Afinal, há coincidências

No dia em que um ex-advogado de Trump foi ao Congresso dos EUA lançar mais lenha na fogueira, calhou Trump e o ditador da Coreia do Norte encontrarem-se para mais um número de coreografia. Os dois eventos não têm relação alguma. Seguramente. Apear de o primeiro estar planeado há qb tempo e o segundo ter caído do nada.

Alguém que avise a Margarida Rebelo Pinto. Afinal, há coincidências.

Adenda
Não houve acordo mas o objectivo de criar uma diversão foi atingido.

A cimeira entre o Presidente dos Estados Unidos e o líder da Coreia do Norte terminou esta quinta-feira, em Hanói, sem que fosse alcançado “qualquer acordo”, anunciou a porta-voz da Casa Branca.”

Ao usar a Coreia do Norte como um instrumento dos seus objectivos pessoais, Trump está a transformar Kim Jong-un num seu par, com um protagonismo que não existia antes desta administração americana. Ou seja, nada mudou na Coreia do Norte e o respectivo líder ficou mais forte. Estamos pior, portanto.

Sobre a suposta nomeação para o Prémio Nobel da Paz, só pode ser devaneio de quem está a engolir a conversa de um narcisista gabarolas.

Comments

  1. Nobel ? says:

    De acordo. Qto ao nobel está uns valentes furos acima de Obama mas nao espanta se lho atribuirem … Guantánamo, Afeganistão, Líbia e Síria, a Ucrânia e o que os últimos dias tem revelado sobre os ganhos e o envolvimento de membros do goveno dos EUA naquele golpe proto fascista (que também contou com caravanas de solidariedade do PSD), tudo medalhas a brilhar no peito de Obama.

    • j. manuel cordeiro says:

      Uns valentes furos acima do Obama? Bela lixívia para branquear o Trump.

      Colocou o mundo à beira de um conflito nuclear com a Coreia d Norte. Depois recuou e lá fez a 1ª reunião, da qual nada saiu. Tal como desta reunião nada saiu. Apenas reforçou a posição do Kim.
      Desestabilizou a NATO e alterou o equilíbrio de forças do que eram os seus aliados.
      Declarou que o Canadá era uma ameaça para a segurança nacional (americana).

      Andou em zig-zague com a Turquia quanto à Síria.

      Nada mudou quanto a Guantanamo.

      Causou o caos na fronteira com o México, levando à separação de bebés dos respectivos pais. A situação é de tal forma caótica que actualmente há filhos que nunca vão saber quem são os pais.

      Tem sido um apoiante do NRA, propondo armas para os professores “controlarem” os massacres nas escolas.

      Entrou em conflito comercial com a China.

      Em 2 anos, o mundo ficou pior com Trump. Por isso, guarde lá a lixívia para si.

      • Fernando says:

        É a favor da existência da NATO?

        • j. manuel cordeiro says:

          Sou a favor de um conjunto de países se organizar na defesa de interesses comuns.

          • Fernando says:

            Pois é, os “interesses comuns”… devem ter sido os interesses comuns que levaram Obama a declarar a Venezuela como ameaça para os EUA…

            https://youtu.be/My0sq7KJf-0

            Ao contrário de si, se Trump destruísse a NATO eu celebraria o fim da mesma!

            Não se preocupe, Trump não vai fazer isso (intencionalmente), e Portugal vai mesmo gastar mais dinheiro com a NATO, Trump já ordenou, os vassalos vão cumprir, é pelos “interesses comuns”…

          • j. manuel cordeiro says:

            Há sempre quem puxe parte de um grupo para defesa dos seus próprios interesses. Foi os o EUA fizeram repetidamente (Iraque, Venezuela, …).

            Se fosse outro bloco (ex-URSS, China, …), a parte mais fraca acabaria por ir a reboque na mesma. Às vezes é uma questão de gosto sobre quem puxa a corda.

            [editado]

      • Paulo Marques says:

        Faltou Israel e o Irão, talvez o mais relevante depois de deixar a Rússia com rédea livre. Mas é difícil de saber qual o pior da realpolitik americana.


  2. Deve ser defeito profissional, mas, por muito nojo que o Sr. Trump me cause (e é muito), causa-me ainda mais nojo ver um advogado a divulgar aquilo que o cliente lhe disse. Acresce que, tratando-se de alegações já mais do que conhecidas, a que apenas foram acrescentadas considerações sórdidas, o efeito mais provável do depoimento vai ser reforçar a tese de Trump de que vale tudo para o derrubar. Some-se a isso a probabilidade de um candidato da esquerda do Partido Democrático e as hipóteses do desastre Trump durar mais 4 anos são enormes.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.