Um certo odor a fascismo no CDS-PP

AMS1.jpg

Assunção Cristas, tal como muitos dos seus principais oficiais, não perde uma oportunidade para aludir ao radicalismo das esquerdas. Para agitar com o papão comunista. Para apelar aos instintos mais básicos do eleitorado, instigando a desconfiança e o medo na sua forma mais primária. Uma constante da vida.

Sempre achei este discurso de uma finíssima ironia. Não porque não exista nos partidos de esquerda o tal radicalismo que lhes é apontado, que é discutível, mas porque o CDS-PP foi precisamente o partido que deu guarida a vários salazaristas no pós-25 de Abril, alguns dos quais exerceram funções governativas durante o Estado Novo. Adriano Moreira, que foi este fim de semana homenageado e aplaudido de pé pelo congresso centrista, foi ministro de Salazar antes de ser eleito terceiro presidente do CDS-PP, entre 85 e 88. E escusado será dizer que alguém que aceita o convite para integrar o governo não-eleito de um fascista opressor valida as práticas em vigor. 

Por falar em validar práticas fascistas, Abel Matos Santos, militante e vice-presidente da concelhia de Lisboa, que lidera a Tendência Esperança em Movimento, uma facção interna do partido, apresentou-se ontem a votos para o Conselho Nacional, tendo naturalmente assistido ao esmagamento da sua pela lista de Assunção Cristas, que apesar da vitória folgada (51 em 70 conselheiros eleitos) conseguiu perder três lugares no órgão máximo entre congressos. Filipe Lobo D’Ávila, principal opositor interno de Cristas, que voltou também a apresentar a sua lista ao Conselho Nacional, conseguiu eleger 13 conselheiros, menos três que os 16 que detinha até agora. E quem ficou com esses lugares? A lista de Abel Matos Santos.

Qual é o problema? Nenhum. Da vida interna do CDS-PP sabem os seus militantes, e se cerca de 90 dos 1053 congressistas que ontem elegeram o novo Conselho Nacional decidiram entregar o seu voto ao projecto liderado por Abel Matos Santos, é porque terão bons motivos para isso. Mas importa clarificar quem é e o que defende Abel Matos Santos (AMS), que desde o final deste congresso passa a ser um player relevante no xadrez centrista.

A imagem em cima fala por si. Mas torna-se ainda mais interessante se analisada à luz daquilo que são as traves mestras do movimento liderado por AMS, que se propõe defender “os valores éticos, sociais e democráticos do humanismo personalista de inspiração cristã“, para depois praticar um discurso xenófobo, discriminatório e reaccionário.

Que se afirma defensor do “respeito pela dignidade da pessoa humana e a garantia dos seus direitos fundamentais, a liberdade e o pluralismo“, apesar de ser liderado por alguém que se indigna com “bichas aos beijos” e que considera que comemorar o 25 de Abril equivale a celebrar “a liberdade de abortar” e de “mudar de sexo de manhã e à tarde”. Respeitar a dignidade humana sim senhor, desde que não sejam homossexuais, que esses não são dignos de ser respeitados.

Que alega defender os valores da democracia constitucional, apesar do seu líder que considera que, durante a ditadura fascista, “Portugal era um país a sério, governado por gente a sério“. Qualquer semelhança com o discurso do PNR não será mera coincidência. Como não será coincidência o facto de AMS ser cronista no Observador.

É claro que Abel Matos Santos não é igual Francisco Mendes da Silva ou Pedro Mexia. Mas a ascensão deste movimento no seio do CDS-PP é reveladora do saudosismo que resiste no interior do partido e exala um certo odor a fascismo. Um odor a fascismo que não pode nem deve ser menosprezado numa Europa a braços com novos tiranetes na Polónia e na Hungria, a fazer contas à vida com a ascensão da extrema-direita em vários estados-membros como a Alemanha, a França e a Itália. Talvez fosse prudente para o CDS-PP olhar para dentro e reflectir, antes de apontar o dedo ao radicalismo dos outros. Não vá o Abel apanhá-los distraídos e tomar o partido de assalto.

Comments


  1. Na imagem, tirando a do Trump que eu concordo pois quem escolheu foram os americanos em democracia, o resto é mau de mais, mas ainda muita gente ainda acredita nisso.

  2. Fernando Antunes says:

    “O toiro não sofre! O sangue que se vê equivale a uma borbulha no ser humano”
    “O 25 de Abril comemora a liberdade para abortar e mudar de sexo de manhã e à tarde”

    Isto é a sério??? De certeza que isto não são citações do Jovem Conservador de Direita? Há dirigentes políticos reais que vomitam estes geniais pensamentos da boca para fora? As citações só dão para rir ou para ficar estupefacto. Mesmo em relação ao Trump, “o povo escolheu de forma categórica” — é completamente falso! Relembro que essa besta de cabelo côr-de-laranja teve menos 2 milhões de votos que a Hillary, portanto se não ganhou sequer o voto popular, longe disso, como é que se pode dizer que o povo o escolheu categoricamente?

    • ZE LOPES says:

      O gajo diz isso porque, se calhar, nunca apanhou varicela. Se tivesse apanhado sabia que aquelas borbulhas, depois de coçadas, doem p’ra burro!

    • ZE LOPES says:

      Embora, Fernando, tenha de confessar que não sou completamente contra as touradas. Ainda tenho esperança de ver os peões de brega do “Insurgente” e do “Observador” (incluindo o Sr. Abel) cravados de bandarilhas.

      • Jorge Evaristo says:

        Vamos ver quem é que vai ser embandarilhado.
        O Fernando e o Mendes, se se ficarem só pelas bacoradas não vão ser de certeza.

        • ZE LOPES says:

          Já V. Exa. corre grande perigo. Essa profissão de peão de brega é realmente muito perigosa. Se apanha um bandarilheiro mais nervoso arrisca-se a chegar a casa com duas farpas espetadas no cachaço,


  3. http://videos.sapo.mz/zFaNzzkbdWFrvIpdusNe

    Os “meninos” não enganam ninguém…

  4. ZE LOPES says:

    Fiquei escandalizado com a denúncia da “liberdade de mudar de sexo de manhã e à tarde”.

    Segundo fui informado, o hospital de Santa Maria está na linha da frente das modernas técnicas cirurgicas, no que toca à mudança de sexo. A técnica até já tem um nome: “Sexexpress”.

    Deve é ser uma dor de cabeça para um psicólogo conservador como o Dr.Abel..Se um homossexual lhe entrar de manhã pelo gabinete, o protocolo vigente exige sugerir-lhe que mude de sexo. Torna-se logo heterossexual, o que até poderia ser bom. O problema é que, em seguida, vai para casa, experimenta e, se não gostar, volta à tarde para voltar a mudar. O cirurgião vai ao frigorífico, volta a implantar o instrumento, e está tudo resolvido.

    Tudo? Tudo não, porque, no dia seguinte, o tipo volta ao hospital porque chegou à conclusão que,enquanto foi mulher, tinha descoberto que, afinal, não se dava bem na cama com homens. Pelo que só lhe resta pedir para voltar a mudar de sexo para tentar uma experiência lésbica.

    É contra isto que o Dr. Abel está disposto lutar com todas as suas forças. A coisa já chegou ao ponto de haver indivíduos que têm de baixar as calças para ver de que sexo são nesse dia, tal é a confusão. Já para não falar nas queixas de frequentes enganos nos sanitários e trocas de pénis nos frigoríficos. Um horror!

  5. ZE LOPES says:

    Segundo a reputada Teoria de Abel, a prova irrefutável de que ninguém nasce homossexual é provada pelo facto de o autor ter descoberto que a esmagadoríssima maioria dos homossexuais são filhos de pais heterossexuais.

    • ZE LOPES says:

      Tá bem, já estou a ouvir perguntar: então e os outros? Os outros, segundo a mesma teoria são filhos do Espírito Santo! Que, segundo consta, também não será propriamente homossexual.

  6. Whale project says:

    Já agora, mesmo que o homem do cabelo cor-de-laranja tivesse mesmo sido eleito pelo voto popular e não por aquela coisa estranha que é uns estados economicamente mais poderosos valerem mais do que outros que não o são tanto (como se um voto em Lisboa vale-se mais que um voto em Barrancos) não sei porque raio é que era suposto aceitarmos o “voto popular” sem sequer termos direito à indignação ou a “por as barbas de molho” da melhor maneira que pudessemos.
    É que foi por tanta gente se dispor a aceitar a “vontade do povo” que o Hitler rearmou a Alemanha e deu origem a uma guerra que custou 50 milhões de vidas. Desenvolvendo, ao mesmo tempo, uma política de extrema crueldade que começou a custar muitas vidas, numa terra que nem sequer era a dele, ainda antes da guerra começar. Como milhares de doentes e deficientes, opositores políticos ou até gente cuja religião proibia pegar em armas.
    Se o homem fosse de esquerda não era o CDS tão lesto em recomendar o respeito pelo voto popular. Tivesse a Dilma Rousseff ganho (não ganhava porque o sistema eleitoral por lá não permite tal aberração, embora permita outras) com menos dois milhões de votos, pediria o respeito pelo voto popular? Ou pediria o impeachment ainda mais cedo? Mas como esta ideia da exclusão de tudo o que é divergente agrada a tão bons espíritos, Aqui d’el Rei que é um desrespeito pela vontade de um povo que não achemos normal que lidere um país ultra-poderoso um “artista” que não acredita em alterações climáticas, pretende obrigar os professores a ir armados para a escola, desvaloriza todos os casos de tiroteios em massa e negros “caçados” pela polícia, menoriza as mulheres, preconiza o tratamento cruel dos imigrantes . Entre ele e um certo peixe-espada subdesenvolvido lá das estepes russas estamos bem entregues. Mas para certa gente do CDS “no passa nada” desde que a direita radical mantenha o poder.

  7. Isabel Atalaia says:

    Opiniões toda a gente tem e há de todas cores e para todos os gostos. Se são informadas, racionais e civilizadas e já são outros quinhentos. Agora que este desperdício de ectoplasma seja psicólogo clínico num hospital público é que é grave, muito grave. Os danos que esta criatura pode causar a quem busca ajuda em tempos de desespero são incalculáveis.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.