Postcards from the Balkans #09

A grande beleza da Bósnia. O insuportável calor da Herzegovina. Um filme de Emir Kusturica e as cigarras de Mostar.

10492354_10204765410641396_7836230596340105073_n

A BiH não é um país fácil. As razões são muitas. E não tenho tempo (nem rede, neste momento) para enumerar todas. As pessoas ora são simpáticas, ora extraordinarimente rudes. A paisagem ora lembra o paraíso (como se eu soubesse o que é o paraíso), ora o mais profundo inferno (como se eu soubesse também o que isso seja). Ora descobrimos recantos de silêncio belo, ora encontramos a música mais atroz.

Saí de Sarajevo no autocarro das 11h30 em direção a Mostar. Um dos senhores do hotel levou-me a mala até à estrada, à entrada da cidade velha, para que eu apanhasse o táxi que me levaria à estação dos autocarros. Disse-me que esperava comigo e embora eu lhe tivesse dito que não era preciso, ali ficou. Enquanto esperávamos disse-me que eu tinha feito bem em ficar tantos dias (na verdade, não acho – e agora que estou em Mostar, até acho menos – que tivessem sido assim tantos), que uma cidade não se conhece em dois dias. Concordei e disse-lhe que, mesmo em cinco dias, não tinha visto tudo. Uma cidade como Sarajevo precisaria de uma vida inteira. [Read more…]

FUTAventar – a taluda

Há um erro que persiste, Pepe a jogar no meio campo é uma tremenda asneira. A bola não sai sali, e ele corre trinta metros com a bola para depois a entregar a um adversário ou a um colega que está ali a um metro. As bolas que tenta colocar à distância nem uma é bem entregue.

 

As transições não se fazem com fluidez e os avançados sofrem com isso. Com Pedro Mendes naquela posição tudo gira ao primeiro toque, apanha os adversários em contra pé, os avançados têm espaço. Raul Meireles tambem faz bem aquele lugar, com Tiago e Deco o meu campo da selecção é muito mais consistente e criativo.

 

Quer manter os três centrais em campo, Pepe,Bruno Alves e Ricardo Carvalho? Então jogue com três defesas, cinco médios e dois avançados.

 

A equipa adversária não é em nada inferior e com um bocado de sorte podia ter ganho o jogo.

 

Hoje saiu a taluda à nossa selecção!

 

Os militares portugueses vao à bola

Hoje de manhã, ouvi na TSF uma alta patente do Exército português, destacado na Bósnia, a dizer que gostava muito que Portugal jogasse contra a Bósnia no «play-off» de acesso ao Mundial da África do Sul e que fazia questão de receber os jogadores no seu quartel-general.

Nem de propósito, a Bósnia vai ser mesmo o adversário de Portugal. Presumivelmente, porque nestas coisas nunca se sabe, era o melhor adversário que a nossa Selecção podia encontrar, juntamente com a Eslovénia.

Estamos a uma distância muito curta de chegar ao Mundial. Acredito que vamos estar lá, por mais que Scolari peça à Senhora do Caravaggio para que tal não aconteça.