Ajustes directos à lupa – Guimarães


 

Ajustes directos à lupa - Guimarães

Nesta viagem do colectivo Aventar por esse vasto território dos ajustes directos era obrigatória a visita à nossa Cidade Berço, Guimarães de seu nome. E o Município de Guimarães ajusta forte e em rede, de tal forma que esta foi uma viagem difícil e de acesso complexo. Senão vejamos, o Município de Guimarães leva, até hoje, mais de 171 milhões de euros ajustadinhos mas os mesmos devem ser analisados recorrendo, igualmente, a outras entidades detidas na sua esmagadora maioria por capital da autarquia. Sem isso a fotografia ficaria desfocada.

No meio de tanto milhão fomos encontrar a módica quantia de €914.900,00 (quase um milhão de euros) entre comunicação, brochuras e diverso material publicitário sem esquecer as iluminações de natal e outras festas e, a cereja no topo do bolo, cerca de sete mil euros (€7.000,00) nas obras de remodelação do “wc do gabinete da presidência”. De repente, fora destes valores, reparamos que a MEO já se ajustou a mais de €200.000,00 (isto é que é falar!) neste mandato e deparamos com mais de 4 milhões de euros ajustados pela autarquia à “A Oficina Centro de Artes e Mesteres Tradicionais de Guimarães, CIPRL”, detida em mais de 80% pela Câmara Municipal de Guimarães. Depois também se verificou que a candidatura de Guimarães a Capital Verde da Europa já leva entre estudos, projectos e promoção uma bela quantia bem superior a meio milhão de euros (€500.000,00) e cuja candidatura, segundo o site da autarquia, será para apresentar em 2017. Por fim temos a “Casa da Memória”. Nesta, só em molduras digitais, vitrines interactivas, layout expositivo ou concepção de guiões já se ajustaram quase 200 mil euros. Ou seja, até aqui, dos iniciais €914.900 já chegamos quase aos seis (6) milhões de euros!

Bem, o que vale é que apenas a casa de banho da presidência necessitou de obras de remodelação. Caso contrário, imaginem em quanto já iria a conta dos ajustes. E Guimarães ajusta e bem.

E assim anda o nosso dinheiro.

Resposta do Município de Guimarães

Até à publicação deste post, a Câmara Municipal de Guimarães não respondeu a este post. Se o fizer, actualizaremos o seu conteúdo.
Explicação do projecto: Ajustes directos à lupa
Contributos dos leitores: aventar.blogue@gmail.com ou formulário de contacto

Comments

  1. Anónimo says:

    O problema não é a Câmara A, B ou C. O problema é o socialismo.
    O problema é o socialismo, ou seja, o Estado a exercer economia.
    O Estado empresário. O Estado a comprar votos via discutível economia, selecionando arbitrariamente emprego e riquesa.

    “… All Government employees should realize that the process of collective bargaining, as usually understood, cannot be transplanted into the public service. It has its distinct and insurmountable limitations when applied to public personnel management.
    The very nature and purposes of Government make it impossible for administrative officials to represent fully or to bind the employer in mutual discussions with Government employee organizations.
    Particularly, I want to emphasize my conviction that militant tactics have no place in the functions of any organization of Government employees.
    A strike of public employees manifests nothing less than an intent on their part to prevent or obstruct the operations of Government until their demands are satisfied. Such action, looking toward the paralysis of Government by those who have sworn to support it, is unthinkable and intolerable…”.
    http://www.zerohedge.com/news/2017-01-08/union-servitude-ends-kentucky-state-kills-prevailing-wages-passes-right-work

    • José Peralta says:

      Anónimo

      Sim ? ” O problema não é a Câmara A, B ou C. O problema é o socialismo ” ?

      Se conseguir “curar-se” dessa falta de visão periférica (vulgo “ante-olhos”…), olhe por exemplo para a “herança” deixada em muitas Câmaras que de “socialistas” não têm nada, cuja gestão eivada de compadrios vários, de corrupção vária, as deixou em bancarrota. Deixo-lhe só um exemplo : Os “socialistas” luís filipe menezes e marco antónio costa…

  2. JgMenos says:

    Os modestos funcionários públicos vivem no oásis do que é nosso, e se é nosso é para nosso bem, e se é para nosso bem é necessariamente bom, que nós merecemos o melhor, tão democráticos, socialmente sensíveis e progressistas que somos.
    E os políticos são os que mais se esmeram nesse esforço e na pressa – tão precários que eles são! – de dar o melhor e a tempo de ganhar as próximas eleições ou desbravarem caminhos alternativos…

  3. Gostodetudodireito says:

    Só me aptece rir: É que desde o 25 de Abril quem governou as maiorias das câmaras foram também câmaras laranjinhas e rosas e a treta era era a mesma, mas porque raio é que não falam…???

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s