. Vereda says:

    Esse relato é algo fantasioso. Mas, se o objectivo, era ganhar protagonismo, então penso que conseguiu.

  258. Vereda says:

    Esse relato é algo fantasioso. Mas, se o objectivo era obter protagonismo gerando polémica, então conseguiu.

  259. Uma história a ser verídica, faz-nos pensar. Tb eu passei horas de amargura
    Depois de um regresso de África tive de emigrar. Deixar filhos de tenra idade. Deixar esposa. Deixar pais. Deixar o meu País. ACHO QUE TODOS OS PORTUGUESES DEVIAM EMIGRAR MESMO QUE FOSSE POR POUCO TEMPO
    Como seria diferente a vida em Portugal
    Bem Hajam

  260. mateus Roberto says:

    😢
    Nao és à unica pessoa à quem , isso poderia fazer chorar ..
    Grande homem, força pra ele ,é pra todos os imigrantes n’essaie situação.

  261. Luís Miguel.... says:

    Na verdade e um traco. Forte da nossa história contemporânea… Este pais com um povo ordeiro submisso…. Que vai em busca do seu sustento e da família para fora das fronteiras…. Porque os políticos corruptos..impõe políticas para fomentarem a pobreza..a desagregacao das famílias com a emigração forçada…. Voltamos aos anos 60..apesar dos desenvolvimentos tecnologicos …enfim….temos que acordar e tomar uma atitude situações destas e lamentáveis..

  262. Pinto says:

    Por se passar fome em Portugal é que se tenta uma vida melhor longe, ou pensa que se emigra por que apetece? E nunca vi o meu marido parar de trabalhar um mês no inverno e estamos na suíça há três anos. passa-se fome em Portugal então imagine o que é um português emigrar e passar fome fora do seu paìs para poder sustentar quem deixou para trás. Conheço tantos infelizmente. Tenha mais compaixão.

  263. Aksanti says:

    Querida Augusta, de facto uma história linda…e exemplar, independente desta apaixonante história e com todo o respeito ao Sr.José, trabalhando na Suíça na construçã(para o estado) o ordenado é entre 4.000 a 5.500 limpos…estando cá há 20 anos….legalmente teria em princípio possibilidades de ver a família pelo menos uma vez por ano…seria bom de o contactar….pois se está ilegal há 20 anos….e a ser escravo…poderemos fazer uma denúncia para legalizar a sua situação …que não é normal para a vida que se vive há 20 para cá…

    • José Leite says:

      Tem toda a razão.
      Eu gostava de conhecer o inventor da história da meias sandes.
      Sabe escrever e pode ter um grande futuro como escritor de ficção.

  264. Também fico comovido. Agradeço a este cidadão o facto de alertar a consciências. Esta semana só ouvi a comunicação social a falar de futebol ,quando na realidade estes dramas acontecem nas nossas barbas e os média não reportam esta tragédia . Voltamos ao tempo do Salazar. Fátima futebol e fado

    • José Leite says:

      Ó sr. João. Você é um grande idiota,imbecil e estupido.
      Todos os que apoiaram esta invenção literária, o são. Bem haja. Fiquem com a vossa ignorância e sejam felizes com ela.
      É só a dar no pau.

  265. Francis says:

    Tudo isso historias:
    Um bilhette de avião EasyJet para portugal em certas alturas não custa mais de 50 a 60 €
    O senhor se não ia a portugal é porque não queria. Eu conheço por a qui muitos homens que não vão ver os seus, não é por falta de dinheiro:
    Porque dinheiro para o tabaco e para as cervejas et meninas teem .
    Cada um tem as suas prioridades

  266. João Manuel Gonçalves das Neves says:

    Caro Ricardo Sousa,

    Congratulo-me com o seu gesto tão nobre. Foi para mim a notícia do dia, a notícia que os órgãos de informação não nos mostram. O privilégio da sua atitude e o dramático da situação que reputo da responsabilidade de sucessivos governos incompetentes, forçou-me a soltar um uivo lancinante de revolta. Manifestei-o sob a forma de um “pretenso poema” que publiquei na minha página do FB. Tenho a ilusão de que a filha universitária do seu companheiro de viagem, o ensine a ler a mensagem que pretendi transmitir, pena não poder ser em discurso directo, mas a sorte madrasta assim não quis. Para si Senhor Ricardo Sousa e para o Senhor José, desejo as melhores felicidades e deixo-lhes todo o meu respeito. Obrigado

  267. Eu he que nao comprenedo nada disto, encontram viagens a 50 euros da Suissa para Portugal, duas horas de voo, eu se estivesse assim tao perto ia passar os fins de semana a Portugal, gostava de ver todos voces a viverem a 22.000 kms de Portugal mamarem 32 horas de voo, viagens de duas a tres mil dollaras Australianas, so iam a Portugal de 10 em 10 anos,se que a vida de emigrante he dura pois sou emigrante ha 45 anos, mas tbm nao fassam tanta propaganda que estao mal, mas como diz o ditado quem nao chora nao mama

  268. francisco pepe says:

    meus amigos boa tarde portugal esta uma miseria.desde que os corruptos tomaram conta dele .so quem ca nao vive e que desconhece a realidade ..sim e verdade alguns ate vivem bem ..sao por exemplo os descendentes dos politicos ate a quinta geraçao ..e alguns amigos do peito que para comerem algumas migalhas vao ter que votar neles.. o resto e paisagem nao e por a caso que quase meio milhao de jovens e nao so abandonaram o pais nestes ultimos dois anos ..e so nao foram mais e porque ainda nao arranjaram trabalho fora de portugal.. vejam por exemplo a maioria ganha quinhentos euros por mes ..esses que ainda arranjam trabalho ..porque arranjar tornasse um tormento..e paga duzentos e cinquenta de renda de casa mais agua luz e gas -que e que essa familia vai comer …..nao vale a pena falar mais ,,tire as suas conclusoes

  269. almodovar

Trackbacks

  1. […] Fonte: No vôo de Genève para o Porto – Aventar […]

  2. […] Fonte: Facebook de Ricardo Sousa e Aventar […]

  3. […] No vôo de Genève para o Porto – 484K+ visitas WordPress / 79K+ partilhas FB […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s