O leão desdentado

Theresa May – a antiga moderada hesitante quanto ao Brexit – atirou-se que nem uma leoa à União Europeia, honrando a heráldica da velha Albion. Mas o leão da Albion está desdentado e a fúria da primeira-ministra britânica é mais fruto de uma agressividade nascida da frustração que um sinal de força e firmeza.

Em resumo, o que a zangada senhora disse foi: queremos sair da UE, queremos manter todas as vantagens e dispensar todas as obrigações e desvantagens, ou nos dão o que queremos ou a vingança – quiçá traduzida num mega-paraíso fiscal – será terrível; mandem-nos os vossos quadros mais qualificados que os outros nos encarregamos nós de devolver. [Read more…]

Carlos César, eloquência peremptória

O líder do PSD fez mudar a opinião do partido. Não acredito que o tenha feito para contrariar a opinião do ex-vereador da bancarrota da Câmara de Gaia [referindo-se a Marco António Costa, a quem o presidente da Câmara, Eduardo V. Rodrigues, entregou a Medalha de Mérito Municipal].

Contatos e horários

© Ronaldo Schemidt/AFP/Getty Images (http://bit.ly/2jYOF1w)

Chomsky made a clear claim – recursion is fundamental to having language. And my paper did in fact present a counterexample. Recursion cannot be fundamental to language if there are languages without it, even just one language without

Daniel Everett

If some tribe were found in which everyone wears a black patch over one eye, it would have no bearing on the study of binocular vision in the human visual system. [1]

In contrast, descriptive generalizations should be expected to have exceptions, because many factors enter into the observed phenomena. Discovery of such exceptions is often a valuable stimulus for scientific research. [2]

— Noam Chomsky [1] [2]

***

dre1812017

Recentemente, pelos vistos, António Costa esperou, “sereno”, «por palavra de Marcelo». Curioso, eu também. Mas foi há muito mais tempo.

Agora, quanto ao tema em epígrafe, [Read more…]

Queres ganhar um rendimento extra em ajustes directos? Ourém explica-te como conseguires!

papa-francisco

Numa altura em que o Aventar apresenta uma iniciativa pública cidadã que visa como objectivo principal esclarecer o comum cidadão sobre os milhões gastos pela sua autarquia nos chamados contratos celebrados por ajuste directo, leio no Público que a vinda do Papa a Portugal levou o Governo a aprovar (e a publicar em Diário da República) um diploma de excepção que permite à Câmara Municipal de Ourém poder vir a adjudicar sem qualquer concurso público várias empreitadas (a lei explicita 19 obras de requalificação a executar pela edilidade) até 5,1 milhões de euros (um valor igual ou superior a 150 mil euros obriga o lançamento de um concurso público) e até 207 mil euros por serviços, o triplo do valor considerado normal para os ajustes directos. Assim sendo, se a Santa Sé assim o ordenar à Comissão Executiva da empreitada, a Câmara de Ourém poderá servir por exemplo 207 mil euros de lagosta e outros crustáceos e moluscos aos convivas que o Papa Francisco trará a Portugal em Maio sem ter que passar cavaco ao pobre Silva que só será chamado a pagar quer por via dos IMI quer por via dos donativos que deixa no negócio das velinhas do Santuário.
[Read more…]

O estado de graça possível

Trump continua a falar e escrever como um troll alcoolizado. As consequências só não foram ainda trágicas porque os líderes e governos visados o vêem como um inimputável. É o estado de graça possível. Do governo alemão veio uma bofetada em modo de aviso, de Putin um cordial cachação, da China e do seu presidente veio – com aquela paciência de um povo que conta a sua história em milénios…- um elegantíssimo e rendilhado discurso que disse tudo o que havia a dizer nunca mencionando o nome do grunho, para espanto do público do Fórum de Davos.
And the beat goes on...

O fim de Portugal

A Homeostasia é um processo dinâmico de regulação, característico dos organismos vivos, que visa manter certos parâmetros químicos dentro de limites compatíveis com a vida e propiciar um estado geral de equilíbrio.

[Read more…]

Comboio China-Londres

comboio-directo-china-londres
Chegou há minutos o primeiro comboios de mercadorias directo China-Londres. Foram 18 dias de viagem

Bruno de Carvalho no rumo certo

quando escreve projecto. Bruno de Carvalho no rumo errado quando escreve técnico-tático. Prefira-se o rumo certo.

Traídos e vendidos

eu

ENVI é a sigla (em inglês) da Comissão do Ambiente, Saúde Pública e Segurança Alimentar que conta com 69 membros – a maior comissão legislativa do Parlamento Europeu.

Pensar-se-ía – muito ingenuamente – que o principal objectivo da dita Comissão e dos eurodeputados que dela fazem parte seria a defesa dos interesses dos cidadãos europeus nessas matérias.

Nada disso. Na sexta-feira passada, aquando da votação do projecto de parecer da ENVI sobre o CETA (o acordo de “comércio livre” entre a UE o Canadá), ficámos a saber que, para a maioria dos seus eurodeputados, valores mais altos – e poderosos – se levantam.  [Read more…]

Lettres de Paris #70

April in Paris*… (peut être)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Hoje foi a minha vez de intervir no ciclo de Seminários do Eixo 1 do Ladyss – Recompositions sociales dans la globalisation – para o ano de 2016/2017**. O tema geral desta edição de Seminários é ‘Legitimidade, Eficácia e Utilidade’. Quando a Aline me pediu, há uns tempos, que fizesse um destes seminários fiquei um bocado, como se costuma dizer, à nora. Estes tópicos não fazem parte da minha investigação mais recente (embora tenham feito – sobretudo a questão da legitimidade associada às políticas e estratégias de desenvolvimento rural – há já alguns anos) e comecei a pensar como raio poderia eu apresentar os resultados dessa investigação, nomeadamente do projeto que coordenei recentemente – Rural Matters***, à luz das questões da legitimidade, da eficácia e da utilidade. Afastei por uns tempos essas preocupações, pois tinha outras coisas com que me entreter, digamos, no momento, em termos de trabalho e, naturalmente, há umas duas semanas voltei a dedicar-me ao assunto. Tornou-se evidente, que muitos dos resultados do projeto poderiam contribuir bastante para o debate, novamente sobretudo no que se refere à legitimidade dos diversos atores e instituições cujas representações o projeto tornou mais claras, assim como no que se refere à eficácia das estratégias de desenvolvimento dos territórios rurais. Assim sendo, preparei a apresentação de forma relativamente entusiasmada, durante uns dias e hoje às 10 em ponto da manhã, depois de ter dormido umas 3 horas e meia, lá estava eu na Rue Valette para a apresentação e o debate.
 

[Read more…]

Basta! O Sporting precisa de uma reflexão urgente

dost

Como já escrevi em determinadas ocasiões neste espaço, sou um Sportinguista puro, doente, a roçar o fanático há 29 anos. A minha relação com o Sporting é una: nunca abandonei o apoio a este clube nos maus momentos, fazendo sempre das tripas coração para o ver quando financeiramente o posso e não o posso fazer, estando a equipa de futebol, de hóquei, de andebol, de futsal, de ginástica ritmica a ganhar ou a perder, a golear ou a ser goleada, com ou sem títulos nas últimas temporadas. Quando o mês está a correr mal e estica mais do que aquilo que era devido. Quando a tristeza assola mais a alma do que a alegria. Quando o Godinho, o Soares Franco, o Bettencourt e toda aquela tralha de Cascais que acha que somos raia miúda e que jamais deverá governar os destinos do clube, nós os Sportinguistas que nos fundimos com o clube, que o tomamos como uma parte muito importante das nossas vidas, com o mesmo quase acabaram. Quando, com este grande amor que nos possui durante 365 dias por ano, 24 horas por dia, que levamos ao peito ao frio, à chuva, que transportamos  como capa quando os rivais nos escarnecem dos nossos sucessivos fracassos, que nos enche de orgulho e de lágrimas, ao ponto de não querermos ir à escola, de não conseguirmos desfrutar de uma refeição como deveria ser desfrutada quando perde aquele jogo importante.

[Read more…]

DN cada vez mais irrelevante…

O cliente é, ou deveria ser, a pessoa mais importante para qualquer empresa, pois sem ele qualquer negócio vai à falência…

Cliente, consumidor ou leitor, a palavra aqui é irrelevante, por mais que os órgãos de comunicação social sobrevivam graças à publicidade, quando um anunciante paga para promover um produto ou serviço, espera obter retorno do investimento através das pessoas que visualizam o anúncio. No caso dos jornais existem também receitas obtidas com as vendas, mas as tiragens são bastante reduzidas, insuficientes para a sobrevivência. [Read more…]