Braga, uma cidade sem árvores


 

braga_cidade_sem_arvoresNão há memória na cabeça das pessoas, nem registo na movimentadíssima página do vereador do Ambiente de Braga – Altino Bessa, – que em Braga se plantem ou tenham plantado árvores nos últimos anos. Nem uma, reza a lenda. Nada que se veja, pelo menos.

Na cidade betonada, alcatroada e impermeabilizada que Braga é não se constrói um jardim desde pelo menos os anos 70. Obviamente, nesta conta não entram os metros quadrados de relva dentro das múltiplas e fantásticas rotundas rodoviárias. Espectacular.
Portanto, árvores são cada vez menos.
E por estes dias foram cortadas mais duas para dar lugar a um painel publicitário.
Querem lá ver que o painel até está legal?

Adenda: Ricardo Rio, presidente da CM Braga, esclarece-me que:
– as árvores em causa estavam a rebentar com os passeios e a gerar inúmeras queixas;
– em Setembro/Outubro serão colocadas novas árvores sem este problema, numa linha mais interior;
– as obras de reparação dos passeios foram suportadas pelas operadoras de publicidade, para além das taxas inerentes.

Foto daqui, via Fórum Cidadania Braga.

 

Comments

  1. Devia existir de facto uma lei que limitasse a publicidade em espaços urbanos. A profusão é tal que é um ataque psicológico aos sentidos. Mas dá rendimento ao poder local e como todos sabemos o poder local é a pedra basilar da “democracia”…

  2. Ana A. says:

    As árvores são património da humanidade e devem ser protegidas das bestas ignorantes!

  3. Konigvs says:

    As árvores são monumentos vivos. Temos muitas árvores centenárias, algumas milenares até, e o homem construiu poucas coisas que ainda se mantenham de pé ao fim de mil anos. Todas as árvores deveriam ser protegidas mas infelizmente são cada vez mais assassinadas, e eu bem observo, pois é algo que por natureza estou muito atento. Árvores especiais deveriam até merecer uma placa indicativa nas estradas, como aquelas castanhas para os monumentos e museus. Muitas vezes as pessoas passam por elas e nem as vêem, e se não têm essa sensibilidade, também não têm nada que as alerte para tal facto.
    Agora abatem-se árvores como se fossem umas ervas daninhas na beira do passeio. Ou fazem-se podas verdadeiramente assassinas, porque as árvores chateiam. A QUERCUS até tem um sítio apropriado para se denunciar esse tipo de situação muito frequente. Plantar árvores também não deve dar votos pois não se plantam. Só chateiam. Não sou de Lisboa nem acompanhei bem a notícia, mas ouvi dizer que toda a gente se chateou quando o autarca da capital ousou vir com a ideia de plantar árvores! Para o que lhe havia de dar! Parece que o melhor plantar arbustos, ou relvinha, nada que chateie muito. Ainda por cima parece que as árvores atraem pássaros, e os pássaros também chateiam. Estão bem é presos com prisão perpétua até morrerem nas gaiolas.
    No Porto destruiu-se a maior avenida da cidade. Um tal de arquiteto muito premiado e conhecido por ser muito bom a alcatroar cidades, destruiu os jardins e alcatroou a praça da Liberdade. E que linda que ficou sem uma única flor. Mas temos uma obra de um arquiteto muito famoso além fronteiras! Não há qualquer sensibilidade para as questões ambientais, e se não há que se contratem pessoas que a tenham. Quando já não houver árvores e não houver ar para respirar, talvez aí se lembrem delas, que as deveriam ter protegido. Afinal é a elas que devemos a vida.

  4. no Porto durante o reinado de Rui Rio foi o terror para as árvores e espaços verdes foi tudo a eito. onde moro nas traseiras era um espaço verde com várias árvores, pássaros e flores, algumas pessoas aproveitavam para plantar couves e frutas, e incrivelmente era tudo organizado com caminhos e quadrados de terreno iguais, Rio deitou tudo a baixo e cimentou para os automóveis! sei que fez o mesmo noutros sítios, uma tristeza. parece que não mudou muito com o novo Rui. Já me esquecia que por aqui no inicio da Primavera era maravilhoso ver a quantidade de borboletas agora já não me lembro de ver uma sequer.

  5. j. manuel cordeiro says:

    O corte de árvores nas cidades é uma praga. Foi por causa de uma destas situações que comecei a escrever na blogosfera.

    http://fliscorno.blogspot.pt/2005_12_01_archive.html

Trackbacks

  1. […] urbano da mui condigna cidade brácara, outrora um conjuntos de quintas e ruelas. Se há semanas algumas árvores que aparentemente haviam danificado os passeios foram depostas para, impunemente, d… – agora é a vez de, no escurinho do entardecer, duas mãos cheias de árvores serem […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s