tudólogos

Acabei de ouvir Marques Mendes a falar sobre o jogo da selecção “a defesa esteve bem. não sofremos golos. acho que o meio-campo já esteve mais expedito…” – mudei imediatamente de canal para o amigável da Espanha contra essa grande potência futebolística que é El Salvador. Não quis pura e simplesmente ouvir o resto. O que é que este tipo percebe de bola? – interroguei-me. Já não bastava ter que gramar de vez em quando com a doença falsa(mente) braguísta (alfacinha) de Marcelo Rebelo de Sousa a meio dos seus tiros (e beijinhos; quando lhe interessa Belém) ao governo? Ou com a doença benfiquista de Pedro Adão e Silva, a meio das loucas epifanias radiofónicas com o portista do falso tripeiro nunca saído de Lisboa Pedro Marques Lopes na TSF?

Este tipo de tudólogos parece ter receita para tudo. Para o défice das contas públicas, para o crescimento económico, para a reabilitação dos bairros da Parede, para a próxima revisão constitucional, para o hambúrguer de 250 gramas (que não enche a barriga mas esvazia e de que maneira a carteira) do Henrique Sá Pessoa, para as primárias do partido rival, para o novo piling de Lili Caneças ou para o fraco posicionamento de Miguel Veloso em campo quando comparado com o panzer William Carvalho. Quer dizer, para esta última devo confessar que para tais personagens deve ser um bocado difícil distinguir a acção individual dos jogadores dentro do campo. Já não há pachorra…

Comments

  1. Fernando Torres says:

    E soluções palpáveis para o país sair da crise?
    Quantas já apresentaram?
    Que tipo de lóbi exerceram para fossem postas em prática?
    Essas pessoas quanto auferem de vencimento por mês?


    • O Marcelo Rebelo de Sousa aufere cerca de 12 mil euros mensais nos serviços que presta à TVI. Marques Mendes ou Miguel Sousa Tavares não estarão por muito menos.
      Curiosamente ou não, todos os nomes que apontei no post e nesta barra de comentários (excepto o de Pedro Adão e Silva que como sabe sempre fez carreira como docente universário e nunca exerceu um cargo político partidário ou político) são nomes de pessoas que tem alguma frustração pessoal por nunca ter ido longe na política. Marcelo e Marques Mendes nem sequer conseguiram nos seus mandatos na liderança do PSD unir o partido em seu torno. Pedro Marques Lopes bem que queria ser deputado mas não passa de um mal amado no partido. Por isso, só aí, vemos o calíbre desta gente.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.