A reportagem da TVI sobre o ensino privado, versão grupo GPS


Dizem que é uma espécie de gordura de estado: milhões a voar para ilegalidades várias, inspecções feitas com pré-aviso, ligações com actuais deputados e muitos reformados da política, o Grupo GPS é um caso de sucesso no enriquecimento em Portugal.

Alcançado como de costume: com o dinheiro dos seus impostos.

Sobre João José Cardoso

Comments

  1. João Paulo says:
    • uriel says:

      A hipocrisia é o ato de fingir ter crenças, virtudes, ideias e sentimentos

      Tenham vergonha senhores da Fenprof

  2. zepovinho says:

    Só tenho pena que mais uma vez a culpa vá morrer solteira…em qualquer outro país esta gentinha ia ser responsabilizada…!!!

  3. zepovinho says:

    O autentico regabofe dos dinheiros publicos, agora paga zepovinho porque estes fazem parte dos intocaveis…!!!!!!

  4. zepovinho says:

    Esta gentica devia ter a humildade de pedir desculpa aos portugueses e até devolverem as medalhas de mérito porque assim, assim até eu…..!!!!!!

  5. Chocante!!!
    Por este exemplo vemos quem “viveu acima das suas possibilidades”.
    Vemos os segundas e terceiras linhas dos partidos a aproveitarem-se com ganância das migalhas deixadas pelos séniores do BPN, submarinos, PPP, BPP, sobreiros, etc.
    E estes corruptos mínimos da corrupção máxima ainda conseguem gamar milhões – 70 carros para o pai e já 17 para o filhote conforme revela a reportagem.
    Pagam aos professores, mal, pouco gastam em equipamento e dos milhões dos nossos imposrtos sobram 50% para encherem os bolsos.
    Despedem professores do público porque esvaziam as escolas de alunos para dar o negócio ao privado à custa dos nossos impostos, e o palerma do contribuinte, que “viveu acima das suas possibilidades”, ainda tem de pagar o subsídio de desemprego dos professores despedidos.
    A desdignificação da profissão, com professores a servir cafés e a fazerem obras de trolha e pintor, o que não desonra ninguém mas não foi para isso que os estado gastou dinheiro na sua formação.
    Esta reportagem revelou a segunda e terceira camada dos que de facto “viveram acima das suas possibilidades”, mas ainda há uma quarta, quinta e múltiplas camadas de corrupção nas empresas municipais, nas empresas publicas e por aí fora.
    Corrupção ao mais alto nível, com consequências sociais terríveis, para professores e alunos, com a colaboração dos mais altos funcionários do estado.
    Escolas que abrem sem estarem prontas, cursos técnicos sem oficinas, condições de segurança violadas aos olhos da inspecção, escolha dos alunos a dedo e expulsão dos menos capazes, exploração desenfreada dos professores, aqui temos na reportagem da TVI todos os ingredientes do país que o farsola quer “refundar”, alargando este estado de subdesenvolvimento a todos os sectores públicos e privados da sociedade portuguesa.
    Como acima disse fiquei chocado, não pela corrupção em si, pois essa é conhecida e já tem barbas, mas pela quantidade enorme de pequenos corruptos partidários que pululam entre os tráficos de influência como pulgas em cão doente.

    Declaração de interesses – não sou professor, mas como cidadão sinto-me envergonhado pela como estes trafulhas tratam essa classe.

    • Fabio says:

      Sem querer ofender ninguém, o senhor esta errado numa parte “escolha dos alunos a dedo e expulsão dos menos capazes, exploração desenfreada dos professores” isto é completamente mentira e prova disso sou eu mesmo ! Eu estudo no colégio Rainha D. Leonor, que pertence ao grupo GPS, nas Caldas da Rainha e sei que isso, nesta escola, nunca aconteceu !
      Quanto ao dinheiro gasto pelo estado nestas escolas não posso falar pois não sei, e deviam seguir o meu exemplo não falar do que não sabem, o que eu sei é que o tribunal de contas afirmou que as parcerias publico-privadas saíam mais baratas do que as publicas ! E isto não é assim tão difícil de acreditar basta olhar para a TAP, empresa que dá sempre prejuízo ao estado, e mesmo assim o estado nada altera !
      Enquanto aos carros, novamente não posso os defender nem atacar, apenas apelo à vossa inteligência, o Cristiano Ronaldo tem muitos carros, chamam-lhe ladrão ou corrupto por isso ? A vossa definição de ilegal e de corrupto muitas vezes confunde-se com outras coisas, por exemplo acusam estes colégios de terem muitas empresas, isso não é ilegalidade nenhuma, acusam os de trafico de influencias por terem uma empresa de construção que pertence ao grupo e ser essa empresa que construiu os colégios o que é que esta errado nisto ?

      • As trapaças variam de colégio em colégio: nuns seleccionam-se os alunos para não ficar mal no ranking, noutros inflacionam-se as notas para atrair alunos.
        Quanto ao resto, o Tribunal de Contas disse exactamente o contrário, e o Cristiano Ronaldo não comprou nem carro à conta do estado, ou seja, dos nossos impostos.

      • Em Defesa da Escola Pública says:

        Caro Fábio, quanto à expulsão dos mais fracos… É só rever esta carta de uma encarregada de educação, incluída na “Gazeta das Caldas”: “Obviamente não íamos ficar cá com os mais fracos”:

        http://www.gazetacaldas.com/25683/obviamente-que-nao-iamos-ficar-ca-com-os-mais-fracos/

        Ainda bem que é aluno do Colégio Rainha D. Leonor. Provavelmente, foi um dos que saiu à rua o ano passado, juntamente com os encarregados de educação, a gritar “SOS SOS”, porque foram manipulados com a conversa que “o dinheiro não chega”. Nenhum aluno e, sobretudo, nenhum encarregado de educação se lembrou de fazer a pergunta mais simples de todas: “O dinheiro (85 000 euros/turma) não chega porquê?”. Esta foi a pergunta feita pela representante dos encarregados de educação do colégio de S. André. Como resposta, ouviu o silêncio.

        O Fábio ainda não percebeu que a educação de milhares de alunos dos colégios GPS é financiada com o dinheiro de todos os contribuintes?

        O Fábio ainda não percebeu que esse dinheiro tem de ser usado exclusivamente na educação dos alunos e não pode ser encaminhado para o lucro de consultores, administradores, directores, etc. do grupo GPS?

        O Fábio ainda não percebeu que os cidadãos deste país estão atentos a esta corrupção e que não pretendem ser enganados?

        O Fábio ainda não percebeu que, no seu colégio, todos os anos são despedidos professores porque assinaram contratos precários, estando assim sujeitos a pressões constantes?

        O Fábio ainda não percebeu que os alunos mais fracos do seu colégio não são levados a exame nacional para não prejudicarem as classificações e os respectivos rankings?

        Fábio, deixo-lhe um conselho. Pode gostar muito do seu colégio, dos seus professores, etc. mas… abra os olhos, não se deixe cegar nem manipular por conversas de quem tem, logicamente, todo o interesse em que esta história imoral continue…

      • Maria says:

        Ho meu Deus !!! que idade tens? Ainda pareces ser muito jovem :

      • Maria Inês Clímaco says:

        Apenas quero deixar uma pergunta: Fábio, qual é a tua idade??? Parece-me que não adquiriste ainda competência para olhares à tua volta e veres a realidade, sem qualquer embuste. Gostas do teu colégio??? Ainda bem. Mas abre os olhos e elucida-te sobre a realidade …

  6. Realmente , impressionante. É só promiscuidade.

  7. zepovinho says:

    Parabens á jornalista Ana, è preciso coragem para desmascarar esta gentica, este polvo, mas ja agora Ana para a próxima tente ai umas duas horas de reportagem tenho a certeza que não lhe vai faltar assunto…!!!!!!

  8. E tantos professores com horário zero…

  9. zepovinho says:

    É verdade Sr Luis, tem toda a razão, infelizmente por aqui dá para ver quem viveu acima das possibilidades e quem na verdade deveria pagar esta crise… Mais uma vez dou os parabens a quem teve coragem para denunciar estes casos metendo a própria vida em risco, sim porque com esta gente nunca se sabe do que são capazes…. quando o Senhor fala que a segurança era violada aos olhos da inspecção não podia ser de outro jeito, as escolas eram avisadas com antecedencia, e até imagino como… ” caldoverde prepara aí almoço e um envelope para seis que vamos passar por aí no dia tal ” infelizmente a reportagem não falou de muitas outras coisas igualmente reveladoras da podridão e da falta de carácter que estas pessoas possuem, assim como de toda a impunidade com que se movem…

  10. dulce martins says:

    Eu sou mae e tenho 3 filhos no colegio de s.mamede. Acho que agora haviam de fazer uma outra reportagem, do outro lado da historia. Entrevistem os professores que la trabalham, e as pessoas que la estudam. E digam tambem quanto e que o estado gasta por turma no publico. E ja agora o colegio de sao mamede e otimo, e nunca os meus filhos passaram frio.

    • Os professores que lá trabalham é que era… essa teve piada.
      Já agora, quanto aos custos do ensino, quantos alunos com necessidades educativas especiais tem esse colégio?

      • dulce martins says:

        O problema e que no publico a maioria dos professores estao a habituados a nao trabalhar muito, e agora quando lhes pedem para trabalhar um pouco mais nao querem, porque estao mal habituados. E logico com o decrescimo de alunos cada vez sao precisos menos professores, porque e que eles nao procuram outros trabalhos.

        • Claro, o problema não é esta gente andar a roubar o estado, cometendo ilegalidade e reduzindo os professores a servos.
          O que a Dulce gostava de ver era os professores do público a servirem às mesas o jantar de abertura do ano lectivo, grande gozo dos pais de um destes colégios pelo menos há uns anos atrás, não era?
          Já agora, a Dulce faz o quê? será empregada de mesa é quererá dar aulas de Matemática?

          • dulce e joao says:

            Por acaso ser empregada de mesa e menos digno do que ser professor de matematica????
            Esse e outro problema dos professores, tem a mania que sao mais que os outros, tiram um curso qualquer e nao tem abilidades para exercer esse curso doutra forma, sem ser a lecionar.

          • Todas as profissões são dignas. Mas nem um empregado de mesa deve dar aulas de matemática, nem um professor deve ser enxovalhado servindo a Dulce à mesa.

        • A Dulce é daquelas que emprenha pelos ouvidos. Há menos alunos, onde? Veja os dados que constam no PORDATA e pare de dizer mentiras. O que houve, e a reportagem, é um claro benefício destes colégios em detrimento do público. A DREL não deixava a escola abrir turmas para os meninos irem para o colégio. A estupidez humana não tem limites.

          http://www.pordata.pt/Portugal/Alunos+matriculados+total+e+por+nivel+de+ensino-1002

          • *reportagem explica

          • dulce martins says:

            Voce e que deve ser um daqueles que vive a custa do sistema, em que no publico nao tem ninguem que o controle devidamente, e estao habituados a fazerem o que querem, ou seja gazeta.

          • Minha senhora se não consegue atacar a mensagem, não ataque o mensageiro. Os dados estão ai, veja-os e pare de dizer mentiras, que jesus castiga.

  11. zepovinho says:

    Já agora dona dulce o que acha que os professores que lá trabalham e que não quiserem ir para o desemprego irão mesmo dizer…??? Está a senhora a representar esses Professores…??

  12. zepovinho says:

    Em qualquer pais civilizado esta gente sem vergonha era imediatamente presa e suspensos de exercer qualquer cargo publico… infelizmente em portugal a culpa vai morrer solteira e daqui a uns dias já não se fala no assunto, até aposto que todos estes diretores (doutores da mula russa) tiraram o curso ao domingo ou nas novas oportunidades porque para chegarem onde chegaram e como chegaram não necessitam muito mais mas têm mesmo que ser doutores, dá jeito…!!!!!!!!!!

  13. Mario says:

    Como professor tenho desgosto que o ensino não consiga educar pessoas como esta senhora dulce, cuja capacidade de raciocinio e de critica é prova de que as vezes falhamos.

  14. silva says:

    uma PALAVRA de muita solidariedade para com os professores vitimas destes abusos…. isto é pura repressão e escravatura!!!!!

  15. Rafaela Santos says:

    E para quando uma reportagem sobre os Colégios com Contrato de Associação que prestam um verdadeira serviço público e de qualidade?

  16. Maria Helena says:

    Não tenho filhos em idade escolar e os meus andaram sp na escola pública, por isso estou à vontade. Qto a ensino, pude comprovar o mau, o razoável e o bom. Houve de tudo e tb assisti a situações bem tristes em relação ao acompanhamento dos meus filhos na escola. Mas pergunto: os pais pagam alguma coisa pela frequência dos filhos nesses colégios? É só uma questão de diferença entre o q um director na escola pública recebe e o q recebe o director no colégio, ou tb os pais contribuem para o regabofe? E se assim é, pq razão os pais q se queixam continuam a manter os filhos nos colégios? Se a escola pública não pode abrir turmas, rejeita a matrícula dos alunos e estes vão para o privado sem pagar nada? E se têm de pagar, como é q vão se não tiverem dinheiro para o fazer?

    • nightwishpt says:

      São contratos de associação pública, o estado tem escolas vazias e paga mais para mandar os alunos par aos colégios.

  17. Bebiana says:

    Senhora Dulce, a senhora diga então, já que de acordo consigo há menos alunos qual foi a necessidade de abrir esse dito colégio de São Mamede (financiado pelo estado) que serve a população de Fátima e arredores, quando nessa zona já existem há muitos anos 3 escolas privadas com contrato de associação ligadas à igreja? Porque é que na zona de Fátima nunca abriu uma escola pública a não ser do 1º ciclo?? Quantos anos seguidos nas escolas com contrato os professores ganharam mais que no ensino público? Houve sempre igualdade de oportunidades para os alunos nessas escolas? E houve sempre respeito pela situação profissional dos professores nessas mesmas escolas? E uma boa gestão do financiamento do estado. E diretores das ditas a encher o seu bolso..?

    • Eu concordo plenamente com a dulce. Tambem tenho filhos que estam nesses colegios. Uma coisa vos digo que ha differencias, isso ha…..e para o melhor. Ja tive um filho no ensino publico, e nao gostei nada, nao tem nada haver.

      • Concordas plenamente com a Dulce porque usas o mesmo IP e o mesmo mail, coisa quem não é de burra, animal muito mais inteligente, mas de mosca. Desampara a loja.

        • Olho aberto says:

          Será que essa senhora Dulce com 3 filhos no colegio nao se chama afinal Sabina e é funcionaria da secretaria do Colegio de Sao Mamede?

  18. zepovinho says:

    zepovinho Diz:

    Dezembro 5, 2012 at 10:51 am
    Inspecção..?? Auditoria..?? investigação..? Deixem-me rir…!!!!!!
    Em portugal tudo o que toca a este tipo de gentinha maquiavélica engenhosa tipo chicos espertos os tais doutores da mula russa que só se preocupam com eles próprios os tais que não olham a meios para atingir os fins tudo pela ganância e pelo simples prazer de se exibirem, eles são carros topo gama, casas de luxo, mulheres, casinos discotecas que alugam para festas privativas, viagens com acompanhantes de luxo bons hoteis contas offshores, autentica luxuria á custa dos milhoes publicos e como se tudo isto não bastasse são considerados os grandes impreendedores reconhecidos pelos bons serviços prestados e recebem medalhas de merito, bons serviços prestados..??!! quando se passam e chumbam alunos na secretaria para se atingirem os tais interesses obscuros..???!!! O mais grave é que tudo isto é feito com o nosso dinheiro o dinheiro de todos nós o dinheiro dos pais dos alunos que chumbaram imerecidamente o dinheiro dos nossos impostos o dinheiro que um dia vai faltar para pagar as nossas reformas a nossa saude a educação dos nossos filhos……!!!!!!!!!!!!!

  19. sardinha says:

    Sou professor aposentado. Algumas vezes ao longo do meu percurso fui convidado para trtabalhar, dirigir ou investir em colégios privados. Sabendo que não é justo generalizar e ignorar algumas excepções honrosas que prestam serviço honesto, sempre me repugnou o risco de vir a sentir-me a “vender um direito natural”.
    É uma indignação “orgânica, somatizada” o que me leva a escrever aqui a minha solidariedade com esses colegas professores e demais trabalhadores auxiliares e outros que estão a ser escravizados por escroques untuosos com ou sem gravata, peritos em deslizar viscosamente por entre o que pode ser ou não ser verdade.
    Amigos jornalistas, não parem.
    MINISTÉRIO PUBLICO, acorda, que não te pagamos para dormir, pagamos-te para pôr a competência técnica e institucional ao serviço da nossa comum cidadania: “vemos, ouvimos e lemos — não podemos ignorar”.

  20. Insolvente says:

    Como uma reportagem mal elabora e feita por encomenda, (fenprof), dá que falar…
    que pais é este…
    o ensino em Portugal, deveria ser subsidiada e não ensino publico.
    E o Zé… lá vai acreditando em tudo o que vê..
    O ensino publico é de má qualidade, de profesores que só teem direitos…
    Do pouco que vi na reportagem, vi que de facto os professores do ensino privado, a trabalhadar muito mais.
    Claro que os resultados são muito melhores.
    É uma questão de trabalho!!!

  21. zepovinho says:

    Concordo com o Insolvente os professores do privado trabalham mais, servem cafés pintam paredes servem á mesa fazem as contabilidades dos colégios são obrigados a assinar contratos com aumento de horarios, dão aulas a trezentos ou quatrocentos alunos etc..etc.. etc…concordo consigo insolvente sim porque para se comprar altas bombas de luxo e se fazer vida de luxuria não se podem dar baldas….!!!!!!

    • Paula baptista says:

      Talvez os professores que falaram na reportagem fossem os tais professores habituado a não fazer nada e só levar o dinheirinho ao fim do mês para casa e quando se pede para trabalharem resultado é o que se vê depressão.
      Trabalhem 40 horas semanais e não inventem desculpa nem trabalho de pintores e de empregados de mesa.
      O pior cego é o que só vê o que lhe convêm, e infelizmente essa tal jornalista não sabe fazer um trabalho imparcial talvez telha de ir aprender nesses tais colégios, já agora os administradores das empresas públicas também deveriam ter aulas nesses colégios talvez as empresas tivesse melhores resultados.

  22. Pedro Mateus Guerra says:

    Sou presidente duma escola com contrato de associação com 1200 alunos,110 professores com média de 20 anos de casa,a reportagem só viu um lado,foi ultra parcial,devia visitar uma escola como a minha,a primeira cooperativa de ensino em Portugal com cerca de 1000 cooperadores,onde direcção e restantes orgãos sociais exercem cargos gratuitamente,a gestão rigorosa dos dinheiros públicos permitiu ir construindo uma obra que tem sido o motor de desenvolvimento de toda uma região,não há carros para ninguém,jamais houve distribuição de um cêntimo que fosse de lucros,foi e é uma escola de todos para todos,agora numa situação dramática depois da completa irresponsabilidade do governo anterior que alterou as regras completamente,meteu-nos todos no mesmo saco,não veio ao terreno conhecer cada realidade,cortou sem critério e agora obriga-nos a despedimentos,sem verba para isso,vitimas de leis que não fizémos,só sobrevivendo ainda porque havia um pequeno pé de meia da boa gestão do passado,e o futuro como será?O dito privado aqui foi feito de generosidade,todos serviram,ninguém se serviu,bem pelo contrário os cooperantes pagaram as suas quotas para eles e seus filhos terem condições de estudar,sabendo que esse dinheiro servia uma causa e jamais seria devolvido e é o contrário do que a reportagem faz querer e da má imagem que transmite dum mercantilismo que impera em algumas escolas,mas que não é regra,e no entanto estamos a 20 KLms das principais visadas

    • Pois, e agora no Natal vem o menino Jesus distribuir os presentes. Seja sério: identifique os seu estabelecimento de ensino, mostre a sua contabilidade, vamos lá ver se os horários cumprem a lei.
      Mas antes disso registo que acreditando em si é possível ser-se director de uma escola sem escrever pontuar um texto escrito numa português que faria corar muitos dos meus alunos do 3º ciclo.
      E não se queixe do governo anterior:

      http://aventar.eu/2011/05/24/o-amor-do-ps-pelo-ensino-privado/

  23. Pedro Mateus Guerra says:

    J J Cardoso quem será? Sem me conhecer permiti-se questionar a minha seriedade,a minha escola e falar do que não sabe ,não conhece,defendendo o indefensável? Cresça e apareça… Sou o mais velho de quatro irmãos que perdemos o pai quando tinha nove anos,e sem qualquer meio de subsistência,na luta de prioridades ,a sobrevivência falou mais alto,impossibilitando a formação académica, que outros mais felizardos conseguiram,e ainda assim alguns eventualmente mais letrados,nem o meu texto anterior conseguiram interpretar.Mas eu não disse que era professor,mas o presidente,no caso da instituição Externato Cooperativo da Benedita,gratuitamente com orgulho e paixão,O ojectivo único do meu anterior comentário é claro e assenta na critica à parcialidade da reportagem,que mostra apenas na amostragem um grupo de escolas de cariz empresarial,deixando de lado a outra face da moeda onde estão outras escolas com contrato de Associação .Assim implicitamente pedi clareza e trânsparencia mostrando por exemplo a nossa escola e não deixando no ar o preconceito genérico contra o ensino privado que a comunicação social e outros “Cardosos” alimentam.E mantenho o que escrevi,se esta escola está numa situação dramática deve-o à incompetência,à irresponsabilidade,aos completos disparates da anterior ministra da educação e seu secretário de estado,que não sairam de Lisboa,não estudaram as realidades de cada uma das 92 escolas com contrato de associação,e era fácil porque parte importante tão agrupadas tipo “GPS”,não ouviram ninguém e saiu injustiça.De resto a nossa escola foi ouvida por todos os partidos na Assembleia da Républica e ainda pelo concelho de ciência da mesma Assembleia e todos ,de todos os partidos nos deram total razão,mas os disparates estavam feitos e agora temos aí injustiças de toda a ordem.Já que os reporteres só querem o escãndalo e não lhes interessa o que é sério e meritório,convido o sr Cardoso e os que se interessarem pela verdade,a irem até á Benedita e constatarem “in loco” outra realidade que não a do grupo “GPS”

  24. Bom, essa das inspeções com pré-aviso, também na escola pública acontecia…

  25. ai ai !! says:

    Dona Dulce alguns dos professores que falaram são ou já foram professores de São mamede!! Não os reconheceu?
    Terá a senhora interesses lá dentro?
    Vamos ensinar dignidade aos alunos fazendo-o com os professores que esse senhor dos 60 carros até chama de colaboradores!! Lindo

  26. dulce e joao says:

    Interesses nao tenho, e ate concordo que esses diretores ganham dinheiro demais, ai e que deveria de entrar as inspeçoes e de facto fazerem contas, e curtarem mais aos subsidios que dao aos colegios.

Trackbacks

  1. […] Já está disponível – rigorosamente a não perder. […]

  2. […] reportagem de serviço público! Nada poderá ficar como estava depois da reportagem de hoje sobre os colégios GPS! Custa-me, […]

  3. […] outro texto, a receita é entregar aos Privados a Escola Pública – quanto a esta questão, a reportagem da TVI de há uns tempos dá uma excelente […]

  4. […] Grupo GPS à parte, a ideia em cheque é esta: as escolas católicas seleccionarão os meninos e meninas bem comportados que frequentarão as suas catequeses. Quem paga? nós. Legitimidade? nenhuma. Estado laico? fica para os meninos e meninas mal comportados que ainda não foram despejados no esgoto, perdão, no ensino vocacional. […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s