Efectivamente, da selecção

Exactamente, RTP. Da selecção.

Como sabemos, ‘selecção’ ≠ ‘seleção’.

E o Acordo Ortográfico (de 1990, no caso em apreço) serve para quê?

Serve para inglês ver.

Efectivamente. Viva a selecção.

***

Marcelo pede ao Brasil para “fazer o melhor possível” nas Confederações

«Marcelo pede à seleção para “fazer o melhor possível” nas Confederações». Exactamente.

O capitão da selecção do Brasil farturou frente à Letónia?

Segundo A Bola (efectivamente: o resistente que se cala), o «capitão da Seleção […] fa[ɾ]tura frente à Letónia». Efectivamente: fartura e *seleção.

Nuno Bettencourt, dos Extreme, foi buscar a bandeira portuguesa de “More Than Words” para dar sorte à selecção do Brasil

É efectivamente estranho, mas possível, segundo este título: «Nuno Bettencourt, dos Extreme, foi buscar a bandeira portuguesa de “More Than Words” para dar sorte à seleção».

E agora?

selecç

© PHILIPPE DESMAZES/AFP/Getty Images (http://bit.ly/29yPbxI)

If one knows the streets well, one can, by taking a zigzag path, avoid the large, busy thoroughfares that snake through the maze of smaller streets and, by following those smaller arteries, travel more or less as the crow flies.

David Byrne, Bicycle Diaries (“London”)

***

Pedro Queiroz da Costa, jornalista do Público, reflecte e pergunta:

Portugal foi campeão europeu. Já ninguém tira isso à selecção nacional. Mas e agora?

Agora? Agora, continua tudo como dantes. Basta ver aquilo que acontece no sítio do costume.

dre1172016

Efectivamente, nada mudou.

Em dia de França – Portugal, o L’Équipe presta homenagem ao português do Brasil

«A Seleção de Cristiano Ronaldo». Ainda por cima, com texto escrito por quem defende a resistência silenciosa num país europeu em que existe a possibilidade de exprimir e divulgar livremente o pensamento através da palavra. Obrigado, Dario.

Então o 12.º jogador é este…

jogador

«La photo d’équipe de la Selecção»?

selecção3

© Matthias Hangst/Getty Images (http://bit.ly/29AqWlp)

Qui s’affecte d’une insulte, s’infecte.

— Jean Cocteau, “Journal d’un inconnu

***

Exactamente: «la photo d’équipe de la Selecção».

Efectivamente.

Urge higienizar a Selecção Nacional

rony
A tarefa mais importante e mais urgente do futuro Seleccionador Nacional é a higienização da Selecção. A única forma de consegui-lo é o afastamento definitivo de Cristiano Ronaldo.
Não está em causa o valor da diva, daí escrever propositadamente antes do jogo decisivo do Euro/2016. Preparando-me para os insultos ao longo do dia e sobretudo se ele conseguir espetar 2 ou 3 golos à Hungria. As ronaldetes simplesmente não perdoarão.
A verdade é que nem sempre o valor intrínseco de um jogador é suficiente para que se justifique a sua permanência no seio de um grupo. Muitas vezes, as perdas são superiores aos ganhos.
Ronaldo é indubitavelmente o melhor e mais influente jogador português de todos os tempos, mas nem por isso a Selecção ganhou mais do que antes. Ao invés, a presença de alguém que seca tudo à sua volta, que manda e desmanda dentro dos estágios, como se de uma coutada se tratasse – sua e do seu parceiro Jorge Mendes, pode ser mais prejudicial do que benéfica. [Read more…]

«Ronaldo atira micro da CMTV para um lago»

Correio da Manhã, por qualquer razão que me escapa, refere-se a Cristiano Ronaldo como capitão da selecção brasileira: “capitão da seleção nacional“. Como sabemos, ‘selecção’ ≠ ‘seleção’.

Muito bem, Bruno de Carvalho

«Começo por fazer notar que o texto […] não se rege pelo acordo ortográfico». Excelente.

A selecção do Brasil chegou a Saint-Étienne, depois da derrota com o Peru?

«Seleção é derrotada por 1 a 0» (13/06/2016 0:51). «Ambiente calmo em Saint-Étienne à espera da seleção» (13/06/2016 9:05). SeleçãoSeleção?

Mãe de Cristiano Ronaldo em Fátima a rezar pela selecção brasileira

Segundo o Jornal de Notícias: «Mãe de Cristiano Ronaldo em Fátima a rezar pela seleção». Seleção? Efectivamente.

Divino!

Sim, divinoDivino Alves. O regresso.

Fernando Santos quis experimentar jogar com dez

Por isso, pôs Bruno Alves a titular.

Pedro Abrunhosa lança cântico de apoio à selecção brasileira

Segundo a TSF. Efectivamente, como sabemos, ‘selecção’ ≠ ‘seleção’.

Curiosamente, o novo equipamento da selecção do Brasil

novo equipamento da seleção nacional») é muito parecido com o da selecção portuguesa. Efectivamente, como sabemos, ‘selecção’ ≠ ‘seleção’. Exactamente.

Selecção dominou, mas Seleção venceu

epa joel ford

© EPA|Joel Ford (http://bit.ly/1cVJP11)

De facto, como podemos ler no Público de ontem: “Portugal dominou mas Brasil venceu nos penáltis por 1-3“. Por qualquer motivo, na redacção do jornal O Jogo há quem, apesar do título (Portugal eliminado pelo Brasil), creia que o Brasil perdeu: “A Seleção Nacional de Sub-20 perdeu“. Convém sempre recordar que ‘selecção’ ≠ ‘seleção’ — por exemplo, há pouco mais de um ano, selecção jogou com os Camarões e a seleção jogou com a África do Sul.

Também convirá, durante a tal “discussão mais focada sobre as matérias mais controversas“, explicar que, em português europeu, Contact Mechanics and Lubrication não corresponde exactamente a Mecânica do Contato e Lubrificação. Exactamente: hoje, no sítio do costume.

mecanica contato

“Talisca: sensação na Europa e esperança para a seleção”

Efectivamente. Seleção.

França — Portugal

Selecção. Selecção? Oui, évidemment, bien sûr: Selecção.

Sim, sim…

Scolari lembra que Portugal no Euro 2004 começou a perder e chegou à final

Sim, sim, eu lembro-me .

Aliás, começou a perder e acabou a perder, e com os mesmos.

Lá nisso, honra lhe seja feita…

Não há pachorra para tanto ópio do povo.

Cavaco recebeu a selecção e respectiva comitiva

Forneceu almoço e tudo. Os jogadores resistiram e parecem estar bem.

Despedimento colectivo

Ao contrário daquilo que por aqui se escreve, os manifestantes não contestam qualquer despedimento *coletivo. Aquilo que os manifestantes contestam é um despedimento colectivo. Basta ouvir as declarações de António Baião. Se Baião pretendesse mencionar um despedimento *coletivo, teria pronunciado  [kuɫɨˈtivu]. Contudo, Baião pronuncia [kuɫɛˈtivu], isto é, colectivo.

Aliás, o colectivo do cartaz dissipa quaisquer dúvidas acerca daquilo que os trabalhadores contestam. É escusado virem alguns OCS inventar a roda, deturpar declarações e perturbar o normal funcionamento da ortografia portuguesa europeia.

orto1

É importante respirar, ter uma pausa, pensar, reflectir

Uma marca de cervejas pôs “Paulo Bento a dar táctica [sim, exactamente: ‘táctica’ e ‘tácticas’] para unir os portugueses à Seleção”. Seleção? Seleção. Felizmente, existe concorrência.

Lembramo-nos todos certamente daquilo que foi escrito, há mais de um ano, acerca da aplicação do Acordo Ortográfico de 1990: “o AOLP90 já foi quase plenamente aplicado, como o Estado determinou, sem problemas de maior”. Efectivamente, plenamente aplicado e sem problemas de maior.

Convém que os responsáveis por um anúncio com quase quatro anos aproveitem a resposta do actual presidente da Comissão Europeia – “é importante respirar, ter uma pausa, pensar, reflectir…” –, admitam aquilo que salta aos olhos de todos (no Expresso não se adopta o Acordo Ortográfico de 1990) e acabem com este triste e deprimente espectáculo. Porque “a coisa mais normal do mundo” é um português escrever ‘reflectir’. Reflectir? Sim: reflectir.

reflectir

 

Paulo Bento é o novo seleccionador do Brasil

Ajude Paulo Bento a escolher os 23 jogadores da seleção nacional”. Seleção? Sim: seleção.

A diferença entre ‘selecção’ e ‘seleção’

A selecção jogou com os Camarões. A seleção jogou com a África do Sul. 

Revelada a camisola oficial da selecção brasileira

 

Record diz-nos que foi “revelada a camisola oficial da Seleção [sic] para o Mundial“. Aparentemente, os jogadores da selecção brasileira passarão a envergar uma camisola igualzinha à dos colegas que jogam na selecção portuguesa. Sim, porque ‘selecção’ ≠ ‘seleção’.

 

Selecção brasileira joga em Leiria

Cobertura do Estádio de Leiria será reparada antes de receber jogo da Seleção“. Sim, da Seleção.

A lição do Eusébio

Ainda sou do tempo em que vi jogar o Eusébio, essa ruptura geracional que ontem dividiu a pátria. Uns viram, outros não, e quem não viu não percebe, olham para o homem como se fosse um Ronaldo em versão cota, no tempo em que o futebol era fácil e não prestava para nada.
1966-portugal-x-coréia-do-norte

Nessas duas ou três vezes a Académica perdeu, o que somado ao enxovalho na escola em Benfica, conimbricense exilado e isolado perante a turba de alfacinhas,  não são exactamente boas recordações. Mas a esses jogos, semente do meu anti-benfiquismo primário, não tinha ido só pelo meu clube numa das suas três visitas anuais mas também para ver jogar o Eusébio, esta parte toda a gente percebe, o Futre e o Figo também conseguiram que os putos os quisessem ver jogar mais do que uma vez por ano na televisão, em diferido.

Porque antes há o jogo da Coreia. Tinha seis anos, é o primeiro jogo que me lembro de ver, o nosso primeiro campeonato do mundo, o único com Eusébio.

O jogo da Coreia ensinou-me umas coisas. [Read more…]

Cristiano Ronaldo quer representar a selecção brasileira

Quero ganhar um Mundial com a Seleção [sic]”

%d bloggers like this: