Da podridão do futebol

PGLFV.jpg

Quero começar por dizer que sou portista desde pequenino, que apoio os atletas do meu clube incondicionalmente e que tenho um grande orgulho por aquilo que o meu clube representa como um dos bastiões da luta contra o centralismo putrefacto que corrói este país. Tal não significa que seja cego ao ponto de negar o óbvio: que dirigentes do meu FC Porto incorreram em práticas condenáveis no passado e que não pagaram por isso, porque a justiça portuguesa ainda não tem a força suficiente para lidar com os poderosos, sejam eles dirigentes de futebol, políticos, banqueiros ou empresários.

Feita a minha declaração de interesses, e quem me conhece sabe que ela é honesta, e aproveitando o momento para sublinhar que o futebol está podre, fruto de uma impunidade generalizada que permite as mais variadas irregularidades, aqui como em qualquer outro país, para não falar no compadrio político-partidário, que promove borlas e sistemas panamianos de não-pagamento de impostos, quero aqui dedicar umas linhas ao caso do dia, sabendo de antemão o que me espera na caixa de comentários. É para o lado que durmo melhor.

Paulo Gonçalves, advogado, director do departamento jurídico do SL Benfica e um dos homens mais próximos de Luís Filipe Vieira na estrutura vermelha e branca, foi hoje detido pela Polícia Judiciária, no âmbito da Operação e-toupeira, após uma série de buscas e apreensão de elementos probatórios. Paulo Gonçalves é suspeito da prática dos crimes de corrupção activa e passiva, acesso ilegítimo, violação do segredo de justiça, falsidade informática e favorecimento pessoal. O dirigente encarnado é ainda suspeito de ter subornado dois funcionários judiciais e um técnico informático, que lhe terão vendido informações que estavam em segredo de justiça sobre as investigações dos casos dos vouchers e dos e-mails.

Foi preciso chegarmos a este ponto para que a justiça conseguisse enfrentar/afrontar o poderoso Benfica. O Benfica das claques ilegais que contam com o apoio da estrutura, o Benfica que presenteia árbitros com vouchers e camisolas do clube, o Benfica que tem um presidente caloteiro que nos deve a todos qualquer coisa como 400 milhões de euros. Sim, eu sei que há muito quem esteja indignado com os métodos utilizados para acertar no porta-aviões. Mas serão eles mais graves ou condenáveis que aqueles que permitiram que as escutas do Apito Dourado saíssem da sala de provas da Polícia Judiciária?

O futebol, caras senhoras e senhores, está podre até ao tutano. Podre. E não tenho dúvidas que tudo o que sabemos, do Apito Dourado aos milhões desviados do BES por Álvaro Sobrinho, que injectou uma pipa de massa no Sporting, passando pelo caso do dia, são apenas a ponta de um gigantesco icebergue capaz de corar de vergonha alguns mafiosos profissionais. Precisamos de uma justiça forte e corajosa, capaz de limpar o entulho que se acumula fora das quatro linhas. E que nos deixem ver o futebol em paz.

Comments


  1. Quem perde tempo com o futebol… e ainda há quem se chateie e até se matam pessoas por causa do futebol. Vivemos recentemente os anos mais difíceis da democracia portuguesa. Tudo mansinho. Mas o clube da bola não ganha, já se fazem esperas a árbitros, invadem-se relvados, vão ao centro de estágios oferecer picaretas e sacholas aos jogadores, e se virem alguém vestido com as cores do rival são capaz de o atropelar.

    O futebol hoje é um jogo do novo burguês que paga lugar cativo ou dá 50 ou 100€ para ver um jogo, na maior parte das vezes um espetáculo completamente deprimente.

    Os clubes são pequenos Estados que alimentam toda uma enorme corja (administrações, jogadores, treinadores, empresários, mulheres e amantes) que os chupam até ao tutano, por isso, todos os clubes “grandes” (em dívidas) de Portugal estão falidos.

    O futebol atrai tudo que de pior existe na sociedade: empresários sem escrúpulos, políticos e gestores com histórico de empresas falidas.

    Sobre o Benfica. Estejam descansados. Se se provar que é corrupto e seguindo a lógica da jurisprudência da justiça desportiva, é o Belenenses que desce de divisão.

    • Rui Naldinho says:

      Assino por baixo o seu comentário.
      Contrariamente ao que algumas pessoas poderão pensar, também eu sou Sportinguista desde pequenino. Mas a minha distância dessa doença a que se chama futebolês e aficion clubistica é tão grande, que me sinto noutra galáxia. Estou-me nas tintas para a indústria futebol e para os seus agentes. Aquilo é tudo farinha do mesmo saco.
      Prefiro muito mais o ténis, o ciclismo, ou mesmo o bilhar.
      Não vou dizer que sou insensível ao clube verde e branco. Pelo contrário. Quando posso acompanho-o sempre que me possível. Se ganhar o Sporting, fico bem disposto e bebo dois copitos de verde branco. Se o meu Sporting perde, finjo que estou triste e bebo na mesma dois copitos de maduro tinto, para esquecer.
      Agora não me peçam para alimentar essa gente, do futebol. Já me basta o Centeno para me levar 29% de IRS.
      Boa sorte ao Sporting para amanhã, uma vez que o FC Porto só por milagre lá chega.

    • Ana Moreno says:

      O futebol… em Portugal… é assim como a religião, não é?

      • Rui Naldinho says:

        Muito pior…!
        Na religião, e falo apenas de Portugal, é tudo muito mais modesto.
        Até nisso somos pequenos. Pouca pedofilia. Poucos escândalos com as nossas irmazinhas e os senhores presbíteros. Poucos roubos da caixa das esmolas. Igrejas mimosas, mas sem a exuberância das Igrejas de outras paragens. Uma Inquisição de trazer por casa, … que ao pé da espanhola, tomando-a como referência, mais parece uma churrascada. Ou, por exemplo, o que aconteceu aos Cátaros, em França.
        Por outro lado temos a Cáritas diocesana, que até faz um bom trabalho, apesar de algumas histórias mal contadas. Ainda temos o Sr. Cardeal a zelar pelos casais recasados, aconselhando-os à castidade. Uma preciosidade digna de registo. Ainda bem que vivo com a minha donzela original, vai para 33 anos, caso contrário não sei o que seria da minha vida, se recasado. Tinha o inferno por garantido.
        Também temos a catequese para as crianças, uma ajuda preciosa aos pais para que estas se portem melhor ao fim de semana, quando estão mais tempo em casa. Pelo menos enquanto acreditam que o céu existe.
        Nasci numa família cristã. E mesmo sendo agnóstico sinto orgulho das minhas origens, e da minha educação católica. Contrariamente, cada vez mais detesto o futebol. Não o desporto em si, mas a indústria em que se transformou. Aquilo tresanda a corrupção que até fede.

    • Jorge Evaristo says:

      “Quem perde tempo com o futebol” ?

      Começa por ser o postista João Mendes.
      Ou talvez não perca tempo porque todo o tempo dele deve ser ocupado com merdas destas.

      • João Mendes says:

        Oh Jorge Evaristo, ou lá como é que tu te chamas, conheces me se algum lado para fazeres essas especulações? Não? Então vai-te foder e pelo caminho aproveita para ir para o caralho, pode ser? Have a nice day!

        • Bento Caeiro says:

          Como se fazia nos tempos que já lá vão, e de que o Menos tantas saudades tem, para repor a disciplina ou a ordem na sala, ou castigar pelo erro cometido: 3 reguadas no rabo do menino Evaristo, por ter iniciado o insulto; e, outras tantas no do menino Mendes, por ter respondido.

        • Jorge Evaristo says:

          Vou já fazer queixa de si à catequista que lhe dá a catequese na paróquia. Ela encarregar-se-à de participar ao padre e exigirá que se vá confessar das descaradices que disse no brelogue.
          Vai certamente apanhar umas palmadas no rabo do próprio padre e espero que não se excite muito com elas.

        • Dragartomaspouco says:

          Isto sim

          João Mendes says:
          07/03/2018 at 12:51

          Oh Jorge Evaristo, ou lá como é que tu te chamas, conheces me se algum lado para fazeres essas especulações? Não? Então vai-te foder e pelo caminho aproveita para ir para o caralho, pode ser? Have a nice day!

          É que é linguagem apropriada

          Cortam o que não gostam de ouvir, mas este tipo de linguagem, característica dessa gente, tudo bem

          Bandalhos


  2. Com o título “podridão do futebol” e vindo de um adepto do Porto, pensei que vinha explanar sobre aqueles 780 mil euros de dívida.

    • Paulo Marques says:

      Queres vir explicar as dívidas que o 0lb não cobra a Braga, Belenenses e Boavista?


      • Essa conversa já foi chão que deu uvas e foi esclarecida em comunicados. Tanto que o porto nem voltou ao assunto e arrumou a viola no saco.

        • Paulo Marques says:

          Também o FCP já esclareceu a sua. Qual é a sua questão, então?


          • A questão é que a PGR também quer ser esclarecida.

          • Paulo Marques says:

            Acho muito bem que queira ver tudo esclarecido, incluindo isso. Não estou preocupado porque não sou isento, mas nunca se sabe.

  3. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Caro João Mendes..
    Sou benfiquista e subscrevo uma boa parte do que escreve.
    Não entro, por formação neste tipo de debates que servem para mandar pedras ao telhado do vizinho, esquecendo que as telhas do nosso são de vidro.
    Prefiro a racionalidade e a discussão da bola tem muito de irracional.
    Mas pego numa frase que aqui coloca e que transcrevo :

    ” (…) Sim, eu sei que há muito quem esteja indignado com os métodos utilizados para acertar no porta-aviões. Mas serão eles mais graves ou condenáveis que aqueles que permitiram que as escutas do Apito Dourado saíssem da sala de provas da Polícia Judiciária? (…)”

    para lhe dizer que eu não me indigno com os métodos usados para desmascarar falcatruas. Mas recordo-lhe que esses métodos, pelos vistos, não servem para culpabilizar todos os detractores.
    De facto como sabe e aborda no seu escrito, ainda que esses métodos tenham servido para desmascarar crimes, recordo que não houve consequências e hoje, os referidos crimes, são branqueados pelos “justiceiros” e “amantes da verdade desportiva” que falam mais e mais alto que a mais ofendida virgem das virgens ofendidas.

    A Justiça terá algo a dizer sobre isto, pois fez a jurisprudência ao lavar crimes praticados no futebol. E quando é assim, subscrevo na íntegra o seu título: “Da podridão do futebol” a que acrescento “Da podridão da justiça”.
    Deixo claro que nada tenho contra a culpabilização de criminosos. Mas como português e crente na democracia, custa-me que … os criminosos, afinal, não sejam todos iguais e que uns sejam mais iguais que outros.


    • Conclusão, o Sporting deveria ter ganho pelos mesmos uns 20 campeonatos nos últimos 30 anos. Não fossem os crimes praticados pelos rivais. Sim, de facto com tantos futebolistas espalhadas por todo o mundo e com a maior quantidade de bolas de ouro oriundas da sua formação só por motivos de inverdade desportiva isso poderia ter acontecido. Uma certeza fica, nada mudará. Assim como nada mudará no sistema. Lê-se com frequência que este ano aumentaram mais 7 a 10.000 milionários no país. Foi assim durante a crise com intervencao do FMI. Quem são esses gênios? Como conseguiram esse dinheiro? São todos futebolistas? Que venham aos programas de TV explicar o seu sucesso. É necessário enriquecer mais o país. Será que existe uma academia de enriquecimento secreta? Existe algum cientista ou académico de valor no país? Algum pintor ou escultor com menos de 40 anos? Algum médico de valia? Como se chama? Onde estudou? E o Jonas sabem quem é? E o Marega? E o Carlos Queirós? E…. …. … ? Pois é …..!!! Não vale a pena alongar mais senão ninguém lê.

  4. Alexandre Barreira says:

    ……já andam a concorrer…..com o vaticano…..é preciso cuidado….!!!!
    ?!

  5. Paulo Marques says:

    O Apito Dourado? Aquela coisa sobre um jogo que o FCP não ganhou e que foi anulado em todos os tribunais competentes, incluindo o TAS? Não que eu diga que o PC seja boa pessoa, mas isso nem chegou a muito fraquinho.
    Tivesse o MP tanta insistência sobre os donos disto tudo… ou sobre o cumprimento da CRP…

  6. doorstep says:

    “E que nos deixem ver o futebol em paz.”…

    Sibilina forma de suplicar que deixem o futebol em paz… Não será difícil: o mp e os juízes são, maioritariamente, consumidores viciados de futebol. Tenha um pouco de paciência, João Mendes, lá acabarão por deixar o seu futebol em paz.

  7. Bento Caeiro says:

    Quando os humanos não sabiam e não sabiam como procurar o saber, limitavam-se a viver – também eu fui assim e, alegremente, jogava com os meus amigos usando uma bola feita de panos, apenas do jogo gostando.
    Mais tarde, já os homens sabendo e muitos deuses havendo, apareceram as religiões e os seus sacerdotes – foi assim que vi os meus amigos que, já não jogando, acolheram os clubes entre si e se foram dispersando.
    Cada qual, ou agrupando-se, as suas religiões vão seguindo e nas suas catedrais se vão juntando e aos das outras religiões vão escarnecendo e combatendo, por vezes, até matando – à distância os meus amigos segui, por jamais ser capaz de tal caminho trilhar e a qualquer clube me juntar.
    As grandes religiões, aquelas que mais gente têm, acharam por bem lutar entre si, querendo a todos os homens subjugar – vejo agora os meus amigos, aqueles que tanta liberdade mostravam, caminhando em rebanho e guardados, tal como as ovelhas, de um para outro estádio.
    A religião, não achando suficiente do seu mundo tratar, da sociedade se quer servir, para que tudo possa fazer e assim junta-se ao poder para melhor o poder fazer – mandantes e mandados, seus ajudantes e aliados, do mundo de clubes que vi nascer e desenvolver, dos grandes da sociedade se vão juntando e servindo.
    Os abusos são tantos, para os lados das religiões, que os homens delas se vão afastando e dos deuses duvidando, por acharem que, mesmo se houver, não são de fiar – novamente, com os meus amigos me junto e de clubes nem falamos, voltamos ao antigamente e jogos entre casados e divorciados fazemos.

    • Ana Moreno says:

      Que giro, Bento Caeiro, GOSTO 🙂


    • …também eu gostei e aprecio alguém que escreve assim ! nesta, que detesto futebol e mais a podridão, e noutras !
      Cordiais saudações, Bento Caeiro : )

      • Bento Caeiro says:

        Para, Moreno e Isabela
        Tão boas apreciações, por não as merecer, serão remetidas às Musas, como oferendas, para que permitam que eu continue mais algum tempo assim.

  8. cris says:

    é tudo muito lindo e fôfo, especialmente quando nos armamos em valentoes defensores da ética quando o ‘outro lado’ é acusado dos mesmos comportamentos desviantes. há aí um efeito psicológico enviezante que afecta o discernimento. é tipico ser nestes momentos que aproveitamos os deslizes alheios para amaciar a má consciencia, como se afinal fossemos boas pessoas porque até conseguimos distinguir no adversário toda a ‘podridao no futebol’ e magnanimamente até admitimos em versao esmola alguns pecaditos proprios. mas nisto tudo há só um senão: então e a porra da merda do estado de direito em que supostamente vivemos e essa coisa da tal presunçao de inocencia? vai às malvas? ou agora não dá jeito? é que o indivíduo em causa ainda é apenas arguido e ainda não foi condenado, ou já estamos como no discurso do boss quando da ocorrencia do atropelamento mortal nas imediaçoes da luz onde veio logo a quente dizer que o país estaria a proteger um criminoso só porque o suspeito pasme-se ainda não tinha ido à fôrca na melhor jurisprudência do linchamento popular medieval, mas não admira vindo de alguem que tem escapado por entre os pingos da chuva ao veredicto ético republicano da nação, mas isso é coisa para pilha-galinhas. dito isto, apesar de tudo, umas das coisas que mais me apraz nisto é ver nos foruns de adeptos do slb o torrencial de críticas a lfv, sinal de que pelo menos no slb ainda não estamos na coreia do norte nem em coreografados beija-mão ao querido-líder

  9. Fruta Fresca says:

    E o tipo nem uma visita de trabalho foi fazer a Vigo?!
    Que raio de informadores!
    Pois, bilhetes e equipamentos não dão para muito mais!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.