O 25 de Abril dos Aventadores e dos seus leitores

40anos25abril

No dia em que a Revolução faz 40 anos, os autores do Aventar que assim o entenderam contam as suas vivências deste dia.

Convidamos também os leitores a publicarem, como bloguer convidado, o seu 25 de Abril, vivido em pessoa ou, para os mais novos, pelos relatos que lhes chegaram. Podem enviar os textos e fotografias para o email seguinte: aventador-convidado

Os artigos sairão ao longo do dia 25. Aqui fica o convite: vá por aqui passando.

Comments

  1. JgMenos says:

    Numa noite, pouco depois do 25A, um capitão que era oficial de dia numa pequena unidade militar passou-se dos carretos e começou a disparatar com ordens desconexas. Chamado um piquete de uma unidade vizinha foi fechado num quarto e de manhã foi metido numa viatura e dada ordem ao motorista para o levar à Junta. Em vez de o levarem para uma junta médica no Hospital Militar descarregaram-no em Bélém na Junta de Salvação Nacional onde, na confusão, lhe deram uma secretária e o puseram a atender comissões de moradores, de trabalhadores e de toda a espécie de reclamantes que alí se dirigiam a toda a hora. Só passadas umas duas semanas atinaram no engano, e regressou à unidade, já recuperado!!!

    • j. manuel cordeiro says:

      E no entanto, há quarenta anos isto não poderia ter sido escrito sem direito a uma estadia grátis numa masmorra.

  2. portela says:

    A Calçada do Sacramento é bem empinada e uma das Panhard de Salgueiro Maia, no para arranca foi-se abaixo quase ao entrar no Largo do Carmo e como era uma das primeiras da coluna, gerou um momento de grande tensão no pessoal. Após várias tentativas falhadas o condutor foi substituído por um colega que, de imediato resolveu o problema. Soube mais tarde, que, um Panhard da EPC, ao percorrer a Av. da República, parava a todos os sinais vermelhos. Estou convencido, até prova em contrário, de que o condutor era o mesmo.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.