O desmoronamento do antigo regime segue dentro de momentos

Passos Rajoy

Passos Coelho continua ressabiado, por muito que tente convencer o país do contrário. O seu desprezo pela democracia representativa é evidente e o acantonamento à direita para onde empurrou o PSD parece indicar aquilo que muitos desconfiavam: Passos Coelho estaria mais confortável na liderança de um regime autoritário, cinzento como ele, que pudesse, sei lá, suspender a democracia durante uns meses. Como o seu amigo e companheiro no PPE, Viktor Orbán.

Vem isto a propósito da reacção do líder do PSD aos resultados das eleições de ontem no país vizinho, expressa numa mensagem enviada a Mariano Rajoy:

Quero felicitar-te vivamente pela vitória eleitoral alcançada nas eleições gerais. Espero, sinceramente, que a vontade dos eleitores espanhóis possa ser respeitada e que, nessa medida, possas ser bem sucedido na formação do novo governo.

Portanto o Partido Popular de Mariano Rajoy conseguiu uns expressivos 28,7% dos votos (contra 44,6% em 2011), perdeu 63 deputados e 3,5 milhões de votos e este contador de contos para criança considera que tal número corresponde à vontade dos eleitores espanhóis. Espanha tem 36,5 milhões de eleitores inscritos mas, na moleirinha de Passos Coelho, os 7,2 milhões que votaram no PP (menos de 20%) são a representação suprema da vontade popular.

Claro que Passos Coelho precisa de manter alguma consistência na narrativa. Depois de semanas a negar a democracia representativa e a lançar acusações de ilegitimidade ao governo de António Costa, esta era a reacção expectável da parte de alguém tão profundamente ressabiado. Mesmo sabendo que uma hipotética aliança entre PSOE e Podemos representaria 42,67% do total de votos, cerca de 10,7 milhões de espanhóis, e 159 deputados (contra 123 do PP). Algo que de resto também não garante uma maioria estável para governar Espanha mas não deixa de ser mais representativo da vontade dos eleitores espanhóis de que a vitória de pirro de Rajoy. Por cá a aritmética foi relativamente simples. Em Espanha será um quebra-cabeças. Contudo, há uma tendência que se mantém: por essa Europa fora, o antigo regime continua a somar derrotas e em processo acelerado de decadência. Em 2011, o bloco central espanhol congregava perto de 18 milhões de eleitores. Hoje, PP e PSOE não chegam aos 13 milhões. Podemos derrotar as centrais de negócios que dirigem as democracias do sul da Europa? Sim, podemos!

Comments

  1. .Eu também sou um grande sacana! says:

    E levanta-se o padeiro às 03:00 h. para fazer pão a este “anjinho”!

  2. tancredo says:

    Os Eruditos Cegos e o Elefante.
    (parábola)
    .

    • tancredo says:

      Os eruditos detetaram as presas, as patas, a tromba, o rabo e as patas. Mas o elefante que é elefante é bicho e não bicha, logo tem um órgão reprodutor e não consta que os eruditos o tivessem detetado. Ou então ocultaram a coisa, mais uma vez.

  3. Manuel says:

    Aos poucos os detentores dos poderes atuais e corruptos vão caindo…. caindo