E ninguém se demite?

Segundo o PSD, um bombeiro ferido com gravidade no incêndio de Pedrógão Grande teve que esperar cerca de 10 horas até chegar ao hospital.  Pelo caminho, contam-se duas idas ao centro de saúde de Castanheira de Pera, unidade sem condições para tratar o bombeiro Rui Rosinha, que acabaria por dar entrada no Hospital da Prelada por volta das 06h de Domingo.

A confirmar-se o relato, estamos perante uma situação de absoluta gravidade, que deve ser alvo de um rigoroso inquérito para que as responsabilidades sejam devidamente apuradas. Não é compreensível que uma situação destas aconteça. Não é aceitável que um bombeiro gravemente ferido espere 10 horas por tratamento adequado. Não é admissível que tudo isto aconteça sem que rolem cabeças. Os ministérios da Saúde e da Administração Interna têm explicações a dar ao país.

Foto: Lusa@RTP

O que fazer para ajudar bombeiros e vítimas?

Segue a transcrição do texto de Andreia Sanches e Sérgio B. Gomes, no Público. Convém prestar atenção às actualizações.

***

Muitas pessoas questionam-se sobre o que podem fazer para ajudar os bombeiros e as vítimas dos incêndios na região de Pedrógão Grande. Para já, Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, diz ao PÚBLICO que há água e leite suficientes, mas que “falta fruta que não seja preciso descascar”. E que também são bem-vindas “barras energéticas”.

Em Pedrógão Grande
O que sabemos até agora sobre a tragédia de Pedrógão Grande
O que sabemos até agora sobre a tragédia de Pedrógão Grande
Quem estiver na zona pode assim deslocar-se com estes mantimentos à zona industrial de Pedrógão Grande, diz Jaime Marta Soares. “Há aí uma equipa de recepção que fará depois a distribuição pelas diferentes frentes.”

Bancos e seguradoras
A Associação Mutualista Montepio anunciou em comunicado a doação de 150 mil euros às vítimas dos incêndios que ainda lavram no distrito de Leiria.

A Caixa Geral de Depósitos criou uma conta solidária – Unidos por Pedrógão – e doou 50 mil euros para apoiar as vítimas da tragédia.
Os dados desta conta solidária são:
Conta Solidária Caixa 0001 100000 330
IBAN PT50 0035 0001 00100000330 42

A Caixa anunciou ainda que vai criar condições diferenciadas para os seus clientes atingidos por esta calamidade.

Também a companhia de seguros Lusitânia, que pertence ao grupo Montepio, comprometeu-se a garantir a “análise célere das situações de sinistro” e a dar uma resposta “tão breve quanto venha a revelar-se possível às necessidades das famílias cujas apólices se encontrem sob sua gestão”.

Cáritas e Misericórdias
A Cáritas Portuguesa e a Cáritas Diocesana de Coimbra já manifestaram a sua solidariedade com todas as vítimas e seus familiares “da tragédia que surpreendeu o país”. Em comunicado, Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa, e Luís Costa, presidente da Cáritas Diocesana de Coimbra, onde se integra a área de Pedrógão Grande afectada pelo incêndio, dizem que “estão a acompanhar a situação a partir do local, para onde se deslocam neste momento, com vista a avaliar a situação e poder dar a melhor resposta”. A Cáritas disponibiliza para já 200 mil euros de apoio para “necessidades emergentes da população no local”. Por seu lado, a Cáritas Internacional divulgou um comunicado manifestando solidariedade para com a população portuguesas colocando-se “ao inteiro dispor da Irmã Cáritas Portuguesa na soma de esforços imediatos para o pronto restabelecimento da situação”. O breve comunicado assinado pelo secretário geral da Cáritas Internacional, Michel Roy, não concretiza nem quantifica, no entanto, nenhum tipo de ajuda.

A União das Misericórdias Portuguesas (UMP) anunciou através de um comunicado que está a mobilizar as suas estruturas regionais nos distritos de Coimbra e Leiria para apoiar a população das zonas afectadas pelos incêndios na região centro do país. “Em estreita colaboração com o Governo, entidades locais e instituições de emergência e segurança, as Misericórdias de Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Góis, Sertã, Pampilhosa da Serra, entre outras, e a UMP instalaram pontos de acolhimento e de informação para prestar toda a ajuda, apoio e esclarecimentos possíveis.” A UMP avança que está a trabalhar com o Ministério da Saúde na região de Pedrógão Grande para dar apoio às vítimas. A fim de dar resposta às necessidades mais imediatas, a UMP anunciou que irá criar uma conta solidária no Montepio para reunir donativos de apoio às vítimas. Os dados bancários dessa conta não foram divulgados.

Doação de alimentos e bebidas nos quartéis
A Rádio Comercial avança que são bem-vindos fruta e água nos quartéis de Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pêra e Pedrógão Grande, bem como na base do INEM de Avelar. Ao PÚBLICO a porta-voz da Autoridade Nacional de Protecção Civil pede à população para se coordenar com as corporações locais.

O Sporting Clube de Portugal apela aos adeptos que se desloquem ao Estádio José Alvalade para entregar bens de primeira necessidade aos bombeiros que combatem o incêndio de Pedrógão Grande. Frutas (sobretudo as que são mais fáceis de descascar), barras de cereais e outros alimentos podem ser deixados no Hall Vip do estádio dos “leões”, em Lisboa. O comunicado do clube pode ser lido aqui.

Por seu lado, os responsáveis da página de Facebook On Coimbra, que agrega conteúdos sobre recursos culturais do distrito de Coimbra, telefonaram para várias corporações de bombeiros da região e divulgaram uma lista com o tipo de ajuda que se pode levar a cada um os quartéis:

Bombeiros Penela:
– Águas
– Fruta

Bombeiros Voluntários de Góis:
– Águas
– Fruta e outros alimentos
– Soro fisiológico (urgente)
– Pomadas para queimaduras

Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo:
– Águas
– Alimentos não perecíveis (ex. enlatados)
– Fruta
– Leite
– Soro fisiológico

Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital:
– Águas
– Alimentos não perecíveis

Bombeiros Voluntários Ansião:
– Águas
– Fruta
– Barras de cereais energéticas e bolachas
– Sumos

Bombeiros Vol. Coimbra:
– Águas
– Leite
– Barras de cereais energéticas

Bombeiros Sapadores de Coimbra:
– Aceitam donativos que serão depois entregues nas corporações mais necessitadas

Bombeiros Voluntários de Brasfemes:
– Águas
– Barras de cereais energéticas

Bombeiros Condeixa:
– Águas
– Barras de cereais energéticas
– Leite
– Sumos
– Conservas
– Fruta

Bombeiros Leiria:
– Aceitam donativos que serão depois entregues em Pedrógão Grande (cobertores e roupa, águas, leite, barras de cereais energéticas)

Bombeiros Alvaiázere:
– Água
– Fruta
– Barras de cereais energéticas

No final da lista, a página On Coimbra, deixa duas notas:

– “As águas, sumos, leites e outros alimentos, solicitam-se gentilmente, se possível, em doses invidivuais/pacotes pequenos para poderem ser distribuídos por cada bombeiro.
– Infelizmente, não foi possível estabelecer contacto com os Bombeiros Voluntários de Pedrogão Grande e Bombeiros Voluntários de Figueiró dos Vinhos”.

Espectáculos de solidariedade
Um grupo de artistas da zona de Leiria anunciou um espectáculo de solidariedade para com as vítimas do incêndio que deflagrou este sábado em Pedrógão Grande. O concerto vai realizar-se no dia 24 de Junho, às 21h30, no Teatro José Lúcio da Silva. Entre os artistas e bandas participantes estão David Fonseca e Orquestra Jazz de Leiria, Academia de Ballet e Dança – Annarella, Omnichord Records, Samp Pousos, Orfeão de Leiria Conservatório de Artes e Fade In – Associação de Acção Cultural. Segundo informação transmitida pelo Teatro José Lúcio da Silva nas redes sociais, os bilhetes no valor de 15 euros estarão à venda nas suas instalações a partir de segunda-feira.

Para a direita, as pessoas são números de circo

Na segunda-feira, um homem morreu à porta do Centro de Saúde de Castanheira de Pêra. Pode ler-se aqui um resumo da notícia do Público. Num país governado por gente responsável, mortes como esta seriam, no mínimo, menos prováveis. Em Portugal, os contabilistóides que querem criar uma nação sem Estado limitam-se a “reduzir custos”, a “racionalizar recursos”, contribuindo para uma economia florescente e para a diminuição da qualidade de vida das pessoas, que é outro nome para números. Percentualmente, que significado terá a morte de Albertino Pires Henriques? Se se tiver em conta que não chegou a ser atendido por um médico, o país terá poupado em mão-de-obra, o que será, com certeza, a alegria de um burocrata. [Read more…]