Remanso informativo

Anda para aí um processo branqueador do caso tecnoforma que é uma delícia. Sabe-se agora, vejam lá, que o homem da regisconta não tinha obrigações de exclusividade quando ocupou o lugar de deputado entre 1995 e 1999, altura em que terá recebido pagamentos da malfadada empresa. E a comunicação social não tinha maneira de saber isto antes de ter alimentado a putativa incompatibilidade que marinou na imprensa durante uns dias?

Sucede que o caso tecnoforma não tem nada a ver come ssa questão menor, mas com uma inacreditável situação de nepotismo envolvendo o governante relvas com responsabilidades sobre os fundos públicos entregues à tecnoforma e o seu técnico coelho, actual primeiro-ministro. Assim, quando transpirarem novos dados do processo de investigação aberto pelo MP a essa “joint-venture” (porque vão transpirar, passaram 3 convenientes anos e as eleições já se avistam…), o povão já estará remetido ao tecnofórmico remanso informativo.

Comments

  1. joao lopes says:

    o passos afirmou que não se lembrava de têr recebido 150.000 euros entre 1995 e 1999.aposto que em 2020 ,o passos vai dizer que não se lembra de sêr PM de portugal entre 2011 e 2015.quem quér apostar comigo?

    • Seca Adegas says:

      eu, aposto 1 garrafa da Cartuxa contra 1 garrafão do Cartaxo.

    • coelhopereira says:

      Eu aposto consigo, singelo contra dobrado, que, em 2020, ele nem se lembrará que Portugal existe, pois os dourados exílios europeus convidam à profunda amnésia. Nós, pelo contrário, vamos lembrar-nos, amargamente, do que este país outrora foi, antes do Senhor Passos Coelho mais “sus muchachos” o terem destruído.

  2. Lucílio Costa says:

    Não percebo a referência ao ‘homem da regisconta’, tanto mais que o Passos Coelho nem sequer é ‘aquela máquina!…’ – antes pelo contrário, sofre de amnésia… selectiva.


  3. Nem tanta chuva lava tanta porcaria – apenas a transporta de um lugar para outro

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.