A elevada probabilidade do Dono Disto Tudo se safar

RS sorri

Sabemos bem como acabam estas histórias. Muito aparato e abundância de informação que parece anunciar que desta vez é que vai ser, mas no final do dia o mais provável é ninguém ser responsabilizado. Oliveira e Costa e Dias Loureiro vivem uma vida tranquila, após terem arrastado o país para o buraco fraudulento do BPN, cuja factura para os contribuintes já terá ultrapassado os 6 mil milhões de euros. Nada lhes aconteceu. João Rendeiro também vive em liberdade, após a hecatombe do seu BPP, que tendo ficado mais barato para o pagador do costume, ainda custou algumas dezenas de milhões ao erário público. Hoje diverte-se na BlogosferaJardim Gonçalves até chegou a ser condenado a dois anos de cadeia por crimes de manipulação de mercado e falsificação de documentos mas, como sabemos, as elites podem sempre pagar uma fiança avultada, neste caso 600 mil euros, e ficam imunes às decisões judiciais. Ter dinheiro coloca-nos, efectivamente, acima da justiça. Até porque a maioria dos criminosos não consegue açambarcar tanto.

Posto isto, a principal conclusão do relatório preliminar da comissão parlamentar de inquérito ao caso BES, que indica ser “provável” que Ricardo Salgado tenha “estado envolvido na ocultação de contas da Espírito Santo International desde 2008” parece configurar o princípio do fim do aborrecimento a que o monarca da Comporta foi sujeito depois de anos de, vá lá, irregularidades. Meses de audições, dezenas de interrogados – amadores e profissionais – e um surto inesperado de amnésia mais tarde, o caso BES corre agora o risco de resultar em absolutamente nada e de, tal como tantos outros casos em que a política e os negócios andaram de mãos dadas, cair no esquecimento. Tal como inicialmente previsto. Será que chegaram a conseguir pôr o Moedas a funcionar?

A ausência de responsabilização destes e de outros banksters é o reflexo de um país cujo governo é feito de ministros que, tal como Pilatos, lavam as mãos das suas responsabilidades e apontam o dedo ao técnico que estiver mais há mão. Foi assim com o Citius, com a polémica Lista VIP e com o calote de Passos Coelho à Segurança Social. Ate no caso SNS/Hepatite C a culpa era da farmacêutica que praticava preços incomportáveis mas que até queria oferecer umas quantas unidades do comprimido. Isto apesar da posição do primeiro-ministro relativamente a este problema ser muito clara. E tal como os impolutos ministros, também Ricardo Salgado se há de safar e regressar em breve ao conforto de uma reforma abastada, apesar da ausência de bens em seu nome. Ser o Dono Disto Tudo tem que ter as suas vantagens, não é mesmo?

Comments

  1. ausente says:

    eu que nao sou bruxo (quem me dera ser) o RS esta safo desde ha muito tempo. Digo safo do que ele fez em Portugal.
    Do que ele fez fora do rectangulo lusitano a picture e’ diferente.


    • Concordo. Safo desde o momento em que já sabia que ia enfrentar um processo e nós ainda vivíamos na ignorância. E mesmo lá fora tenho sérias dúvidas que algo lhe aconteça…

      • ausente says:

        Nao sou (felizmente) vitima de RS, mas espero que “fora de portas” lhe façam a vida negra como ele tem feito as suas vitimas.
        Mas não esqueça João Mendes que muitas das vitimas o foram por ganancia.
        Disseram-lhes ganha mais uns % e não leram as letras pequeninas.
        Cumpt.


        • Não digo que não o tenham sido. E quem joga o jogo do liberalismo selvagem deve estar preparado para perder. Mas isso não invalida a pirataria levada a cabo por alguns responsáveis daquele banco.


  2. Ainda quero acreditar que é a falta de elementos da procuradoria e PJ que tem atrazado o abrir legal dos processos(a AR não serve para culpar ninguem). Pelo que se tem visto esta nova direcção da Procuradoria e DCIAP não anda a fazer fretes a pulhas como o socrates ou palos.


    • O Sócrates é caso isolado. De resto só vejo chefias intermédias enfrentarem a justiça, o “cavalo branco”, por exemplo, ainda anda por aí sem que o incomodem sequer. Mas espero sinceramente que tenha razão relativamente à PGR e ao DCIAP.

Trackbacks


  1. […] portugueses da mesma área ideológica envolvidos em esquemas similares é pura coincidência. Até porque ainda que a criminalidade seja idêntica, por cá estão todos em liberdade. Nós temos esse péssimo hábito de tratar muito bem a escumalha criminosa do […]


  2. […] incógnita que ameaça transformar-se num prolongado sorvedouro de recursos públicos, sem que as perspectivas de que algum dia alguém venha a ser responsabilizado pelo sucedido sejam particularmente […]


  3. […] não comenta o assunto. Haja alguma decência neste país e medalhe-se já o homem! Já nos chega a elevada probabilidade do Dono Disto Tudo se safar. Por falar nisso, alguém tem ouvido falar […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.