O Cartel do Fogo


Mais uma grande reportagem investigativa bem fundamentada e certeira de Ana Leal. Cartel, ajustes directos, contratos mal feitos, negócios ruinosos…

Comments

  1. Fernando Manuel Rodrigues says:

    E contudo, depois do fatídico fim-de-semana de Outubro, um pouco por todo o lado, falou-se da limpeza das matas, do ordenamento das florestas, da eucaliptização do país, do despovoamento do interior, do aquecimento global, dos meios de combate (ou falta deles), do SIRESP, etc.

    Tudo factores importantes, não nego.

    Mas não se falou daquilo que, para mim, era o mais evidente: 524 incêndios (mais coisa menos coisa) não acontecem por acaso, nem são obra do clima, do excesso de eucaliptos ou da falta de limpeza das matas. Estes factores podem explicar a rapidez da propagação, mas não explicam o princípio – os acendimentos. Isso só pode ser explicado por uma coisa: mão humana criminosa. Ou seja, o negócio do fogo está para durar, enquanto não se tomarem medidas preventivas contra os acendimentos, que, são, na minha opinião, o primeiro e principal factor a ponderar.

  2. Fernando Antunes says:

    A minha pergunta inocente é esta: porque é que o Ministério Público não actua em relação a este cartel dos incêndios? Não há ainda elementos suficientes (depois de tantos anos!) para começar a deter gente importante com base nos indícios gritantes de dolo e de intencionalidade delituosa?

    Seguramente que indignarmo-nos todos os anos não evitará que bombas incendiárias continuem a ser lançadas nas nossas florestas. Tem que se parar de usar termos eufemísticos como incompetência, quando se fala de incêndios. Se não existem meios aéreos ou se não estão operacionais, ou se têm que sistematicamente vir de outros países para aqui, isso não é incompetência. Negligência é crime, negócios ruinosos com empresas corruptas também é crime.

  3. anti pafioso. says:

    Dá graça ,mas não tem graça nenhuma ,então liberta-se um incendiário que pela 3ª vês é apanhado a atear fogos com o castigo de ir a uma consulta de Psiquiatria ? e nos intervalos pode continuar a sua actividade incêndiária. Quem será que precisa de consulta ?

    • Fernando Manuel Rodrigues says:

      Se calhar uma medida preventiva seria interná-lo de Maio a Outubro. Provavelmente, dois ou três anos de “férias de Verão à sombra” curavam-no.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s