Com papas, bolos e gráficos se manipula o PIB

Uma nota de Francisco Louçã no Facebook, ou como se fabricam mentiras gráficas, com papas e bolos:

A forma como as TVs ontem apresentaram os números da economia portuguesa merece atenção, porque os números, como as palavras, podem ser muito traiçoeiros – sobretudo quando são distorcidos.

Vamos ao facto primeiro. O Produto caiu mais 0,1% no primeiro trimestre de 2012, em relação ao último trimestre de 2011 (quando tinha caído -1,3% em relação ao período precedente).

As TVs apresentaram o seguinte gráfico:

Ao ver o gráfico, toda a gente dirá que as coisas estão melhores. E foi o que disserem os jornalistas das TVs: agora estamos a recuperar.

Na verdade, o gráfico que apresentasse correctamente os mesmos dados seria o seguinte:

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Vi esta notícia e gráfico – não tenho dados para comentar e saber se é falso ou verdadeiro

  2. nightwishpt says:

    Tem tem. Leia o texto. O ano passado a economia caiu 1.3% face ao anterior, este ano caiu 1.3% + 0.1% face ao mesmo ano.
    Na realidade, os dois gráficos são inúteis.


  3. O segundo até será. O primeiro é muito útil para mentir e manipular descaradamente a queda real do PIB.

  4. Margarida Alegria says:

    Ainda bem que há quem alerte para as manipulações.
    E tem sido uma lavagem cerebral, desde ontem, de optimismo com base nesses números bacocos…
    Obrigada por tornar o embuste tão claro, para pessoas como eu não versadas nestas áreas!

  5. Fernando says:

    As aldrabices e manipulações são coisa comum, os media são parte da tramoia.


  6. Não é aldrabice, mas é manipulação, é como quem fosse a cair dum prédio passar pelo 1º andar a dizer “até aqui correu bem”.
    Isto é o conceito matemático de derivada e segunda derivada, nota-se a POSSIBILIDADE de uma inflexão na tendência, mas nada comparável com “melhoria” ou “recuperação”.


  7. Qualquer dado se presta a manipulação, também se pode dizer o mesmo do 2º gráfico.
    Factos: A economia no 1º trimestre contraiu -0,1%, quando estava previsto contrair -1%. Para chegarmos ao final do ano com a previsão de -3%, todos os restantes 3 trimestres terão que contrair -1%. Este não contraiu.
    Estamos em recessão profunda, óbvio, mas não piorou tanto como se esperava. Se é bom ou mau, não se pode ser que é bom obviamente, mas a cumprirem-se as previsões, teria sido pior.
    Custa muito a entender ?


  8. Ó Gil, vamos lá ver: então como é?
    Por que raio comparar ‘realidades’ com ‘previsões’? Como quem diz: alhos com bugalhos?
    E por que não comparar realidades com realidades? Por exemplo, a realidade de 2010 com a de 2011, ou qq. outro período reconhecidamente relevante?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.