Este país é tão óbvio que até chateia

curso-na-maior-autores-fd4c

O P3 tem uma quota para idiotas, é natural e democrático. Um chama-se Nuno Abrantes Ferreira, gosta de gelatina de morango e brindou-nos agora com um cagalhoto intitulado “O sonho não comanda coisíssima nenhuma“, na senda de outros títulos brilhantes como “Já não há pachorra para os Calimeros” ou “Francisco quer evangelizar-nos com a iFaith“.

Por curiosidade antropológica fui ver quem cuspia, já que o escarro nem análise química merece, é mero esterco e qualquer proximidade pode espalhar contágios.

É autor de uma obra intitulada “Faz o Curso na Maior” – onde se explica como tirar um curso superior nas calmas, a faltar às aulas ou a copiar -, e “professor universitário”. Na Lusófona, é claro.

Comments


  1. Uma pessoa lê, e de tão mau, até fica com vergonha alheia.

    Não sei se é da água, mas já começa a fazer escola (no pun intended) que os idiotas todos que aparecem “na praça” venham da Lusófona.

    Mas o próprio autor parece confirmar a sua tese. Pela qualidade da prosa e do argumentário percebe-se que a sua carreira devia ter sido outra. Taxista ou jornalista no CM.


    • Ó JP, olhe que até há muito bons jornalistas no CM, a quem – inflezmient – não foi dada oportunidade de escreverem no P3…

    • alexandre says:

      Abriram aqui a temática que gostas, e aproveitas para soltar a tua intelectualidade palermoide como os tais “idiotas”.


  2. Compreende-se a argumentação… Se o gajo conseguisse sonhar alguma coisa não escrevia disparates ranhosos de moralidade abjecta. Por isso é que a Deolinda o “estima”. Enquanto lhe pagar… Ela, lá por dentro, no cantinho dos sonhos escondidos que tem e ele não é capaz de ter, certamente que o manda cagar sempre que lhe cheira a água de colónia queque.

  3. Deus perdoa, eu não! says:

    este vai para aquela secção dos perfis falsos. Não é possível um tipo tão idiota a escrever.


  4. O esterco é promovido pelos meios de comunicação social propriedade dos raçudos, afins e associados. O povo formatado, gosta do que vê, lê e DIVULGA.
    p.s. morreu Paco de Lucía. Soube pelo Vítor Dias, vi os vídeos. Ainda vale a pena andar por cá!


  5. Morreu Paco de Lucía mas Manitas de Plata vive do rendimento mínimo num estúdio emprestado por amigos.
    Enquanto este esterco humano chupa subsídios estatais para fazer de conta que é professor universitário.


  6. Portugal nas mãos dum bando de FEIOS PORCOS E MAUS

    Nem me acredito no que leio.
    Isto é possível ?
    é que, cá pelas bandas ainda não atingimos estas profundas da fossa infecta da degradação humana.

  7. Luís says:

    É um neochico-esperto “trendy” que está a tratar da crise dele. Após longos minutos de “research” descobriu esta fórmula para o sucesso. Não é ele que é um “jerk” são os outros que são parvos por irem na conversa. E se existem tantos parvos! Por vezes esquece-se de sair do “character” e acredita mesmo naquilo que escreve. Ignora que alguns dos seus “accomplishments” são resultado de um “starting point” privilegiado. É o tipo que passa à frente nas filas e ainda acha que são os outros que são parvos por não fazerem o mesmo. “Business as usual”.

  8. alexandre says:

    O teu “claro” soa mais uma vez a ignorância, pois se a lusófona é a maior Univ. Privada do país, a tua “CLARA” probabilidade da crítica aumenta. Chico inteligente

  9. xico says:

    Fui ler e não acreditei. É demasiado mau para poder ser de um professor universitário. Não discuto as razões da criatura, mas os argumentos. São de adolescente quanse infantil. Fiquei aterrorizado.

  10. Nuno says:

    Deu para rir com os comentários daqui. Obrigado a todos.


  11. Pertencerá a alguma unidade dos Sotnia?


  12. jazus…isto é só trengos!!! Fogeee…

  13. André says:

    Confesso que este modelo de pessoa já nem incomoda, enfada-me. Quando andava na secundária estas animálias tinham uma denominação, eram os “fóritas” – alguém que tem um impedimento ontológico..julga-se inteligente, caga 100 sentenças por minuto e olha para os restantes com um misto de comiseração e desprezo.
    O fórita é normalmente de direita, egoísta, e gosta de autores anglo saxónicos, despreza o Estado no entanto frequentou o ensino público ( o fórita não acha que exista uma contradição).
    O fórita gosta de chocar, é o orgasmo supremo para o fórita,
    O fórita gosta de negar verdades aceites pela maioria das pessoas, usa muito a expressão “não é bem assim”.
    O fórita gosta do humor fino, vai reciclando o estilo da KAPA ou do INDEPENDENTE, mas às vezes perde-se em confusões estilisticas e o efeito perde-se.
    Alguns fóritas conhecidos: este moço Nuno (quem?), o Vitor Cunha do Blasfémias, o revisio…perdão historiador Rui Ramos, a historiadora (???) Helena Matos ect.

    • Hugo says:

      Portanto, é forita o que tem uma opinião contrária.

      • André says:

        É isso mesmo…peço desculpa ter me alongado tanto no meu comentário, devia ter escrito apenas ” é forita o que tem uma opinião contrária”. Aliás quando escrevo “alguém que tem um impedimento ontológico..julga-se inteligente, caga 100 sentenças por minuto e olha para os restantes com um misto de comiseração e desprezo” quero na verdade dizer – “aquele que tem uma opinião contrária”.

        Ou então não.

  14. Emanuel Lopes says:

    Ataques ad-homimen sempre foram uma constante neste espaço


  15. É ad hominem que se escreve. Também gosto muito desse pseudo contra-argumento, um clássico do Ayn-Randismo internacional. Prefiro é que venham bem assinados, porque vai-se a ver e quem o usa já fez o mesmo.
    De resto, neste caso, nem se aplica: hominem em latim significa homem, pessoa. Ora alguém que despreza os humanos desta forma só pode pertencer a outra espécie animal.

  16. Maria João says:

    Ainda não ia a meio de tanta argumentação pífia quando dei por mim assustada com a mínima possibilidade de ele ter razão e “isto” ser o que há de melhor em ensino universitário… até arrepia pensar na possibilidade dos nossos jovens, ainda bastante influenciáveis, terem estas mentalidades a formá-los… Se o nosso país tivesse os melhores nos lugares certos não estaria como está de certeza… Este professor é a prova mais completa de que a sua teoria está errada.

  17. Escatota Biribó says:

    «Muita gente, largamente “desenrascada” na vida, pratica quotidianamente o chico espertismo: este é co-extensivo à nossa relação com o outro, com as instituições, com o poder e mais, connosco próprios. É inerente à subjectividade portuguesa, tomando actualmente uma dimensão alargada que envenena profundamente as relações sociais no nosso país.»
    by um tal de José GIl no seu livro “Em busca da identidade- o desnorte”

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.