Para a rua, imediatamente.

João Soares

Não é aceitável que um ministro faça declarações destas. Um responsável político que ocupa as mais altas funções governativas deve ser absolutamente exemplar. Não está em questão se tem ou não motivos para ficar irritado com o que sobre ele foi escrito. Alguém na posição de João Soares tem a obrigação de saber respeitar e lidar com a liberdade de expressão, de outra forma não tem condições para exercer o cargo. E isto não invalida que não possa reagir a quem, no seu entender, o difame. Mas oferecer publicamente “um par de bofetadas” a um cronista, referindo-se ao mesmo como “personagem” e usando um estratagema cobarde para o denegrir, caracterizando-o como alcoolico e cerebralmente degradado, não é digno de um governante. Não é digno de alguém que representa a cultura, o país e os portugueses. Alguém que não tem sequer a humildade necessária para assumir a gravidade do seu erro. João Soares tem que ir para a rua, imediatamente. Só lhe pode fazer bem. A mim também.

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Independentemente da questiúncula em questão, a verdade é que o Ministro substitui, aparentemente, a bofetada por um toque de cu, o que, para ele, será muito mais cultural.
    Cada qual usará os meios que quiser para se fazer notado e o nosso ministro até demonstra um ar moderno pela velocidade com que adere ao novo AO.
    Cheio de erros, mas de um Soares, não se pode pedir muito mais.


    • Pois é: “não me CUZEI com a personagem”, e depois as “calunias” e o “Publico”, para já não falar nas “estórias”, que alguns consideram que está bem. De qualquer modo (e mesmo não contando as “estórias”), que cultura a deste Ministro da Cultura!

  2. Ausente52 says:

    …….de um Soares, não se pode pedir muito mais.
    Este segmento do texto diz (para mim) tudo.

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Ainda bem Ausente52. Para mim, também.
      Que seria do amarelo se todos gostassem do rosa…

  3. Ana Moreno says:

    “Não é aceitável que um ministro faça declarações destas.” Sem mais nem menos. E estou convencida que em mais nenhum país europeu isso poderia acontecer. É vergonhoso. E mais vergonhoso que haja gente a defender isto como expressão de autenticidade ou quê. É lamentável chegar sempre à estafada frase: cada povo tem os políticos que merece. Nunca quero aceitar isso, mas há sempre elementos desse povo que fazem jus à banalidade. Não, não é aceitável de todo, nem os erros nem a bofetada, o homem é incomportável.

    • Nascimento says:

      Olha a França….eheheheh.Casos análogos a estes? Aqui há uns anos,2011?assisti na Assembleia Francesa a uma cena que se fosse em Portugal ainda hoje a pudicas andavam a falar e a bater no peito e talvez a ter xiliques.O que foi? Ora, uma coisinha do tipo de uma parte dos deputados a correr atrás do Presidente Assembleia, para lhe darem umas BOFETADAS!O Presidente teve de se esconder no gabinete,e era tudo ao murro a porta,etc. A tarde continuaram os trabalhos parlamentares , mas sem parte dos deputados , que estavam em protesto …Só que há noite houve debates e achou-se “normal “,em democracia, haver excessos.Aqui não. Aqui se há mão na bola, ou não, da direito a folhetim durante a semana e em direito na XIC,no C.da Merdaleja, e tudo.Bem, deixa-me ir, tenho de comprar uns grelinhos…tá-me a apetecer.
      ,

  4. Afonso Valverde says:

    O Sr João Soares, ainda está em funções nesta hora?
    Um ministro demitiu-se ou foi demitido por fazer um gesto “inconveniente” na AR.
    Este ainda está em funções? Porque?
    A partir daqui se nada acontecer quem vai perr é o governo e o primeiro ministro.