Concordo.

Passos Coelho fala de uma “crise política sem precedentes”. E tem razão. É a primeira vez que perde o poder executivo.

Comments

  1. martinhopm says:

    Tem alguma coisa a ver com a Tecnoforma e ao Centro Português para a Cooperação? «O envolvimento de PPC com a Tecnoforma (empresa entretanto declarada insolvente) deu-se em 2001, quando começou a ser remunerado como consultor da empresa, colaboração que manteve até 2004. De 2005 a 2007, PPC chegou a ser administrador da Tecnoforma. Mas a ligação de PPC à empresa, de forma indirecta terá começado vários anos antes.
    A associação do agora 1º. ministro em gestão (?) à empresa de consultoria e formação foi avançada em 2012 pelo jornal ‘Público’, que então deu conta de que PPC foi «o principal impulsionador», em 1996, de uma organização denominada Centro Português para a Cooperação, que funcionava na sede da Tecnoforma e era financiada por esta empresa.
    O processo levantou dúvidas sobre o regime que PPC tinha enquanto deputado. Em Setembro de 2014, a Assembleia da República veio esclarecer que Passos não teve qualquer declaração de exclusividade entre 1995 e 1999.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.