BES! caloteiro! dá-me o meu dinheiro!

amercico amorim

O homem mais rico de Portugal vai à manif.

Amorim, Isabel e Amaral sacam, a Albuquerque entra à grande

Amorim, Mira Amaral e a princesa Isabel exigem mais 100 M € do Estado Português. O BPN, vendido pela ridicularia de 40 M €, é um rio que corre célere e abundante montanha abaixo, afogando ainda mais na desgraça os nossos escassos dinheiros públicos.

Albuquerque, a genial financeira de ‘swaps’ e do contrato de venda do BPN, voltará a não resistir ao patológico vício de gastadora compulsiva de dinheiros dos contribuintes.

O corticeiro, o “fala e cospe” e a filha do “Zezé de Angola”, através do BIC, terão mais 100 M € de receita garantidos.

Posteriormente a Albuquerque, se chamada à AR, vai declarar que ela, alma de alva inocência, jamais desembolsou tal dinheiro. “O cheque foi emitido por um funcionário do Tesouro”, alegará.

A actual Ministra de Estado e das Finanças, é consabido, foi professora de Economia de Passos Coelho, na Lusíada. Para muitos já se tinha tornado notório que o PM sai à mestra, co-autora dos orçamentos falhados do Gaspar.

As menstruações de Américo Amorim e o problema estrutural da economia portuguesa

Crise internacional à parte, é sabido que a economia portuguesa tem um problema estrutural: a fuga aos impostos e os benefícios fiscais às empresas, permitindo falcatruas que se transformam em prejuízo para o estado. Depois dizem que este gasta mais do que tem, pudera.

O regabofe é de tal ordem que a impunidade é  assumida como regra, levando agora, gloriosa excepção, Américo Amorim a ter de descalçar 3,1 milhões de despesas bizarras para a sua principal holding: viagens dos netos, despesas com pensos higiénicos, cintos de crocodilo ou massagens. Prejuízo: 750 000 euros.

Que injustiça: o homem nem sequer é rico mas apenas um trabalhador sujeito a menstruações no local de trabalho. Fazer isto a um grande accionista do sacrificado BIC que dentro de dias receberá o BPN a quem deverá 1600 milhões (quando é que esta golpada será esclarecida?), está mal, muito mal, assim o país não anda para a frente e nunca mais saímos desta crise.

Fonte do gráfico e leitura proveitosa: resistir.info

A golpada

Anda pelos jornais, e um deputado do BE requereu a confirmação ao Ministério das Finanças, uma estorinha que a ser verdadeira transformaria o caso BPN na maior burla da História de Portugal, deixando o Alves dos Reis no capítulo dos meninos de coro.

Em 2006 a Amorim Energia teria pedido um empréstimo de 1600 milhões de euros ao BPN, o qual entretanto não pagou. Ora e de quem é a Amorim Energia? do trabalhador Américo Amorim, da Santoro Holding Financial, da trabalhadora Isabel dos Santos, e da Sonagol. E quem é o accionista maioritário do BIC que comprou o BPN? a Santoro Holding Financial.

Com casos destes na vida real, quem precisa de ir ao cinema?

Vamos todos ajudar o pobre Américo Amorim

Eu não me considero rico, sou um trabalhador” – a piada do dia é de Américo Amorim.
A bem dizer ser-se milionário e pobre de espírito não é incompatível.

Entretanto no facebook a solidariedade dos portugueses já se está a manifestar com a campanha  Uma moedinha para ajudar Américo Amorim, esse trabalhador pobrezinho. Não se esqueça de ir lá deixar a sua. A caridade quando nasce é para todos, não espere pelo Natal.