Venha a nós a vossa viralidade, seja feita a vossa vontade


DDPPC

Antes de mais quero agradecer à página Os Truques da imprensa portuguesa por me dar a conhecer a maravilhosa página do PSD Europa no Facebook. Ainda estou a recuperar de tanta seriedade, mas lá chegará o tempo de a ela voltar. Hoje deixo-vos com um texto sacado a essa malta pecadora d’Os Truques, que ilustra bem a forma como muita da nossa imprensa promove, de forma permanente e deliberada, a agenda, a estratégia e a propaganda do PSD. Venha a nós a vossa viralidade, seja feita a vossa vontade. 

Já há uns meses falámos sobre este assunto. De vez em quando, a imprensa decide promover páginas das redes sociais, tornando-se caixa de ressonância de um determinado interesse ou posição política, económica, comercial,etc. Assim aconteceu quando uma página chamada “Conselhos do Costa” foi criada e, em poucas horas, impulsionada por inúmeras notícias/partilhas de jornais, obteve milhares de seguidores. Assim acontece regularmente.

O caso mais recente e, na nossa opinião, bastante mais grave do que o anterior, é a partilha da página “PSD Europa” e do vídeo “Horrível mês de Agosto”, por órgãos como o Público e o Diário de Notícias. No fundo, o truque é simples: simulam um acontecimento de grande impacto nas redes sociais sobre o qual “estão obrigados” a escrever uma notícia. Pelo caminho, partilham a mensagem em si mesma.

Problema: o video partilhado não estava a ter impacto praticamente nenhum e não era, seguramente, viral. Apenas a partir do momento em que foi partilhado pelos jornais mencionados gerou alguma agitação mas, mesmo assim, muito pouco significativa. Nunca justificaria uma notícia, havendo dezenas de vídeos e imagens (muitos dos quais, como este, com conteúdos políticos), com um impacto muito superior.

Só para terem uma base de comparação:
“Boicote à CMTV”, Os truques – 246.486 visualizações
“Agora lembra-te, Passos, sê um bom menino”, As minhas insónias em carvão – 119.148 visualizações
“Horrível mês de Agosto”, PSD Europa – 6.657 visualizações

Conclusão: Ao partilharem um video cujo impacto é praticamente inexpressivo, alegando uma viralidade fictícia, Público, Diário de Notícias e outros órgãos estão, eles próprios, a dar um impulso a esse movimento e, por consequência, a fabricar uma potencial viralidade antes mesmo dela existir. Esta é a definição clássica de propaganda, um truque clássico de disseminação.

Claro que videos como os dos Truques ou os de As minhas insónias em carvão, ou de outras páginas semelhantes, por mais impacto que tenham, nunca merecerão uma menção, nem pequenina, na imprensa. Mas também vos dizemos: dispensamos absolutamente as menções do Público e do DN. É muito melhor assim, entre nós, membros desta comunidade.

Comments

  1. JgMenos says:

    E se o que lá se diz é notícia?

    • Nada do que lá está é novo. É a imprensa amiga a potenciar as batalhas políticas do PSD. Eu sei que isso convém aos gajos que te pagam para andares aqui a trollar JgMenos, mas não deixa de ser manipulação da opinião pública. O teu Passos é um Sócrates.

  2. Deus os fez e o diabo os “ajuntou”

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s