A Esfera Armilar

O Hun YiEsfera Armilar, um dos mais importantes instrumentos astronómicos da China antiga, num desenho com cerca de mil anos, do estudioso chinês Su Song (1020-1101).

fullsizerender

Grupo “PSD – Distrital de Lisboa”: conivente com haters, intransigente com a discórdia

Remoção selectiva de posts no grupo “PSD – Distrital de Lisboa”

O grupo do Facebook “PSD – Distrital de Lisboa” é um poço de partilhas por parte de haters. Entre posts de gosto duvidável e de manipulações facilmente desmontáveis, exulta-se perante a doença e previsível morte de Mário Soares.

A parte realmente surpreendente é isto ter lugar explícito num partido político. Diriam que qualquer um pode publicar nesse grupo. É verdade, eu próprio o fiz, como se constata na imagem supra. No entanto, o meu post foi apagado, enquanto que as porcarias que lá são despejadas lá continuam.

O grupo tem dois administradores, que podem apagar ou moderar os posts como entenderem. Optaram por apagar o meu e permitir que o resto lá ficasse. A conclusão é óbvia, não concordam com o que publiquei, mas concordam com o restante.
[Read more…]

Requiem pela velha guarda

gaiapsdO Jornal de Notícias apresenta-nos hoje mais um exemplo do que não deve ser a política.
Por Vila Nova de Gaia, a vida laranja não está fácil. Legitimamente, os militantes escolheram um Presidente para a Concelhia que, ao que tudo indica, será o candidato à Câmara Municipal. Até aí, um processo democrático e inquestionável.
Ora, tal acontecimento parece ter lançado alguns revivalistas num caos político, a caminho de um túnel que, me parece, não ter saída.
Percebo as insónias, mas estas de nada servem porque, sem legitimidade democrática, procuram apresentar-se como representantes de algo que, verdadeiramente não são. O passado, por definição, já passou e não há qualquer fuso político que permita a Gaia voltar a um tempo que … já era.
Percebo a angústia, mas até um Deputado tem obrigação de conhecer a Lei.

Repare caro leitor na simplicidade do legislador:

“No caso de renúncia ao mandato, (…), não podem candidar-se nas eleições imediatas nem nas que se realizem no quadriénio imediatamente subsequente à renúncia.” (Lei nº 46/2005, de 29 de agosto)

E, se o impedimento é legal, creio que será ainda maior pelo lado das pessoas que por cá vivem. Aquelas que votam. [Read more…]