I was busy thinking about BOYS

Good boy! Dá a patinha!

Tradução do texto do líder da Juventude (pouco) Socialista:

«A Juventude Socialista irá hastear na sua sede a bandeira palestiniana, porque sabemos que há alguns esquerdistas no nosso partido e queremos continuar a dizer que somos de Esquerda. No entanto, defendemos o Estado de Israel, pois é o que a União Europeia e os Estados Unidos da América nos dizem para fazer. Mas, para além de sermos uns paus-mandados e cata-ventos da comunidade Internacional, não podemos ficar indiferentes aos coitados dos palestinianos. Ps. Queremos o seu voto, não se esqueça!»

Julgo ser mais ou menos isto… mas Línguas nunca foi o meu forte.

O Grupo Outubro, na música “Os Senhores da Guerra”, dizia:

«Os senhores da guerra
Fazem contas cuidadosas.
Deixam dois por cento
Para obras caridosas!

(…)

Biafra ou Palestina
Bangladesh ou Polinésia.
O Chile ou a Argentina,
A Coreia ou a Indonésia:
Fornecem carne para canhão
Em primeira mão!»

Se não quiserem Grupo Outubro e preferirem algo mais pop, podem sempre ficar com Charli XCX e a sua “BOYS”:

«Don’t be mad, don’t be mad at me 
Darling, I can’t stop it
Even if I wanted
Don’t be mad, don’t be mad at me 
Missed what you were saying
I was miles away, yeah
Don’t be mad, don’t be mad, not like I had a choice
I was busy thinking ‘bout boys
Boys, boys
I was busy dreaming ‘bout boys
Boys, boys»

Familiares carregam os corpos de crianças, mortas à conta de um ataque Israelita durante a noite, durante um funeral, em Beit Lahia, a norte da Faixa de Gaza (Daily Mail)

«(…) Voando em arco
Esgueiro o corpo num balanço
Como um piloto do inferno, assalto
Nas asas guerreiras de um anjo
Seja louvado
Atacamos mui baralhados
Como um bando endiabrado
Por Jesus na sua cruz
Chora por mim ó minha infanta
Escorre sangue o céu e a terra
Ah pois por mais que seja santa
A guerra é a guerra (…)»

(Fausto Bordalo Dias – A Guerra é a Guerra, do disco “Por este rio acima” – LP 1982)

Comments

  1. CARLOS ALMEIDA says:

    O sol na eira e chuva no nabal é complicado,

  2. Filipe Bastos says:

    É daqueles casos, não é? Por um lado vemos a brutalidade, a cobardia, a hipocrisia e a constante impunidade de Israel, sempre montado no seu buldogue americano; por outro lado os palestinos não são apenas vítimas.

    Temos mais em comum com os israelitas, apesar de tudo, do que com a vasta maioria dos palestinos e árabes em geral. O Islão é um atraso de vida, o Médio Oriente é um atraso de vida, além de Israel pouco ali se aproveita.

    Condenar as atrocidades e os abusos israelitas? Defender o direito à autodeterminação dos palestinos? Tudo bem. Mas não façamos de conta que dali sairá algo de jeito.

    Quanto à tradução do Partido da Sucata, está spot on.

    • Paulo Marques says:

      Não seja assim, os zionistas estão apenas a civilizá-los para não serem atrasos de vida.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.