Pagamento em gelados?

1959412_547710768682194_7149984239613522902_n

Subitamente, um erro – ou mais do que um, ao que parece – num cartaz da Olá, marca representada pela empresa Unilever, assumiu proporções mediáticas nas redes sociais. De tal modo, que até foi notícia de jornal. Nesta notícia, dão-nos conta da justificação da Unilever para este erro absolutamente inaceitável numa empresa com tão grande visibilidade: “Verificou-se um lapso na produção destes materiais que foram distribuídos indevidamente, facto que muito lamentamos. O Departamento de marketing da Olá já tem conhecimento desta ocorrência, pelo que as referidas peças estão já a ser retiradas”.

Acontece que o «lapso na produção destes materiais» dura há pelo menos dois anos, ou ocorreu também há dois anos, como bem o documentou aqui o meu colega aventador Ricardo. Não terá, na altura, tido estas repercussões. Talvez poucos tenham reparado, talvez poucos tenham lido o Aventar. O que é certo é que, se alguém denunciou este erro em 2012, ele não foi corrigido.

Parece-me, contudo, estranho que uma equipa tão grande como presumo que seja a equipa que gere as «peças de comunicação» da Olá não tenha nunca, em momento nenhum da produção e da apresentação/ divulgação deste materiais, reparado nestes erros.

Terá alguém reparado e considerado que não era importante, porque, afinal, os jovens mal sabem ler ou escrevem todos com erros? Terá alguém reparado e alertado os superiores para este erro e ele ter sido ignorado por se tratar de placas sazonais ou por esta chamada de atenção ter vindo de um subalterno?

Na verdade, o que eu penso é que estamos perante pessoas sem qualificação para desempenhar os cargos que desempenham. Umas porque possivelmente gerem equipas e até ganham salários mais ou menos chorudos por serem  familiares ou amigos de Alguém e não alguém, não precisando, portanto, de se chatear muito, e outras porque possivelmente trabalham e até se esforçarão, mas serão pagas simbolicamente, talvez com gelados, à semelhança do que aconteceu com a Danone.

A parvoíce e ligeireza dos comentários da Olá na página do Facebook a quem afirma ter visto um cartaz destes leva-me a crer que estamos perante um conjunto de pessoas que nem sequer acha muito grave o que acaba de acontecer e passa uma imagem de enorme incompetência, muito maior da já provada pelos famigerados cartazes. É que é pedido às pessoas que viram os cartazes que indiquem o local onde os viram. Então a Olá não sabe onde colocou os cartazes? Serão todos profissionais «low cost»? Caramba, tudo isto leva-me a duvidar da qualidade dos gelados que ocasionalmente dou às minhas filhas.

Se isto acontece em cartazes, o que acontecerá com os gelados ou chocolates? E havendo algum problema com o que vendem para as pessoas comerem, quando é que detectarão? Quando alguém morrer? MEDO!!!

 

Comments

  1. Ricardo Ferreira Pinto says:

    É que nem sequer são cartazes, colega aventadora.
    São vales que entregam a quem compra um gelado e que depois podem ser trocados por um brinde. Nem isso eles sabem.


  2. Não fosse a discórdia que o último AO veio trazer (e que grande parte dos que o criticam, nem sabe porque o faz), nunca senti por parte dos portugueses grande apego à língua correctamente escrita. Já perdi a conta às vezes que, de forma discreta, porque também me irritam os sabichões correctores, avisei alguns comerciantes dos erros grosseiros que tinham (têm) nas ementas. Normalmente, respondem-me todos da mesma maneira, «Ninguém liga a isso.»

    A repetição do erro grosseiro da Olá (e que tanta gente comete, mesmo dentro dos meios de comunicação social) faz-me lembrar a resposta do ninguém liga. E se calhar, ninguém liga mesmo.


  3. Apenas uma nota:
    Empresa:multinacional Unilever
    Marca: Olá
    Representante: Jerónimo Martins, Sgps, mais conhecido por merceeiro.

Trackbacks


  1. […] Espe-ro que goste-m do novo corn-eto de Verã-o. Este ainda está quentinho! […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.