Angola, o futuro imediato


[Mwangolé]

À pergunta se poderia ser o Gorbachev angolano, João Lourenço respondeu que pretende vir a ser mais parecido com Deng Xiaoping, o homem que liderou a reforma económica na China. De facto o maior problema de Angola está no fraco desempenho da sua economia. Não se pode obviamente criticar por antecipação, nem tão pouco sabemos o que resultará da acção do próximo elenco governativo, certo é que o quadro que serve de ponto de partida não é brilhante. Com o preço do petróleo em baixa, sem diversificar a economia, não vamos a lado nenhum. E se alguns factores como a cotação da matéria-prima não dependem da política governativa, outros só dependem mesmo de Angola.

Com a economia paralisada e boa parte dos empresários angolanos descapitalizados e sem acesso a divisas e não se consegue atrair capital estrangeiro sem modificar a actual política restritiva de concessão de vistos. Mas também não devemos ficar iludidos que basta mudar a lei neste aspecto e tudo vai correr bem, porque não vai. Os vistos são apenas uma parte do problema, a corrupção é mil vezes pior inimiga do desenvolvimento. Não é possível a obtenção de licenciamentos para iniciar uma actividade, continuar a depender da gasosa que se paga na repartição ou ministério. Durante anos as empresas públicas empregaram amigos, ou nalguns casos limitaram-se a pagar salários, porque muito boa gente nunca deve ter exercido qualquer função apesar de ter sido remunerada. O mesmo aconteceu na função pública e até nas forças armadas e policiais. Toda a família angolana conhece a cunha, gasosa ou favorecimento como principais critérios que ao longo dos anos têm presidido ao recrutamento de pessoas para trabalhar no Estado.

Há que dar o benefício da dúvida ao novo Presidente, mas os resultados das últimas eleições mostraram um crescente descontentamento, principalmente junto dos jovens nas zonas urbanas, pelo que a tolerância é curta e paciência tem limites. Quarenta e dois anos passados da independência e quinze da obtenção da paz entre os angolanos, é tempo da população beneficiar de saneamento básico, acesso aos cuidados de saúde primários e melhoria de qualidade na educação. Não pode continuar a ser tolerável abrir uma torneira e não sair água, nas casas ondem existem torneiras, bairros inteiros na escuridão, constituindo um verdadeiro paraíso para criminosos, estradas completamente destruídas, causadoras de acidentes que provocam inúmeras vítimas, apesar de anualmente ser exigido o pagamento da taxa de circulação.

Do muito que está por fazer, a prioridade do próximo governo terá de ser arrumar a casa, o que não parece ser tarefa fácil, porque há muito interesse instalado no Estado, que em tempo de abundância, tem dado para quase tudo, mas não para quase todos, porque ao povo apenas chegaram migalhas. Esses interesses instalados não vão certamente querer perder as benesses e tentarão influenciar e condicionar a acção do próximo executivo, para que tudo fique na mesma, ou quase…

Comments

  1. Tchiowa says:

    Tiveram um bom professor… (O Puto)

  2. carlota says:

    Copy paste do seu antecessor 😉 herança pesada
    Este poema diz tudo
    Grande soba
    Vou por um caminho
    E vejo vir devagarinho
    Um grande e uniformizado soba.
    A mastigar bagos de ginguba.
    Se calhar é o mata-bicho
    Qu’ele vai metendo no bucho.
    Vem mesmo calmo, sozinho,
    Bem devagarinho, coitadinho,
    Numa deserta rua,
    A comer ginguba crua,
    Sem a mínima pressa.
    JOSÉ SAMWILA KAKWEJI
    Deng Xiaoping, não encontrou tanta corrupção
    https://pt.tradingeconomics.com/angola/corruption-rank

    ,como em Angola.

  3. JgMenos says:

    Com tanto general corrupto e poderoso, talvez só quando houver um quadro de capitães sem assento na manjedoura estatal.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s