Aventar, 7 anos

aventar 2-4-2016

Cai neve em Nova Iorque, chove em Aveiro e correm sete anos de Aventar. Nada a ver? Pois claro, porque se fosse a sério faríamos um congresso.

Mesmo assim, há momentos que precisam de seriedade, como numa certa noite de Março de 2009, quando a rotativa do Aventar entrou em movimento. 28,535 posts e 13 milhões de visitas depois, vamos andando por aqui.

Obrigado a quem tem tido a paciência de passar por cá, razão de ser de toda a escrita.
[Read more…]

Inaceitável

“O governo pode sonegar os dados. Mas não há como esconder os mortos. Basta contá-los, um por um, à saída. É a rotina na morgue do maior hospital do país.”, Rafael Marques, jornalista angolano.

Mas em Portugal respeitam-se os “órgãos de soberania” e os olhos… fecham-se. E diz-se, sem rir, que em Angola existe um Estado de Direito.

 

Em defesa do Cinema São Geraldo

sgeraldocultural
No momento em que aquela sala de espetáculos completa uma história de quase 100 anos de atividade diversificada – cinema, teatro, exposições, conferências, comícios, concertos, festas, etc -, a cidade não deve embarcar em mais projetos de resposta a meras solicitações conjunturais.
Braga
deve seguir uma visão duradoura para o centro histórico e apostar nas funções culturais e artísticas que envolvam todas as gerações. Diversos cidadãos e associações tem vindo a recolher o máximo de elementos da história deste cineteatro e estão disponíveis para ajudar a encontrar soluções de futuro que projetem Braga como uma cidade bimilenar que reconhece e sabe reforçar os valores patrimoniais, materiais e simbólicos que a definem.”
Assine a petição… diga não a mais uma “praça de alimentação“!

PSD, CDS-PP e PCP unem-se contra os direitos humanos em Angola

LB

Neste momento estão presos em Angola 17 cidadãos cujos crimes foram ler um livro, cantar música de intervenção e debater modelos de transição pacífica de uma ditadura para um regime democrático. E ao contrário do que se passa com outros regimes repressivos, o regime angolano é tratado como se democrático fosse. E ninguém pede um golpe de Estado. Se Lula da Silva fosse pedir emprego a José Eduardo dos Santos em vez de pedir a Dilma Roussef, safava-se bem e ainda arranjava um espaço de comentário político num jornal cá da terra. [Read more…]

O papel das regiões, as regiões em papel

Os blogues são filhos do papel. Muitas vezes, filhos do papel de jornal. Mesmo sabendo que as relações entre pais e filhos sofreram mutações, continua a ser de bom-tom ter uma palavra simpática sobre os progenitores e ajudá-los sempre que possível.

[Read more…]