O Aluno, essa “Hostia” sagrada

Francisco da Cunha Ribeiro

Li num jornal sério que uma “professora,  agredida por um aluno, acabou suspensa das suas funções”. Quanto ao agressor, nem uma palavra. Quero crer, porém, que não o aplaudiram pela cobarde agressão; que o não repreenderam por não ter ido mais além na violência da sua agressão;  ou que lhe não subiram de imediato a nota à disciplina de Moral.
Mas a notícia esclarece ainda que “ a professora fez dezanove participações disciplinares relativas à mesma turma, desde o início do ano letivo”. Ora, dezanove participações disciplinares, ao longo do ano, serão de facto muitas participações… A Sra professora que me desculpe, mas não deve  saber o que anda a fazer… A turma em questão “certamente repleta de bons rapazes e boas raparigas ” não merece tanta participação disciplinar… É que  com esta resma de participações sabe-se lá se os meninos e as meninas não ficam traumatizados… Coitados! Mas há mais: ” a Escola pediu avaliação médica da professora…”  Pediu, e, a meu ver, fez  muito bem! A sra professora só pode sofrer da caixa dos pirolitos!  Admite-se lá fazer participações disciplinares a alunos tão disciplinados! Noutros tempos, sim, era normal os professores despacharem os alunos com participações disciplinares, hoje em dia não é necessário, visto o comportamento exemplar dos nossos alunos. Nos dias de hoje, em que os pais educam tão bem os seus filhos, ninguém irá entender que, em vez de uma participação disciplinar, não se dê ao aluno uma decisiva e eficaz lamparina.

Comments


  1. Maravilhoso eduques que em nome da escola inclusiva obriga os professores a suportar toda a espécie de arruaceiros…
    E seguramente avaliar de forma negativa tais criaturas deverá ser qualquer coisa antipedagógico, nada como garantir aproveitamento escolar a estes imbecis, prontos para obter um lugar como parasitas na sociedade. À sua espera um leque de subsídios e frequência por instituições públicas onde continuarão a gastar dinheiro do contribuinte.

  2. Nightwish says:

    Então, não é a professora que é preguiçosa e má trabalhadora que nao sabe controlar a turma? A culpa já não é da funcionária pública?
    A gente nunca percebe nada com a direitalha.

  3. Gottlieb says:

    Eu diria mesmo: A Professora, essa “Hostia” sagrada

  4. Fernanda says:

    Este caso é estranho….


  5. Porque é que o autor do post não divulga o nome do “jornal sério”?
    Os “intelectualmente sérios” quando querem passar por normais, nem precisam de fontes.

  6. niko says:

    claro ,são estes meninos e meninas que depois vão para as juventudes partidárias , e ,a partir dai a viver a conta do orçamento não é srº Passos Coelho e restante quadrilha ?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.