Aproximação ao papão – Realinhamento geopolítico e “comércio livre”


AP

“O eixo transatlântico Bruxelas-Washington vai dar lugar ao eixo transcontinental Bruxelas Beijing, uma nova “rota da seda” com dois sentidos? Quem imaginaria, um ano atrás, uma tal mudança na geopolítica mundial ?!“ pergunta-se, quiçá com sinceridade, Vital Moreira. Pois possivelmente não daria para imaginar, mas esse supostamente inteligentíssimo argumento de “estratégia geopolítica” foi recorrentemente invocado pelos apóstolos do comércio livre para justificar a obrigatoriedade da aprovação do acordo de comércio e investimento UE/Canadá (CETA). Um argumento de sapientes especialistas, que por ele sempre consideraram justificada a imolação de direitos de consumidores, produtores e trabalhadores e a entrega das rédeas dos mercados aos interesses da alta finança e das multinacionais, através de tribunais e de direitos especialíssimos para proteger os investidores.

Como movimento europeu de protesto contra estes acordos, tão eufemisticamente denominados de “livre comércio”, sempre questionámos o uso do papão chinês enquanto argumento incontornável para a aceitação do CETA. Para nós, as pessoas e os seus direitos estão acima dos mercados e não abdicamos das migalhas de democracia que ainda nos restam. Arrogantemente, fomos por isso acusados de termos falta de visão para entendermos o tabuleiro geoestratégico global.

Entretanto, Trump reorganizou o tabuleiro e o anterior papão passou a correligionário: eis que a China e a UE se estão a aproximar alegremente, com o primeiro-ministro chinês Li Keqiang na cimeira UE/China nos passados dias 1 e 2 de Junho em Bruxelas firmando o compromisso de uma parceria na luta contra as mudanças climáticas e pelo comércio global livre. É verdade que não se obteve uma declaração final conjunta, porque a UE se recusa a reconhecer a China como uma economia de mercado não dirigida pelo Estado, bem como pela falta de acordo quanto ao aço. E claro que há ainda muitas outras questões em aberto, à mistura com painéis solares e vinho, proteccionismo, registo de fundações e ONGs, etc. De qualquer modo, a supremacia da China é óbvia e continua a incomodar a UE.

Mas as coisas estão a andar da melhor forma, tendo Juncker já declarado que, no momento actual, a relação com a China é “mais importante do que nunca” e que o país “vai ser um parceiro crucial para o futuro”. 

A UE já é o maior parceiro comercial da China e a China é o segundo maior parceiro comercial da UE (depois dos EUA). O volume comercial aumentou de 306 mil milhões em 2007 para 515 mil milhões de Euros no ano passado. Ambas as partes têm o maior interesse em manter estável a ordem do comércio global, bem como em continuar o caminho traçado pelo Acordo de Paris não necessariamente por razões ecológicas – pois por essa razão não deveriam avançar com acordos comerciais como o CETA – mas por simples interesse económico. O rápido aumento da produtividade das energias renováveis promete fortes vantagens competitivas, já que a electricidade eólica e solar pode torna-se tão barata que os combustíveis fósseis deixarão de ser competitivos.

Actualmente, o tal argumento de estratégia geopolítica em favor do CETA já nem sequer na suposta lógica dos experts tem qualquer sentido; não só não tem sentido, como vai abrir as portas do mercado europeu às numerosas multinacionais dos EUA – do odiado Trump – que têm sede no Canadá. Mas deixa por isso o CETA de entrar em vigor e de ser aprovado pelos governos dos estados-membros da UE? Não, porque o argumento da geopolítica era e sempre foi um falso pretexto para impor a lei do mais forte sobre esta massa manipulada e esmifrada em que cada vez mais nos tornamos. Em Portugal, o PS vai promover essa ordem global injusta, dando luz verde ao CETA.

Comments

  1. Bruno Santos says:

    O Dr. Vital Moreira não lê, provavelmente, o Aventar, onde há muito se escreve sobre a importância da RPC na geometria política do mundo.

    • Rui Naldinho says:

      O Dr. Vital Moreira é mais um dos ex comunistas que descobriu na meia idade; a idade dos cinquenta é tramada; todas as delicias que a burguesia pode proporcionar, por ex. na EDP, depois de anos a pregar a fé na ditadura do proletariado, na economia planificada, no controle dos mercados, na banca pública, no sector empresarial do estado, de onde saiu a EDP, etc.
      Tal como Gama, António Barreto e outros que tais, Vital Moreira é, parafraseando Joaquim Vassalo de Abreu, um verdadeiro “Barrete”.

  2. Graça Horta says:

    Pois! E a Teresa de Sousa disse-o claramente no Público:ou os acordos transatlânticos ou os chineses vinham aí…estará metida debaixo da cama com medo deles?
    Não sei como é que vamos ficar… presumo que num equilíbrio instável entre os males dos chineses e os males do americanos e canadianos…

  3. JgMenos says:

    O mundo é tão grande! Que medo!!!

    • Ana A. says:

      Isto da liberdade de expressão é uma coisa tramada!
      Deve ser usada com contenção, pois é um bem precioso…

    • Ernesto says:

      Dá sempre para fugires para o brasil, se apertar para os teus lados, joãojoséjgmenospintodacruz! Não eras o primeiro fascista a fazê-lo..

  4. Ana Moreno, mais uma vez a felicito, sempre atenta e informada e lutadora ! precisamos de gente assim, oxalá alcance e lhe possa ser proporcionada circunstância política de poder actuar activamente em instâncias de fazer ouvir a sua (nossa) voz ! Avante, companheira, saudações cordiais de cidadania !

  5. Antonio Vilarandelo says:

    Parabéns Ana ! Continue assim , atenta, firme e lutadora na defesa das suas convicções.

    • Ana Moreno says:

      Obrigada Isabela, obrigada Antonio, só juntos podemos resistir. A esperança, essa falta-me muitas vezes; mas a consciência não me deixa desistir. Só fazendo o que pudermos, não estaremos a ser coniventes com este desmantelamento dos direitos e do planeta. Pelos nossos filhos, por todos.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s