Com a Saúde brinca-se

Concorrência, meritocracia, eficiência e outros chavões aparentemente virtuosos foram o cavalo de Tróia que permitiu que os privados deitassem a mão a áreas essenciais da sociedade, como a Saúde ou a Educação. O empresarialês é a linguagem que tudo explica, disfarçando o que não é mais do que a sede de lucro. O gestor-economista-empreendedor-consultor é o guru da boa nova, a luz que guiará os ignaros.

Marcelo Rebelo de Sousa defende a existência de consensos no que se refere ao Serviço Nacional de Saúde, deixando a ameaça vetar o projecto de Lei de Bases da Saúde, caso não conte com voto favorável do PSD. Há pouco tempo, Luís Filipe Pereira, economista, claro!, e antigo ministro da Saúde de Passos Coelho, defendeu que deve haver mais parcerias público-privadas (PPP) na Saúde.

O desinvestimento nos hospitais públicos é mau para a saúde dos portugueses. As PPP são más para a saúde de Portugal. Tudo isto, no entanto, é bom para Luís Filipe Pereira e para Marcelo Rebelo de Sousa.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Esta atitude de Marcelo Rebelo de Sousa não pode ser apenas vista como uma posição de força em relação à Lei de Bases da Saúde. Desenganem-se, meus caros.
    Ela tem um fim em vista. Um alcance estratégico muito superior.
    Marcelo quer matar, antes já das eleições, as hipóteses de uma nova Geringonça, pós Outubro de 2019, obrigando o PS a vir a jogo, e a aninhar-se.
    Ontem, num texto do José Gabriel abordando este assunto, escrevi que é nestes períodos fora do folclore das selfies, “que eu gosto do Presidente”. Nunca tendo votado nele, pelo menos reconheço que obriga o PS a definir-se. Resta saber se o PS quer defender os interesses do SNS, mandando estes artistas todos, Presidente incluído, dar uma curva ao jardim das sereias, deixando-os amuados, mas no seu devido lugar, ou se vacila.
    O meu receio, para não dizer certezas, é que o PS não tenha aprendido com o passado.

    • Carlos Almeida says:

      Bem analisado Rui Naldinho

      O filho do ministro para alem de PPD de raiz, é manhoso.
      Por outro lado a rapaziada do PS, que diz que quer fazer as omoletes, mas não quer partir os ovos, sempre foram dúbios, a começar pelo Mário

  2. Mário Reis says:

    Muito bem Antonio.
    O’s lobo’s com pele de cordeiro… A corrupção e o lobby às escancaras, sobre uma lei que além de fazer mais pela saúde de todos os portugueses é indispensável à saúde da democracia e separação das negociatas e corrupção.


  3. O SNS tem vindo a ficar cada vez pior. Mas o bolso das PPP está inegavelmente melhor. Isto poderia ser dito por um qualquer neo-pseudo-liberal de direita ansioso por meter o focinho na gamela do Estado.

  4. Julio Rolo Santos says:

    O SMS está doente e corre o risco de morrer às mãos dos enfermeiros. As sucessivas greves destes profissionais, a de agora chamada cirurgica, presume-se que esteja a ser financiada pelo setor privado da saúde a quem interessa o desmantelamento do sns. Quando falam em esgotamento a que estão sujeitos é balela porque, como alguem disse, os enfermeiros trabalham no privado e descansam no público.A ministra da saúde é que não tem coragem para fazer a requisição civil dos enfermeiros para ficarem a saber o que é bom para a tosse. Não brinquem com a saúde que tão mal está a ser tratada.

    • Carlos Almeida says:

      Isso é de tal maneira evidente para toda a gente, que correm o risco de mesmo aqueles que não ligam nada à politica, estejam a perceber quem é de facto que está a patrocinar estas greves dos Enfermeiros. É claro que os donos das clínicas privadas, que no tempo das ratazanas laranjas cresceram como cogumelos com o dinheiro arranjado pelos amigos que controlavam o Estado, não lhes interessa que exista o SNS.
      Por outro lado os senhores do PS que querem estar bem com Deus e com o Diabo, não os querem incomodar

    • António Fernando Nabais says:

      Ora ainda bem que ficou demonstrado que os enfermeiros não têm razão para protestar.

  5. JgMenos says:

    A cretinagem esquerdalha em vez de cuidar de pagar a fornecedores e actualizar equipamentos nos hospitais públicos, baba-se toda a pensar em tornar inutéis os hospitais bem equipados e bem abastecidos nas mão de privados.

    • António Fernando Nabais says:

      A cretinagem direitola, em vez de cuidar de pagar a fornecedores e actualizar equipamentos nos hospitais públicos, baba-se toda a pensar em tornar inúteis esses mesmos hospitais públicos cada vez mais mal equipados e mal abastecidos, para ajudar os amigos que são donos de hospitais privados.

      • JgMenos says:

        Só mesmo de idiotas ver um Estado incapaz de investir, em permanente guerra para sustentar a boyada que já tem a 35 horas por semana, e pensar poder substituir quem tem meios para prestar serviços de qualidade.

        E o ridículo é dizerem que o fazem a bem da saúde pública!

        • ZE LOPES says:

          Só mesmo de idiotas ver um Estado incapaz de investir, em permanente guerra para sustentar a mama dos “investidores” privados que já têm milhões garantidos, e pensar poder substituir quem não tem meios para prestar serviços de qualidade.

          E o ridículo é dizerem que o fazem a bem da saúde pública!

          Gostou, ó Menos?

          Quem inventou? Fui eu!

    • ZE LOPES says:

      Hospitais privados? É “nice” ser um liberal empreendedor de sucesso à custa do Estado!

      Os hospitais privados não se equipam para tratar as doenças. Equipam-se para CERTAS doenças. Apareça lá com um cancro que eles logo lhe dizem! E não adianta ter seguro de saúde. É o mesmo!

      Aliás os seguros de saúde funcionam ótimamente…em indivíduos saudáveis. Note que até o nome não foi escolhido ao acaso: são seguros DE SAÙDE, não de DOENÇA.

      • Jovem Sexagenário says:

        o serviço nacional também é de SAÚDE, não de DOENÇA. e funciona mal por que os que deviam olhar pelo cantinho de céu que lhes dá o pão não olham, se passar à privada comem e calam.

        • ZE LOPES says:

          Como diz o povo lá na minha terra “quando os néscios se armam em astrólogos só sai trampa” (em rigor, não é trampa que dizem, mas pronto!).Este comentário é disso prova. E não sou eu que digo. É o povo! Lá na minha terra!

    • Paulo Marques says:

      Se os teus clientes pagassem impostos, já havia recursos para eles dentro das “contas certas” que tanto queres.

    • Julio Rolo Santos says:

      Contrariamente ao que se imagina os Hospitais Públicos estão cheios de pessoal improdutivo sobretudo a nível de médicos, enfermeiros e adminitrativos, o que lhes falta são chefes competentes capazes de fazerem a distribuição e acompanhamento permanente da sua atividade. Os serviços de urgência estão a abarrotar de doentes a contorcerem-se com doentes mas numa sala ao lado há médicos e enfermeiros na galhofa. Pelos corredores dos hospitais há ajuntamentos de pessoal em amena cavaqueira e não há um chefe ou gestor que seja capaz de pôr termo a esta situação.Por mais que se invista nos hospitais o dinheiro nunca chega para o essencial e os privados aproveitam-se para irem buscar os doentes mais endinheirados ao SNS. Os enfermeiros estao em greve às cirúrgicas e perante uma ameaça de requisição civil barafustam porque estão a cumprir os serviços minimos e que a greve é um direito que lhes assiste. É mentira porque a sua greve não obedece aos requisitos de uma greve porque os grevistas recebem o seu salário como se estejam a trabalhar só não se sabe é de onde vem o dinheiro, supõe-se que venha dos privados mas isso deviam ser as finanças a indagarem a sua origem para se determinar se devem ao não pagar o impostos visto que se tratam de donativos como eles próprios dizem. Enfim, é o regabofe da saúde.

      • António Fernando Nabais says:

        Pronto, mais um problema resolvido: afinal, os médicos e os enfermeiros são todos improdutivos. Em que café é que ficou a saber disso?

        • Julio Rolo Santos says:

          Ninguém generalizou apenas se diz médicos, enfermeiros e administrativos e isso qualquer pessoa pode constatar se for, por exemplo, aos HUC e se quiser dar ao trabalho de subir as escadas e não pelo elevador, pode comprovar o óbvio. É por constatar esta realidade assiduamente que me atrevo a fazer estas afirmações. Lamentável mas é a realidade.

  6. Ana A. says:

    Tenho um familiar a precisar de uma cirurgia, mas com as greves às cirurgias, e como a marcação se tem arrastado no tempo, e não se vislumbra quando a poderá fazer, vai ter que abrir mão das poupanças e pagá-la no privado.

    Como sei que o dinheiro lhe vai fazer falta no futuro dei-lhe a ideia de, tal como os enfermeiros grevistas, criar um crowdfunding para a operação, não só para ele como para todos os doentes afectados pela greve!

    Será que é viável?

    (Nota: Não tendo nada contra as greves e apoiá-las como um direito inalienável dos trabalhadores (infelizmente só de alguns), creio, no entanto, que a liberdade de uns acaba onde começa a liberdade dos outros).

  7. AnimalCavaloSelva says:

    “Os lobo’s com pele de cordeiro” estão lá, dentro do sns. são aquelas sanguessugas que o sns é a clínica do consultório deles. são os facilitadores que após se pagar a joia no consultório se fica apto a passar á frente em todas as bichas incluindo cirurgias, em que se tem internamento vip para ir fazer exames de ambulancia. até esses enfermeirozecos que tratam os pobrezitos como trapos, para os protegidos das sanguessugas fazem de empregada de quarto. parem com a hipocrisia, o que há é um sns encaputado em que os mamões são muitos e só não vê quem não quer.

  8. Jovem Sexagenário says:

    tudo verdade e apoiado e os nabais só falam assim porque daí lhes vem muita água e pelos vistos tem sol na eira.

Trackbacks


  1. […] via Com a Saúde brinca-se — Aventar […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.