Apanha sabonetes Isaltino!

o inocente - isaltino morai

Afinal a Maria Luís tinha razão: está a fazer-se história em Portugal. Só se enganou no protagonista! É que não é o Governo que está a fazer história (quer dizer, esse até faz, mas são histórias que não interessam a ninguém): são os tribunais.

Num acto completamente revolucionário, que só peca por raro face à quantidade de escumalha do mesmo nível que por ai anda como se nada fosse, o Tribunal de Execução de Penas de Lisboa rejeitou um pedido de prisão domiciliária a Isaltino Morais, destacado parasita corrupto da selecção nacional de sociais-democratas mafiosos. É bom saber que o Isaltino é tratado como o Francisco, o Manuel ou o João. Que nem com focinho de cachorrinho abandonado se safe dos 7 anos lá dentro e que sejam 7 longos anos com muitos sabonetes para apanhar! Pena não ter a companhia de mais companheiros seus…

Comments


  1. Não concordo com o título.
    Por mim substituía o SABONETE por CAVACO.😎


  2. Ler do plural!

  3. Joseph Coast says:

    Suponho que apanhou dois anos de prisão e não sete. Mesmo assim, se apanhar um sabonete por dia já não vem mal aviado. 🙂


  4. O título deste post diz muito mais sobre quem o escreveu do que sobre quem se escreve. Nota-se um fascínio envergonhado e mal encapotado por balneários masculinos frequentados por rapazes másculos, viris e bem dotados. Assuma-se homem. Saia do armário!

    • Hugo says:

      Alguém anda com comichões por se ter feito justiça a um ladrão.


      • O que não me parece é que deva ser a justiça confundida com práticas de sexo gay. Como se tais práticas devessem ser castigo seja do que for. Soa-me a homofobia. Daí ter comentado mais pelo título. Quanto ao ladrão que fique onde está. Não o conheço, não pertence ao meu círculo e não votei nele. Se lhe dá comichão, coce.


        • Caro João Alves, se me conhecesse, que não é caso, saberia que para além de trabalhar com vários (sim, vários) homossexuais, que são meus amigos, estou a anos luz de ser homofóbico. A expressão que usei é uma expressão normalíssima com a qual apenas pretendo desejar que o Isaltino se transforme na “puta” de alguém e, de forma alguma, tecer comentários depreciativos sobre os gays. Sabe, ser hetero e ir parar à gaiola deve ser tenebroso porque, convenhamos, sabemos bem o que se passa lá dentro e nem toda a gente gosta de levar no cu forçado pelo presidário gay mais forte. Pena que alguns homossexuais paranóicos como o senhor levam este tipo de comentários como uma ofensa para a sua opção de vida. chega a ser patético e demonstra o quão intolerante o senhor é. De resto, é preciso ter lata para me chamar homofóbico quando voçê é um homossexual conservador que perante a utilização do humor (sim meu caro, os gays não são imunes ao humor, são seres humanos como os outros e sujeitam-se ao mesmo que os outros se sujeitam) reage acusando o seu alvo de ser um gay não assumido. palmas para a sua tolerância e para a sua idiotice!
          .


          • Caro João Mendes,
            Limitei-me a comentar uma tirada de muito mau gosto, só isso. De repente já conseguiu inferir que eu era homossexual. Parabéns. O seu preconceito até lhe impede de perceber que não é preciso ser gay para os defender, embora aqui a única defesa fosse a do bom gosto, e que nem todos os que praticam actos homossexuais nas prisões são gays. Serei eu gay ou não? Fica então o mistério. Fico no entanto descansado. O senhor até os considera seres humanos e é amigo de alguns. Na minha terra diz-se que quem fala no barco quer embarcar. Passe muito bem.


  5. limitou-se a comentar uma tirada de mau gosto? desculpe lá mas você atacou-me com acusações patéticas pelo simples facto de ter feito uma piada. mais: o senhor está para ai com essa postura de virgem ofendida quando na realidade o primeiro a inferir que alguém aqui era homossexual foi precisamente o senhor (e voltou a repeti-lo). será que o termo coerência não lhe diz nada? preconceito? preconceituoso é o senhor que é incapaz de distinguir uma piada de um ataque aos homossexuais.

    de resto, e pegando na sua expressão de que “quem fala no barco quer embarcar” fico ainda mais certo de que se trata de uum homossexual paranóico e, acrescentaria, fundamentalista. É que depois do senhor ter escrito “Nota-se um fascínio envergonhado e mal encapotado por balneários masculinos frequentados por rapazes másculos, viris e bem dotados. Assuma-se homem. Saia do armário!” fico com a sensação que só lhe falta mesmo sair do armário. Força homem, se quiser ainda lhe apresento uns amigos. Se bem que eles não devem estar interessados em gays conservadores sem sentido de humor.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.