Violação por decreto

rape

Uma menina de 20 anos foi encontrada em sua casa na companhia de um rapaz (não descobri informação quanto à idade dele, mas presumo que seja de faixa etária próxima) de uma religião diferente.

De imediato, foi convocado um conselho tribal de cidadãos, daqueles de tipo medieval, onde se decidiu multar os jovens enamorados, que, pelos vistos, aguardavam a sentença amarrados a árvores. Cada um deles teria que pagar 25,000 rupias (cerca de 290 euros) pelo hediondo crime de enamoramento por alguém de uma tribo que não a sua.

Muito pobre, a família da pobre menina, alegou não ter recursos para pagar a multa. Mais uma vez, do rapaz não encontrei nada. Foi libertado mediante a promessa de pagamento. Terá meios para pagar a sua parte da multa? Tê-la-à liquidado? Teria meios para pagar a parte da sua conversada? Caso não pague, será condenado a algum tipo de «serviço comunitário»?

Bem, o que se segue é que esta menina de vinte anos, (vinte aninhos, podia ser minha filha) foi condenada a ser violada por um grupo de doze malditos filhos da puta.

Segundo o depoimento da vítima, perdeu a conta ao número de vezes que a violaram naquela certamente demasiado longa, escuríssima e maldita noite em que o seu amor ou simples enamoramento pela pessoa errada foi punido.

Os merdas, filhos da puta, gajos sem qualquer possibilidade de classificação que não seja insultuosa, eram vizinhos da menina. Conhecia-os desde criança. Conheciam-na desde criança. Provavelmente comiam-na com o olhar sempre que ela passava por eles ostentando toda a beleza e firmeza dos seus 20 ou 21 anos.  Alguns eram seus familiares. Mas que é isto???

Com que traumas, com que horrores, com que pesadelos irá esta menina viver? Como poderá ela alguma vez sentir amor ou desejo por um homem? Como poderá ela alguma vez ter prazer com algum homem, por muito bom e carinhoso que ele seja?

Muito mais do que lamentar a infelicidade desta menina, dói-me na alma o seu injusto, desmesurado e desnecessário sofrimento. Isto simplesmente não se faz. Nunca, sob nenhum pretexto.

Notícia da Sky News aqui.

Filhos da puta!!!!!

P.S.: Perdoem-me o vernáculo, mas não encontro outras palavras.

Filhos da puta!!!!!!!!!!!

Comments


  1. Filhos da puta de facto. No entanto julgo injusto para o termo medieval. A Idade média não era assim nem a idade da pedra. Aquilo é só filha da putice. Mais nada.

  2. Joaquim Amado Lopes says:

    Noémia Pinto,
    Finalmente leio um post seu com que concordo sem quaisquer reservas. Num post sobre este mesmo assunto publicado noutro blog deixei o seguinte comentário:
    “Faço votos de que os elementos do “conselho de anciões” e os “executores da sentença” sejam castrados a sangue frio e empalados com um ferro em brasa antes de serem decapitados, os seus corpos queimados e as cinzas despejadas no esgoto.”


  3. Chama-se a este estado da arte deixado pela potencia exploradora = respeito pela |”cultura” dos povos-selvagens digo eu. Dividir para explorar é uma grande máxima.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.