As ” anedotas políticas ” de Virgilio Macedo

VirgilioMacedoPSD2012-2
Virgilio Macedo, o presidente da Distrital do Porto do PSD, continua a sua saga de ” anedotas políticas “.

Esteve ao lado do governo de Passos Coelho na privatização da TAP e agora vem questionar o novo Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, sobre a possibilidade da transportadora aérea portuguesa deixar de fazer voos de longo curso a partir do Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Fica-se com a ideia que Virgilio Macedo perdeu a noção do ridículo em política. E isto para além de triste é grave porque afecta a credibilidade política da Distrital do PSD do Porto.

Mas a saga ” anedótica politica ” de Virgilio Macedo, neste dia, não ficou por aqui.

Apenas pouco mais de duas horas depois, na sua página no facebook, sai mais uma ” anedota politica ” de Virgilio Macedo, que segundo consta pretende agora vir a ser o candidato a Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos.

Lamento esta triste sorte dos Matosinhenses que mereciam um candidato muito melhor. Mas ainda espero que o PSD de Matosinhos não permita o avanço deste senhor porque possui inegavelmente nos seus quadros políticos cidadãos muito mais capazes e qualificados para uma candidatura que possa sair vencedora.

Mas voltemos às ” anedotas políticas ” de Virgilio Macedo. Este na sua página no facebook vem dar conhecimento que, na sua qualidade efémera de secretário de Estado Adjunto da Administração Interna, recusou um telemóvel e um Ipad que lhe foram disponibilizados pelos serviços da Assembleia da República com o argumento que era possuidor desse tipo de equipamentos dando ênfase para o seu exemplo ao contrário, segundo ele, de outros governantes que solicitaram estes equipamentos ao fim de um dia do exercício de funções governativas.

Virgilio Macedo ao publicar este seu post queria-nos dizer que também tinha um Ipad ou então estava a “reinar” com os portugueses.

E apenas digo isto porque todos sabíamos de antemão que o governo que Virgilio Macedo integrou iria durar uma dúzia de dias, ao contrário dos actuais governantes que têm pela frente um horizonte temporal governativo muito superior como demonstrou a aprovação ainda hoje do programa de governo do Partido Socialista.

Mas o ” moralista ” Virgilio Macedo esqueceu-se que sendo presidente da Distrital do Porto do PSD uma sua empresa acumulou várias avenças chorudas com câmaras e empresas municipais do PSD no Distrito do Porto? Ou será que tem uma memória selectiva?

Não será esta sua actuação, misturando politica com negócios, muito mais grave do ponto de vista ético/político que um governante solicitar para o exercício das suas funções um telemóvel e um tablet?

P.S. – Miguel Santos, vice-presidente da Distrital do PSD do Porto presidida por Virgilio Macedo, foi mandado parar pela policia quando conduzia uma moto, às 05h05, no dia 01.11.2015, na Avenida Brasil, no Porto tendo lhe sido solicitado efectuar o teste de alcoolemia, sendo que recusou fazê-lo invocando a imunidade parlamentar. Será que Virgilio Macedo, durante o seu mandato de secretário de Estado do MAI mandou abrir um inquérito para apurar o que efectivamente se passou nessa madrugada, neste caso, para apurar toda a verdade dos factos? Ficamos aguardar pelos esclarecimentos de Virgilio Macedo.

Comments

  1. maria eugenia says:

    Que era cromo já se sabia. Que queria dar ar de honesto, entendemos. Agora candidatar- se a presudente de camara, só para as anedotas de Vilhena. Outro seguidor do Msrco António Costa.

  2. Ana Silva says:

    É o que dá brincar aos políticos. Desacreditam os verdadeiros políticos (os poucos que ainda há)


  3. Meus deus…o homenzinho tem mesmo ar de meio amalucado! Ou não?

  4. Faguntes says:

    O PSD está cheio de cromos, alguns semi arrependidos.

  5. joão lopes says:

    cambada de malucos ,isso sim,quer dizer ,primeiro vendem porque não ha alternativa,agora que o privado decidiu não fazer voos do Porto ou aumentar o preço no Natal,vão pedir explicações ao ministro? então mas o dono não é agora um brasileiro ou lá o que é…cambada de malucos,irra…


  6. Mais uma vez tive conhecimento deste (triste) post através do Facebook. Eu nem tenho um Gosto na sua Página, mas está sempre a patrocinar os artigos que escreve contra o Virgílio Macedo e o Marco António Costa. Eu só gostava de saber o porquê de só patrocinar esses posts. É algum odiozinho de estimação? É tão triste que esteja constantemente a criticar as pessoas do “seu” partido.

    • Paulo Vieira da Silva says:

      Cara ” Sara Moreira “,

      Os meus artigos de opinião que escrevo no Aventar são automaticamente partilhados para o Facebook. Se não aprecia os meus textos, que é um direito legitimo que lhe assiste, resolve a questão de forma muita económica: bloqueia-me no Facebook e sempre que vir um texto da minha autoria no Aventar faz de conta que o mesmo não existisse. Como vê é fácil, é barato, mas efectivamente não dá milhões. Cumprimentos.

      Nota: o nome da comentadora aparece entre aspas dado não ser possível confirmar a identidade da pessoa e não querer atingir as verdadeiras ” Saras Moreiras ” do nosso país.


  7. Pronto.. Mais um comentário a criticar as pessoas do próprio partido. Mais do mesmo… E pior é que estes comentários medonhos estão sempre a ser patrocinados e eu tenho de levar com eles no meu feed de notícias do Facebook. Faça um favor a mim, a si e a muita gente e pare de patrocinar estas tristezas só para ter Gostos, Partilhas e Comentários. Esta sua sede de atenção e notoriedade começa a ser deprimente e já está a roçar o ridículo.

    • Paulo Vieira da Silva says:

      Cara ” Daniela Simões “,

      Os meus artigos de opinião que escrevo no Aventar são automaticamente partilhados para o Facebook. Se não aprecia os meus textos, que é um direito legitimo que lhe assiste, resolve a questão de forma muita económica: bloqueia-me no Facebook e sempre que vir um texto da minha autoria no Aventar faz de conta que o mesmo não existisse. Como vê é fácil, é barato, mas efectivamente não dá milhões. Cumprimentos.

      Nota: o nome da comentadora aparece entre aspas dado não ser possível confirmar a identidade da pessoa e não querer atingir as verdadeiras ” Danielas Simões ” do nosso país.


  8. A mim tanto me faz se o Dr Virgílio Macedo se vai candidatar à CM de Matosinhos ou o que quer que seja, mas o que acho mais ridículo é estar a criticar uma atitude boa! Então se ele com o ordenado que recebe comprou o iPhone e o iPad, porquê que o está a criticar? Ao menos não usou o dinheiro do povo para um capricho, como a grande maioria dos políticos. Acho que isto já é criticar por criticar, sem fundamento nenhum. Se ele tivesse aceite os iPhones e os iPads que tem direito era criticado, como os comprou com o próprio dinheiro, também é criticado.

    • Ana Silva says:

      Mónica Valadares, não seja ingénua e não se deixe enganar pelo que o Dr. Virgilio Macedo escreve. Quem o conhece, sabe muito bem o que se passa. O Dr. Virgilio Macedo só não aceitou os tais iPads e iPhones porque sabia que o Governo em que estava só ia durar uns dias…. e depois teria esta oportunidade para “criticar”.

    • Paulo Vieira da Silva says:

      Cara ” Mónica Valadares “,

      Os meus artigos de opinião que escrevo no Aventar são automaticamente partilhados para o Facebook. Se não aprecia os meus textos, que é um direito legitimo que lhe assiste, resolve a questão de forma muita económica: bloqueia-me no Facebook e sempre que vir um texto da minha autoria no Aventar faz de conta que o mesmo não existisse. Como vê é fácil, é barato, mas efectivamente não dá milhões. Cumprimentos.

      Nota: o nome da comentadora aparece entre aspas dado não ser possível confirmar a identidade da pessoa e não querer atingir as verdadeiras ” Mónicas Valadares ” do nosso país.

  9. joão lopes says:

    que vergonha…criticar o autor deste post. por ser militante do PSD.só faltava era que todos os militantes do PSD,tivessem que abdicar do seu proprio juizo critico,e dizer Amen cada vez que o cada vez mais ilegitimo MAC abre a boca,porque cada vez que o MAC fala,enterra o PSD,ou ainda não perceberem,suas cavalgaduras?

  10. Paulo Vieira da Silva says:

    Meus car@s,

    Parece que vem a caminho uma armada que não passam da voz do dono, escondidos covardemente atrás de um computador, no sentido de me tentarem intimidarem e atingirem o meu bom nome e a minha dignidade. Ainda não perceberam que não vale a pena? Eu continuarei a lutar pela moralização da vida política e pública. Cumprimentos.

    Nota: apesar de poder parecer que estando escondido atrás de um computador não é possível identificar os utilizadores deixo um aviso que com relativa facilidade se identificam os IPs, mais ainda quando são usados computadores ou ligações de internet de entidades públicas que possuem IPs fixos.

    • Maria João says:

      Paulo, deixe me dizer aqui só umas coisas.
      Às vezes concordo consigo outras não. Umas vezes comento outras não.
      Por exemplo, gostei deste seu post. Alguém a apregoar moralidade quando o que está por detrás da imagem virtuosa é, como parece, feio, fica sempre mal. Por outro lado, já desconfiando que ia ser um governo a dias, o tempo que levava a receber os equipamentos e a configurar aquilo e a sincronizar os dados, o homem aproveitou a oportunidade e pintou aquilo como se fora um valente arremedo de sentido de serviço público.
      Ainda bem que existe sempre alguém atento. Como é o seu caso. Verdadeira e sinceramente.
      Já não gostei foi das suas outras considerações a propósito da identidade de quem aqui comenta.
      Dos feed no facebook ou noutras plataformas não faço ideia. Tenho a minha página no FB que consulto à razão de três vezes por ano e não perco muito tempo por lá. Leio o que me apetece nos respectivos sítios e pronto.
      Se não gosto não volto à página. That simple.
      Isto para chegar até à questão que não me agrada no seu discurso. Veja:
      O nome que ali vê escrito neste comentário é mesmo o meu e até posso adiantar-lhe que estou em Lisboa. E sei que o IP é detectável. Mas ou estou muito enganada ou o Paulo não poderá fazer ou utilizar essa informação, a menos que se trate de mensagens com conteúdos que possam integrar um dos tipos legais de crime e, mesmo assim, só via autoridade competente é que uma alegada ofensa pode gerar responsabilidade ao seu autor, em sede própria.
      Por isso, e repito, concordando umas vezes consigo e outras não, mas sempre de forma respeitosa lhe digo que me desagradou profundamente o tom com que se referiu a esta questão.
      Aceite os meus cumprimentos,
      Maria João

      • Maria João says:

        PS: sou apartidária, republicana e sobretudo humanista, para completar a minha resposta.

        • doorstep says:

          Resulta do seu texto – ao contrário da verborreia que aqui debitam as “trollas”…

      • Paulo Vieira da Silva says:

        Cara Maria João,

        Talvez tenha reparado mas nunca apaguei um comentário seu a um texto meu. E apenas nunca apaguei porque comenta sempre com educação e elevação. Umas vezes concorda outras vezes discorda das minhas opiniões. Ainda bem que assim acontece. É sinal que pensamos livremente e ” fora da caixa “.

        Só quem não me conhece pessoalmente é que faz aqui algum tipo de comentários. É do domínio público a minha forma de estar na vida. Só quem tem as ” mãos muito limpas ” pode fazer uma denúncia relativamente a um dos dirigentes máximos do meu partido, com todos os prejuízos que uma denúncia destas acarretou para a minha vida pessoal, familiar e empresarial. Era muito mais cómodo continuar sentado no meu sofá, mas fi-lo por imperativo de consciência em nome da moralização da vida politica e pública e das futuras gerações.

        Cumprimentos.

        Paulo Vieira da Silva

        • Maria João says:

          O Paulo deixa-me confusa agora, com a questão de apagar comentários.
          Por acaso já reparei que alguns comentários são apagados. Se quer que lhe seja franca (ou não, sei lá eu, nem nos conhecemos pessoalmente para saber se se importa ou não), acho que comentários ofensivos sim, podem ser apagados (e por ofensivo pode entender -se, nomeadamente linguagem imprópria, obscenidades, ofensas à honra e ao bom nome das pessoas; sei que elencar todas as situações é impossível por ser muitas vezes só objectivamente apurável).
          Mas apagar comentários só porque não vão de encontro ao que pensamos ou questionam algumas das nossas formas de ser e estar, não acho certo.
          Concordo com moderação de comentários, mas sempre tendo em mente o pluralismo que nos permite expressar o que pensamos.

          Cumprimentos

    • Paulo Vieira da Silva says:

      Acha mesmo que sou um cobarde? Se tiver 2 minutos veja pf este pequeno video:

      http:// http://www.tvi24.iol.pt/videos/ex-dirigente-do-psd-acusa-marco-antonio-costa-de-trafico-de-influencias/5556758a0cf2e044db493a96/125

      Cumprimentos.

      Paulo Vieira da Silva

Trackbacks


  1. […] nem toda esta malta Tea Party tuga é parva e, apercebendo-se que nada de bom poderá resultado do seu acantonamento à direita, querem […]


  2. […] Tenho a informação que no seguimento deste meu texto existe já um movimento organizado no PSD de Matosinhos de modo a que Virgílio Macedo perca […]


  3. […] muito que venho a avisar que a Distrital do PSD do Porto não tem liderança, não tem qualquer estratégia. Navega à vista, sem rumo, ao sabor do vento. Infelizmente está aqui mais uma prova disso […]


  4. […] Tenho a informação que no seguimento deste meu texto existe já um movimento organizado no PSD de Matosinhos de modo a que Virgílio Macedo perca […]