Correio da Manhã: a aldrabar portugueses desde 1979

Fake news. Fake news nojentas, manipuladoras, canalhas.

Eis o jornal mais vendido deste país. Explica muita coisa.

Comments

  1. Antonio Rodrigues says:

    Se calhar Trump não deixará de ter alguma razão quando acusa a imprensa. Quantos “correios da manhã” não existirão na América? É fácil entender que isto não pode deixar de ser verdade. E certamente são esses que ele critica. Não sei mas adorava saber. Não tenho nada a dizer da imprensa americana porque não sou leitor. Falo só do que conheço. Uma questão bem posta pelo “Aventar”

  2. Comparar o Correio da Manhã ao Washington Post, New York Times, Boston Globe, The Atlantic, CNN, que são os que Trump critica apenas lembra a gente fora do mundo e de cidades fechadas sobre si mesmas, como Coimbra por exemplo. A comparação coloca o pasquim do Correio da Manhã num nível que não merece, é de um nível atroz. O equivalente ao Correio da manhã é a Fox News, Breitbart e similares, e esses Trump gosta.

    • Carlos Almeida says:

      “apenas lembra a gente fora do mundo”

      Negativo. Apenas lembra a gente que apenas lê “informação de esgoto” como o Correio da Manhã ou vê a CMTV ou TVI
      Lixo

    • Fernando says:

      Washington Post, New York Times, CNN, etc. defendem as guerras com base em “fake news”!

      • Washington Post contribuiu para despachar tricky dick, recomendo a visualização do filme “Os homens do Presidente”, excelente exemplo de que a falta de respeitinho contribuiu para engrandecer países, respeitinho apenas cria fracos países e cidades como Coimbra com a mania das grandezas e a viver no passado, e tudo o que vive no passado apodrece.

        • Fernando says:

          O tipo que é dono do Washington Post tem contrato com o Pentagno, esse tipo é Jeff Bezos, CEO da Amazon e homem mais rico do mundo…

          A comunicação social desde a Fox News à CNN é por norma a favor da guerra!

        • ZE LOPES says:

          Camarada, companheiro, rabeleiro, moreireiro, pinteiro, tripeiro:

          Compreendo as suas preocupações acerca da tripa (e da “trip”), já que é a sua e não conheço ninguém com mais que uma. Simplesmente acho que, da parte de V. Exa. existe, digo eu, e não só eu, outros como eu, e eu, uma certa fixação na tripa, colmatada, digo eu, com uma exagerosa desatenção pela vida pública, cultural, e tal.

          Pois eu digo a V. Exa com sinceridade e, porventura, com amizade que, como afirmava o filósofo inglês Joshua Sausage, “the casing isn’t everything”!

          Sim! Porque V. Exa. manifestou não ter prestado atenção condigna à triologia fílmica sobre Coimbra, de um tal Manel da Aliveira, que também acabou por ter um papel em ter dado cabo do “tricky dick”, mas de forma tão subtil, tão subtil que, como cantava Joe Dassin, “il est en allait, et je ne sais pas comme je le dirait “ .

          Estou a referir-me aos filmes “A Vingança da Tricana” (em inglês: “The Tricaine Tricks de Dick”), seguida de “ A Vingança da Tricana dos Tremoços” (“The Revenge of The Tricaine of The Lupins”) e, a terminar os quatro filmes da triologia “A Tricana Trama a Jurisprudência Mas Lixa-se” (isto para dar hipótese de continuação). Pelo meio ficou o célebre, mas nunca visto “A Tricana Trepa à Torre dos Clérigos e Curte Com Os Mesmos”, cuja única cópia foi agora mesmo descoberta no espólio de Salazar (muito roidinha, segundo rezam os arqueólogos). Vale a pena ver! Mais que impressionante é um filme, simplesmente, pressionante.

        • Dragartomaspouco says:

          “cidades como Coimbra com a mania das grandezas e a viver no passado”

          Olha quem fala. A cidade de O OPORTO. como dizia o saudoso lopatego, se não fossem as cidades vizinhas, Matosinhos, Maia e Gaia, tinha parado no tempo e era uma aldeia com uma Câmara Municipal e Universidade.

  3. ZE LOPES says:

    Gostei, mas perdoe-me João Mendes: o título do post é um retinto pleonasmo! Sim: “Correio da Manhã a Aldrabar”? Como poderia ser outra coisa?

    Aliás, lá na minha terra, sempre que um tipo tenta meter uma galga logo dizem “A mim não me apanhas! Estás a correiodamanhar, ó filho da mãe!”.

    • ZE LOPES says:

      E recentemente, apareceu outra: “vai trumpar a tua avó!”. Esta, francamente, não sei de onde vem. Tem algum palpite?

    • João Mendes says:

      ahahahaha excelente Zé Lopes! Realmente, o título soa um tanto ou quanto redundante 🙂

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.