Dá vinte

cavaco

Numa sondagem qualquer, há vinte por cento de… de… “democratas” que…  bem, não interessa.

Ainda se realizam assim tantas lobotomias em Portugal? Vinte por cento?!

Comments

  1. Coena Cypriani says:

    E a sua…ehhh….tolerãcia e/ou espírito democrático ficou bem patente neste post.

    Curiosamente, onde andavam tantos “indignados” durante os anos em que o Estado se endividou até ao “oblivion”?!

    Corria bem…éramos todos “munto érôpeus e inté tínhamos áereos e até as batedeiras eram a crédito, tudo munto rico”…

    Não faltavam panegiristas, na altura, aos da governança…..

    Será que é preciso explicar o que é um “Déficit” e quais as consequências (há sempre consequências!) de ser deficitário há DÉCADAS?!

    Sempre fui FRONTALMENTE CONTRA a entrada no Euro. Na altura, a manada apodava pessoas como eu de “pessimistas”, “velhos do Restelo”, que éramos uns “retrógados”, uns “botas de elástico”, etc e tal….

    Agora estão a ENGOLIR tudo o que asnearam.
    Aguentam!?
    Ai aguentam, aguentam.
    (ou será preciso explicar o que significaria o “default” e/ou a saída do Euro nas actuais circunstâncias? o que diriam os intrépidos defensores dos “oprimidos e dos trabalhadores”, os que prometem tudo e mais alguma coisa,……aos “oprimidos e aos trabalhadores” perante a situação que se criaria?…haveria de ser giro, então, ver a reacção do tal de…”Povo”)

    A memória, neste país, tende a ser selectiva e, por isso, olvida-se ,sistematicamente (sabe-se lá porquê), as anteriores “intervenções do FMI”, em 1978 e 1983 e o que aconteceu na altura. Esta hipocrisia de esterco e duplicidade de critérios mete NOJO!

    PS: como é óbvio este meu comentário não se destina a sufragar, de modo algum, as políticas do actual PR, Especialmente as que levou a cabo enquanto PM (e NÃO lhe faltaram apoiantes, note-se). o meu comentário prende-se com o tão incensado…”espírito democrático” que, pelos vistos, em alguns, perante os de opinião contrária, descamba para o insulto torpe e rasteiro e….., sumamente, anti-democrático e intolerante.

    • “mete nojo” é isso tudo.

    • Ferdinand says:

      Tudo conversa fiada e nada mais. A estratégia do medo que as troikas andaram a promover para “salvar” a banca privada falida e um €uro aberrante que é contra os interesses dos povos já não tem a eficácia de outros tempos.

      Os governos anti-soberania da banca, os eurotecnocratas, o FMI, e os restantes delirantes troikanos vão ter uma desagradável surpresa (ou nem será surpresa) nas próximas eleições europeias.

    • Nightwish says:

      E o que é que a crise tem a ver com a dívida? Nada, muito pelo contrário.

      • Miguel Cabrita says:

        O problema é que o que em sociologia se chama “definição da situação.”

        Tanto á esquerda como á direita se propagou o raciocinio mitico divida=crise, e sobretudo a esquerda aceitou discutir nestes termos, aceitando os arguimentos da direita e os seus termos na discussão. Desfazer esta lógica depois de ela estar enraizada é uma tarefa dificil.

  2. Coena Cypriani says:

    É claro que me estou a borrifar p’ra este Governo mas, nas correntes circunstâncias, se não fossem estes a implementar estas políticas seriam, mutatis mutandi, outros a fazê-lo. Se mais.

    a não ser que os que querem que “se lixe a Troika” assumam, de vez a “chain of events” daí resultante:

    1 – a Troika é corrida
    2 – Default (total ou parcial)
    et pour cause..
    3 – Saída do Euro

    Quais as consequências de tudo isto para Portugal?!
    Quando os confronto assim de froma fria, geralmente calam-se.
    Se calhar porque começam a pensar na vida…a começar pela deles…..

    Quiseram o Euro?! Aí o têm!
    Parabéns!

    • “É claro que me estou a borrifar p’ra este Governo” e depois diz algo como “não há alternativa”. Certo.
      Boa viagem.

      • Ferdinand says:

        É só conversa fiada. Faz lembrar a do “eu não sou racista mas…”

        É para ver o desespero em que estão os apoiantes dos €uro-Troikos…

    • Ferdinand says:

      “Quiseram o Euro?! Aí o têm!”

      E qualquer dia a maioria da população está-se nas tintas para o €uro, pois o dinheiro para a maioria das pessoas serve para pequenas transacções, sabe, comprar a comida, pagar a água, etc. quando o dinheiro serve para “salvar” a banca privada falida e para o casino global esse dinheiro deixa de ter utilidade para a maioria, o dinheiro fica descredibilizado e as pessoas comuns vêem-se obrigadas a arranjar alternativas!

      • Coena Cypriani says:

        “E qualquer dia a maioria da população está-se nas tintas para o €uro”

        Espero, sinceramente, que tenha razão e que tenha “dons de adivinhação”.
        Esta treta desta moeda (ainda por cima implementada pessimamente) já nos prejudicou qb.

    • nightwishpt says:

      E quais as consequências de empobrecimento durante pelo meno uma década?
      Há gente que por qualquer motivo ainda não fez as contas.

  3. Coena Cypriani says:

    Não escrevi que “não há alternativa”.
    Pelo contrário, expliquei qual a alternativa (dada a situação em que diversos grupos de idiotas diversos e parolos avulsos nos meteram) pois, por mais que não o assuma, não vivemos sozinhos no mundo e as decisões acarretam CONSEQUÊNCIAS.
    Só isso. Parece-me elementar.

    E, já agora, na “alternativa” que enunciei,assumi que seria MUITO DURA (pelo menos no cruto-prazo).
    Eu assumo quais as consequências que teria essa “alternativa”.
    A ideia que está implícita ao que escrevi é que (e reitero), mesmo que este governo vá embora amanhã, quem vier não fará muito diferente (pelo menos NO ACTUAL QUADRO viva a UE e viva Euro e blá, blá, blá p’ra…..).
    Ora…..como não vi NINGUÉM (pelo menos no Parlamento) defender a saída do Euro……

    Acha mesmo que um hipotético novo Governo poderia fazer o que lhe desse na telha e decretar, do dia para a noite, o fim da austeridade e, num passe de “mágica”, reverter tudo?!

    Acha mesmo que este país (deficitário e reduzido quase a “protectorado”) tem a autonomia financeira, nas actuais condições, p’ra fazer o que quiser?!

    Que intrépidos protagonistas se perfilam para tal proeza nos nossos Partidos?!
    (ahahah)

    Por favor!

    Já agora, se existe um caminho entre a esta vergonha actual 8a que diversos nos conduziram) e a saída do Euro diga lá qual é e como poderíamos sair da actual situação.

    • Se clicar em “MCS” que está em baixo do título deste post poderá ler os meus posts anteriores.
      Muito rapidamente posso dizer-lhe o seguinte: o Estado foi destruído, desmantelado, as únicas fontes de receita neste momento são os impostos e os cortes nos salários e pensões. Assim, a alternativa será recuperar o que foi roubado, ou seja, privatizado. Pense, por exemplo na EDP. E, desta forma, ganhar alguma autonomia financeira, ficando, assim, menos vulnerável aos espirros do sistema corrupto da alta finança.
      Já agora, houve um partido que se opôs à entrada no euro, lembra-se?

    • nightwishpt says:

      O problema é esse, o país não tem solução, certamente sem a procurar lá fora.
      É preciso primeiro querer, e não há políticos para isso.

      • nightwishpt says:

        Resta saber quando implode a Europa.

        Já agora, a solução começava por meter a Alemanha fora do Euro…

  4. Hugo says:

    Se juntarmos a estes 20% os 35% de imbecis que, segundo as sondagens, ainda votam PS, e partindo dos princípios de que (1) ambos os grupos são mutuamente exclusivos e (2) em ambas as sondagens só deram opinião os eleitores recenseados, podemos chegar à conclusão de que vivemos num país de idiotas.

    • Se acrescentarmos que na última sondagem o PSD consegue ter 28 % e ainda não começou a distribuir os típicos rebuçados pré-eleitorais, então é mesmo “frustacional”.

      • nightwishpt says:

        Não se esqueçam do partido do Táxi.
        E do BE e do PCP, que não são gatunos, mas simplesmente idiotas patéticos.

        • Hugo says:

          Ao BE e ao PC ainda dou o benefício da dúvida, porque eles nunca foram poder. O problema é que eles não têm interesse nenhum em o ser, pois é bem mais confortável e popular ficar do outro lado da barricada a mandar bitaites.

  5. Se o Egas fosse vivo, o homem não escapava a curiosidade do Moniz!

  6. portela says:

    “Se existem homens superiores, como poderia eu suportar não ser um deles?”.
    Título para o novo livro de memórias, a ser inventado pelo garganta funda, no *futuro retiro no Pulo do Lobo, lá em baixo no Portugal profundo.
    .
    * Graças a Deus, ele não ficar eternamente em Belém, no palácio, meu rico dinheirinho, tão mal empregue.

  7. Os 80% são mais democratas que os 20%???
    Mas quando alguém tenta um referendo, a maioria já não interessa?
    Democratas são apenas os que concordam com as nossas opiniões?

    • Eu passo a “ispilicar” devagarinho. Quando o “presidente de todos portugueses” aprova um orçamento criminoso onde estão cortes a trabalhadores que pouco mais ganham que 600€, cortes nas pensões de reforma (mais um), aprova medidas anticonstitucionais, repito, medidas contrárias à Lei Fundamental do Estado (e não foi uma vez, foram várias), quando pactua com todos os ataques à dignidade dos portugueses e podia continuar (não sei se reparou, mas não recuei até aos tempos de PM, se o fizesse nunca mais acabava este comentário, porque teria de falar dos esquemas mafiosos e das mentiras tipo “não sou accionista do BPN”) , não me parece que as pessoas que o apoiem sejam muito “democráticas”. Isto partindo do princípio que uma Democracia terá que ter sempre com um dos seus pilares mais fortes cuidar de todos e não apenas de alguns poucos.
      Espero ter sido claro.

      • Não precisa “isplicar”, eu percebo que discorde do actual P.R., respeito as suas opiniões, que são tão respeitáveis quanto as minhas, ou de qualquer outra pessoa. Nem mais, nem menos! No entanto parece não aceitar que outros possam pensar de forma diferente, pois tece considerações pouco abonatórias para os 20% que concordam com a actuação do Presidente. Para mim, tal cargo é inútil e nem exerci o meu direito de voto. Em rigor nem quero saber a quem os portugueses alugam o palácio situado nas imediações da Antiga fábrica dos pastéis de Belem. Mas não me parece aceitável requerer qualquer tipo de superioridade intelectual, tipo “as minhas opiniões são mais certas que as suas…” Felizmente que vivemos em Democracia. Mas nem todos parecem aceitar as suas regras. Falam muito de Abril, mas suspiram pelo amanhã que felizmente nunca cantou… Para mim um valor sobrepõe-se a qualquer outro, a Liberdade. Mesmo para os que discordam de mim, quero que sejam livres e possam exprimir as suas ideias sem qualquer constrangimento. E pensar diferente de nós não diminui as capacidades intelectuais a quem quer que seja…

      • António de Almeida, já reparou que bastava eu ter dito que os seus comentários também não respeitam a minha liberdade?  Afinal, limitei-me a dar a minha opinião. Nada mais. Sabe que, em Portugal, os partidos neo-nazis são ilegais. Também estamos a ser antidemocratas ao impedir que essas pessoas possam emitir a sua opinião?
        Também prezo muito a Liberdade. Muito. Mas para ser viver em sociedade/Estado há a regra máxima de cuidar de todos e não apenas de alguns. Este presidente apenas defende os interesses de meia-dúzia, logo quem o defende…
        Sabe que há um país que tem a palavra liberdade no nome? Chama-se Libéria e ali todos são “livres”. Experimente passar lá um mês e, se sobreviver, diga-me alguma coisa.
        Sabe que este presidente diz que “não é político” e não larga o poder… político? Tivemos outro tipo que também dizia isso e como também dizia que os partidos são todos iguais, acabou com eles. Bastava um. E assim se foi a… Liberdade.

        • Por acaso eu até defendo o direito à existência dos partidos nazis, bem como os maoístas, estalinistas ou sejam lá o que forem. Todas as ideias devem ser permitidas. Claro que as restrições ficam para as práticas. Ou estaríamos a condenar a liberdade de pensar… Mas isso já é outro assunto. Voltando a este, não lhe parece que esse tal tipo que falou no final, concordaria consigo quando ridiculariza os tais 20%? É que se não defendermos a Liberdade ela desaparece, aí sim, concordo consigo. Quanto ao resto, as suas ideias são tão válidas quanto as minhas e Democracia é isso mesmo, submeter-nos todos ao escrutínio universal e aceitarmos o resultado. Quando ganhamos e quando perdemos… Mas quando ganhamos, há que não esmagar quem perde. Se 80% da população discorda do P.R., então critiquem o presidente, é legítimo. O que não considero legítimo é falar em lobotomia para adjectivar os 20% como seres não pensantes, ou inferiores. Cuidado, a fronteira para defender um colégio eleitoral num futuro próximo, é ténue. Só isso!

        • Parei de ler aqui: “eu até defendo o direito à existência dos partidos nazis”.
          Grande defensor da Liberdade, sim senhor…

  8. O sr que estava na foto (logo que abri o post retirei-a) como 1° ministro ainda não tinha casa na Coelha, deixou estas medalhas:

    Pagou com os dinheiros da CEE, para que os agricultores arrancassem vinhas e olivais, baixassem a produçao de leite e outros produtos agrícolas?
    Não foi nos governos deste sr que se acabou com a industria naval, siderurgia nacional, sorefame, etc., etc., etc.,…..O aparelho produtivo da agricultura e da industria todo destruido nesses tempos, por força das directivas da então CEE, acatadas prontamente sem sequer mostrarmos a nossa oposição a tais directivas?
    Só agora é que vê que a agricultura e o mar têm potencial para contribuir para o desenvolvimento económico do país. Foi com ele conhecemos os Isaltinos, os Oliveira e Costa, Dias Loureiro só para citar os mais colunáveis.

  9. O sr da foto é o responsável MAIOR da destruição do país ao serviço do grande capital financeiro/económico.
    Ainda não tinha casa na Coelha o agora presidente que quando 1 ministro pagava, com os dinheiros da CEE, para que os agricultores arrancassem vinhas e olivais, baixassem a produçao de leite e outros produtos agrícolas?
    Não foi nos governos deste sr que se acabou com a industria naval, siderurgia nacional, sorefame, etc., etc., etc.,…..O aparelho produtivo da agricultura e da industria todo destruido nesses tempos, por força das directivas da então CEE, acatadas prontamente sem sequer mostrarmos a nossa oposição a tais directivas?
    Só ha pouco é que que descobriu o POTENCIAL DO MAR (que ajudou a destruir) para contribuir para o desenvolvimento económico do país. Foi com esta mentalidade que se proveram os Isaltinos, os Oliveira e Costa, Dias Loureiro.

  10. Fernanda says:

    Creio faltar a opção MUHHHhhh…..

Trackbacks

  1. […] DE Almeida, no exercício da sua liberdade, escreveu o seguinte comentário neste post: “Por acaso eu até defendo o direito à existência dos partidos […]

  2. […] DE Almeida, no exercício da sua liberdade, escreveu o seguinte comentário neste post: “Por acaso eu até defendo o direito à existência dos partidos […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.