Jornalismo



A cena passa-se num desses incêndios que lavram por aí, num canal de notícias desses que há por aí, protagonizada por um “repórter” desses que andam por aí. Um habitante de uma aldeia ameaçada pelo fogo corria, de balde na mão, procurando apagar umas labaredas que lhe ameaçavam uma construção, talvez um curral, um palheiro, não sei bem. De microfone na mão, o diligente repórter tentou, pondo-se ao lado do homem, entrevistá-lo. Quiçá para fazer uma daquelas inteligentes perguntas tipo “o que sente neste momento?”. Ficamos sem saber a resposta, pois o homem continuou a sua tarefa em silêncio – não ouso imaginar a resposta que lhe devia bailar na cabeça. O jornalista – chamemos-lhe assim…- vira-se para as câmaras e anuncia: “este senhor não quis responder-nos – faz tom de paternal censura – talvez porque tenha coisas mais importantes a fazer…”.

E ainda há quem pense que as críticas à comunicação social são exageradas.

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Esses “jornalistas” cumprem ordens.
    Só espero que o chefe deles os mande deitar abaixo da Ponte da Arrábida… com microfone e tudo para ser feita, finalmente, uma reportagem aérea, mas com pés e cabeça …

  2. Rui Naldinho says:

    Apesar de achar essa figura que retrata no seu texto, ridícula, patética, sou de memorizar a culpa de um qualquer “marçano” aprendiz de repórter, provavelmente pago à peça, ou com um salário de um estagiário.
    Agora, ver a Judite de Sousa, paga principescamente pela TVI, a fazer de loira burra, ou será mesmo uma gaja nojenta, no meio do rescaldo de um incêndio, com um cadáver ao seu lado, isso sim, merece o meu repudio.
    Mas em Portugal, desde que seja vedeta, qualquer palerma pode mijar no meio da praça, que até lhe batem palmas.
    É pró que estamos!

  3. Ana A. says:

    Já não consigo ver notícias sobre incêndios! Acho que dessensibilizei…e passei à fase da náusea!

  4. A mata arde, uma velha gesticula, berra e lava aos mãos à cabeça, um homem corre de balde na mão rua acima, um cão ladra junto da velha e corre para o homem, um personagem de micro na mão corre para a mulher e pergunta: Como se chama o cão? A mulher ignora e grita e gesticula ainda com mais frequência. Eis senão quando, o homem regressa rua abaixo de balde na mão e o personagem de micro na mão pergunta: Como se chama o cão? Sei lá ó caralho.
    E assim temos um directo…
    Como a Ana A., enjoei…

  5. Aqui jaz Bocage... says:

    Como se chama o cão? Sei lá ó caralho.
    Ehehehehehe !!!
    A melhor resposta de todos os incêndios de Portugal!!
    SEI LÁ Ó CARALHO.
    LIIIIIIINNNNDDDOOOOOOO!

  6. anti pafioso. says:

    O que custa ganhar a vida . Atenção isto é uma ameaça ,aqui anda mãozinha da REAÇA

  7. E aquela notícia que diz que uma família perdeu as terras por causa do fogo!!!! E depois ouvi repetido a uma jornalista na TV. Se as terras se perdessem por causa dos fogos, Portugal já estaria reduzido às Berlengas e aos Açores.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s