A Lei Cigana

Mulher cigana vive em carrinha

Em Portugal há a lei portuguesa e a “lei cigana“.  A segunda sobrepõe-se à primeira: há que respeitar as minorias.

Comments

  1. João Paz says:

    Xenofobia Do Dario? É pena!


    • Tem razão, a “lei cigana” é xenófoba! E sobrepõe-se à Constituição da República Portuguesa. Um escândalo.

  2. Eu mesma says:

    Gostava que as minorias respeitassem a Constituição. Gostava que as etnias “minoritárias”, que tanto se queixam de racismo e xenofobia num exercício de cinismo, parassem de ser racistas contra os portugueses. E sei do que estou a falar porque já fui vítima de racismo por parte de brasileiros e africanos (não todos, atenção: há gente decente e tenho uma amiga moçambicana que ela própria critica esse tipo de comportamentos). Gostava que esta doença chamada “chico-espertismo” e “eu primeiro e que se lixe a sociedade” fosse tão combatida como se discute futebol neste país. Gostava de poder andar de transportes públicos sem ter de levar com a falta de civismo, de educação e de respeito pela lei das “minorias” que se queixam de ser pobrezinhas e desprezadas, mas no fundo querem viver à custa do “tuga branco idiota” e seus impostos, exibindo sinais exteriores de uma riqueza que, lá diz o ditado, de algum lado lhes vem. Gostava que me tivessem dado, como provei merecer, o subsídio de desemprego, ao invés dos impostos dos meus semelhantes sustentarem com subsídios certas minorias que mais parecem fábricas de fazer filhos e que casam as rapariguitas com 14 anos para começarem logo a “laborar”. Gostava de andar na rua com sossego sem ter medo de correr o risco de ser assediada por vendedores da banha da cobra ou malta que gosta de agredir só por agredir. Pronto, gostava muito, se não fosse pedir demais.

  3. João Paz says:

    Pois é Dario. Nem precisei de responder acerca do seu comentário tolo sobre a “lei cigana” que , a seu ver (Delirante a meu ver), se sobrepõe à constituição Portuguesa. Este último comentário de “eu mesma” mostra na perfeição para que serve e a que dá azo o seu comentário xenófobo. É lamentável (repito) porque até APRECIAVA as suas postagens no Aventar.


    • (Respondo-lhe não considerando o comentário do leitor acima)
      A “lei cigana” (título do JN) sobrepõe-se – e é este o foco do meu post – à CRP na medida em, segundo lemos, uma senhora foi “expulsa” do seu ambiente familiar porque não terá observado os preceitos do luto do meio de onde provém.
      Ora, a CRP diz que ninguém pode ser descriminado com base na sua cor, credo, religião, etc etc – o que, a meu ver, não terá sido respeitado neste caso. E é apenas e só contra isto que me insurjo, não necessariamente com esta ou aquela “tradição” ou “lei” de uma qualquer etnia ou minoria.
      Nenhuma “tradição” grupal me incomoda desde que não belisque as leis gerais do meu país: não me parece que seja este o caso.
      Se não consegue entender o meu ponto de vista, tenho pena. Mas não me chame “xenófobo”, arranja-me lá outro epíteto; é coisa por que lhe fico grato.
      Grato pela atenção!

      • João Paz says:

        E o facto que refere “uma senhora foi expulsa…” teve a concordância de algum tribunal ou autoridade pública ou foi uma imposição de um , ou vários caciques? Pode-lhe parecer menor esta minha observação mas, a meu ver esta é a diferença que impede que se tome a floresta no seu conjunto pela árvore que nos ocupa os olhos no momento. Quanto à palavra que lhe desagrada “xenófobo” vou deixar a questão para mais tarde porque TODOS podemos cometer erros sem que nos tornemos reféns dos mesmos.


        • É isso mesmo: a “lei cigana” foi obviamente imposta a alguém, prejudicando-o. E necessariamente contra a sua vontade e à revelia da CRP. O post é só sobre isso.
          O post é apenas sobre isso pelo que a palavra que me atirou, “xenófobo” não faz qualquer sentido: o post não é sobre minorias ou maiorias, ou sobre privilégios de uns ou de outros. O post é sobre uma “lei” (fora-da-lei).

  4. Eu mesma says:

    Já agora: não “padeço” nem de xenofobia nem de racismo, porque recebi uma educação boa, muito obrigada, e porque tenho amigos de várias raças, etnias e credos. A minha xenofobia é apenas contra pessoas sem carácter, e dessas encontram-se em todo o lado, seja qual for a cor da pele, idade, posição social ou o que for. E exemplos não faltam de “etnias minoritárias” que fazendo-se de vítimas abusam e viram-se contra os portugueses, excepto para retirarem vantagens. Esta senhora cigana merece o meu respeito e apoio porque foi vítima, ela sim, de xenofobia e racismo por parte da sua própria comunidade. Mas nem é de espantar: eles só respeitam os “gadjé” (brancos não ciganos) na hora de lhes sustentarem à boa vida, não respeitam as leis nem regras, e é também sabido que não convivem bem com a comunidade africana (basta ver o que se passa em certos bairros sociais). E os ciganos decentes e honestos são quase segregados. O que é uma pena, porque precisamos é de gente boa. Votos de um excelente 2016 a todos.