A censura e outros totalitarismos da Geringonça inquisitória


Vivem-se dias de terror nesta pátria totalitária à beira-mar plantada. O advento da Geringonça trouxe consigo muitas maleitas, que fariam a Santa Inquisição corar de vergonha, e já ninguém está seguro. A censura é apenas uma das muitas faces do terror da impune revolução socialista. Ou estás com os estalinistas, ou serás perseguido e ferozmente punido.

Enquanto escrevo estas linhas, a imprensa livre no exílio reporta a prisão de inúmeros jornalistas e cronistas portugueses, havendo relatos que nos chegam desde a reactivada prisão de Caxias, onde grandes heróis da democracia contemporânea como José Manuel Fernandes, Camilo Lourenço, Rui Ramos, José António Saraiva ou David Dinis são sujeitos às mais bárbaras práticas de tortura.

Nada escapa às garras afiadas da revolução socialista. O grupo Impresa foi tomado de assalto por milícias armadas pelo PCP, que forçaram Francisco Pinto Balsemão a vender todas as revistas e a despedir Henrique Raposo, João Vieira Pereira e o Comendador Marques de Correia, posteriormente detidos para interrogatório e confinados à solitária.

O Correio da Manhã, o Sol e o i foram ocupados pelas forças armadas e imediatamente nacionalizados, de onde conseguiram escapar André Ventura e António Ribeiro Ferreira, que lideram a resistência desde Santa Comba Dão, sob fogo cerrado da artilharia venezuelana.

Blogues como o Blasfémias, o Observador e O Insurgente, entre muitos outros, exclusivamente de direita, foram encerrados pelo KGB lusitano, estando os seus autores encarcerados nos Aljubes, aguardando transferência para Peniche. Igual destino tiveram os bravos por trás de páginas nas redes sociais como Direita Política ou PSD Europa, que viram os seus bens confiscados pelas perigosas irmãs Mortágua, imediatamente entregues à Coreia do Norte para financiamento da bomba H.

Eu próprio tenho já os comunistas à porta de casa, munidos de foices e martelos, a ameaçar a minha esposa e o meu gato. Ainda este texto não estava publicado e já eles me observavam pela webcam, que isto é pior que o 1984 do Orwell. Ninguém escapa à fúria totalitária da revolução socialista. A democracia acabou. Resta-nos a violência indiscriminada, o racionamento de bens de primeira necessidade e a opressão absoluta. Toda a esperança se foi. Que Deus tenha compaixão de nós e nos abençoe com um fim sem dor.

Comments

  1. ganda nóia says:

    bravo. excelente forma de responder às invenções dos observadores desta vida e de parte do aventar. essa parte podia fundar o “inventar”, um blogue com os factos alternativos de que tanto gosta a musa kelly ann “con all the way”

  2. eyelash says:

    Nada melhor do que um texto assim para começar bem a semana. Não esquecer que os SUV estão na moda, hehehe!

  3. Nuno Pires says:

    Sim, sim, e viva o portugal2020 e os projectos que ajudam a desenvolver os bolsos dos Granadeiros, dos Proenças de Carvalho, dos Seixas da Costa, dos Sócrates e centenas mais, carrega Maria da Fonte!

  4. Uma marosca a escrutinar:
    http://24.sapo.pt/jornais/nacional/4090/2017-09-04#&gid=1&pid=3

    O poder “estúpido” não aceita ser escrutinado nem contrariado.
    Acham que poder é impor (ideias, comportamentos).
    Siga para a porcalhota….

  5. Rui Naldinho says:

    Nestes dois últimos anos, os dados económicos que eles tanto valorizam têm sido uma espécie de “fucked news” para a direita, contrariando dia após dia o seu discurso catastrofista.
    Tentam criar todos as semanas um cenário alternativo, acreditando que aquilo vai mesmo acontecer, o qual, posteriormente esbarra com a realidade que lhes é adversa, e os deixa embasbacados.

  6. amén

  7. JgMenos says:

    Só um sectário não vê o quanto de ideologia ofensiva da liberdade anda misturada com as ‘causas fraturantes’ do politicamente correcto.
    Só um ignorante não se apercebe o quanto que nesse painel de ‘igualdades’ existe de negação da ciência e dos valores estruturantes da sociedade.
    Só um idiota não identifica o carácter totalitário da mesquinha gente que a todo o tempo se propõe regular todos os aspectos da vida das pessoas e condicionar as suas relações sociais.

    E não há hipérbole, por mais parva que seja, que disfarce esses factos.

    • Rui Naldinho says:

      Foi por essas mesmas razões que você criticou a greve dos trabalhadores da Auto Europa, que votaram esmagaforamente pela greve.
      Porque aquela gente não pode defender os seus interesses económicos, pessoais e familiares, tal como você acha que os outros têm o direito a defender os deles.
      Porque aquela gente deve achar que o Sábado é um dia igual aos outros, e não um dia diferente, como na realidade o é.
      Na verdade:
      ” E não há hipérbole, por mais parva que seja, que disfarce esses factos”. Até para um PhD!

      • Rui Naldinho says:

        …esmagadoramente…

        • JgMenos says:

          Deixe-se de pieguices.
          Só 41% fizeram greve.
          Quero pouco saber se um disparate é maioritário ou não.
          Não havia rotura de negociações, não havia era Comissão de Trabalhadores para negociar.
          Estou certo que se a Administração aceitasse negociar com os sindicatos sem que houvesse CT não haveria greve.
          A cena dos dois dias de descanso seguidos é treta.
          Quanto à família, será verdade para alguns, mas não para os habituados a mamar 400 euros pelos sábados.
          Tudo merdas de luta politica, a saber quem ‘controla’ o quê’.
          O risco de se perderam empregos fica para mais tarde, mas a Boa Fama foi-se, e isso tem um valor substancial que foi estupidamente perdido.

          • A.Silva says:

            O jgMenos nunca será mais que um grunho.

          • JgMenos says:

            A.Silva teres-me por grunho enche-me de confiança que esteja bem distante das tuas crenças e serventias.

  8. Corvo Negro says:

    Muito bom. Mordaz e oportuno.

  9. O texto supra só pode ter sido inspirado nos contos imorais de Cavaco e nos 6 meses de interrupção da democracia da Madame Leite.

  10. “Eles vem aí, ai meus deus, eles vem aí!..”

Trackbacks

  1. […] para cortar postos de trabalho, para investir uns quanto euros a promover uma peça destas? Só pode ser obra da furiosa censura orquestrada pela revolução socialista. Deve ser […]

  2. […] Passos Coelho está indignado, coitado. A censura soviética que grassa asfixia a democracia e coiso e tal. Só era escusado ser tão ingrato para com jornais como o Sol, o i e o Correio da Manhã, que […]

  3. […] Passos Coelho está indignado, coitado. A censura soviética que grassa asfixia a democracia e coiso e tal. Só era escusado ser tão ingrato para com jornais como o Sol, o i e o Correio da Manhã, que […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s