Conselho de Finanças Públicas ao serviço da Geringonça

TC

Imagem via Geringonça

No PSD, Rui Rio tenta dar conta de uma oposição interna em fúria, disposta a quase tudo para fazer a folha à recém-eleita direcção, enquanto lida com os escândalos diários nos quais vê os seus mais próximos oficiais envolvidos, do caciquismo de Salvador Malheiro ao currículo de Feliciano Barreiras Duarte.

No CDS, Assunção Cristas sonha, do alto dos seus 5% de intenção de voto atribuídos pelas mais recentes sondagens, ultrapassar o PSD e ser um dia primeira-ministra. E o sonho, já dizia o poeta, é uma constante na vida. Eu também sonho com a bomba do Gajo de Alfama, numa versão em que limpa o sarampo ao lixo político deste país, indo lá pelo cheio a corrupção. Mais rápido teremos Assunção Cristas a bailar com um touro na arena, enquanto um desses tipos que se diverte a torturar animais lhe espeta umas bandarilhas no lombo.

Entretanto, no reino da Geringonça, o mundo pula e avança. Sem oposição, com a conjuntura internacional do seu lado e com números económicos que continuam a deitar por terra as mais variadas e rebuscadas teorias da conspiração dos devotos da Igreja Universal dos Ressabiados do Diabo, os partidos que sustentam o acordo parlamentar seguem o seu caminho, em direcção a uma eleição que se prevê esmagadora para a direita.

Para ajudar à festa, tivemos hoje o Conselho de Finanças Públicas de Teodora Cardoso, essa perigosa comunista, a anunciar estimativas mais optimistas que as apresentadas pelo próprio governo: défice de 1% para 2017, de 0,7% para 2018, 0,3% para 2019 e um saldo orçamental positivo a partir de 2020, ano em que o CFP estima um excedente orçamental de 0,1%. Já lá vai o tempo em que o atingimento dos números do défice estava indexado ao poder infinito da Santíssima Trindade, com recurso a medidas extraordinárias que não eram sustentáveis. Alguém vá dar um abracinho aos observadores e restante matilha, que eles devem estar a precisar.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    “Teodora Cardoso, essa perigosa comunista, a anunciar estimativas mais optimistas que as apresentadas pelo próprio governo: défice de 1% para 2017, de 0,7% para 2018, 0,3% para 2019 e um saldo orçamental positivo a partir de 2020, ano em que o CFP estima um excedente orçamental de 0,1%.”

    Eu disse à Dr.ª Teodora para beber água benta e não o vinho de missa.
    Será que a mulher se alcoolizou?

    • Bento Caeiro says:

      Segundo consta – dizem (não sei se diga más ou línguas sujas) que foi esta senhora que engendrou o célebre esquema de engenharia financeira aplicado ao Montepio, que transformou um grande saldo negativo num enorme saldo positivo. Mas também pode não ter sido: contrariamente a outras áreas de engenharia, onde é preciso estar inscrito na ordem para exercer a profissão, a engenharia financeira não – dizem-me que faz parte de uma cadeira que é ministrada em certos salões e que tem por designação: Chico-Espertismo ou a Arte de Bem Viver à Custa do Pagode(*).
      Também, para que saibam, falei com o meu banco (quer dizer o banco onde tenho a conta) e com as finanças da Nação, dizendo-lhes que gostaria de proceder do mesmo modo, ou seja, transformar o meu saldo negativo em muito positivo. Não aceitando, nem negando tal pretensão, apenas me disseram (palavras deles – não do Senhor do Alto): «Para que isso seja possível, o senhor (eu) tem de transformar tostões em milhões».
      Frisaram que, como tenho podido constatar – BES, Novo Banco, BPN e outros mais – o negócio deles é de centenas de milhões; também que eu não posso querer as coisas e enriquecer, se continuar com vistas tão curtas.
      Estou a pensar nisso. Caramba, também quero ir a Davos.

      (*) A referida cadeira, para além dos conteúdos, inclui uma experiência de natureza surreal: no final do curso, os intervenientes põem um papelinho na mão – escrito ou não, não tem interesse, é só para a pose – postam-se em frente de um espelho e repetem, até conseguirem dizer com grande convicção: “TUDO O QUE FOI FEITO NÃO TERÁ QUAISQUER CUSTOS PARA O CONTRIBUINTE”.

  2. Paulo Marques says:

    Não faz mal, muda.se já a definição do NAIRU… perdão, défice estrutural para dar 5% de défice, para os comunas aprenderem.
    Só continuo sem perceber é como é que se dá de comer a 10 milhões de portugueses sem défice (e olhar para o Japão não ajuda), mas se calhar por isso é que estamos cada vez mais longe dos 10 milhões.


  3. “Entretanto, no reino da Geringonça, o mundo pula e avança.”

    João Mendes, pula, pula! E de tal forma, que ora pula para a Esquerda, ora pula para a Direita.
    Ou seja, é uma Geringonça bipolar…

    http://rr.sapo.pt/noticia/108140/ps-ao-lado-de-psd-e-cds-chumbadas-alteracoes-a-lei-laboral

Deixar uma resposta