A puta de Cristiano Ronaldo

A Selecção Nacional é a puta de Cristiano Ronaldo. Sempre pronta, de pernas abertas, a recebê-lo quando lhe apetece.
Veio agora para dois jogos e voltará quando quiser. Mais ou menos como fazia Luís Figo há alguns anos.
Quanto ao brochista de serviço, é o mesmo de sempre. Quem aceita que um jogador o empurre e dê indicações em campo em vez dele próprio; quem se desfaz em declarações amorosas constantes ao “melhor do mundo” sem perceber que nenhum treinador se pode rebaixar a nenhum jogador, seja ele quem for, faz jus ao papel que representa. Que é o de um treinador de quinta categoria – como o são, de resto, quase todos os selecionadores nacionais. Se fossem bons, não estavam nas Selecções.
Mas compreende-se. Afinal, o chefe deles é o mesmo que também manda na Selecção, que é como quem diz o empresário. E nestas coisas, manda quem pode, obedece quem deve.

Comments

  1. A autogestão é o que está a dar. says:

    E os brochistas de serviço ao Aventar ?? Nem de putas precisam. A autogestão é o que está a dar.

  2. A educação é muito linda says:

    Post bem esclarecedor do baixo nível do clan “pinto”, chamem-se eles Jorge, Rui ou Ricardo.

    É uma pena, Aventar ……


  3. Acho que com o Luís Figo ainda foi pior, se bem que o triste episódio de não querer jogar o jogo de terceiro e quarto lugar da Taça das Confederações, só porque tinham chegado os filhos que tinha encomendado na Amazon também está muito à altura. Uns adiaram o próprio casamento para estar a representar o país, outros, só porque não é a final já não precisam de estar presentes e podem-se ir embora com o apoio da federação.

    Quanto ao selecionador não concordo. Fernando Santo deve ser, provavelmente, o melhor treinador que a seleção teve desde há muitos anos. Ainda que tenha andado a dizer que era contra naturalizados e tenha agora convocado o avançado do Braga. E eu estou muito à vontade, acho que todo e qualquer atleta que tenha B.I. português pode ser convocado.

  4. antero seguro says:

    RFP tem toda a razão, o problema é que dizer as verdades usando linguagem pouco convencional pode ferir os tímpanos de pessoas mais púdicas e sensíveis. A selecção nacional não passa de um bando de mercenário que levam o pagode atrás. O que se passou em Saltillo desmascarou definitivamente ao que esta gente e os que à volta deles gravitam, andam.

  5. Paulo Marques says:

    A FPF à venda? Nunca, é só gente respeitável e pouco subornável.

  6. Julio Rolo Santos says:

    Quando não se gosta não vale a pena ofender, passa-se á frente

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.