“L’état c’est moi”

A ministra das finanças (porque será que resistimos tanto a gastar maiúsculas com esta gente?) veio hoje anunciar, depois de intimar o ensino superior (não aquele que ela frequentou; o outro, o propriamente dito) a “fazer mais e melhor com menos”, resolveu estender esta determinação a todas as áreas do estado e da governação e, entusiasmada com a sua própria ousadia, intimou todos os ministros a seguir o rumo por ela estabelecido.

Até disse umas gracinhas, o que convém nestas alturas, não vá o pagode pensar que a mulher não é humana e sim uma espécie de bruxa má do Oeste.

Comments

  1. José Peralta says:

    José Gabriel

    Há muito que pratico o seu conceito : com a gentalha, sou uso minúsculas, porque são mais consentâneas com a sua estatura cívica e política.

    Quanto à d. albuquerque…por mais “gracinhas” que diga, já nem os seus apaniguados convence !

    Detenhamo-nos por exemplo, no que, nas entrelinhas, vai dizendo nada “risonho”, o agora esfíngico portas…


  2. Idem,idem,aspas,aspas: “Há muito que pratico também este conceito : com a gentalha, só uso geralmente minúsculas, porque são mais consentâneas com a sua estatura cívica e política”.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.