Então Catarina?Então Jerónimo?

Todos diferentes, todos iguais.

Comments

  1. esteves, ayres says:

    Mas ainda existe a bancada parlamentar do BE e do PCP no parlamento, eu pensei que estivessem ainda de férias de Páscoa!!!

  2. Paulo Marques says:

    Então, o quê? A Chanceler deixa?

  3. Bento Caeiro says:

    Na minha terra, os homens mais antigos, os quais continuam a recusar-se a não ser machistas – também ainda ninguém os convenceu que não ser machista não é o mesmo que ser amaricado: vá-se lá saber porquê! – têm um ditado sobre a necessidade (eles dizem precisão) que o homem tem da mulher, que é: “As mulheres, não fosse a falta que fazem, não faziam falta nenhuma”.
    Não sei porquê, mas ao ler o título acima mencionado sobre a Catarina (Penso não ser a Eufémia) e o Jerónimo (Penso não ser o índio americano), veio-me isto à cabeça.
    Certamente alguma analogia haverá, porque da mesma forma pensei: o PCP e o BE, não fosse a falta que fazem para o PS continuar a governar, não faziam falta nenhuma. Como também é verdade que, o PS, não fosse a falta que faz para o PCP e BE continuarem com a sua política reivindicativa face ao governo, não fazia falta nenhuma.
    Ora, como persistem muitas dúvidas no PCP e BE que o PS não opte por aceitar a disponibilidade de Rio para viabilizar um governo PS, daí a razão – quanto a mim – da pergunta. Cuja resposta só vejo uma: instinto de sobrevivência.

Deixar uma resposta