O incêndio que tarda

Histeria

Existe um número significativo de portugueses para quem ler jornais se resume à leitura dos títulos. Nada contra, cada um sabe de si e de como usar o tempo livre que tem. Acontece, porém, que muitos destes leitores de títulos, quando na presença de um título polémico, tendem a correr para as redes sociais e a publicar a notícia na sua totalidade, levando por vezes a situações embaraçosas ou a incitamentos paranóicos ao pânico e à histeria.

Hoje deparei-me com um destes casos, quando fui confrontado com múltiplas partilhas de uma notícia do Expresso, daquelas com um título tendencioso e ele próprio um apelo à histeria – Juros da dívida portuguesa pegaram fogo – mas que na realidade relatava o exacto oposto daquilo que o título sugere: analistas que apontam um crescendo de confiança na capacidade do novo governo em prosseguir os objectivos de consolidação orçamental, os benefícios decorrentes do Quantitative Easing (programa de compra de dívida soberana do BCE) e juros da dívida a 10 anos em níveis inferiores aos registados antes das Legislativas, situados nos 2,32%, bem abaixo dos 3,3% registados em Junho sob a batuta dos cheerleaders da austeridade.

Confirma-se: a arder só mesmo o Caldas e a São Caetano. E as moleirinhas de inúmeros PàFs e PàFas que aguardam impacientemente pelo dia em que a economia pegue fogo para poderem apontar o dedo aos hereges de esquerda. Histéricos.

Comments

  1. FilipeMP says:

    Como se diz na gíria do futebol, os cães ladram e caravana passa.

Trackbacks


  1. […] “Juros da dívida portuguesa continuam a descer” [Expresso] E o incêndio que tarda… […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.