A carga fiscal brutal NÃO é sexy

Concordo com o ministro brincalhão: Portugal é um destino turístico muito sexy. Confesso até ter muita dificuldade em viver por cá sem me encontrar em permanente frenesi. Um clima magnífico, uma gastronomia sem igual, praias, montanhas, rios, lagos e tanto verde que a estrangeirada chega cá e fica toda maluca. E tudo isto a um preço cada vez mais baixo para o turista-alvo que chega sobretudo dos países mais abastados do centro e norte da Europa.

De qualquer forma, é inegável que as notícias sobre o sector do Turismo têm sido bastante positivas e batido recordes atrás de recordes. Excelentes notícias para um país que precisa desesperadamente delas e não de indicadores manipulados como a camuflagem dos números do desemprego levada a cabo por este governo.

O problema é que, apesar das boas notícias, a Comissão Europeia apresentou por estes dias um relatório que dá conta da situação de descapitalização e pré-insolvência de 60% das empresas do sector. Ao DN, o director do departamento de investigação, planeamento e estudos da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) Pedro Carvalho foi categórico: “É o resultado de uma única situação: a elevada carga fiscal que impera sobre a restauração e hotelaria e que provocou a sua descapitalização“.

É possível que, com a aproximação das Legislativas, se comece em breve a desenhar uma solução para este problema. Afinal de contas, este governo não tem muito mais a que se agarrar. Resta saber quantas empresas resistirão até que essa solução seja encontrada, se é que vai ser. Em último recurso emite-se uma boa quantidade de vistos Gold e vende-se tudo aos chineses. Isentos de impostos durante 5 anos devem conseguir contrariar a tendência.

*****

P.S. Por falar em vistos Gold, alguém viu por aí o digníssimo e imaculado Miguel Macedo? Parece que surgiram novidades interessantíssimas

Comments


  1. Ainda não descobriram que o aumento de facturação não leva, necessariamente, a um aumento de lucros, pois não??
    Continuam a bater na mesma tecla: aumento do número de turistas… o problema é que eles cada, per capita cada vez menos e com os pack-promoção a rentabilidade/lucro destas esvai-se…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.