Uma questão de princípio…

jj
Na qualidade de sportinguista, presumivelmente sócio com as quotas em dia, Jorge Jesus tem total legitimidade para integrar a comissão de honra da recandidatura de Bruno de Carvalho à Presidência do Sporting Clube de Portugal. Mas o cidadão Jorge Jesus não se pode esquecer que exerce uma actividade remunerada no clube, o que pressupõe direitos e deveres. Mesmo que possamos considerar o cenário pouco provável, em caso de derrota nas eleições de Março do candidato apoiado pelo treinador, estará Jorge Jesus preparado para colocar o lugar o lugar à disposição da eventual nova direcção do clube, caso ela venha a existir? Era bom que este ponto fosse clarificado, mas ainda não vi esta pergunta formulada pela imprensa desportiva ao treinador, agora que o black-out terminou…

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Jorge Jesus tem tanto de bom treinador como de falta de sentido do ridículo. Aliás, para mim é isso que o destrói como grande técnico que poderia ser. Não lhe falta leitura de jogo e intuição felina, como tinha por exemplo Pedroto. Jesus é um treinador de campo. Falta-lhe é um pouquinho de humildade, de bom senso e controle emocional. Parece pouco, mas é muita coisa.
    Nem no SL Benfica a coisa lhe correu tão bem como ele faz questão de alardear. Em seis anos ganhou três campeonatos, dois deles consecutivos e um terceiro com aquelas peripécias que todos conhecemos com jogos no Algarve, o Hulk e os túneis, o Pinto da Costa, o jurista Ricardo Costa, um Benfiquista assumido e Presidente do Conselho de Disciplina, o Conselho de Justiça dominado por FC Porto e Sporting…
    Não conseguiu ganhar nenhuma das finais da Taça da UEFA em que o SL Benfica esteve envolvido. Se na primeira era o todo poderoso Chelsea, na segunda o Sevilha, ainda que com tradições na prova, era bem mais acessível.
    O Benfica tinha uma grande equipa e manteve-a vários anos seguidos com enorme esforço financeiro mas lá se foi aguentando. Portanto o sucesso decJesus para o dinheiro investido é sempre muito valorizado pela comunicação social.
    Até ao ano passado, com Mourinho fora há mais de oito anos, Jesus pensava que o futebol na Tugalândia girava à sua volta, e dependia dele como espetáculo de massas. Os outros treinadores aprendizes de feiticeiroele, e ele um verdadeiro druida.
    Resolveu mudar-se para o seu Sporting, que até tinha uma equipa razoável, faltavam-lhe era suplentes de jeito.
    O SL Benfica manteve a equipa e mostrou ao rival da mesma circular, que não é só com os 11 titulares que se ganham. Quando vêm os castigos e as lesões há que ter um “banco” à altura, de preferência melhor que os Bancos portugueses. E o SL Benfica tinha isso, é uma humildade que vinha de três derrotas seguidas com o Sporting. Que Jesus valorizou como se tivesse ganho a guerra e não simples batalhas.
    Jesus sabe tão bem quanto eu, que no Sporting dificilmente será campeão de alguma coisa, a não ser que mude quase tudo no clube, incluindo a sua forma de abordar o futebol Em vários aspectos. Eu até sou capaz de reconhecer que o Sporting não tem sido feliz com as arbitragens, mas se o clube de Jesus criar dez oportunidades de golo e marcar metade, em cada jogo que enfrenta, de certeza que será campeão. Não pode é estar à espera de um erro do árbitro para justificar toda a imensa incapacidade que tem demonstrado.
    Portanto Jesus sabe que tem uma “morte” anunciada para breve. Resta saber se é antes do final do campeonato, ou se no final deste.
    Não estou a dizer que Jesus seja empurrado deliberadamente para fora do clube. Mas talvez arranje um contrato lá fora, o que tornará a coisa menos traumática para ambas as partes.
    Ele até se desenrasca a falar “Portunhol “!
    Mas coloca-se uma pergunta:
    Vale a pena o Sporting estar a pagar seis milhões a um treinador para ir à Liga Europa?

  2. António,

    Acho que essa questão nem se coloca, porque o Madeira Rodrigues já afirmou que não conta com Jesus caso vença as eleições. Portanto, Jesus será demitido e pago para sair. Não sei onde é que o Madeira Rodrigues vai buscar os cerca de 10 milhões para o fazer, mas sendo o Sporting a pagar, espero que os pague até ao final do contrato. Caso contrário, que seja o Madeira Rodrigues e os sócios que votaram nele a pagar essa rescisão do seu bolso.

    • João, tanto quanto sei ainda decorre o prazo para apresentação de candidaturas, embora seja pouco provável que apareçam. O Madeira Rodrigues não quer contar com o JJ e terá que preparar indemnização. Essa seria aliás mais uma razão para o treinador ficar remetido ao seu papel de funcionário. Se quer tomar partido pelo actual presidente, deveria desde já anunciar que em caso de derrota colocaria o lugar á disposição. Se tivesse ética, que pelos vistos não tem, vaidade e fanfarronice é que lhe sobram…

      • António, é sobejamente conhecida a apetência do Jesus para fazer campanhas a presidências de clubes. Já o fez em Guimarães, já o fez em Setúbal, já o fez na Amadora. Eu cá defendo que o treinador não deverá imiscuir-se nesse tipo de assuntos porque não é pago para o fazer. É pago para treinar, para coordenar e dirigir a equipa sénior, a equipa b, a formação, para fazer scout, para aparecer em eventos da vida social do clube. Contudo, se o Jesus fizer aquilo que descreves estou certíssimo que o Madeira Rodrigues colhe os votos da família e mal…

    • Ricardo Ferreira Pinto says:

      Pode sempre fazer ao Jesus o que o Bruno fez ao Marco Silva – mover-lhe um processo disciplinar com vista ao despedimento por justa causa. Já viste quantas vezes o Jesus se apresentou aos jogos de fato de treino?

      • Ricardo, essa é uma não-questão. E digo-te o porquê de ser uma não-questão.
        Primeiro, porque esse é um dos vários pontos lavrados no processo disciplinar. À imprensa apenas deu jeito publicitar mais esse, esquecendo-se por exemplo dos que considero mais importantes:
        – as faltas dadas a reuniões com a SAD.
        – o facto de ter apoiado publicamente Marcos Rojo quando o argentino decidiu fazer greve para ser vendido ao United.
        – O facto de ter uma relação promiscua com o seu empresário Carlos Gonçalves que visava encher o Sporting na reabertura do mercado de Janeiro de 2015 com uma data de jogadores agenciados pelo segundo.

        Curiosamente, o Marco Silva também viria a sair do Olympiacos por causa de um processo disciplinar. Há coisas que…

        • Konigvs says:

          Essa é uma não questão porque o Marco Silva saiu do Sporting por mútuo acordo, apesar de quem o despediu ter sempre afirmado que esse era o seu treinador para quatro anos. Mas sem acordo ainda estaria a receber o salário, tal como está o Lopetegui a receber do FC Porto apesar de até já ter outra entidade patronal.

          Treinador da bola é que é uma bela profissão. Um treinador, mesmo já sendo um dos mais bem pagos do mundo, falha todos os objetivos que lhe propuseram e no entanto, no final da época o patrão ainda o aumenta pela falta de produtividade! Mas se o clube o quiser despedir mais à frente, pelos mesmos maus resultados, ainda tem de lhe pagar uma fortuna!

          • São as regras do jogo. José Mourinho não se queixará de indemnizações, já o Arsenal não esbanja mas tem os adeptos fartos de Wenger…

      • Isso são golpes de baixo carácter, nos quais não me revejo. Claro que no mundo do futebol…

  3. Konigvs says:

    Precisamente. Por uma questão de ética – que Jesus não faz a mínima ideia do que seja, senão não começaria a trabalhar num clube enquanto mantinha um contrato com outro – estando o clube em fase de eleições, só teria de colocar o seu lugar à disposição. E um treinador, que é pago exclusivamente para treinar e defender os seus jogadores, se tivesse dois dedos de testa, nunca que me meteria no ato eleitoral causando focos de instabilidade.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.