Geringonça? Sim, OBRIGADO!


A GERINGONÇA é para muitas pessoas de Esquerda uma primeira experiência de poder. É para muitos a primeira vez em que se olha com Esperança para o Governo. E, só por isso, já valeu a pena – está quebrada uma barreira que nos impedia de aceder ao poder, algo muito pouco democrático nos primeiros 40 anos de Democracia.

Mas, esta solução governativa não é perfeita, nem tão pouco isenta de erros. Obviamente irão acontecer e cá estaremos, como sempre estivemos, para os apontar. Como diz um amigo, respira-se melhor, mas as vantagens na oxigenação da democracia não nos podem inibir de ver e criticar o que não estiver bem.

A trapalhada comunicacional em torno do IMI foi um exemplo de como há muito para aprender com a desonestidade da direita – alô Cristas. E a história das viagens no Euro foi outro aspecto onde a Geringonça não esteve bem – bastaria, por exemplo, perguntar onde estão os Panamá Papers…

Não vou é confundir a árvore com a floresta – acredito na Geringonça e quero muito que ela funcione porque é a melhor solução para Nós, pessoas normais, que vivem longe das mordomias e dos lucros das empresas privadas penduradas no estado. A forma como o Bloco e em especial o PCP se comprometeram nesta solução é um elemento que reforça a força desta equipa.

Vamos, até por isso, continuar a lutar por esta solução governativa que, na Educação, por exemplo, tem muito para melhorar, mas o caminho faz-se assim mesmo, caminhando. Sem cegueiras, mas atentos aos cotovelos da direita.

Comments

  1. virgilinda says:

    É, É, quando a Troyca te vier impor mais austeridade por via da boa governação geringociana é que tu vais saber o que é amar a geringonça.
    Não tarda muito!

  2. Ana A. says:

    João Paulo, subscrevo o seu post.
    Eu sempre fui muito crítica ao facto de a Esquerda, no passado, nunca ter conseguido unir-se, nos pontos de convergência, para poder fazer frente àquela Alternância enjoativa e perigosa que nos dominou tanto tempo, a ponto de até se julgarem donos da coutada e não aceitarem com naturalidade a “Geringonça”, que é, nada mais nada menos, que uma solução governativa democrática que poderia ter sido há muito experimentada no nosso País!

    • maria cassilda says:

      Poderia ter sido experimentada?
      E não foi? Então que diferença há entre este governo e o do camarada Sócrates?
      A Ana A. não percebe? Então um dia destes aparece um palhaço de circo a dizer que é de Esquerda, forma governo, implanta uma ditadura e você bate-lhe palmas. Se ele diz que é de Esquerda, para si basta.
      Ana A. a vida não é fácil e o ser humano tem manhas entre outras características. Não se pode abordar a vida pela rama. Infelizmente muita gente assim procede e hoje em dia, depois de 42 anos de vida portuguesa comandada pela Esquerda, ainda é mais difícil a muita gente discernir as intenções dos políticos. Era assim mas em campo contrário o que se passava antes do 25 de Abril de 1974.
      Eu digo-lhe. Os 4 anos do governo do Passos Coelho não foram suficientes para acabar com a governaça da Esquerda. Ela persiste na sociedade portuguesa com todo um rol de injustiças e desigualdades. O Passos quis acabar com elas e a Esquerda que é privilegiada (funcionalismo público cheio de regalias e produtividade a menos de 1/3 da atividade privada) opôs-se ferozmente. A Esquerda de hoje em Portugal é a burguesia, por muito que isto custe a ouvir. Aquilo a que chamam Direita é quem aguenta a economia nacional, é quem trabalha, é quem paga os impostos de que a Esquerda usufrui. Os dirigentes da Esquerda de hoje sabem perfeitamente quem são os pobres, mas encolhem os ombros, não andam para os defender. Andam para explorar os cofres do Estado e iludir os trabalhadores com discursos hipócritas a dizerem que os defendem.
      Pense bem Ana A., mesmo que seja alguém que também vive encostado/a à mama do Estado.

      • José Peralta says:

        Ó cassilda (Hoje és cassilda ou cassildo ? )

        Eu acho tanta graça às tuas anedotas ! E então quando afirmas a pés juntos, que eu não dou sonoras gargalhadas com elas…
        Esta, então é de ir às lágrimas :

        “Aquilo a que chamam Direita é quem aguenta a economia nacional, é quem trabalha, é quem paga os impostos de que a Esquerda usufrui. Os dirigentes da Esquerda de hoje sabem perfeitamente quem são os pobres, mas encolhem os ombros, não andam para os defender. Andam para explorar os cofres do Estado e iludir os trabalhadores com discursos hipócritas a dizerem que os defendem.”

        E para roeres as unhas até aos cotovelos, toma lá este retrato de corpo inteiro do teu amado aldrabão-mór coelho, um cadáver político adiado :

        http://ventossemeados.blogspot.pt/2016/07/todos-o-querem-ver-pelas-costas.html?spref=fb

      • Nascimento says:

        Olha a vaca da Cassilda😜….e não desiste de ser bronca.Olha ,lambe merda que vais ver que te sabe a mel.Que galderia me saiu esta Badalhoca.
        O teu barrasco não pagou nepia de SS durante 10anos e tu minha porca tens cantar osanas a esse merdoso😂?Ai cassildinha minha filha o que tu queres sei eu…

      • Anti-pafioso says:

        Óh Dona Maria então os portugueses ( a maioria ) foram roubados a torto e a direito para acabar com a divida ,e ao fim de 4 anos a divida é maior ,e a srª bate palmas aos malfeitores ?Pobre pais que tem gente que gosta de ser enganada .

        • maria cassilda says:

          Oh anti-pafioso, quem rouba a ladrão tem 100 anos de perdão.
          Do 25 de Abril de 1974 para cá a Esquerda ocupou todos os empregos do Estado. Não trabalham, logo roubam todos os meses o Estado. Então o Passos Coelho só fez justiça ao retirar-lhe uma pequena parte do que têm roubado.
          Foi pena foi não ter corrido com metade dos funcionários públicos. Se assim tivesse feito talvez tivesse ganho com maioria absoluta as eleições de Outubro passado.
          A vossa sorte foi que ele foi bom demais para vocês, mamões do Estado.
          Mas isto não vai ficar assim. A seguir ao Passos Coelho, outros Passos serão dados!

      • Ricardo Ferreira Pinto says:

        A confusão que vai por aí…
        É natural. Se uns dias se chama Stiletto, noutros Hélder Gonçalves, noutros Ti, noutros Virgilinda e noutros Maria Cassilda, como é que não há-de estar confusa?

        • maria cassilda says:

          Confusa anda a sua cabecinha de barata.
          Muitos há por todo o lado que estão do lado da Justiça, contra o caminho socrático seguido pelo Costa e companhia e troca o passo de bloquistas e comunistas.
          O importante não é o nome de quem comenta. O importante, o que vai derrubar a xungaria que desgoverna Portugal são as ideias de progresso que ganham terreno todos os dias, apresentem as sondagens que apresentem.
          Percebes Ricardinho?
          Primeiro estranha-se, depois entranha-se.
          Agora vê lá rapaz. Se responderes faz um esforço para escrever alguma coisa de jeito. Se a Escola não foi um fardo muito pesado para ti…., se não passaste o tempo no copianço….

          • Ricardo Ferreira Pinto says:

            Stiletto, Hélder Gonçalves, Ti, Virgilinda, Maria Cassilda.
            Pobre coitado! Se este post fosse meu, sabia bem o que faria à tua triste figura…

          • Meu caro Aventador, carta branca. É nosso.

  3. Por agora vão aguentando o barco,mas a raiva que os malandros têm de não estar no poder é tanta que vamos a ver até qundo isto tudo aguenta,mesmo sabendo que o mal é geral !!!

  4. Afonso Valverde says:

    Bom texto (post?!!!).
    Apenas um comentário acessório ao texto, mas nele aflorado.
    Fiquei dececionado com o facto dos Secretários de Estado terem aceite as viagens. Mau, muito mau. Sei que parece que há gente deputada no PSD que também foi de viagem à borla, salvo seja.
    Acho que deviam ser demitidos. Isso só reforçava a legitimidade social da tal “geringonça”. Não falta gente competente para os substituir.
    O Sr. Presidente está muito mais atento à corrosão deste tipo de expedientes…
    Pagou a despesa do Falcon na deslocação a Paris para ver a bola.
    O Governo devolveu o cheque depois de parecer jurídico que sustenta a legitimidade de não poder ser aceite o cheque porque foi considerado que a deslocação foi em representação do Estado (oficial).
    Isto tipo de atitude e comportamento provoca muitos danos na reputação de uma governação.

  5. É saudável manter um certo grau de cepticismo em relação a este Governo e admitir os erros. É assim que se evolui na vida.
    No entanto há que também reconhecer o mérito e a verdade é que os sucessos alcançados nos primeiros meses de vida da Geringonça (nome que começa a perder a conotação negativa, para raiva e frustração da direita bacoca), mesmo com os erros contabilizados, em muito superam qualquer governo de direita dos últimos anos. Para mim, a primeira machadada no lobby da educação privada fui o momento alto do ano, para já. Espero que seja o primeiro de muitos projectos para inverter as heranças Cavaquistas que continuaram a prejudicar o país muito depois da múmia ter dado o último bafo.
    Mas a maioria da Gerigonça é PS e o PS é aquilo que se sabe.. Muitos dos erros referidos vêm da velha tendência do facilitismo que caracterizou o PS durante muitos anos. Mas, mesmo aqui, começo a notar uma mudança. Pequena e lenta mas está lá. Enquanto o PSD insistem em enterrar-se na fossa neoliberal. há novas vozes a surgir no PS. Vozes de verdadeira esquerda, ainda um pouco tímidas, mas andam lá. São a minoria infelizmente mas ao menos existem. Se são obra do António Costa ou influências da coligação não sei, mas ao menos há evolução e isso é sempre bom.
    O melhor indicativo de sucesso para este Governo é o estado de pânico em que a direita anda nestes dias. Cada erro é explorado a níveis desnecessários e a baixeza dos truques não pára de me surpreender. Mas mesmo isto é positivo. É bom que os portugueses vejam a verdadeira face da direita. Por detrás dos pins na lapela, fatos engomados e sorrisos falsos não há mais que pessoas reles e mesquinhas, capazes de sacrificar o país a sanções injustas apenas para manterem a ilusão de poder.

    • maria cassilda says:

      Tá-se mesmo a ver, não tá-se?

      • Nascimento says:

        Xo sua porca ou porco…

      • Fala-se na direita ressabiada e eis que ela surge, que nem um urso amestrado.
        O estado de nervos é tal que limita-se a vociferar umas frases incoerentes que só fazem sentido nas cabeça dela e no companheiro de beliche do acampamento de verão do PSD.
        A grande dor de barriga da direita não é por não estarem no poder. Já aconteceu no passado sem este nível de incómodo público. O grande drama da direita é que em vez do tradicional governo de interesses a que o povo estava habituado está um que, por incrível que pareça, está a combatê-los. A cada dia que passa as sondagens, por mais enviesadas que a direita as consiga tornar, mostram o inevitável e isso deixa muito neoliberal de armário sem sono.
        Não posso prever o futuro, mas se o passado for um indicativo dos próximos meses, a direita vai andar muito tempo de diarreia.
        Falei no incómodo que a Gerigonça está a causar e, quase de propósito, eis que surge mais um perfil falso da JSD a provar o meu raciocínio. Obrigado

  6. Anti-pafioso says:

    ÓH Cassildinha porque não vais dar banho ao coelho, e lambes-lhes os ditos ?

  7. maria cassilda says:

    Vá lá, seus esquerdolas, não digam baboseiras,
    comentem!
    Se souberem, está claro.

  8. Afonso Valverde says:

    Ignóbil forma de relação social-política.
    A partir daqui sera de arma em punho?!!!!
    Estou preparado, fui treinado para isso e não tenho medo.
    O nosso país tem de ser um lugar decente. Os conspurcadores devem saber que têm de mudar de atitude.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s