Non hay pan para tanto chorizo!

o que significa “Não há pão para tanto ladrão!” e foi uma das palavras de ordem de mais de 30.000 pessoas nas ruas de Barcelona – e de outros muitos milhares em Madrid e noutras cidades espanholas – como resposta ao ridículo aumento de 0,25% aos pensionistas.Na denúncia do empobrecimento dos pensionistas e exigência de pensões dignas estavam nas ruas todas as gerações. Mais uma bela expressão de cidadania de “nuestros hermanos”.

Comments


  1. Não entendi o cartaz com a mota onde se diz “no la compramos”.e

    • Ana Moreno says:

      EMS, explicando: em Espanha, “vender a mota” é tipo “vender a banha da cobra”- significa tentar convencer alguém de alguma coisa. Neste caso, o cartaz quer dizer “não caímos nessa”.

      • Luís Lavoura says:

        Estou vendo que a Ana, além de mestre em expressões idiomáticas alemãs, também o é em expressões idiomáticas castelhanas…
        É uma mulher muito sabedora.

        • Ana Moreno says:

          Bom, Luís Lavoura, não sou mestre de nada, mas quando escrevo algo, tenho por hábito saber do que falo – espero que não o incomode…

  2. Miguel Bessa says:

    Bom bom está na Venezuela.

  3. JgMenos says:

    Viva la mama!

    • Megafone says:

      Mais Pão! Menos Chouriço!

    • ZE LOPES says:

      Não podia ser de outra maneira!V. Exa. tinha mesmo de vir a terreiro para defender a causa do chouriço, de que V. Exa. é um conhecido consumidor compulsivo.

      Como se todos não soubéssemos que V. Exa. foi, há uns tempos, eleito -merecidamente- Grão_Mestre da Confraria dos Chouriços de Portugal,organização irmã da “Orden del los Chorizos y Embutidos de España”. Foi lá que aprendeu o castelhano suficiente para produzir o seu douto comentário.

      Embora não seja clara a relação que faz entre a mama e o choutriço, presumo que seja produto da experiência de V. Exa. nas chouriçadas rituais lá da Confraria.

    • Paulo Marques says:

      Que comam brioches!

  4. Ex-Pinhal Interior says:

    Paralelizando o assunto para outras áreas do interesse público versus as do interesse “macro-privado”, os governos vêm metendo às centenas de milhares de milhões nos banquinhos e, para ajudar os (sobretudo micro-)proprietários agro-florestais devastados o ano passado – a partirem do zero e investirem a termos de vinte (20!) anos sem verem retornos – o esforço nacional já se pode ficar por umas dezenas de migalhinhos de eurios…


  5. Pois para as imagens e penso quantos votaram no PP e mesmo no PSOE, os grandes criadores dos cortes, apenas porque foi sempre o que fizeram. E pelo menos em Espanha ainda houve fortes mudanças com o Ciudadanos e os Podemos, porque cá em Portiugal ter caracter e personalidade é ser como uma pedra, nunca mas nunca mesmo mudar.

  6. ZE LOPES says:

    Era disto que o conhecido chouriço Passos falava quando criticava a política de recuperação de rendimentos da “Geringonça”. Com ele, dizia, também haveria recuperação, só que mais lenta.

    Eis que o “partido irmão”, brilhantemente comandado pelo chouriço Rajoy, resolveu pôr em prática a doutrina que é frequentemente invocada pelos liberal-chouriços das UEs, FMIs e quejandos: “sacrfiquem-se os pensionistas que há crise! Quando a crise acabar…sacrifiquem-se na mesma, já que temos de aproveitar o crescimento económico para aumentar os lucros dos nossos queridos grandes empresários e banqueiros que tantos prejuízos tiveram no passado, coitadinhos.

  7. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Não será chegada a altura de começar a responsabilizar essa chusma de inúteis que votam sempre nos mesmos, vindo a seguir lavar a sua consciência apresentando-se numa qualquer manifestação?
    O que me parece é que os eleitores estão a precisar de uns convívios ao fim de semana e para o fazerem dedicam-se a votar sempre nos mesmos inúteis, tendo assim uma razão para protestar e … para aparecer.
    Ser enganado uma vez, acontece. Ser enganado segunda vez, chama-se estupidez.
    Já não tenho paciência para estes chorões que passam metade do seu tempo a acolher Rajoy’s, Passos’s e C&A e vêm depois para a rua descascar neles.
    Em Espanha e Portugal, a maioria votou em quem os lixa. E eu quero é que eles se lixem. Abram os olhos…
    A maioria dos votantes quer é uns joguinhos de bola, umas telenovelas e o FB ou qualquer outra rede social para aparecer e protestar.


    • Não posso estar mais de acordo com o Ernesto!
      A menos que estes eleitores, que votam sempre em quem os lixa, sejam daqueles cujas crenças os manda “dar a outra face”…para levar mais porrada, claro!

  8. JgMenos says:

    «responsabilizar essa chusma de inúteis que votam sempre nos mesmos, vindo a seguir lavar a sua consciência apresentando-se numa qualquer manifestação?»
    Sem dúvida.
    Merecem castigo os inúteis que não votam nos fornecedores de maná aos inúteis!

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Ficava-lhe bem, pelo menos, ler o que se escreve e quando se tem dúvidas, põem-se perguntas. O resto é mandar gasolina para uma fogueira que não vou alimentar porque tenho mais que fazer.

    • ZE LOPES says:

      Tem V. Exa. muita razão! Os reformados espanhóis estão habituadinhos ao maná quentinho todos os dias de manhã e depois votam ao desprezo um produto da cultura de um povo como é o chouriço..

      Para um verdadeiro amante do chouriço como V.Exa, reconhecido Grão-Mestre da Confraria do Chouriço, para quem um dia sem papar um chouriço de boa dimensão é um dia que não existe, tal deve ser compreensívelmente insuportável.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.